conecte-se conosco


Mato Grosso

Fórum das Universidades Públicas de Mato Grosso avalia ações para fortalecimento da Educação Superior

Publicado

por Hemília Maia e Danielle Tavares (Unemat), Edna Pedro (IFMT)

Foto por: Moisés Bandeira

A 4ª edição do Fórum Permanente das Instituições Públicas de Ensino Superior de Mato Grosso (IPES) reúne, em Cáceres, nesta sexta-feira (04/10), reitores e pró-reitores das universidades públicas para discutir e avaliar ações estratégicas nas áreas de ensino, pesquisa, extensão, internacionalização e assuntos estudantis, que possibilitem ampliar o atendimento às necessidades do estado.

O Fórum integra a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) e agora também a nova integrante, a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).

O representante da UFR, Ronei Coelho de Lima, gerente de Graduação e Extensão, apontou a possibilidade de aprendizado coletivo no espaço permanente de articulação entre as instituições públicas de ensino superior de Mato Grosso.

“A UFR é uma estrutura que surgiu da UFMT, utiliza-se das boas práticas da nossa instituição mãe e tem a oportunidade nesse fórum, participando das discussões, de conhecer as boas práticas da Unemat e do Instituto Federal. Podemos iniciar com pé direito no sentido de melhorar as condições neste período dificuldades financeiras, de condições políticas diferenciadas, de autonomia relativizada em certos pontos e de muitas dificuldades”, afirmou Lima.

O reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, anfitrião do evento, afirmou que as universidades públicas expandiram e avançaram na produção da ciência e tecnologia em respostas às questões regionais. Entretanto, agora é necessário medir e reafirmar o seu impacto social. “As instituições aqui presentes têm uma importância muito grande para o Estado. Estão espalhadas por toda a extensão territorial, atendendo às suas diversidades e especificidades. Somos mais do que ensino, somos também pesquisa, extensão e contribuímos com o desenvolvimento social nos locais mais longínquos”.

Veja Também:  Drogas são retiradas de circulação em Denise

Nesse sentido, a reitora da UFMT, Myrian Serra, reforçou que o principal desafio da Educação Superior no cenário atual é reduzir as desigualdades sociais, e citou o Fórum como a oportunidade para discutir, localmente, a criação de indicadores sociais para as universidades públicas, temática que tem sido pauta em outras esferas. “O caminha para a redução das desigualdades passa pela Educação e letramento. Precisamos aliar fortemente a educação superior e a educação básica, temos que ter raízes com a população que depende da Educação, para que consigamos chegar a todos”, disse a reitora.

Em meio às reflexões sobre o papel das instituições de Ensino Superior, o reitor do Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT, Willian Silva de Paula, destacou as possibilidades de crescimento com o trabalho articulador do Fórum.

“Para o Instituto Federal de Mato Grosso, participar deste fórum é momento de crescimento. Nesta quarta edição, estarmos juntos nesse município de Cáceres, é um momento de uma alegria muito grande, porque a gente fortalece a instituição estadual pública. Não ficamos restritos na esfera federal. Abraçamos e valorizamos todo o trabalho que temos para fazer nesse estado”.

Veja Também:  Ipem fiscaliza produtos alimentícios de Páscoa

O reitor do IFMT relembrou a contribuição dos ex-gestores José Bispo Barbosa (IFMT), Ana Di Renzo (Unemat) e Maria Lúcia (UFMT), unindo as instituições na proposição do Fórum.

Além dos citados, participou da abertura do Fórum o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat), Adriano Silva. Ele trouxe a proposta de fortalecimento das fundações de amparo.

Sobre- O Fórum Permanente das Instituições Públicas de Educação Superior (IPES) foi criado em 3 de fevereiro de 2015, após aprovação pelos reitores e pró-reitores das três instituições públicas: Unemat, UFMT e IFMT, em encontro realizado na cidade universitária da Unemat, em Cáceres.

A partir da criação do Fórum, a primeira ação foi a entrega de uma carta para os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como para entidades representativas, como a Associação Mato-grossense dos Municípios (Amam) e Ministério Público Federal (MPF).

O documento apresentava a natureza social das instituições públicas de ensino, números dessas universidades, tanto em cursos como em alunos e pesquisas, as áreas em que elas poderiam contribuir com o desenvolvimento de Mato Grosso, além de cobrar o fortalecimento da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, assim como da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat).

Programação- Após abertura do evento, houve palestra “Mobilidade na Graduação”, com prof. Dr. Márcio Ronaldo Santos Fernandes (Unicentro).

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Em três dias, Polícia Militar captura cinco foragidos em cidades de MT

Publicado

Foragido acusado de homicídio foi capturado em Barra do Garça – Foto por: PMMT

Foragido acusado de homicídio foi capturado em Barra do Garça

Laura Gonçalves | PMMT

Policiais militares de Várzea Grande, Poconé e Barra do Garças capturaram, de segunda a quarta-feira (02 a 04.12), cinco homens com mandados de prisão em aberto. Somente Várzea Grande foram três ocorrências.

Em Barra do Garças, no bairro Setor Industrial, um homem, identificado como E.P.S. (60 anos), estava com mandado em aberto por homicídio. Sua captura foi durante abordagem ocorrida no bairro.

Em Várzea Grande, no bairro Jardim Potiguar, uma equipe da Rotam em patrulhamento abordou um grupo de pessoas que estava na frente de um bar. No nome de E. P. A. (29 anos), que antes havia passado nome falso, constou mandado em aberto por tráfico de drogas.

Um dos foragidos de Várzea Grande foi capturado no bairro Jardim Potiguar    Foto: PMMT

Na região central, os policiais em rondas viram um homem, identificado como W.F.C.(28), em atitude suspeita, quando revolveram aborda-lo. Em seu nome constou mandado expedido em Pontes e Lacerda.

Veja Também:  Ipem fiscaliza produtos alimentícios de Páscoa

No bairro São Mateus, a equipe do Grupo de Apoio (Gap) abordou V.V.S. (32) durante uma ronda. O seu mandado aberto era por não pagamento de pensão.

Na zona rural de Poconé, os militares prenderam O.S.J. (39) em uma  operação policial. O homem estava dirigindo uma carreta Volvo branca. Em seu nome constou mandado de prisão expedido pela 2ª Vara de Primavera do Leste.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939 (ligação gratuita). Nesse número, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Moro autoriza uso da Força Nacional na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia

Publicado

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, autorizou emprego da Força Nacional de Segurança Pública em apoio à secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, nas ações de Polícia Judiciária, no combate à criminalidade organizada na região de fronteira de Mato Grosso. Em Mato Grosso, são mais de 720 quilômetros de divisa seca e mais de 200 quilômetros de divisa por água. Os dados foram publicados Diário Oficial da União.

Ainda de acordo com a portaria também será implementado o Programa VIGIA,  em caráter episódico e planejado, pelo prazo de 180 dias. O programa é uma parceria entre o Ministério da Justiça e Segurança Pública e Ministério da Defesa visa a capacitação para policiais federais, civis e militares que atuam nas fronteiras do país.

Entre as linhas de atuação do programa estão operações integradas; aquisição de equipamentos; capacitações e bases operacionais com integração de sistemas. A medida atende um pedido formulado em junho pelo senador Wellington Fagundes (PL), durante reunião do Bloco Parlamentar Vanguarda. “O objetivo é aumentar a fiscalização e a repressão contra os crimes transfronteiriços, como contrabando, tráfico de drogas, armas e munições, que é o que mais estamos precisando neste momento”, disse o senador.

Veja Também:  Corrida Desafio da Fronteira reuniu mais de mil corredores, entre adultos e crianças

Na conversa com o ministro Sérgio Moro, em junho passado, acompanhado pelo senador Jayme Campos, Fagundes mostrou ao ministro a situação de abandono da faixa de fronteira em Mato Grosso. Destacou que a fronteira do Estado têm sido um caminho aberto para entrada de armas ilegais, e do contrabando, além, do tráfico de drogas – crime que, segundo ele, “tem destruído nossa juventude e as famílias brasileiras”.

Redação Só Notícias (foto: Marcelo Camargo/arquivo)

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana