conecte-se conosco


Agronegócio

Mercado do boi gordo pode retomar fôlego

Publicado

Portal do Agronegócio

Em São Paulo o mercado também andou de lado, as escalas estão confortáveis, ao redor de quatro dias

Mercado do boi gordo pode retomar fôlego

No cenário geral o mercado ficou morno no fechamento da última sexta-feira (17/5), com oscilações em baixas quantidades e intensidades.

Em São Paulo o mercado também andou de lado, as escalas estão confortáveis, ao redor de quatro dias.

Existiram tentativas de compra abaixo da referência, mas os negócios neste patamar não se concretizam, ou seja, não está fácil para o frigorífico impor uma pressão de baixa no mercado.

Até mesmo na sexta-feira, quando normalmente os compradores se “acanham”, a grande maioria dos frigoríficos estava ativo nas negociações na praça paulista.

A oferta de gado regulada em associação à uma demanda externa por carne bovina aquecida, têm sido suficientes para manter os preços da arroba sustentados.

Há inclusive frigoríficos ofertando até R$2,00/@ para bovinos que atendam critérios de qualidade para exportação para o mercado chinês.

Veja Também:  CAFÉ/CEPEA: Depois de atingir menor patamar desde jan/14, cotação se recupera

As expectativas são positivas para maio, pois se as exportações continuarem no mesmo ritmo é possível que a venda de carne bovina in natura para o mercado internacional registre o maior volume desde setembro do ano passado.

Para esta segunda metade do mês, este pode ser um fator importante de sustentação das cotações da arroba.

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio

Óleo de soja da cooperativa está mais sustentável

Publicado

COAMO: Óleo de soja da cooperativa está mais sustentávelCom o início das atividades da unidade industrial da Coamo em Dourados (MS), em novembro de 2019, a cooperativa iniciou a utilização de novas embalagens para o óleo de soja refinado da marca Coamo, nas linhas de produção das fábricas da cooperativa em Dourados e Campo Mourão (PR). Essa nova embalagem foi idealizada para reduzir a demanda de plástico – PET, mas sem prejudicar a praticidade e a segurança do seu manuseio junto ao consumidor. “Estamos sempre atentos às necessidades e oportunidades de novos projetos, com o desenvolvimento de novas soluções para otimizar nossas operações”, afirma o diretor Industrial da Coamo, Divaldo Correa.

Menos plástico – Com essa mudança, haverá uma redução de 565,1 toneladas anuais na demanda de plástico no processo produtivo das indústrias, o que representa 11,24% a menos de matéria-prima para produção de garrafas. “Trata-se de uma proposta sustentável que preconiza a redução de matéria-prima, além de garantir mais eficiência no transporte das embalagens, com a diminuição do número de viagens para a mesma quantidade de embalagens transportadas entre o fornecedor e as unidades industriais”, explica Correa.

Veja Também:  Circuito Universitário reúne 2 mil estudantes em Mato Grosso

Primeira linha – O diretor Industrial ainda lembra que a primeira linha de produção e envase do óleo de soja Coamo iniciou em 2007, na indústria de Campo Mourão. “Na época, a garrafa utilizada pesava 20 g, com uma tampa de 3,2 g. Com o passar dos anos o peso da garrafa foi reduzido para 18g e, depois, para 16,9g, e o peso da tampa para 2,2 g. No projeto atual, o peso da garrafa foi reduzido para 15g, uma redução de 25% em relação à primeira embalagem utilizada e 11,24% em relação à embalagem anterior. Cabe ressaltar que essa nova embalagem acondiciona o mesmo peso líquido contido nas embalagens precedentes.”

Nova versão – A nova versão já está disponível nas gôndolas dos supermercados e está alinhada ao princípio dos 3R’s adotado pela Coamo: reduzir, reciclar, reutilizar. “A Coamo desde a sua origem adota práticas sustentáveis que vão desde a escolha da semente produzida nos campos dos mais de 29 mil associados até o processo de produção industrial e distribuição nos pontos de vendas”, ressalta Divaldo Correa.

Veja Também:  Dólar tem queda ante real após rali recorde e com melhora de sentimento no exterior
Fonte: Imprensa Coamo

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

Preço do boi e vaca gorda em Mato Grosso tem nova valorização

Publicado

Preço do boi e vaca gorda em Mato Grosso tem nova valorizaçãoOs preços da arroba do boi e da vaca gorda seguiram em valorização, na semana passada, com aumentos de 1,86% e de 2,74%, respectivamente, ante a semana anterior. O boi fechou em média a R$ 181,38 a arroba e o preço médio da arroba da vaca fechou em R$ 170,81.

Com a contínua alta da arroba do boi gordo, a relação de troca boi/bezerro novamente subiu na semana passada, em 1,67%. Sendo assim, o indicador ficou em 1,91cab./cabeça.

As escalas de abate aumentaram levemente, com variação semanal de 0,25dia, fechando em 7,30dias. Apesar de os frigoríficos estarem se abastecendo para o carnaval, a dificuldade de compra ainda pauta o mercado, principalmente de machos.

Fonte: Só Notícias

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT.

Comentários Facebook
Veja Também:  CAFÉ/CEPEA: Depois de atingir menor patamar desde jan/14, cotação se recupera
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

O QUE VOCÊ ESTÁ ACHANDO DA GESTÃO DO GOVERNADOR MAURO MENDES ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana