conecte-se conosco


Economia

Preço da gasolina nas refinarias sobe pela quinta vez em março

Publicado


Preço da gasolina nas refinarias já sofreu cinco aumentos no mês de março
Divulgação/Prefeitura de Paulínia

Preço da gasolina nas refinarias já sofreu cinco aumentos no mês de março

A Petrobras anunciou novo aumento no preço da gasolina nas refinarias, que está programado para esta sexta-feira (15). A elevação é a quarta seguida e quinta do mês de março, e confere à gasolina o valor do litro de R$ 1,7966. Já o valor do diesel foi mantido em R$ 2,1871.

Leia também: Como declarar imóveis próprios ou alugados no Imposto de Renda 2019

Somente no mês de março, o preço da gasolina
acumula alta de 8,6% nas refinarias. O valor do litro entre os dias 2 e 15 saltou de R$ 1,6865 para R$ 1,7966. O avanço também chega aos postos, de acordo com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Na última semana, foi divulgado um balanço que apontou aumento de preço em 20 estados brasileiros e o Distrito Federal. O diesel nos postos também subiu, de R$ 3,444 para R$ 3,479, mas o maior aumento no período pesquisado foi o do etanol, que saltou de R$ 2,760 a R$ 2,868 (alta de 3,9%).

Veja Também:  Concurseiros e mercado estão assustados com medidas do governo Bolsonaro

Em 2018, o governo anunciou o fim do programa de subvenção ao diesel, instituído pela União como resposta às demandas de caminhoneiros, que  paralisaram o País em greve
que durou 11 dias, no fim de maio. Uma das principais reivindicações da categoria era a redução no preço do combustível, após uma série de aumentos decorrentes da nova política de preços adotada pela  Petrobras
 em julho de 2017, que preza pela variação de acordo com o mercado internacional, ou seja, grandes altas e baixas são sentidas mais frequentemente nacionalmente. A oscilação é constante e, por consequência, o preço pago pelo consumidor final pode variar mais. 

Segundo a professora Marcia Fleire Pedroza, do departamento de Economia da PUC-SP, “quando se atrela a política de preço às políticas internacionais, as variações são em cima de moedas internacionais. Não só o petróleo aumentou em termos internacionais como também o real se desvalorizou frente ao dólar. Então, por consequência, os preços são repassados para o preço nacional quando você usa essa política”, avalia.

Veja Também:  Informações e documentos necessários para declarar o Imposto de Renda 2019

Em março do ano passado, a estatal alterou também sua forma de reajustes, passando a divulgar os preços do litro da gasolina e do diesel vendidos pela companhia nas refinarias
, não mais os percentuais de reajuste, forma anterior de divulgação.

Leia também: Britânicos estocam papel higiênico e remédios por medo do Brexit

Desde a adoção do novo reajuste, em 2017, o preço da gasolina
nas refinarias acumula alta de 37,23%. Já o diesel acumula aumento superior a 60% desde então.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Um dos maiores grupos de concessionárias do Brasil chega à Tangará da Serra

Publicado

No auge dos seus 46 anos de muitos investimentos, inovação e crescimento, o Grupo Cometa se prepara para expandir ainda mais. Presente em 5 estados brasileiros e com atuação em 150 cidades, dessa vez a “terra” escolhida para receber a vigésima concessionária do Grupo é a promissora Tangará da Serra.

Considerado um sólido e grande revendedor nacional das marcas Hyundai, Volkswagen e Honda, o Grupo Cometa acumula resultados positivos no Brasil, mesmo em um cenário desafiador: em 2018, foram vendidos mais de 30.000 automóveis e motocicletas, e em breve estará presente junto dos tangaraenses por meio de uma concessionária Hyundai, nova, moderna, idealizada para oferecer excelência em atendimento, comodidade e apresentar as grandes novidades em automóveis mundialmente reconhecidos por alto padrão em design, segurança e tecnologia.

A chegada da Cometa Hyundai também representa para a região um ganho social. O Grupo, que já gera mais de 1.400 empregos diretos,  promoverá ainda mais oportunidades de trabalho em Tangará e um benéfico relacionamento entre população e empresa, já que tem em sua cultura o compromisso com a gestão de pessoas e diversos projetos sociais.

Falando sobre a gestão de pessoas, constantemente o Grupo investe em treinamentos e programas de recompensa para qualificar e motivar a equipe, dos altos executivos aos gerentes e vendedores. A mais recente ação nesse sentido foi premiar 250 colaboradores que mais se destacaram em 2018 com um belo cruzeiro.

Ao mesmo tempo, o Grupo também se dedica a praticar sua responsabilidade social. Prova disso é a existência do Instituto Cometa, entidade sem fins lucrativos mantida pelo Grupo, responsável por desenvolver e realizar projetos nas áreas social, ambiental, educacional, cultura e inclusão digital, além de prestar apoio a entidades beneficentes e famílias carentes. Dentre as várias ações, duas merecem destaque: a campanha de conscientização sobre o Outubro Rosa, pela qual parte do valor das vendas foi destinada ao Hospital de Câncer de Mato Grosso, um total de R$ 62 mil foram doados na última edição, e a campanha de arrecadação de alimentos “Natal Solidário”, que conseguiu atingir mais de 90,5 toneladas de alimentos doados.

Veja Também:  Paulo Guedes promete gás de cozinha pela metade do preço em dois anos

A força do Grupo Cometa também está presente no segmento de Agronegócios, no qual desenvolve o manejo de gado da raça Nelore (puro de origem), além de ações específicas, como coleta de embriões, fertilização in vitro e organização de grandes leilões.

Confiante neste cenário promissor, o Grupo já se considera tangaraense e inaugura suas instalações na Avenida Brasil nos próximos meses.

Fonte: Marketing Cometa- Larissa Ariane

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Com bandeira amarela, conta de luz ficará mais cara em maio

Publicado

MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Pela primeira vez no ano, conta de luz virá com bandeira tarifária na cor amarela

A conta de luz vai ficar mais cara no mês de maio. Segundo informações divulgadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta sexta-feira (26), a bandeira tarifária em vigor no próximo mês será de cor amarela.

Com isso, as tarifas na conta de luz  terão um custo adicional de R$ 1 a cada 100 quilowatts-hora consumido. De acordo com a agência, embora a previsão hidrológica para o mês indique tendência de vazões próximas à média histórica, “o patamar da produção hidrelétrica já reflete a diminuição das chuvas, o que eleva o risco hidrológico e motiva o acionamento da bandeira amarela”.

“Diante da perspectiva de que as afluências aos principais reservatórios fiquem perto da média, o preço esperado para a energia (PLD) deve permanecer próximo ao registrado nos últimos meses”, informou a Aneel .

Essa será a primeira vez que as contas de energia elétrica trarão a bandeira amarela neste ano. Até então, a bandeira tarifária estava verde — ou seja, sem custos adicionais para os consumidores.

Veja Também:  Concurseiros e mercado estão assustados com medidas do governo Bolsonaro

Para adotar a bandeira amarela , a Aneel explicou que maio é o mês de início da estação seca nas principais bacias hidrográficas das usinas hidrelétricas. Embora a previsão meteorológica para o mês indique tendência de vazões próximas à média histórica, a agência informou que o patamar da produção hidrelétrica já reflete a diminuição das chuvas.

Com isso, é necessário acionar usinas térmicas, que um custo mais alto que as hidrelétricas. O valor extra é repassado para as tarifas por meio das bandeiras.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 pela Aneel como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia gerada por meio de usinas térmicas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração de eletricidade.

Quando chove menos, por exemplo, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais térmicas para garantir o suprimento de energia no país. Nesse caso, a bandeira da conta de luz fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação das termelétricas acionadas.

Veja Também:  Paulo Guedes promete gás de cozinha pela metade do preço em dois anos

Fonte: IG Economia

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana