conecte-se conosco


Esportes

Na estreia do Brasileirão, São Paulo bate o Botafogo no Morumbi

Publicado

Globo Esporte

Time carioca tem muito mais posse de bola, mas Tricolor apresenta jogo mais vertical e chega à vitória com gols de Everton e Hudson

Deu Tricolor

O primeiro jogo do Campeonato Brasileiro terminou com vitória do time da casa: São Paulo 2 x 0 Botafogo, no Morumbi, gols de Everton e Hudson. A partida marcou a reestreia de Alexandre Pato com a camisa tricolor. Atuando com a camisa 7, mas na função de 9 no primeiro tempo, Pato teve atuação discreta – melhorou no segundo, quando jogou mais fora da área. Foi também o primeiro jogo do Botafogo sob o comando de Eduardo Barroca. O time, que não jogava desde 11 de abril, mostrou evolução em relação ao time de Zé Ricardo, teve mais posse de bola (66% contra 34%), mas pouca criatividade do meio pra frente.

Análise

Próximos jogos

O São Paulo enfrenta o Goiás, quarta-feira, às 21h30, no Serra Dourada. Já o Botafogo joga na quinta, contra o Bahia, às 20h, no estádio Nilton Santos.

Por que o São Paulo ganhou

Porque soube verticalizar o jogo quando teve a bola. Com muito menos posse do que o Botafogo (terminou a partida com 34% contra 66%), o São Paulo apostou em transições rápidas para tentar surpreender o pesado time carioca. Foi numa dessas jogadas, acelerada por Tchê Tchê, que a bola chegou na ponta direita para Antony cruzar na cabeça de Everton. No segundo tempo, a aposta foi nos contra-ataques. Deu certo. Toró entrou bem, mas o grande destaque foi Tchê Tchê, que participou dos dois gols – no segundo, foi ele quem recuperou a bola e acelerou o jogo até Hernanes dar de bandeja para Hudson matar o jogo.

Veja Também:  Flamengo perde promessa da base para a Juventus por R$ 1 milhão

Por que o Botafogo perdeu

Apesar de muito superior na posse de bola (66%) durante toda a partida, o Botafogo insistiu muito pelo meio. Nas beiradas, tantos os dois laterais quanto Rodrigo Pimpão e Cícero pouco fizeram. Assim, faltou criatividade. No primeiro gol tricolor, erros de Pimpão, Bochecha e da dupla de zaga. No segundo, Erik entregou o ouro para Tchê Tchê. O Alvinegro só chegou relativamente perto do gol em falta batida por Valencia, aos 39 da etapa final.

Primeiro tempo

O Botafogo teve mais posse de bola (61% contra 39%), mas abusou dos passes laterais, sem criatividade e nem velocidade. Já o São Paulo, com os reforços de Tchê Tchê e Pato, foi muito mais incisivo. o time de Cuca pressionou jogou de forma vertical, acelerando o jogo sempre que possível. Foi assim que surgiu o gol, aos 40 minutos, com Tchê Tchê passando e arrancando no espaço vazio, combinando com Igor Vinícius, até a bola chegar na ponta direita para Antony cruzar para Everton completar de cabeça.

Veja Também:  Entenda como a seleção do Catar ficou forte e virou atração da Copa América

Segundo tempo

O São Paulo apresentou uma mudança tática: Pato passou a sair mais da área e cair pela esquerda. Foi assim que fez grande jogada individual aos 5, que por pouco não resultou em gol de Tchê Tchê. No geral, porém, só o Botafogo tentou jogar. O time carioca chegou a ficar com 66% de posse de bola e cresceu com a entrada de Luiz Fernando. Já o São Paulo se fechou, buscando um contra-ataque. Cuca ainda colocou Hernanes no lugar de Igor Gomes para tentar ficar mais com a bola – sem sucesso. O Botafogo seguiu dominante em dois terços do campo – faltou o último, o de ataque. Apesar de o time carioca ter tido muito mais posse de bola, o goleiro tricolor Tiago Volpi saiu com o uniforme praticamente limpo. E viu de longe Hudson matar o jogo, com bela finalização de fora da área, após jogada de Tchê Tchê com Hernanes. Deu tempo ainda de o também estreante Toró mostrar que pode ser útil ao São Paulo, com muitas jogadas em velocidade.

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Santos emplaca sua maior série de vitórias no Brasileirão desde 2005

Publicado

Peixe assumiu a liderança do campeonato ao vencer o Avaí

Terra – André Schmidt

Felipe Jonathan marcou seu segundo gol pelo Santos (Divulgação Twitter Santos)

Foto: Lance!

Depois do Palmeiras emplacar uma longa série de invencibilidade no Campeonato Brasileiro – 33 jogos – e abrir vantagem na liderança da competição, chegou a vez do Santos colher os frutos do bom momento vivido em campo. Com seis vitórias consecutivas, o Peixe assumiu a ponta da disputa, superando o rival neste fim de semana, após vencer o Avaí por 3 a 1.

A série de triunfos é o maior da equipe desde 2004/2005, quando o Peixe também conseguiu uma sequência de seis partidas saindo com os três pontos. Porém, foram três jogos num ano e três no outro, começando com uma goleada de 5 a 1 sobre o Grêmio, sob o comando de Ricardinho e Deivid, e fechando com um 2 a 1 sobre o Athletico Paranaense, gols de Robinho e Halisson, já na temporada seguinte.

Ainda em 2004, ano da última conquista do clube no Brasileirão, o Santos chegou a conseguir uma série de sete vitórias. Na ocasião, a equipe venceu Vitória (2 a 1), Internacional (3 a 0), Guarani (2 a 1), Corinthians (3 a 2), Ponte Preta (4 a 0), São Paulo (2 a 1) e Flamengo (2 a 0). Uma derrota para o Fluminense, no Maracanã, encerrou a invencibilidade, mas não impediu a conquista santista no fim do campeonato.

Veja Também:  Time Brasil estreia no Circuito Mundial de vôlei na neve nesta sexta-feira

Os comandados de Sampaoli terão pela frente, na próxima rodada, o Goiás, em casa. Além de igualar a marca do time campeão em 2004, um novo triunfo pode dar a esta equipe uma boa vantagem na tabela, buscando ter o mesmo sucesso de 15 anos atrás.

ATUAL SÉRIE INVICTA DO SANTOS

02/06/2019 – Ceará 0x1 Santos

09/06/2019 – Santos 3×1 Atlético-MG

12/06/2019 – Santos 1×0 Corinthians

13/07/2019 – Bahia 0x1 Santos

21/07/2019 – Botafogo 0x1 Santos

28/07/2019 – Santos 3×1 Avaí

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Pendurado, trio do Timão não leva cartão e poderá enfrentar o Palmeiras

Publicado

Terra

O técnico Fábio Carille teve tudo, menos cautela ao escalar três pendurados na partida contra o Fortaleza, neste domingo, na Arena Castelão. Cássio, Danilo Avelar e Júnior Urso, três jogadores considerados titulares, foram a campo mesmo com o riso de ficarem de fora do clássico contra o Palmeiras, na próxima rodada, mas conseguiram passar os 90 minutos sem serem advertidos com cartão amarelo pela arbitragem.

Com um time misto, sem cinco titulares, o Corinthians sofreu no primeiro tempo e foi para o intervalo em desvantagem no placar. Para parte da torcida, a presença em campo do trio que estava pendurado era muito arriscada, mas Cássio, Avelar e Urso mostraram o porquê de Carille ter apostado neles no duelo válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Danilo Avelar, inclusive, não só esbanjou disciplina ao longo do confronto para não perder o clássico contra o Palmeiras como também fechou os trabalhos do Timão em Fortaleza com um lindo gol de fora da área, mandando no ângulo do goleiro Felipe Alves e assegurando a importante vitória por 3 a 1 para o Corinthians.

Veja Também:  Dudu reencontra Novorizontino, sua maior vítima desde que chegou ao Palmeiras

Com o resultado, o Timão pulou para a oitava colocação, com 19 pontos, mas ainda possui um jogo a menos que os demais adversários e, por isso, pode subir ainda mais na tabela. Nesta segunda-feira, o elenco do Corinthians fará um trabalho regenerativo na academia do hotel em que está hospedado em Fortaleza e, na sequência, retorna à capital paulista.

Antes do clássico contra o Palmeiras, no próximo domingo, em Itaquera, o Timão terá outro compromisso importante na temporada. Na quinta-feira, o elenco alvinegro viaja para o Uruguai, onde terá a missão de confirmar a vaga para as quartas de final da Copa Sul-Americana após vencer o Montevideo Wanderers, na ida, por 2 a 0.

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana