conecte-se conosco


Agronegócio

Demanda por suínos aumenta no Brasil

Publicado

Demanda por suínos aumenta no Brasil

A demanda por suínos no mercado brasileiro aumentou consideravelmente, segundo informações divulgadas pela Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS). De acordo com a instituição, apesar de as exportações para a China ainda não terem aumentado, esse crescimento elevou os preços pagos ao produtor a patamares que não eram atingidos desde o segundo semestre de 2017.

A expectativa é de que o interesse da China aumente, já que a incidência da peste suína africana no país tem feito com que os asiáticos sacrifiquem muitos dos seus animais, gerando um prejuízo considerável e também uma falta do produto. Com isso, é provável que o produtor brasileiro finalmente tenha alguma recompensa por sua criação.

Com a perspectiva de aumento das exportações ao longo do ano, especialmente para a China, parece que, finalmente, depois de muitos meses de dificuldades, o suinocultor voltará a trabalhar com margens positivas. Resta saber até que ponto os indicadores socioeconômicos negativos do país, como alto desemprego e redução de renda, vão limitar esta subida dos preços”, disse o presidente da ABCS, Marcelo Lopes, no Boletim ABCS Mercado em Foco divulgado na segunda-feira (29).

Veja Também:  SUÍNOS/CEPEA: Preço do vivo está em ritmo de recuperação

No entanto, dados compilados pela ABCS dão conta de que o volume de de carne suína in natura brasileira para a China caiu 18% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. “Porém, é preciso ficar atento às condições climáticas aqui e nos EUA e às negociações tarifárias da soja e da carne suína entre China e EUA. Além disso, com o crescimento das exportações de carne bovina e de frango, é esperada uma pressão para o aumento dos preços pagos ao suinocultor brasileiro”, finaliza a entidade.Agrolink

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio

Produção de açúcar cai na quinzena, mas sobe 2,2% na safra do CS, diz Unica

Publicado

Produção de açúcar cai na quinzena, mas sobe 2,2% na safra do CS, diz UnicaCom a safra caminhando para o seu final, usinas destinaram apenas 23,06% da cana para a produção de açúcar na segunda quinzena de novembro, e a fabricação do adoçante somou apenas 337 mil toneladas no período, queda de 36,7% ante a mesma época do ano passado.

Já a produção de etanol na quinzena aumentou cerca de 3%, para 770 milhões de litros, elevando o total produzido no acumulado da safra já para um recorde de 31,7 bilhões de litros (+8,56% na safra), considerando o biocombustível de cana e milho, disse a Unica.

Fonte: Reuters

Comentários Facebook
Veja Também:  CAFÉ/CEPEA: Diferencial entre os preços do arábica e robusta chega a 100 reais/saca
Continue lendo

Agronegócio

Valor das exportações na América Latina cairá 2,4% em 2019, segundo o BID

Publicado

Valor das exportações na América Latina cairá 2,4% em 2019, segundo o BIDApós o crescimento de 8,7% em 2018 e de 12,2% em 2017, a região entrará pela terceira vez em uma década em uma fase de contração comercial em 2019, segundo as projeções do BID.

De acordo com o banco, “a tendência de baixa nas exportações permanecerá nos próximos meses, devido à desaceleração da demanda mundial, à volatilidade dos mercados de produtos básicos e à incerteza sobre as tensões comerciais globais”.

O BID apontou que a contração dos envios da América Latina e do Caribe segue uma tendência do comércio mundial, que nos três primeiros trimestres de 2019 caiu 3,1% em ritmo anual.

“Embora as economias avançadas começam a mostrar um cauteloso retorno do otimismo, as emergentes continuam apresentando fatores de risco para as exportações da América Latina e o Caribe”, disse Paolo Giordano, economista principal do Setor de Integração e Comércio do BID e coordenador do estudo.

Veja Também:  MANDIOCA/CEPEA: Desvalorizações comprometem rentabilidade da mandiocultura

Um dos fatores da contração é a queda dos preços das matérias-primas da região. Entre janeiro e outubro, o preço do cobre caiu 8,3%, a soja retrocedeu 5,8% e o café 17,1%.

Fonte: AFP

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana