conecte-se conosco


Barra do Bugres e Região

Detentos aplicavam golpes em vários Estados, aponta polícia

Publicado

Uma mega operação deflagrada pela Polícia Civil do Amazonas (AM), com apoio da Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) e do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), de Rondonópolis, cumpriu 17 mandados de prisão e três de busca e apreensão ontem (3), na operação “Falsários de Net”.

Todos os mandados de prisão, expedidos pela Justiça de Manaus, foram pelos crimes de estelionato e organização criminosa contra 16 detentos que encontram-se recolhidos na mesma cela da Penitenciária Major Eldo Sá Correia (Mata Grande), e contra a esposa de um dos reeducandos, que foi presa pelos policiais em sua residência, no bairro Dom Osório.

Durante buscas na cela dos suspeitos, foram apreendidos 76 chips, três celulares, seis porções de maconha e 28 cadernos com anotações. Na casa da suspeita, os policiais apreenderam um veículo Golf, uma motocicleta e mais de R$ 1,1 mil em dinheiro.

As investigações foram conduzidas pela Delegacia Especializada de Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) de Manaus, e apontam que os suspeitos praticavam golpes de estelionato por meio do WhatsApp, sendo que eles fizeram vítimas em vários Estados, incluindo o Amazonas. Somente no Distrito Federal, nos últimos dois anos, a quadrilha teria aplicado mais de 200 golpes.

Veja Também:  Lei municipal proíbe corte de água e energia em Nortelândia

O GOLPE

Foram apreendidos com os detentos 76 chips de celulares, que eram utilizados na aplicação dos golpes – Divulgação

O golpe acontecia quando o comprador (vítima), interessado pelo preço, entrava em contato com o vendedor (golpista), que atuava como um intermediário do real vendedor. O golpista, então, afirmava para o proprietário do veículo que o comprador (vítima) tinha uma dívida com ele. A mesma versão era apresentada ao comprador (vítima), falando que o dono do carro tinha uma dívida com ele (golpista). A mentira era contada e o estelionatário solicitava para ambos não falarem de valores, quando a pessoa interessada na compra fosse vistoriar o veículo.

Depois de negócio fechado, o estelionatário, fazendo o papel de intermediador, informava ao comprador a conta bancária para depósito, e solicitava que o depósito fosse feito rapidamente. O golpe foi descoberto após um comprador perceber que o depósito não havia sido realizado em nome do verdadeiro vendedor, e sim de uma terceira pessoa que seria integrante da quadrilha de estelionatários. Toda a negociação era feita pelos detentos, que utilizavam somente mensagens de texto e áudios pelo celular. (A TribunaMT)

ATUALMT

Comentários Facebook
publicidade

Barra do Bugres e Região

Normando Corral é reeleito Presidente da Famato

Publicado

Assecom – Famato

Normando Corral, diretor do Sindicato Rural de Tangará da Serra, foi reeleito para presidir a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso para os próximos três anos (triênio 2020/2022). A eleição ocorreu nesta segunda-feira (11/11), em Cuiabá, e Reck Júnior, presidente do Sindicato de Tangará, esteve presente para participar da votação.

O pleito eleitoral da instituição teve apenas uma chapa.  Com o nome “União”, ela teve a aprovação de 98,8% dos presidentes de Sindicato Rurais do estado que compareceram à votação, por acreditarem na proposta de integração e regionalização do Sistema Famato.

O Sistema Famato tem como entes federados o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar MT), Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) e Sindicatos Rurais.

“Para mim é uma grande honra receber mais uma vez a confiança dos presidentes dos Sindicatos Rurais para liderar a entidade máxima do Sistema Sindical Rural de Mato Grosso por mais um triênio. Hoje, além de renovar nosso compromisso em defender a classe produtora rural, entendemos essa vitória como um reconhecimento do nosso trabalho à frente do Sistema Famato nos últimos três anos. Sonhos e desafios não faltam para este novo período. E sigo convicto de que podemos fazer mais pelo nosso setor e por este estado.”

Veja Também:  Decisão do TJ considera legal a cobrança da taxa de incêndio

Normando Corral, 62 anos, é engenheiro agrônomo. Nasceu em Rinópolis (SP). Trabalha com agricultura e pecuária. Estabeleceu-se em Tangará da Serra em 1982. Em 2005 elegeu-se presidente do Sindicato Rural do município.  Assumiu a presidência da Famato nas gestões lideradas por Homero Pereira e Rui Prado, sempre que necessário. É vice-presidente da Associação dos Fornecedores de Cana do Vale do Rio Paraguai (Assovale).

FAMATO

Criada em 1965, a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) representa todos os Sindicatos Rurais de Mato Grosso, sendo a principal porta-voz do Sistema Sindical Rural do Estado.

A Federação representa mais de 33 mil produtores em Mato Grosso e seu trabalho está ancorado na produção de informação estratégica para orientação ao produtor, na articulação política institucional e na disseminação de know-how para os produtores rurais. Para isso, ela coordena os trabalhos das entidades que compõem o Sistema Famato – Senar Mato Grosso, Imea e futuramente o AgriHub.

GESTÃO TRIÊNIO 2020-2022:

PRESIDENTE: Normando Corral

Veja Também:  Senadora Selma Arruda fica no cargo até julgamento de recurso no TSE

1º VICE-PRESIDENTE: Francisco Olavo Pugliesi de Castro

2º VICE-PRESIDENTE: Marcos da Rosa

DIRETOR DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS: José Luiz Martins Fidelis

VICE-DIRETOR DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS: Carlos Royttmen Pires da Silva

DIRETOR ADMINISTRATIVO-FINANCEIRO: Vilmondes Sebastião Tomain

VICE-DIRETOR ADMINISTRATIVO-FINANCEIRO: Valdecio Tarsis Rezende Fernandes

SUPLENTES DA DIRETORIA:

1º Suplente: Antonio Carlos Carvalho de Sousa

2º Suplente: Endrigo Dalcin

3º Suplente: Milton Carlos Zolin

4º Suplente: Eduardo Minoru Sako

5º Suplente: Etso Rosolin

DIRETORIAS REGIONAIS:

VICE-PRESIDENTE REGIÃO 1: José Lino Geraldo Martins Rodrigues

Suplente: Walmir Naves Coco

VICE-PRESIDENTE REGIÃO 2: Alcindo Uggeri

Suplente: Jairo Alves de Sousa

VICE-PRESIDENTE REGIÃO 3: Bruno Fernandes de Faria

Suplente: Luiz Carlos da Silva

VICE-PRESIDENTE REGIÃO 4: Antonio Fernandes de Mello

Suplente: Otalécio Januario de Sá

VICE-PRESIDENTE REGIÃO 5: Gladir Tomazelli

Suplente: Jose Milton Breitenbach

CONSELHO FISCAL EFETIVOS:

José Teixeira

Ricardo da Silva Correa

Joaquim Jose de Almeida

CONSELHO FISCAL SUPLENTES:

Benedito Francisco de Almeida

José Aparecido Cazzeta

Lucinei Buch Medici

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Vereadores analisam projeto que autoriza prefeitura a contratar detentos em Tangará da Serra

Publicado

A contratação de pessoas que cumprem pena no Centro de Detenção Provisória de Tangará da Serra (CDP) está prevista para ser discutida no Plenário da Câmara Municipal nesta terça-feira, 12.

O Projeto de Lei 144/2019, de autoria do Poder Executivo, entrou na Casa no último dia 31 de outubro e começou a tramitar na sessão do dia 05 de novembro.

O projeto tramita em regime de urgência simples e está previsto para ser discutido e votado em turno único.

De acordo com o texto original do PL 144, o Município estaria autorizado a firmar convênio com o Conselho da Comunidade da Comarca de Tangará da Serra para a contratação de reeducandos que se encontram no CDP.

A contratação, como prevê o projeto, será feita em acordo com o que diz a Lei de Execuções Penais.

O trabalho do preso será de segunda a sexta-feira com jornada diária de 08 (oito) horas e será remunerado pela Administração Municipal no valor de 01 (um) salário mínimo por mês de trabalho.

Veja Também:  Homem leva tiro na perna após bater na esposa e tentar agredir Policiais com uma faca em Arenápolis

Além disso, de acordo com o Art. 5º do projeto, a quantidade de reeducandos que irá exercer atividade laboral fica adstrita à necessidade do Município e a determinação do Juízo da Execução Penal, que decidirá pela aptidão de cada reeducando para o trabalho.

DEBATE

Esta é a segunda vez que o Município encaminha projeto semelhante à Câmara Municipal. A primeira foi em 2018, quando após ampla discussão o Poder Legislativo decidiu rejeitar o texto.

Na ocasião, uma das principais críticas que eram feitas pelos vereadores era quanto a intermediação de ONGs na relação entre o poder público e o projeto – ponto que agora foi retirado no texto do projeto que atualmente tramita na Câmara.

Clique aqui para download do projeto.

Fonte: Marcos Figueiró/Assessoria da Câmara

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana