conecte-se conosco


Agronegócio

Moody’s melhora perspectiva para setor de etanol e açúcar do Brasil

Publicado

MoodyAlém disso, a Moody’s vê também um potencial de melhora para os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) do setor em 2020, na comparação com a safra anterior.

“Vemos aumento de 5% nos preços do etanol em 2019/20 na esteira de forte demanda doméstica, sustentando o prêmio do etanol sobre o açúcar”, disse em nota o vice-presidente da Moody’s, Erick Rodrigues.

“Apesar dos preços favoráveis do etanol, os baixos preços do açúcar limitam um aumento mais robusto do Ebitda em 2019/20.”

No acumulado de 2019 até novembro, diante de demanda já aquecida e com o chamado mix de produção favorecendo o biocombustível, as usinas do centro-sul brasileiro produziram um recorde de 31,72 bilhões de litros de etanol, de acordo com dados divulgados pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica) na terça-feira.

Veja Também:  Seleção de touro reprodutor influencia no melhoramento genético do rebanho

Para o próximo ano, a Moody’s prevê que a demanda por etanol deve crescer ainda mais em razão do início do programa federal RenovaBio, que busca alavancar o consumo de combustíveis renováveis no país e ajudar na redução das emissões de poluentes.

“No segmento de açúcar, a produção deve permanecer baixa enquanto o etanol oferece prêmio. Com a baixa produção, os preços internacionais do açúcar devem se recuperar gradualmente, fechando a lacuna de preço com o etanol nas próximas duas ou três safras”, acrescentou a agência em comunicado.

Os contratos futuros do açúcar bruto na ICE se recuperaram recentemente e têm sido negociados em máximas de nove meses, a cerca de 13,40 centavos de dólar por libra-peso, apoiados por coberturas de vendidos por fundos e pelas estimativas de déficit para 2019/20.

PROTEÍNA ANIMAL

Em comunicado à parte, a Moody’s também disse ver perspectiva positiva para o setor de proteína animal da América Latina em 2020, com as fortes exportações para a China e o mercado doméstico brasileiro posicionado para recuperação.

Veja Também:  NOTA/LEITE: Cepea se reúne com entidades do setor para avaliar avanços metodológicos

“Uma escassez na China causada por um surto de peste suína africana melhora a perspectiva para todos os tipos de proteína”, afirmou a vice-presidente sênior da Moody’s, Barbara Mattos, acrescentando que uma recuperação interna também permite que o foco seja mantido em produtos de margens elevadas.

A carne bovina brasileira, no centro das atenções devido à forte demanda chinesa e à consequente elevação dos preços locais, deve quebrar recorde de exportação em 2020, com 2,067 milhões de toneladas, segundo previsão da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec).

Nessa toada, tanto produção quanto exportação das carnes suína e de aves do Brasil também devem avançar em 2020, de acordo com previsões do Rabobank.

Fonte: Reuters

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio

Dias de Campo da SLC Sementes apresentam novas cultivares e técnicas de produção

Publicado

Os eventos ocorrerão em Fazendas da SLC Agrícola com palestras e visitas às áreas de pesquisa

A SLC Sementes, uma marca da SLC Agrícola, realiza nos meses de janeiro, fevereiro e março cinco Dias de Campo em suas unidades localizadas nos Estados do Maranhão, Mato Grosso, Goiás e Bahia. O público-alvo são produtores de soja, consultores agronômicos, clientes, revendas e futuros compradores. A expectativa é contar com uma média de 100 participantes em cada evento.

O coordenador de Vendas de Sementes da SLC Sementes, Fernando Fernandes, afirma que o objetivo dos Dias de Campo é levar a marca SLC Sementes para o público consumidor. “A ideia é apresentar as novas cultivares, as novidades na produção de sementes, e mostrar que todo o trabalho está alinhado com a forma de atuação da companhia de transparência e integridade em tudo o que desenvolve”, destaca.

A programação dos eventos vai contar com palestras e visitas técnicas a áreas de pesquisa das fazendas. Fernandes informa que entre os temas a serem abordados por especialistas da SLC Agrícola estarão novos métodos de interesse público que estão sendo elaborados pela empresa para que o mercado possa usá-los”, ressalta.

Veja Também:  Seleção de touro reprodutor influencia no melhoramento genético do rebanho

A Agricultura 4.0 e de Precisão, também serão abordadas nas palestras. As fazendas da SLC Agrícola trabalham com o controle de operação das máquinas, fazendo o gerenciamento das informações para melhor administrar a produtividade das mesmas como, por exemplo, o consumo de combustível e eficiência operacional. Fernandes lembra que muitos agricultores já sinalizam a vontade de investir nestes temas para obter o máximo desempenho dos equipamentos.

Os eventos têm início no próximo dia 24 de janeiro e se estendem até 10 de março.

Confira a programação:

24 de janeiro – Fazenda Planeste, em Balsas (MA)
30 de janeiro  – Fazenda Pioneira, em Querência (MT)
07 de fevereiro  – Fazenda Parnaíba, em Tasso Fragoso (MA)
13 de fevereiro  – Fazenda Pamplona, em Cristalina (GO)
10 de março – Fazenda Panorama, em Correntina (BA)

Foto: SLC Agrícola/Divulgação
Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Mais informações sobre a SLC Agrícola

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

Preparação para o período da seca deve começar no verão

Publicado

Preparação para o período da seca deve começar no verãoTodos os anos, milhares de pecuaristas sentem os prejuízos da seca. O pasto, principal fonte de alimentação e engorda do gado, fica escasso e sem vida. Porém, com planejamento, o produtor rural pode ter diversas alternativas e manter a estratégia de ganho de arrobas crescente. A Boi Saúde – Pecuária Inteligente orienta dicas simples para que todas as propriedades, não importa o porte, desde pequenas até grandes fazendas, possam manter uma boa produtividade nessa época crítica para a pecuária brasileira.

“O ideal é iniciar o planejamento logo nas primeiras chuvas, quando o pasto começar a brotar de novo. Por estar com boa nutrição, se bem preservado, pode salvar o produtor na busca de alternativas de alimentação para o gado. O manejo do dia a dia não sofrerá muitos impactos, mas os resultados compensam”, explica José Carlos Ribeiro, consultor da Boi Saúde – Pecuária Inteligente.

Veja Também:  Seaf prepara criação de câmara setorial para desenvolvimento da apicultura em MTSeaf prepara criação de câmara setorial para desenvolvimento da apicultura em MT

Dicas para enfrentar o período da seca sem prejuízos

Vedação do pasto: vedar o pasto é uma boa maneira de garantir forrageira com bom teor nutricional o ano todo. O momento adequado para a atividade é o mês de abril. A justificativa é a qualidade nutricional desse capim que será vedado. Caso tenha uma extensão de pasto suficiente para separá-la em duas partes para vedação em épocas diferentes, o resultado pode ser melhor ainda.

Silagem de forrageira: aproveite o pasto abundante e prepare silagem para oferecer na seca. Basta armazenar corretamente e ter atenção na fermentação. Ainda, o produtor pode fazer estoques de silagem com ingredientes como cana de açúcar, milho, sorgo e muitos outros;

Compra de insumos e suplementos: aproveite agora no verão e faça um planejamento da quantidade de suplementos que irá precisar para enfrentar a seca. Quando algum produto estiver com promoção ou preço abaixo da tabela, não deixe de comprá-lo. Economia também é a base do sucesso da pecuária. E não deixe a ureia fora da sua lista de compras;

Veja Também:  BOI/CEPEA: Menor preço do boi magro deve favorecer confinador em 2019

Inicie o oferecimento de sal agora: não espere a seca chegar. Iniciar o oferecimento de sal mineral e proteinado no cocho fortalece o organismo do animal desde já. Dessa forma, quando a falta de pasto começar na sua propriedade, a queda de peso será evitada, pois o bovino estará com as arrobas adequadas para enfrentar o período.

Fonte: Boi Saúde – Pecuária Inteligente

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana