conecte-se conosco


Sem categoria

Operação cumpre mandados contra quadrilha que emitiu R$ 337 milhões em notas frias com empresas de fachada em MT entre elas Barra do Bugres

Publicado

Veja lista dos presos pela Defaz acusados de sonegar impostos em Mato Grosso

Olhar Direto – Wesley Santiago

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

A Delegacia Fazendária (Defaz) confirmou que todos os noves mandados de prisão da ‘Operação Fake Paper’, deflagrada nesta quarta-feira (09), com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa acusada de fraudes no ICMS, foram cumpridos. Em Cuiabá, foram três detidos.

Os presos foram identificados como: Anilton Gomes Rodrigues, Paulo Cézar Dias de Oliveira, Bruno da Silva Guimarães, Welton Borges Gonçalves, Marcelo Weber Gromann, Edno Rocha Machado de Menezes, Julci Birck, Jean Carlos Matos de Souza e André Alex Arrias de Souza.

A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso constatou que, juntas, as empresas Rio Rancho Produtos do Agronegócio Ltda. e Mato Grosso Comércio e Serviços e a B. da S.. Guimarães Eireli emitiram R$ 337.337.930,11 milhões em notas frias, gerando um prejuízo alarmante ao Estado.

O advogado Anilton Gomes Rodrigues é apontado com um dos líderes do esquema. Segundo as investigações, ele seria sócio de duas empresas laranjas e atuava com contador em outra. Em sua chegada à delegacia, ele negou as acusações e afirmou que a operação é “fantasiosa” que a Defaz estava dando “showzinho”.

Veja Também:  Campeonato Escolar de Futebol tem encerramento em Barra do Bugres

Operação

A ação policial apura uma organização criminosa que através de falsificação de documento público, falsificação de selo ou sinal público e uso de documento falso promoveu a abertura de empresas de fachada, visando disponibilizar notas fiscais frias para utilização de produtores rurais e empresas nos crimes de sonegação fiscal. Além disso, o esquema possibilitou a prática de crimes não tributários, como a fraude a licitação, ou mesmo ‘esquentar’ mercadorias furtadas ou roubadas.

O delegado Sylvio do Vale Ferreira Junior, que preside as investigações, ressalta que a emissão de notas fiscais frias interfere negativamente na base de dados da Sefaz-MT. “Distorcendo as informações sobre produção econômica do estado e, consequentemente, na composição de índices do Fundo de Participação dos Municípios, e no cálculo do Fundo de Participação dos Estados, causando efeitos devastadores ao estado”.

Os mandados foram cumpridos em sete cidades de Mato Grosso: Cuiabá, Tangará da Serra, Campo Novo dos Parecis, Barra do Bugres, Canarana, Sorriso e Juína.

Comentários Facebook
publicidade

Sem categoria

Campeonato Mirim 2019 – Final futsal feminino

Publicado

Campeonato Mirim 2019 – Final futsal feminino

Comentários Facebook
Veja Também:  Idoso de 95 anos é encontrado ferido e Samu se recusa a socorrê-lo
Continue lendo

Sem categoria

Em janeiro haverá novas vagas na turma da PM Mirim

Publicado

Em janeiro haverá novas vagas na turma da PM Mirim

Comentários Facebook
Veja Também:  Van escolar com 10 alunos pega fogo em Cuiabá, PM apaga incêndio e salva crianças
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana