conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil prende cinco membros de organização criminosa por latrocínio de motorista de aplicativo

Publicado

Assessoria | PJC-MT (atualizada às 10h15)

Quatro homens e uma mulher, integrantes de uma organização criminosa que atua em roubos de veículos na Grande Cuiabá, foram presos em flagrante pela Polícia Judiciária Civil, em investigações ininterruptas do roubo seguido de morte (latrocínio) do motorista de aplicativo de celular, Anderson Marcelo Lopes Caldeira, 28 anos, ocorrido na quarta-feira (20), por volta das 10h30, no lixão do bairro Serra Dourada, em Várzea Grande. As prisões foram efetuadas pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande.

A prisão dos executores Jeferson Pereira de Jesus (Pereira), 30, Renato Marcelo da Silva, 23, e  Wallyson Henrique Campos Oliveira,  19, ocorreu nesta quinta-feira (21). Os suspeitos foram indiciados por latrocínio consumado, integrar organização criminosa, roubo majorado pelo concurso de pessoas, emprego de arma de fogo, desobediência e resistência.

Junto com eles também foram presos Ezequiel Filipe de Almeida Costa, 18 anos,  por roubo majorado e Silvia Moreira Dutra, 45 anos, que é apontada como integrante da organização e está sendo apurada sua participação no latrocínio.

A delegada titular da Derf de Várzea Grande, Elaine Fernandes, disse que os três suspeitos são considerados de altíssima periculosidade, e agem a mandado de lideranças de uma facção criminosa. “Os levantamentos efetuados, atestam que, os integrantes, ora conduzidos, atuam na prática de  roubos de veículos para encaminhar para a Bolívia a fim de trocar por drogas, ao passo que, nos últimos quinze dias ocorreram inúmeros roubos de veículos neste município”, disse .

Durante a abordagem, eles resistiram a prisão, tendo o suspeito, Wallyson Henrique Campos Oliveira, fugido do cerco, se escondendo em uma área de mata. O Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPaer) foi acionado  para auxílio da localização por meio aéreo do suspeito em meio a mata.

Já na Delegacia, durante interrogatório, o suspeito Renato  Marcelo da Silva, confessou a prática do latrocínio em concurso com os conduzidos Jeferson Pereira deJjesus, e Wallyson Henrique Campos Oliveira. Ele (Renato) alegou que a intenção era somente roubar o veículo (Gol) da vítima, que teria se recusado a descer do carro. Então, segundo ele, Wallyson e Jeferson decidiram matá-lo.

Veja Também:  Ação para prender autor de tentativa de homicídio resulta na prisão de quatro pessoas por tráfico de drogas em Juína

Ainda no interrogatório, Renato imputou o planejamento do crime à Jeferson Pereira, que teria acionado o transporte via aplicativo. No momento em que o veículo da vítima parou, Jeferson enquadrou o motorista munido de um revólver calibre 38, anunciando o roubo e ordenando que a vítima descesse do carro. Mas a vítima se recusou, tendo Jeferson entrado no veículo e sentado atrás do motorista, instante em que o motorista acelerou o veículo e colidiu logo em seguida contra o barranco do lixão. Nesse momento Jeferson efetuou os disparos contra o motorista, e logo em seguida todos fugiram.

Wallyson também confessou a prática do latrocínio, mas afirmou ter sido Renato quem efetuou os disparos contra a vítima. O suspeito ainda  afirmou que juntamente com Jeferson resgataram o comparsa Renato, nas imediações do local do latrocínio.

O suspeito Jeferson Pereira,  possui quatro condenações criminais pela prática de roubo majorado, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, porte ilegal de artefato explosivo e organização criminosa. Ele que praticou a explosão do muro da Penitenciária Central do Estado em 25 de abril de 2014, ocasião de sua prisão, trocou tiros com a Polícia Militar.

O conduzido Wallyson Henrique Campos Oliveira foi colocado em liberdade há pouco tempo e foi orientado pelos companheiros de cela a procurar Jefferson Pereira de Jesus e  Renato Marcelo da Silva, os quais iriam lhe fortalecer do lado de fora suporte na prática de roubos. O conduzido Renato já foi preso por posse irregular de arma de fogo, receptação e corrupção de menor e afirmou integrar a organização criminosa há um ano e cinco meses

Veja Também:  Dupla é detida pela PRF transportando cerca de 5kg de cocaína na BR-364

A delegada Elaine Fernandes frisou  o empenho de toda a equipe da Delegacia para resposta rápida na elucidação do latrocínio. “Agradeço e parabenizo os investigadores, as escrivãs e também o investigador de polícia, R.N. Barros que auxiliou no suporte técnico, que trabalharam de forma incansável para elucidação do latrocínio e prisão em flagrante dos autores”, elogiou Elaine Fernandes.

Roubo de veículo e empresa

No mesmo dia, após a execução do motorista de aplicativo,  os três criminosos (Jefferon, Renato e Wallyson) e um terceiro de nome Ezequiel Filipe de Almeida Costa, 18 anos, na posse de arma de fogo, roubaram uma Fiat Strada, no bairro Jardim Imperador. Pelo crime eles também foram autuados em flagrante em roubo majorado.

A suspeita Silvia Moreira Dutra, que faz uso de tornozeleira eletrônica, será investigada na participação do latrocínio, pois a arma do crime pertencia ao filho dela, que também é alvo da investigação. A mulher junto aos demais suspeitos praticou roubo em uma empresa de manutenção, de onde levaram várias máquinas e o veículo S10 do estabelecimento. Ela é sogra Kewerson Barros de Figueiredo, que foi preso com parte dos produtos roubados dessa empresa. Imagens do local captaram o veículo Ford Fiesta de propriedade de Sílvia, parando em frente a empresa e os comparsas descendo do carro para executar o roubo.

Arma do crime

A suspeita Sílvia Dutra tem duas condenações pela prática de tráfico e receptação. Encontra-se em liberdade mediante uso de tornozeleira eletrônica. Ela é mãe de Brendo Kayque Vieira Dutra, que também tem condenações pela prática de homicídio e roubos. Ele está preso há 4 anos na Penitenciária Central do Estado (PCE) e é considerado uma das lideranças da facção criminosa. O revólver usado no latrocínio e demais roubos pertence a ele.

A arma não foi localizada.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Homem que agrediu mulher em Arenápolis já está solto

Publicado

Por AtualWebTV e AtualMT

Caso noticiado pelo site AtualMT no dia anterior relatou o triste caso de violência conjugal em Arenápolis.

O esposo agrediu fortemente a esposa, deixando a sua face e o seu corpo todo com fortes sequelas.

Os mesmos estavam vindo do município de Santo Afonso, quando o agressor obrigou a esposa a pular do carro a uma velocidade de 80km/h.

Segundo informações após a mulher pular do carro, o homem observou que a mulher não morreu e colocou ela novamente no carro e continuou as agressões.

Existe ainda a informação que o mesmo não agrediu mais a esposa porque a filha estaria junto no veículo.

O agressor ao perceber que a vítima estava muito mal levou a mesma até uma unidade de saúde de Arenápolis.

Como a Polícia já havia recebido a denúncia da agressão, a Polícia Militar de Arenápolis conseguiu realizar a prisão do agressor.

O que chama atenção é que depois de todo este fato o agressor pagou fiança e foi solto.

Entenda o caso:

Mulher é agredida fortemente pelo esposo em Arenápolis; PM prende agressor

Veja Também:  PRF prende envolvido em roubo de carga e recupera cavalo trator

Nesta sexta (31/07/2020), a PM de Arenápolis recebeu a denúncia, de que uma mulher estaria sendo vítima de agressão.

O fato ocorreu por volta das 08:28 horas em Arenápolis.

A Guarnição da PM foi acionada via celular da patrulha, no qual a vítima, uma mulher deu entrada em uma unidade de saúde da cidade de Arenápolis, após as agressões.

O suspeito seu marido, foi até a unidade de saúde e estaria aguardando a vítima ser atendida.

A Polícia de imediato deslocou até o referido local onde conversou com a vítima, a qual apresentava graves lesões na face, onde foi confirmado que a mesma fora agredida pelo seu esposo e que o mesmo a ameaçou de morte caso ela falasse que foi ele quem a agrediu.

Diante do fato, foi feito a prisão do agressor e encaminhado para delegacia local para devidas providências.

 

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Em Denise, PM desmonta grupo suspeito de praticar estelionato com venda de filtros de água

Publicado

No Boletim de Ocorrência das prisões foram listadas quatro vítimas, porém mais de 20 compareceram a delegacia denunciando os falsos vendedores depois que a prisão dos suspeitos se tornou pública na cidade

Alecy Alves | Secom-MT  – Foto por: PMMT

Policiais do Núcleo de Polícia Militar de Denise (a 211 km de Cuiabá) prenderam na tarde desta quinta-feira (30.07) seis suspeitos, todos do sexo masculino, pela prática de estelionato, usando como atrativo a venda de filtros de água.

No carro em que os homens estavam, um Corsa branco com placa de Tangará da Serra, foram apreendidos 11 purificadores de água de dois modelos, além de sete torneiras. A abordagem do veículo ocorreu na Avenida São Paulo, uma das principais vias da cidade, logo após a comunicação da denúncia via telefone.

A unidade policial foi informada da presença de suspeitos em residências vendendo filtros de água e fazendo questionamentos que preocupavam os moradores. Além de fotografar documentos pessoais e endereços, os “vendedores” faziam visitas longas e queriam saber se o morador estava sozinho em casa, se era aposentado ou pensionista, valor da renda, entre outras informações pessoais e financeiras.

Veja Também:  Sargento acusado de matar pioneiro de Lucas do Rio Verde se apresenta na delegacia e é liberado

De acordo com comandante local da PM, subtenente Idoardo do Carmo Pereira, após a prisão dos suspeitos as vítimas relataram que não era um único vendedor a fazer a visita. E que enquanto um continuava conversava com o morador, “com um papo agradável e cativante”, o outro saia da casa, já levando consigo as fotos da documentação.

Esse vendedor que saia da casa estaria usando a documentação de vítima para gerar boletos e até fazer empréstimos bancários no valor de R$ 3 mil, segundo comandante do Núcleo da PM. Esse seria o valor da dívida supostamente contraída com a compra do filtro.

O subtenente Do Carmo disse que ao serem abordados pelos policiais os “vendedores” não conseguiram explicar qual era o valor do filtro e porque estavam cobrando R$ 3 mil.

No Boletim de Ocorrência das prisões foram listadas quatro vítimas, porém mais de 20 compareceram a delegacia denunciando os falsos vendedores. O subtenente explicou que decidiu levar a publico a venda suspeita de filtros usando uma emissora de rádio local e isso fez com que dezenas de pessoas fossem até a delegacia.

Veja Também:  Veículo roubado no Rio Grande do Sul é recuperado em ação integrada em Curvelândia

Os seis suspeitos e todo o material apreendido ficaram à disposição da Delegacia de Polícia de Barra do Bugres, a 44 quilômetros de Denise.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes.

Fonte: Assessoria

 

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

O QUE VOCÊ ESTÁ ACHANDO DA GESTÃO DO GOVERNADOR MAURO MENDES ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana