conecte-se conosco


Policial

Plantão de violência doméstica e medidas protetivas no PJe são discutidos com desembargadora

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Implantação do plantão 24 horas de atendimento as vítimas de violência doméstica e familiar em Cuiabá e ampliação para todas as Delegacias de Defesa da Mulher do envio das medidas protetivas na plataforma do PJe (Processo Judicial Eletrônico) foram discutidas na manhã desta terça-feira (26), em reunião da diretoria da Polícia Judiciária Civil com a desembargadora Maria Erotides Kneip, titular da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

A reunião, presidida pelo delegado geral Mário Dermeval Aravéchia de Resende, ocorreu na sede da Polícia Judiciária Civil, e contou também com a presença da   promotora de Justiça, Laís Glauce Antônio dos Santos, do Núcleo de Promotorias de Combate a Violência Doméstica e Familiar do Ministério Público Estadual, diretores da Polícia Civil, delegados regionais de Cuiabá e Várzea Grande, delegadas das Delegacias de Defesa da Mulher e o delegado coordenador dos plantões das duas cidades.

O plantão 24 horas, específico para as ocorrências de crimes contra a mulher, criança e idoso, previsto para os próximos meses, irá funcionar no prédio da 2ª Delegacia do Carumbé, onde por muitos anos foi o plantão metropolitano, que, atualmente, está anexo à Delegacia de Roubos e Furtos do bairro Verdão. O local também facilitará o acesso às vítimas que precisam passar por exames de corpo delito no Instituto de Medicinal Legal (IML) e outras medidas de saúde, especialmente, nos casos de violência sexual.

A estrutura da antiga central de flagrantes (plantão metropolitano) já passou por reformas e agora está sendo preparada cuidadosamente para o plantão de violência doméstica e familiar, com ambientes individualizados aos atendimentos das  vítimas e conduzidos, e atendimento psicossocial.

Veja Também:  Operação conjunta cumpre 3 mandados e combate o tráfico de drogas em Jaciara

A desembargadora Maria Erotides Kneip destacou como prioridade a instalação do plantão de violência doméstica e familiar, em um lugar onde as vítimas possam ser atendidas a qualquer hora do dia ou da noite, especialmente, nos finais de semana e feriados.

“Infelizmente, os dados mostram que a violência doméstica familiar contra a mulher é acentuada nos finais de semana e na quarta-feira, que é o dia do jogo de futebol. Não é possível que justamente quando os números aumentam que a tenhamos as delegacias especializadas fechada”, afirmou.

O delegado geral da Polícia Civil, Mário de Resende, reforçou que o plantão somente não foi colocado em funcionamento ainda devido alguns entraves que a instituição enfrenta no efetivo policial. Conforme ele, somente o plantão necessita de 40 policiais (5 delegados, 10 escrivães e 25 investigadores) para formação das equipes de plantonistas.

“O maior problema hoje que esbarramos é na falta de efetivo, mas a Polícia Civil tem realizado estudo e existem providências que estamos tomando nas próximas semanas visando à realocação de policiais civis para que tenhamos a possibilidade de implantação do plantão exclusivo para as mulheres vítimas de violência doméstica”, afirmou o delegado geral.

A promotora de Justiça, Laís Glauce Antônio dos Santos, também defendeu importância do novo plantão 24h, para não deixar a mulher desamparada.

“Isso influência toda a celeridade dela receber a atuação da Polícia Judiciária Civil, a prestação jurisdicional, receber sua medida protetida deferida por um juiz. Vai acelerar o trabalho das promotoras (por coincidências somos todas mulheres aqui na capital), para que possamos oferecer resguardo para essa vítima, tomar as providências que são de nossa competência. Então a implantação de um plantão 24h vai ser muito valorosa”, pontuou.

Veja Também:  Traficante alega fins medicinais após ser flagrado com estufa de maconha em apartamento na Capital

Medidas Protetivas

Na reunião também foi tratado da ampliação para todas as Delegacias de Defesa da Mulher, instaladas em Mato Grosso, o envio de medidas protetivas por meio eletrônico, dentro da plataforma do PJe (Processo Judicial Eletrônico), assim como já ocorre em Cuiabá, que desde 6 de agosto de 2018 já trabalha com a remessa online dos pedidos, dando mais agilidade nos deferimentos e possibilidade de acompanhamento das medidas de urgência da Lei Maria Penha por parte das Delegacias.

A desembargadora comemorou os números de medidas confeccionadas na Delegacia da Mulher Cuiabá enviadas no PJe. Foram 1.187 pedidos desde a instalação da plataforma na Deddm, que necessita para seu funcionamento equipamentos como scanner e certificação digital (Token).

“A experiência de Cuiabá nos mostra que já temos mais de mil medidas protetivas na plataforma do PJe e todas elas deferidas com um espaço de tempo muito curto, diminuindo o tempo de sofrimento das mulheres”, disse.

As Delegacias da Mulher estão instaladas nas cidades de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis, Barra do Garças, Tangará da Serra e Sinop.  

Participaram da reunião o delegado geral adjunto, Gianmarco Paccola, a diretora de Execução Estratégica, Daniela Silveira Maidel o diretor metropolitano, Douglas Turíbio Schutza, o diretor de interior, Walfrido Franklim do Nascimento, o Diretor de Atividades Especiais, Fernando Vasco, o diretor da Acadepol, Welber Batista Franco, o delegado regional de Cuiabá, Rodrigo Bastos, a delegada regional de Várzea Grande, Ana Paula de Faria Campos, o delegado coordenador de plantões Walter de Melo Fonseca Junior, as delegadas das Delegacias da Mulher, Jozirlethe Magalhães Criveletto, e Mariell Antonini Dias.

 

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Operação integrada prende 36 autores de delitos criminais em oito municípios

Publicado

Resultado de imagem para Operação integrada prende 36 autores de delitos criminais em oito municípiosTrinta e seis pessoas foram presas durante a “Operação Manaki Avem” no município de Tangará da Serra (a 242 km a Médio Norte de Cuiabá). Do total de prisões, 29 foram em flagrante delito. A ação repressiva e preventiva foi deflagrada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) e aconteceu também nas cidades de Brasnorte, Sapezal, Campo Novo do Parecis, Nova Olímpia, Denise, Barra do Bugres e Porto Estrela.

Foram presos suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas, homicídios, roubos e receptação. A operação, que começou no dia 01º de agosto e seguiu até o dia 04 do mesmo mês, empregou mais de 460 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Politec.

Nos quatro dias de operação, as forças de segurança cumpriram 18 mandados de busca e apreensões, sete mandados de prisões, internação cautelar e prisão temporária. Ao todo, 2.414 pessoas e 1.118 veículos foram abordados, 48 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados pelo Corpo de Bombeiros Militar e quatro armas foram apreendidas.

Veja Também:  Suspeito tem mandado de prisão cumprido pela Polícia Civil em Rondonópolis

“Temos deflagrado operações não só nos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, mas também em outras Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), que abrange as 141 cidades do Estado. Nosso foco tem sido trabalhar em frentes ostensivas e repressivas para impedir o avanço da criminalidade”, ressalta o secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp, coronel PM, Victor Fortes.

A operação foi batizada de Manaki Avem, que em tupi significa “pássaro tangará”.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Bope forma especialistas para patrulhamento em ambiente rural

Publicado

Os policiais, que já são

O Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) acaba de formar mais 14 policiais especialistas em Patrulhamento em Ambientes Rural (CPAR). Seis dos novos especialistas são do próprio Bope e oito integram o efetivo dos Batalhões de Operações Especiais dos estados de Acre, Rio Grande do Norte, Paraná, Amazonas e Mato Grosso do Sul.

Em sua 15ª edição, o CPAR do Bope mato-grossense há muito se tornou referência para as ‘tropas de elite’ de outras unidades da federação. O comandante do Bope, tenente-coronel Ronaldo Roque da Silva, explica que esse curso prepara o policial para atuar em situação de grandes riscos, cenários inóspitos e condições desfavoráveis.

O comandante observa que mesmo aqueles que vêm para apreender trazem experiências que podem contribuir para melhor e aprimorar a formação policial.
Durante duas semanas, em período integral, os policiais tiveram aulas teóricas e práticas e sobre Técnicas de Progressão, Armamento e Equipamentos Rurais, Evolução do ‘Novo Cangaço’, Socorro e Emergência, entre outras.

A formatura foi realizada na última sexta-feira, 26, em Cuiabá.

Veja Também:  Polícia Civil prende autores de homicídio cometido a mando de facção criminosa

Alecy Alves / Secom-MT -Diariodaserra

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana