conecte-se conosco


Mato Grosso

Eventos e projetos transformam rotina nas bibliotecas públicas de MT

Publicado

O 1º Encontro de 2019 do Programa de Qualificação dos Agentes de Bibliotecas Públicas, que ocorreu esta semana, em Cuiabá, reuniu participantes de 24 municípios do Estado para debater sobre Mediação de Leitura. Além do tema proposto e desmistificando uma das crenças populares a respeito de bibliotecas, um dos tópicos mais destacados foi o papel social desses equipamentos culturais. Ou seja, esclarecer que bibliotecas devem ser espaços vivos, dinâmicos e, acima de tudo, úteis para a sociedade. Do contrário, tornam-se apenas locais passivos, onde há livros para pesquisar, mas sem leitores e/ou visitantes.

“Desde que o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Mato Grosso passou a focar na mudança de conceito sobre o papel das bibliotecas, a partir de 2015, percebemos um grande avanço na gestão desses equipamentos culturais. Percebemos que hoje estão mais autônomas e cumprindo melhor a sua missão, que é transformar a sociedade por meio da cultura e do conhecimento. Uma biblioteca pode ter investimento e o melhor acervo do mundo, se não for útil, será somente um lugar bonito”, destaca a coordenadora do Sistema, Waldineia Almeida.

Um exemplo dessa mudança na gestão ocorreu em Apiacás (1.010 quilômetros ao norte de Cuiabá). A biblioteca municipal foi fechada por falta de visitação. “As pessoas simplesmente não iam, o livro ficou sem registro por vários meses”, explica Angélica Fernandes Nunes. Uma nova tentativa foi feita e a biblioteca foi reaberta em junho do ano passado, com outra proposta de atuação. Hoje, o espaço registra mais de 400 visitas desde a reinauguração, e os moradores da cidade reconhecem a utilidade do equipamento.

Veja Também:  Leilão do Detran arrecada R$ 1,6 milhão e novo certame deve ocorrer em abril

“Temos uma agenda de eventos. Por exemplo, o Momento da Leitura e o Festival Cultural. As escolas levam os alunos, há os voluntários que se fantasiam, fazem brincadeiras e contam histórias. Os pais levam os filhos para conhecer e emprestar livros porque perceberam que as crianças precisam dessa interação saudável. A cidade é muito carente nesse quesito, não tem parque, não tem museu. O que temos é a biblioteca e a praça”, explica Angélica.

A experiência de Apiacás mostra como a mudança na forma como as pessoas interagem com o equipamento cultural transforma a rotina espaço. De um local sem visitação, para um espaço atraente, onde a comunidade quer estar e se compromete com a revitalização (neste caso pela participação nas atividades e pelo voluntariado). E a promoção de eventos tem sido uma das estratégias utilizadas pelas bibliotecas públicas para revitalizar os espaços.

Isso acontece também em Nova Monte Verde, a 968 quilômetros ao norte de Cuiabá, onde a equipe da biblioteca municipal promove cursos de instrumentos musicais, dança e teatro para o público de 07 a 16 anos. Desta forma, o espaço consegue atrair pessoas e, em outros horários, há atividades de incentivo à leitura e pesquisas nos computadores. “Nos tempos atuais, com celular e televisão, o livro nem sempre é a primeira opção para jovens e crianças. Precisamos de atrativos para levá-los até a biblioteca, e assim, desenvolver projetos de incentivo à leitura”, comenta a Jucélia Queiroz.  

Em Várzea Grande, a estratégia também segue na mesma linha. Luciana Maria Bee, da Biblioteca Municipal Professora Laurinda Coelho Pereira, conta que o espaço foi reinaugurado há um ano, e nesse período já foram realizados 15 eventos entre chás literários, saraus, palestras e declamação de poesia. “A biblioteca não é só um local pra ler livros, é um espaço de informação. O conhecimento é transmitido também nas conversas e diálogos”.

Veja Também:  Procon-MT muda de endereço a partir de sexta-feira (15)

Além disso, Luciana destaca a importância do programa de qualificação do Sistema de Bibliotecas para o fortalecimento desses equipamentos culturais. “Participo desde 2015 das capacitações, que são muito boas. Aprendi temas variados, que são fundamentais para a nossa formação e principalmente para melhoria da gestão das bibliotecas”.   

O 1º Encontro de 2019 do Programa de Qualificação dos Agentes de Bibliotecas Públicas começou na terça-feira (26.03) e terminou nesta sexta-feira (29.03). A equipe do Sistema de Bibliotecas realiza outros encontros no ano, sempre em pólos diferentes. Além dos eventos, o Sistema também promove visitas técnicas para vistorias, orientações e revitalização das bibliotecas públicas, além de distribuição de livros.

No ano passado, foram realizados seis encontros regionais, com capacitação de 150 gestores e agentes de bibliotecas. Nos anteriores foram abordados assuntos voltados ao conceito de funcionamento das bibliotecas, que inclui desde organização do acervo até formas de torná-las espaços dinâmicos com participação da sociedade.

O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas possui hoje 154 bibliotecas vinculadas, sendo 142 municipais e 11 comunitárias, além da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça. Todas atuam de forma integrada, compartilhando experiências de gestão, oferecendo apoio técnico e atuando para informatização e disponibilidade do acervo online para os usuários mato-grossenses.

Para mais informações, acesse: http://www.bibliotecapublica.mt.gov.br/-/9820473-sobre

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Governo nomeia 300 Apoios Administrativos Educacional do cadastro de reserva

Publicado

Foram chamados 170 para Manutenção de Infraestrutura Limpeza e 130 para Nutrição (Merendeira)

Adilson Rosa | Seduc MT

– Foto por: Assessoria

O Governo do Estado publicou, nesta sexta-feira (24.01), no Diário Oficial do Estado (DOE) a nomeação de 300 Apoios Administrativos Educacional (AAEs) sendo 170 Manutenção de Infraestrutura Limpeza e 130 Nutrição (Merendeira). Confira aqui a lista de nomeação conforme Ato nº5.500/2020.

Os nomeados foram classificados no cadastro de reserva do concurso público regido pelo edital 01/2017.

Os nomeados deverão procurar a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), responsável pela posse e efetivo exercício.

Para informações sobre a posse, os exames médicos e agendamento da perícia médica o candidato nomeado deverá ligar para o disque-servidor no 0800-647-3633. Além do disque-servidor, a Seplag também disponibiliza em seu site uma lista de perguntas frequentes.

As informações a respeito da nomeação estão na Instrução Normativa 03/2013, da Seplag, que “dispõe sobre o ingresso de candidatos nomeados em concurso público para cargo efetivo na Administração Pública Direta e Indireta do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso”.

Veja Também:  Procon-MT muda de endereço a partir de sexta-feira (15)

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Hortifrúti registra alta de preços nesse início de ano

Publicado

Produtos como maxixe, vagem, milho verde e o de pipoca tiveram aumento no custo direto ao mercado atacadista nesta semana

Luciana Cury | Seaf-MT

Preço da uva niagara, ao contrário de outros itens, reduziu 20%. A caixa de 7kg de uva custava R$ 60 há sete dias, e hoje está sendo vendida a R$ 48 – Foto por: Assessoria Seaf

Preço da uva niagara, ao contrário de outros itens, reduziu 20%. A caixa de 7kg de uva custava R$ 60 há sete dias, e hoje está sendo vendida a R$ 48

A | A

Após períodos consecutivos de estagnação nos preços, o setor de hortifrúti começa a dar sinal de que pode voltar a pesar no bolso do consumidor nesse início de ano. De acordo com o levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), o maxixe, a vagem, o milho verde e o de pipoca tiveram alta no custo direto ao mercado atacadista nesta semana.

A vagem e o milho de pipoca foram os grandes puxadores da alta de preços no período analisado. O legume figura com alta de 40%, subindo de R$ 50 para R$ 70 a caixa com 12kg. Já o milho de pipoca, denominado milho amarelo, passou de R$ 38 para R$ 52 a saca com 50kg, representando uma alta de 37% em apenas uma semana.

Veja Também:  Programa Saúde na Escola recebe adesão de 139 municípios em Mato Grosso

O maxixe e o milho verde, esse muito usado na culinária na fabricação de pamonha, bolos e curau, aumentaram 20%.  Os dois na semana passada custavam R$ 50. Já nesta semana passou a valer R$ 70 a caixa com 16kg de maxixe, e 45kg de milho verde.

Segundo o engenheiro agrônomo da Seaf, Luiz Henrique Carvalho, variação da oferta e dos preços de verduras, legumes e frutas é sazonal. “É normal haver flutuação de preços. Os valores dependem da oferta dos alimentos, e isso depende de fatores imprevisíveis como o clima”, afirma Luiz.

Redução

Em contrapartida, foi registrado queda nos preços do quiabo, do abacate e da uva niagara. Todos eles tiveram os valores reduzidos em 20% no período de cotação. A caixa de 7kg de uva custava R$ 60 há sete dias, e hoje está sendo vendida a R$ 48. Já o abacate era vendido a R$ 100 a caixa com 18kg, passando a custar R$ 80. Por último o quiabo está ao preço de R$ 40 a caixa com 14kg. Na semana passada essa mesma quantidade era de R$ 50.

Veja Também:  PM prende cinco por tráfico de drogas e roubo em Barra do Garças

Cotação

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente, toda terça-feira, a partir das 5 horas, por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Prefeitura de Cuiabá. A pesquisa de preço leva em conta o preço mínimo, mais comum, e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Além disso, o índice de preço médio dos 48 principais produtos da agricultura familiar em 21 estados brasileiros podem ser conferidos no site http://www.prohort.conab.gov.br/

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana