conecte-se conosco


Barra do Bugres e Região

Mais Médicos abre vagas para atender 32 municípios de MT com altos índices de vulnerabilidade

Publicado

Mais Médicos abre vagas para atender 32 municípios de MT com altos índices de vulnerabilidade. Nova Olímpia está entre eles.O Programa Mais Médicos abriu novas vagas para contratar 29 médicos que vão trabalharem Mato Grosso. Segundo o Ministério da Saúde, a nova etapa do programa vai contratar médicos em 32 municípios mato-grossenses.

O novo edital foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) dessa segunda-feira (13).

De acordo com o Ministério da Saúde, a nova etapa é para atender populações de áreas historicamente com maiores dificuldades de acesso, – a exemplo das ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas.

As populações citadas dependem do atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Os médicos devem começar a atuar na atenção primária desses municípios a partir de junho.

As inscrições começam a partir do dia 27 de maio.

Cidades mato-grossenses

Em Mato Grosso, os municípios escolhidos foram: Água Boa, Alto Garças, Alto Paraguai, Aripuanã, Barão de Melgaço, Bom Jesus do Araguaia, Cáceres, Cláudia, Cocalinho, Gaúcha do Norte, General Carneiro, Jangada, Juína, Lambari D’Oeste, Nortelândia, Nova Santa Helena, Nova Olímpia, Pedra Preta, Peixoto de Azevedo, Poconé, Querência, Rondolândia, Rosário Oeste, Santo do Céu, Santa Terezinha e Vila Rica.

Veja Também:  “Korvatunturi” leva circo e teatro a alunos da rede pública de Tangará

Mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil terão a assistência na atenção primária reforçada na nova etapa. Em todo o país, o projeto será voltado para aproximadamente 790 municípios com altos índices de vulnerabilidade.

São cerca de 2 mil vagas em todo o país.

Inscrições

Os profissionais com CRM Brasil interessados em aderir ao programa Mais Médicos terão entre os dias 27 e 29 de maio para fazer a inscrição, que será realizada, exclusivamente pela internet, através do Sistema de Gerenciamento de Programas (SGP), no site do programa.

`Fonte: namiradalei.com.br

Comentários Facebook
publicidade

Barra do Bugres e Região

Câmara de Denise consulta TCE sobre legalidade dos salários recebidos pela prefeita

Publicado

A Câmara Municipal de Denise, representada por seu presidente Jozias Gomes de Souza formulou uma consulta ao Tribunal de Contas do Estado-TCE/MT sobre a legalidade do pagamento de salários (retroativos) a prefeita Eliane Lins da Silva referente ao período em que esteve afastada do cargo (período de novembro de 2017 a setembro de 2018).

Segundo a Câmara, a prefeita teria recebido R$ 98.988,77 sem contraprestação de serviços.

 “A Prefeita cassada pela Câmara de Vereadores ao ser reintegrada ao cargo por decisão do Poder Judiciário possui o direito de receber os vencimentos retroativos do período de afastamento sem a contraprestação de serviço público, quando os subsídios já foram pagos ao vice-prefeito que assumiu  cargo?”

“O recebimento dos vencimentos retroativos configura bis in idem, vez que, já foram pagos ao Prefeito que a substituiu constatando-se pagamento em duplicidade oriundo do mesmo fato gerador?”

“É legal a determinação de pagamento e recebimento a título de vencimentos retroativos sem a anuência da Câmara Municipal, haja vista que, o desfalque financeiro não esta previsto na LOA e LDO?”

São esses os questionamentos da Câmara que aguarda a resposta por parte do Tribunal de Contas.

SOBRE O CASO – Na argumentação do presidente da Câmara para formular a Consulta, assim descreve:

“Em 29.08.2.017, o cidadão eleitor Paulo Evandro Perin Costa, apresentou a Casa Legislativa Municipal denúncia em face então Prefeita Municipal Eliane Lins da Silva pela prática, em tese, de atos caracterizadores de infração político-administrativa.

Diante disso, no âmbito da Casa de Leis restou instaurado o processo interno n°. 02/2017.

Na data de 05.09.2017, o denunciante manejou pedido de aditamento da denúncia e afastamento provisório, sustentado que, a denunciada estaria dificultando a plena apuração dos fatos ao tentar comprar votos de Vereadores para não receberem a denúncia na sessão plenária designada para aquela data, antes mesmo de iniciar o processo, encartando provas a respeito.

Veja Também:  Adolescente é detida com cocaína avaliada em R$ 10 mil em Barra do Garças

O aditamento com o pedido de afastamento liminar foi submetido ao crivo do plenário da Câmara Municipal, na mesma sessão, em fiel cumprimento do art. 5º, inciso II, do Decreto 201/67, que, após votação, a Câmara de Vereadores com mais de 2/3 de votos de seus membros, recebeu a denúncia e entendeu que a denunciada na condição de Prefeita Municipal (usando do cargo) estaria dificultando a plena apuração dos fatos, quando dolosamente teria tentado comprar votos de Vereadores em seu benefício, atentando contra a lisura de um processo que sequer tinha iniciado causando transtornos e riscos à conveniência da instrução processual.

Por isso, nos termos do art. 203, inciso IV, §2º, da Constituição Estadual c/c art. 81, §3º, da Lei Orgânica do Município de Denise/MT, a afastou liminarmente do cargo de Prefeita Municipal pelo período de 90 (noventa) dias, prazo previsto para o término da instrução, nos moldes do Decreto nº. 01/2017.

Ocorre que, em 14.11.2017 o mérito do processo 02/2017 foi a julgamento pela Casa de Leis Municipal, oportunidade que o Plenário da Câmara julgou parcialmente procedente a denúncia procedendo a CASSAÇÃO DEFINITIVA DA PREFEITA MUNICIPAL ELIANE LINS DA SILVA pelo cometimento de INFRAÇÕES POLÍTICO-ADMINISTRATIVAS capituladas no art. 4º. III, VII, VIII e X, do Decreto Federal 201/67, expedindo-se Decreto Legislativo de Cassação Definitiva nº. 02/2017.

Por fim, votou pelo encaminhamento da matéria versando sobre a tentativa de compra de votos (crime de corrupção ativa) ao Ministério Público Estadual por entender a ocorrência, inclusive, de atos de improbidade administrativa e crime de responsabilidade, em tese, praticados pela prefeita cassada.

Contra esta decisão foi impetrado na seara judicial o Mandado de Segurança nº. 1000044-68.2018.8.11.0008. A liminar foi indeferida.

Veja Também:  Briga por causa de som alto acaba em esfaqueamento em Tangará

Nesta senda, por ocasião do julgamento do mérito da ação mandamental o Poder Judiciário concedeu parcialmente a segurança determinando a nulidade parcial do processo legislativo nos seguintes termos:

“(…) 57. Assim, diante do exposto e tudo mais que consta nos autos, CONCEDO PARCIALMENTE A SEGURANÇA pretendida, com fulcro no art. 487, inc. I do Código de Processo Civil, e o faço para anular o procedimento para apuração de infração político-administrativa instaurado contra a Impetrante Eliane Lins da Silva a partir da 5ª Sessão Extraordinária da Câmara de Vereadores de Denise/MT que decidiu sobre a substituição do membro da Comissão Processante, determinando ainda sua imediata reintegração ao cargo de Prefeita do Município de Denise – MT, nos termos da fundamentação, e, julgo improcedente os demais pedidos formulados na exordial, com fulcro no art. 487, inc. I do Código de Processo Civil.

Atendendo os termos da decisão judicial a Prefeita foi reintegrada ao cargo.

Portanto, no período de 05 de novembro de 2017 até setembro de 2018 a prefeita ficou afastada do cargo, inicialmente por decisão provisória e posteriormente por decisão de cassação definitiva não prestando neste período qualquer modalidade de trabalho público em razão da função.

Lado outro, seu cargo foi preenchido pelo então Vice-Prefeito que percebeu os vencimentos na condição de Prefeito Titular do Município durante todo período de afastamento pela cassação.

Ocorre que, em janeiro de 2019 após sua reintegração ao cargo a Prefeita Municipal de Denise/MT, determinou o pagamento e recebeu a título de vencimentos retroativos a quantia de R$ 98.988,77 (noventa e oito mil e oitenta e oito reais e setenta e sete centavos) sem contraprestação de serviços”, assim relata o presidente da Câmara na sua narrativa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Denise: Fogo no ‘lixão’ deixa a cidade ‘sufocada’ na fumaça

Publicado

Denise: Fogo no 'lixão' deixa a cidade 'sufocada' na fumaça

Ainda não se sabe se as causas do fogaréu que tomou conta do aterro sanitário de Denise, o popular Lixão.

O que se sabe é que na tarde de ontem (21), uma intensa fumaça cobriu a cidade, deixando a população sufocada e temerosa, haja vista o receio de ser tóxica.

Moradores reclamam que a administração municipal foi acionada de imediato, porém demorou a tomar providência, deixando que o fogo se espalhasse.

Mais tarde, equipamentos  cedidos por empresários e moradores da cidade e um caminhão pipa da prefeitura foram disponibilizados para conter as chamas superficiais.

A noite, principalmente nas ruas próximas ao local, era impossível permanecer ou transitar.

Hoje, quarta-feira (22), a equipe do Corpo de Bombeiros (de Tangará) compondo uma força tarefa com homens e equipamentos cedidos por terceiros e pela prefeitura estão no local e deve eliminar os focos ainda hoje.

Denise: Fogo no >lixão> deixa a cidade >sufocada> na fumaça  Equipes estão no local contendo os focos Denise: Fogo no >lixão> deixa a cidade >sufocada> na fumaça  Equipes estão no local contendo os focos

Comentários Facebook
Veja Também:  “Korvatunturi” leva circo e teatro a alunos da rede pública de Tangará
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana