conecte-se conosco


Mato Grosso

Documentário Mato-grossense é indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2019

Publicado

 A estreia no Brasil aconteceu no “DIGO” (Festival Int. da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás) e passou pelo 46º Festival de Cinema de Gramado, 28º Curta Cinema, 26° Festival Mix Brasil, 22º Mostra de Tiradentes, e internacionalmente lançado na Argentina pelo 11º Festival Latinoamericano de Cine de los Pueblos Indígenas, e no Festival Internacional de Cinema O Picasa, que levou o prêmio de melhor documentário internacional. Passando pela Espanha, Canada, Alemanha, Peru e Argentina. Ao todo são mais de 50 seleções e 11 prêmios no primeiro ano de lançamento. Ao todo são mais de 50 seleções e 12 prêmios em quase um ano de lançamento.

A votação em primeiro turno é feita entre os membros da Academia Brasileira de Cinema. Os cinco da categoria estarão na final para concorrer ao Troféu Grande Otelo. A premiação acontecerá no Rio de Janeiro, ainda sem local e data definidos.

Veja Também:  Fundo Estadual de Saúde transfere R$ 9 milhões para 13 municípios de MT

Ficha Técnica:

Direção, Câmera e Montagem: Rafael Irineu

Produção Executiva: Patricia Ribeiro

Ass. de Direção e Produção: Ayrton Senna Amaral

Som Direto: Matheus Lazarin e Isabelle Almeida

Making of: Cezar Rondon

Motorista: Nalme Mendonça

Desenho de Som: Matheus Lazarin

Correção de Cor e Finalização: Isabela Padilha

Trilha Sonora Original: ”Urucum” – Gontcha

Faixa Musical: “Vem” – Jaloo

Tradução Libras: Túlio Gontijo

Audiodescrição: Thayana Bruno, Cida Leite e Valentim Félix

Ilustração Cartaz: Stainner Rylle

Apoio: Luiz Marchetti


Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Acusado de matar ex-namorada com tijolada na cabeça vai a júri nesta 5ª

Publicado

Dineia Batista Rosa: universitária foi estrangulada e morta pelo ex — Foto: Divulgação

Dineia Batista Rosa: universitária foi estrangulada e morta pelo ex — Foto: Divulgação

Acusado de matar a universitáriaDineia Batista Rosa em 2017, Wellington Fabricio de Amorim Couto, ex-namorado da vítima, vai enfrentar o Tribunal do Júri nesta quinta-feira (23). O julgamento deveria ter ocorrido em março, mas foi adiado por duas vezes.

Wellington responde pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe, emprego de meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio.

A universitária foi morta no dia 20 de maio de 2017 em uma casa, no Bairro Serra Dourada, na capital, que ela tinha comprado como presente de Dia das Mães para a mãe dela.

Dinea estava no local para fazer uma limpeza, quando o Welington arrombou a casa e a matou. Vizinhos ouviram gritos e chamaram a polícia, no entanto, a vítima já estava morta.

Welington Fabrício de Amorim Couto — Foto: DHPP/Divulgação

Welington Fabrício de Amorim Couto — Foto: DHPP/Divulgação

Atualmente Welington está preso preventivamente no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC).

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Presidente da AMM diz que prefeituras de MT são prejudicadas com sistema de distribuição da arrecadação dos recursos no país

Publicado

Presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga — Foto: TV Centro América

Presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga — Foto: TV Centro América

O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, foi entrevistado no quadro Papo das Seis desta quinta-feira (23). Ele falou sobre a situação financeira dos municípios, repasse por parte dos governo estadual e federal e manutenção em escolas.

Para ele, as prefeituras não têm condições de manter alguns setores, como a educação.

“Hoje os municípios de Mato Grosso têm uma situação até razoável em comparação com outros estados. No sentido entre ter um equilíbrio entre despesas e receita. Mas a situação dos municípios não é boa, justamente por causa do sistema de distribuição dos recursos arrecadados no Brasil”, declarou.

O representante disse que nem o governo estadual ou o federal tem conseguido manter os recursos.

Com isso, as prefeituras passariam a receber R$ 500 milhões, cerca de R$ 100 milhões a mais do que recebem atualmente.

Por G1 MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana