conecte-se conosco


Policial

Arcanjo é preso suspeito de comandar jogo do bicho em MT; outras 31 pessoas também são alvo de operação

Publicado

João Arcanjo Ribeiro  — Foto: TVCA/Reprodução

João Arcanjo Ribeiro — Foto: TVCA/Reprodução

A Polícia Civil faz uma operação nesta quarta-feira (29) em Cuiabá contra duas organizações criminosas que comandam o jogo do bicho em Mato Grosso. Até as 7h (horário de MT) foram presos João Arcanjo Ribeiro e o genro dele Giovanni Zem Rodrigues, ambos suspeitos de chefiar uma das organizações.

Giovanni Zem Rodrigues foi preso pela Polícia Federal (PF) ao desembarcar em Guarulhos (SP) na manhã desta quarta-feira.

Giovanni Zem Rodrigues foi preso pela Polícia Federal (PF) ao desembarcar em Guarulhos (SP) na manhã desta quarta-feira.  — Foto: Polícia Federal

Giovanni Zem Rodrigues foi preso pela Polícia Federal (PF) ao desembarcar em Guarulhos (SP) na manhã desta quarta-feira. — Foto: Polícia Federal

Ao todo são 33 mandados de prisão e 30 mandados de busca e apreensão.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, um dos alvos de prisão é Frederico Muller Coutinho, suspeito de chefiar outra organização do esquema, mas não há informações se já foi preso ou não.

Policiais cumprem mandados na casa de João Arcanjo Ribeiro. — Foto: Ruberlei Siqueira/TVCA

Policiais cumprem mandados na casa de João Arcanjo Ribeiro. — Foto: Ruberlei Siqueira/TVCA

A Operação Mantus foi deflagrada pela Delegacia Especializada de Fazenda e Crimes Contra a Administração Pública (Defaz) e pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) para o cumprimento de mandados expedidos pelo juiz da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, Jorge Luiz Tadeu.

Investigações

Mandados de busca e apreensão da Operação Mantus, em Sorriso — Foto: Polícia Civil de Sorriso/Divulgação

As investigações iniciaram em agosto de 2017, conseguindo descortinar duas organizações criminosas que comandam o jogo do bicho em Mato Grosso e que movimentaram em um ano, apenas em contas bancárias, mais de R$ 20 milhões. Uma das organizações é liderada por João Arcanjo Ribeiro e seu genro Giovanni Zem Rodrigues, já a outra é liderada por Frederico Muller Coutinho.

João Arcanjo Ribeiro, conhecido como “Comendador”, é acusado de liderar o crime organizado em Mato Grosso, nas décadas de 80 e 90, além de estar envolvido com a sonegação de milhares de reais em impostos, entre outros crimes.

João Arcanjo Ribeiro

Mais de R$ 200 mil foram apreendidos na casa de João Arcanjo Ribeiro, em Cuiabá, durante a Operação Mantus. — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/GCCO

Mais de R$ 200 mil foram apreendidos na casa de João Arcanjo Ribeiro, em Cuiabá, durante a Operação Mantus. — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/GCCO

No ano de 2002, Arcanjo foi alvo da operação da Polícia Federal, Arca de Noé, em que teve o mandado de prisão preventiva expedido pelos crimes de contravenção penal, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e homicídio. A prisão do bicheiro foi cumprida em abril de 2003 no Uruguai. Arcanjo conseguiu a progressão de pena do regime fechado para o semiaberto em fevereiro de 2018, após 15 anos preso.

Veja Também:  Polícia Civil prende em flagrante suspeito de degolar companheira em Primavera do Leste

Frederico Müller Coutinho

Operação Mantus, em Cuiabá — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/GCCO

Operação Mantus, em Cuiabá — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/GCCO

O empresário Frederico Müller Coutinho é um dos delatores da Operação Sodoma, que investigou fraudes que resultaram na prisão do ex-governador Silval Barbosa. Müller trocava cheques no esquema e chegou a passar dinheiro para o então braço direito do ex-governador. Os cheques teriam sido emitidos como parte de um suposto acordo de pagamento de propina ao grupo político do ex-governador.

Briga entre organizações

Mandados de busca e apreensão da Operação Mantus, em Sorriso — Foto: Polícia Civil de Sorriso/Divulgação

Mandados de busca e apreensão da Operação Mantus, em Sorriso — Foto: Polícia Civil de Sorriso/Divulgação

Durante as investigações, foi identificada uma acirrada disputa de espaço pelas organizações, havendo situações de extorsão mediante sequestro praticada com o objetivo de manter o controle da jogatina em algumas cidades.

Os investigadores também identificaram remessas de valores para o exterior, com o recolhimento de impostos para não levantar suspeitas das autoridades. Foram decretados os bloqueios de contas e investimentos em nome dos investigados, bem como houve o sequestro de ao menos três prédios vinculados aos crimes investigados.

Os suspeitos vão responder pelo crime de organização criminosa, lavagem de dinheiro, contravenção penal do jogo do bicho e extorsão mediante sequestro, cujas penas somadas ultrapassam 30 anos.

Por G1 MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Operação combate pornografia infantil em Mato Grosso e outros 11 Estados

Publicado

image

O Bom da Notícia

Foto: PJC

Policiais de Mato Grosso e outros 11 estados do Brasil e de mais quatro países começaram a cumprir na manhã desta terça-feira (18) 112 mandados de busca e apreensão, na sexta fase da Operação Luz na Infância. O objetivo é combater a pornografia infantil e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

A operação, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, busca arquivos com conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual praticados contra menores de idade. Os suspeitos podem ser presos em flagrante caso a polícia encontre armazenamento, distribuição e produção do conteúdo.

Até por volta de 8h, duas prisões haviam ocorrido em Francisco Beltrão, no Paraná, e uma em Campo Grande (MS).

Até a última atualização desta reportagem, o número total de apreensões não havia sido divulgado.

As agências de aplicação da lei da Colômbia, Estados Unidos, Paraguai e Panamá também cumprem mandados de busca e apreensão.

A operação desta terça (18) é executada pela Polícia Civil dos seguintes estados:

  1. Santa Catarina
  2. São Paulo
  3. Rio Grande do Sul
  4. Rio de Janeiro
  5. Piauí
  6. Paraná
  7. Mato Grosso do Sul
  8. Mato Grosso
  9. Goiás
  10. Ceará
  11. Acre
  12. Alagoas
Veja Também:  Polícia Civil prende em flagrante suspeito de degolar companheira em Primavera do Leste

As penas para os crimes investigados variam de 1 a 8 anos de prisão. Quem armazena material de pornografia infantil tem pena de 1 a 4 anos de prisão. Para quem compartilha, a pena é de 3 a 6 anos de prisão. A punição para quem produz esse tipo de material é de 4 a 8 anos de prisão.

Fonte: O Bom da Notícia

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Camionete roubada em Tangará é recuperada pela PM de Nova Olímpia

Publicado

Foto por: PM/CRVII

Click Nova Olímpia

A Polícia Militar de Nova Olímpia recuperou na tarde desta segunda-feira (17), por volta das 16h05 um veículo produto de furto de Tangará da Serra que estava escondido em um canavial na região da zona rural do município.

Segundo informou a guarnição de serviço, ao receber informação do proprietário da camioneta Chevrolet D-20, os policiais iniciaram diligências pela região, encontrando-a no canavial nas proximidades do viaduto, após a entrada do assentamento São José.

Foi registrado o Boletim de Ocorrência e o veículo foi encaminhado a Delegacia de Polícia Civil para as providências necessárias.

Camioneta roubada em Tangará é recuperada pela PM de Nova Olímpia Camioneta roubada em Tangará é recuperada pela PM de Nova Olímpia
Fonte: Click Nova Olímpia

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT.

Comentários Facebook
Veja Também:  PRF do MT prende quatro pessoas e recupera dois veículos roubados
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

O QUE VOCÊ ESTÁ ACHANDO DA GESTÃO DO GOVERNADOR MAURO MENDES ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana