conecte-se conosco


Mato Grosso

Inspeção do Trabalho resgata 14 trabalhadores em Tangará da Serra MT

Publicado

Operação do Grupo de Fiscalização Rural foi realizada entre os dias 23 e 27 de setembro

Imagem Ilustrativa

 Um grupo de 14 pessoas foi resgatado de condições de trabalho análogas à de escravo em Tangará da Serra, em Mato Grosso. Oriundos do Paraná e de outras cidades mato-grossenses, eles estavam submetidos a condições degradantes de trabalho, uma das modalidades que caracteriza condição análoga à de escravo.

Os trabalhadores estavam construindo um aviário, cuja produção de aves de corte seria destinada a um grande frigorífico. Havia um alojamento improvisado, montado pelos próprios trabalhadores, sem condições de segurança, vedação, higiene, privacidade ou conforto. As instalações sanitárias eram improvisadas e não havia local adequado para o preparo e consumo das refeições.

 Após a ação da fiscalização, os contratos de trabalho foram formalizados, com anotação dos registros nas Carteiras de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e emissão dos Termos de Rescisão. Os trabalhadores resgatados receberam o pagamento pelo empregador das verbas rescisórias perante os auditores-fiscais do Trabalho, no valor total de R$ 23.621,79, com o correspondente recolhimento de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Além disso, os resgatados terão direito ao recebimento de três parcelas do seguro desemprego.

Veja Também:  Biblioteca abre inscrições em curso de redes sociais para idosos

Essa operação do Grupo de Fiscalização Rural foi realizada no interior do estado entre os dias 23 e 27 de setembro no interior do estado. Além dos auditores-fiscais do trabalho da Superintendência Regional do Trabalho em Mato Grosso (SRTb/MT), o grupo contou com a participação da Gerência de Operações Especiais da Polícia Civil estadual.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Fórum das Universidades Públicas de Mato Grosso avalia ações para fortalecimento da Educação Superior

Publicado

por Hemília Maia e Danielle Tavares (Unemat), Edna Pedro (IFMT)

Foto por: Moisés Bandeira

A 4ª edição do Fórum Permanente das Instituições Públicas de Ensino Superior de Mato Grosso (IPES) reúne, em Cáceres, nesta sexta-feira (04/10), reitores e pró-reitores das universidades públicas para discutir e avaliar ações estratégicas nas áreas de ensino, pesquisa, extensão, internacionalização e assuntos estudantis, que possibilitem ampliar o atendimento às necessidades do estado.

O Fórum integra a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) e agora também a nova integrante, a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).

O representante da UFR, Ronei Coelho de Lima, gerente de Graduação e Extensão, apontou a possibilidade de aprendizado coletivo no espaço permanente de articulação entre as instituições públicas de ensino superior de Mato Grosso.

“A UFR é uma estrutura que surgiu da UFMT, utiliza-se das boas práticas da nossa instituição mãe e tem a oportunidade nesse fórum, participando das discussões, de conhecer as boas práticas da Unemat e do Instituto Federal. Podemos iniciar com pé direito no sentido de melhorar as condições neste período dificuldades financeiras, de condições políticas diferenciadas, de autonomia relativizada em certos pontos e de muitas dificuldades”, afirmou Lima.

O reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, anfitrião do evento, afirmou que as universidades públicas expandiram e avançaram na produção da ciência e tecnologia em respostas às questões regionais. Entretanto, agora é necessário medir e reafirmar o seu impacto social. “As instituições aqui presentes têm uma importância muito grande para o Estado. Estão espalhadas por toda a extensão territorial, atendendo às suas diversidades e especificidades. Somos mais do que ensino, somos também pesquisa, extensão e contribuímos com o desenvolvimento social nos locais mais longínquos”.

Veja Também:  Operação conjunta apreende 432 kg de drogas e prende traficante procurado pela PF

Nesse sentido, a reitora da UFMT, Myrian Serra, reforçou que o principal desafio da Educação Superior no cenário atual é reduzir as desigualdades sociais, e citou o Fórum como a oportunidade para discutir, localmente, a criação de indicadores sociais para as universidades públicas, temática que tem sido pauta em outras esferas. “O caminha para a redução das desigualdades passa pela Educação e letramento. Precisamos aliar fortemente a educação superior e a educação básica, temos que ter raízes com a população que depende da Educação, para que consigamos chegar a todos”, disse a reitora.

Em meio às reflexões sobre o papel das instituições de Ensino Superior, o reitor do Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT, Willian Silva de Paula, destacou as possibilidades de crescimento com o trabalho articulador do Fórum.

“Para o Instituto Federal de Mato Grosso, participar deste fórum é momento de crescimento. Nesta quarta edição, estarmos juntos nesse município de Cáceres, é um momento de uma alegria muito grande, porque a gente fortalece a instituição estadual pública. Não ficamos restritos na esfera federal. Abraçamos e valorizamos todo o trabalho que temos para fazer nesse estado”.

Veja Também:  Projeto de lei prevê parte de premiação às instituições sociais do Estado

O reitor do IFMT relembrou a contribuição dos ex-gestores José Bispo Barbosa (IFMT), Ana Di Renzo (Unemat) e Maria Lúcia (UFMT), unindo as instituições na proposição do Fórum.

Além dos citados, participou da abertura do Fórum o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat), Adriano Silva. Ele trouxe a proposta de fortalecimento das fundações de amparo.

Sobre- O Fórum Permanente das Instituições Públicas de Educação Superior (IPES) foi criado em 3 de fevereiro de 2015, após aprovação pelos reitores e pró-reitores das três instituições públicas: Unemat, UFMT e IFMT, em encontro realizado na cidade universitária da Unemat, em Cáceres.

A partir da criação do Fórum, a primeira ação foi a entrega de uma carta para os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, bem como para entidades representativas, como a Associação Mato-grossense dos Municípios (Amam) e Ministério Público Federal (MPF).

O documento apresentava a natureza social das instituições públicas de ensino, números dessas universidades, tanto em cursos como em alunos e pesquisas, as áreas em que elas poderiam contribuir com o desenvolvimento de Mato Grosso, além de cobrar o fortalecimento da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, assim como da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat).

Programação- Após abertura do evento, houve palestra “Mobilidade na Graduação”, com prof. Dr. Márcio Ronaldo Santos Fernandes (Unicentro).

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Inscrições para 125 vagas em cursos superiores do IFMT São Vicente podem ser feitas até dia 03 de outubro

Publicado

Assessoria de Comunicação IFMT-Campus São Vicente

Inscrições para 125 vagas em cursos superiores do IFMT São Vicente podem ser feitas até dia 03 de outubro

O Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) está com vagas abertas para o Edital nº 75/2019 referente ao Vestibular 2020/1 dos seus Cursos de Graduação, com ingresso no primeiro semestre do ano letivo de 2020.

Estão sendo ofertadas 1.218 vagas, em 20 unidades da instituição. Para o IFMT São Vicente são 125 vagas, sendo 25 para cada um destes cursos: Zootecnia, Agronomia Integral (Campo Verde), Agronomia Noturno (Campo Verde), Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Campo Verde), e Licenciatura em Ciências da Natureza com habilitação em Biologia (Jaciara).

Em conformidade com a legislação, o IFMT reserva 60% (sessenta por cento) das vagas de todos os cursos e turnos para candidatos que tenham cursado integralmente o ensino fundamental na rede pública de ensino (municipal, estadual ou federal). Saiba mais sobre o sistema de cotas.

Inscrição

Os candidatos podem se inscrever até as 17h do dia 03 de outubro de 2019, através do nosso portal de seleção.

Veja Também:  PM prende homem que estava armado em hospital e tentou matar a mulher

Caso o candidato inscreva-se mais de uma vez será considerada somente a última inscrição realizada e paga. Para participar deste processo seletivo é necessário ter concluído o ensino médio ou equivalente até a data da matrícula.

Provas

A prova do Vestibular 2020/1 constará de uma redação e 50 questões objetivas, com duração de 4 horas e 30 minutos, incluindo o preenchimento do cartão-resposta e texto definitivo. A prova será realizada no dia 24 de novembro de 2019, das 14h às 18h30, aplicada em 20 localidades, dentre as quais o candidato deverá optar por uma no ato da inscrição.

Resultados e matrículas

O resultado do Vestibular 2020/1 será classificatório/eliminatório e as chamadas obedecerão à ordem decrescente de classificação, ou seja, da maior nota para a menor de acordo com a modalidade (cotas ou ampla concorrência) pela qual o candidato optou no ato da inscrição.

O gabarito da prova objetiva será divulgado no dia 25 de novembro de 2019. No dia 8 de janeiro de 2020 serão divulgadas, no nosso portal de seleção, dez listas, sendo uma dos candidatos da listagem geral que foram aprovados e os excedentes no Vestibular 2020/1; e nas outras nove listas constarão os nomes dos candidatos aprovados e os excedentes que se inscreveram como cotistas (reserva de vagas), por curso e turno.

Veja Também:  Curso de contenção penitenciária reunirá profissionais da segurança pública

As matrículas dos aprovados em 1ª chamada serão realizadas de 13 a 16 de janeiro de 2020, das 8h às 11h e das 13h às 17h.

São Vicente

O IFMT São Vicente é a maior escola agrotécnica do Brasil. Com 76 anos de tradição e instalada em uma área de mais de 5.000 hectares, a fazenda-escola oferece vasta estrutura para aulas práticas, como: criação de animais, laticínio, frigorífico, horta e diversos outros tipos de culturas.

Os estudantes ainda podem ter benefícios como moradia interna, ser bolsista em projetos de pesquisa, extensão ou de monitoria didática, além de contar com auxílio financeiro para custear despesas com transporte ou moradia.

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana