conecte-se conosco


Agronegócio

Agronegócio fica com 17% do socorro de bancos públicos na pandemia

Publicado

Agronegócio fica com 17% do socorro de bancos públicos na pandemiaA maior fatia vai ficar com as empresas, que terão acesso a R$ 88 bilhões (49,4%). Outros R$ 30 bilhões estão disponíveis para compra de carteiras de bancos pequenos e médios.

Há ainda R$ 24 bilhões (13,4%) para pessoas físicas e R$ 6 bilhões (3,4%) para hospitais, estados e municípios.

Diante da avaliação de que cada área do agronegócio será impactada de uma forma distinta pelo choque econômico da pandemia, representantes do setor se organizam para apresentar uma lista de demandas ao governo. As negociações devem ser focadas em ampliação do crédito para capital de giro, adiamento de parcelas de dívidas e alongamento de prazos dos débitos.

Do total liberado nas últimas semanas para o agro, R$ 25 bilhões vêm do Banco do Brasil, e R$ 5 bilhões, da Caixa.

Nos bastidores, a cúpula da Caixa não avalia disputar o mercado com o BB, líder na área, e ainda não considera futura ampliação dessas linhas. O foco será dado às micro e pequenas empresas.

Veja Também:  Associados à Aprosoja asseguram recursos para manutenção de entidades filantrópicas

O agronegócio tem acesso a linhas de crédito com condições diferentes, características específicas e prazos vinculados às safras, mas não há impedimento de que capte em condições normais, o que não costuma ser vantajoso.

O superintendente técnico da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) Bruno Lucchi diz ser cedo para estimar os impactos da crise. Ressalta, porém, que os cortes nas projeções de avanço da economia mundial e do Brasil vão atingir o setor e que algumas áreas sentirão os efeitos com maior intensidade.

É o caso dos produtores de flores, que verão suas vendas desabarem sem o movimento das datas comemorativas, e de frutos do mar, que perdem grande parte das vendas com o fechamento de restaurantes.

O técnico diz que dificuldades com mão de obra já são sentidas nas áreas de processamento, especialmente em frigoríficos e laticínios, que fecharam unidades, reduziram turnos e concederam férias coletivas.

Para mitigar efeitos da crise, a CNA vai apresentar demandas ao governo nesta próxima semana.

“Em algumas, só prorrogar parcelas. Outros setores precisam de mais crédito. É preciso ações para alguns setores terem fôlego e aguentarem o período sem vendas.”

Veja Também:  Exportações de carnes bovinas encerram 2019 com recordes em volume e faturamento

Ressaltando a importância da manutenção do abastecimento de alimentos, Lucchi considera que o setor segue com capacidade de produção e deve ser tratado com prioridade, assim como a área da saúde.

“O produtor vai continuar produzindo. Vamos trabalhar com o governo para que tudo chegue ao consumidor.”

Procurado, o Ministério da Agricultura não comentou.

Segundo a CNA, o agronegócio é responsável por 21% do PIB brasileiro. Historicamente, o setor ancora a balança comercial brasileira no azul. Anualmente, registra saldo positivo que segura o déficit de todos os outros setores.

No ano passado, o valor das exportações brasileiras nessa área foi de US$ 97 bilhões. China, União Europeia e Estados Unidos —os mais atingidos pelo coronavírus— são os três maiores compradores.

Segundo o vice-presidente de Agronegócios e Governo do BB, João Rabelo Júnior, o banco vai apresentar ações para simplificar a liberação do crédito. O objetivo é evitar que os clientes se locomovam às agências, ampliando a segurança contra a pandemia.

Fonte: Folha SP
www.barranews.com.br – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio

Prefeitura e Grupo Barralcool promovem higienização das ruas de Barra do Bugres diariamente

Publicado

A limpeza se dá principalmente em áreas de grande aglomeração de pessoas durante o dia

 Trabalho realizado na noite de quinta-feira

Para combater o avanço do coronavírus, por meio de uma parceria entre Prefeitura de Barra do Bugres e grupo Barralcool, todas as noites está sendo realizada limpeza das vias, com maior fluxo de pessoas durante o dia. Um caminhão pulveriza, em forma de névoa, o cloro diluído em 3%.

A limpeza se dá principalmente em áreas de grande aglomeração de pessoas durante o dia, ou seja, nas avenidas principais e nas calçadas. O foco principal de limpeza tem sido em frente a prédios públicos de atendimento à população, como Unidades de Pronto Atendimento, bancos e comércio.

Fonte: Assecom

www,barranews.com.br – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Veja Também:  Produtor pode contratar linha de crédito para quitar dívidas
Continue lendo

Agronegócio

Indústria e produtor de soja enfrentam alta no frete devido a coronavírus

Publicado

Indústria e produtor de soja enfrentam alta no frete devido a coronavírus“O mercado de frete está se ajustando, como tem caminhoneiro que não está querendo fazer rota longa, o preço do frete está subindo. Tem que escoar, o preço sobe mesmo, basicamente é isso que está acontecendo”, disse André Nassar, em entrevista à Reuters.

Ele afirmou que alguns agricultores sofreram um aumento de custos para levar a soja de caminhão até os armazéns, enquanto tradings também enfrentam o problema para escoar a soja já negociada com os produtores.

Mas o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) disse que, apesar do aumento do custo maior, são raros os relatos de empresas associadas sobre falta de caminhão para levar o produto até os portos.

Veja Também:  Associados à Aprosoja asseguram recursos para manutenção de entidades filantrópicas

“Não é que o caminhão virou um problema, mas o que aconteceu é que o frete subiu”, disse ele, sem dar detalhes sobre o aumento no valor do frete.

Ele disse que medida do governo publicada nesta sexta-feira, que estabelece restaurantes e outros serviços como essenciais para caminhoneiros, deverá ajudar no escoamento da safra recorde de soja do Brasil.

Nassar disse ainda, que apesar dos desafios, o Brasil conseguirá exportar os volumes de soja demandados.

Fonte: Reuters

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

O QUE VOCÊ ESTÁ ACHANDO DA GESTÃO DO GOVERNADOR MAURO MENDES ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana