conecte-se conosco


Mato Grosso

Radiologista de Mato Grosso alerta para a importância da mamografia

Publicado

A Clínica Vida possui equipamento digital que possibilitam imagens muito mais precisas com menores doses de radiação e menor necessidade de compressão

Médica radiologista há mais de 20 anos em Mato Grosso, a Dra. Hilda Menna Barreto alerta as mulheres para que comecem a fazer anualmente, a partir dos 40 anos de idade, a mamografia, que é considerado um dos exames mais eficazes para o diagnóstico precoce do câncer de mama.

Dra. Hilda Menna Barreto, especialista em métodos de diagnóstico por imagem das mamas, fez seu próprio diagnóstico de Carcinoma “in situ” de mama há cerca de três anos através de um exame de mamografia de rotina.

“Graças à mamografia eu pude descobrir o câncer em estágio bem precoce, fazer o tratamento e hoje estou curada”, afirma a especialista, que acabou se transformando num exemplo para as mulheres que ainda não se conscientizaram da importância do exame. “O câncer de mama é o que mais mata mulheres no Brasil”, alerta.

Dra. Hilda Menna Barreto, que se formou em Medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro há quase 30 anos, explica que no caso do câncer de mama, estudos apontam que aproximadamente 95% dos casos diagnosticados no início (com menos de 1,0 cm) têm possibilidade de cura. Porém, apesar disso, o Brasil ainda é um dos países onde a incidência do câncer de mama ainda continua crescendo, assim como os índices de mortalidade relacionados a ele.

Veja Também:  ALMT assume mediação entre profissionais de educação e governo para negociar o fim da greve no estado

“Detecção precoce significa diagnosticar a doença o mais cedo possível, identificando casos iniciais, para aumentar as chances de cura e diminuir a agressividade do tratamento”, observa a radiologista.

A detecção precoce é realizada através do rastreamento entre mulheres assintomáticas por meio de exame de mamografia, que deve ser feita de forma regular anualmente em mulheres a partir dos 40 anos de idade e a partir dos 35 anos para as mulheres com risco aumentado (mãe, irmã ou filha com câncer de mama).

Em caso de sintomas como nódulo palpável, secreção saindo pelo mamilo ou deformidade de uma das mamas o médico especialista: ginecologista ou mastologista deve ser consultado para indicar o melhor exame a ser realizado em cada caso.

A Dra. Hilda, em uma palestra bastante esclarecedora na Clínica Vida Diagnóstico e Saúde, de Várzea Grande, reforçou o tempo todo a respeito da importância da mamografia como a principal ferramenta para o diagnóstico precoce e citou também a ultrassonografia e a Ressonância Magnética das Mamas como métodos complementares, quando necessário.

“É preciso que as mulheres não tenham medo de fazer a mamografia, não se deixem levar por boatos ou crendices. O exame é rápido e pode ser um pouco incômodo, mas com certeza muito menos do que, por exemplo, uma depilação com cera quente que a maioria das mulheres fazem rotineiramente. “O diagnóstico precoce ajuda a salvar vidas”.

Veja Também:  Biblioteca Estadual abre inscrições para curso em Braille

A radiologista ainda observou que hoje existem equipamentos digitais que vieram para substituir a mamografia convencional e possibilitam imagens muito mais precisas com menores doses de radiação e menor necessidade de compressão, sendo portanto muito menos incômodos.

“Aqui na Vida Diagnóstico e Saúde nós já trabalhamos com esse tipo de mamógrafo digital, que dá muito mais conforto às pacientes”, completou.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Seduc inicia terceira etapa de entrega dos kits de alimentação escolar para estudantes

Publicado

Nessa etapa, serão beneficiadas cerca de 300 mil famílias, com investimentos na ordem de R$ 13 milhões, recursos dos governos estadual e federal

Rosane Brandão | Seduc-MT

Nessa etapa, serão beneficiadas cerca de 300 mil famílias de estudantes – Foto por: Seduc-MT

Nessa etapa, serão beneficiadas cerca de 300 mil famílias de estudantes

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) inicia esta semana a distribuição da terceira etapa dos kits de alimentação escolar para famílias de alunos da rede estadual. Nesta etapa, serão beneficiadas cerca de 300 mil famílias, com investimentos na ordem de R$ 13 milhões, recursos dos governos estadual e federal.

A cestas contém arroz, feijão, carne, leite, verduras (como cenoura, chuchu, beterraba, maxixe, quiabo e abobrinha), frutas e tubérculo (mandioca ou batata).

Conforme orientativo da Seduc, encaminhado às unidades escolares, a forma de distribuição dos kits deverá garantir que não haja aglomerações nas unidades escolares, sempre seguindo as recomendações das autoridades em saúde. Diante disso, as escolas já estão se preparando para as entregas e vão comunicar aos pais ou responsáveis sobre o dia e horário para a retirada dos kits.

Veja Também:  Confira o ranking dos municípios em MT que lideram os casos suspeitos de coronavírus

A equipe gestora do Centro de Educação de Jovens e Adultos Creuslhi de Souza Ramos, do município de Confresa (a 1.160 quilômetros de Cuiabá) preparou um vídeo para informar à comunidade escolar sobre a entrega dos kits.

O diretor da escola, Eraldo Pereira, explica que o vídeo foi divulgado nas redes sociais, como youtube, facebook e também nos grupos de whatsapp. “A escola já tinha alguns produtos não perecíveis, que sobraram da etapa passada, e agora adquirimos apenas os itens que faltavam, como verduras, frutas e carnes. As nossas cestas já estão prontas para serem entregues aos nossos alunos”, ressaltou o diretor.

O pagamento dos kits de alimentação escolar é feito com os recursos financeiros do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), conforme Resolução nº 02 de 2020 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Os recursos já estão disponíveis nas contas dos Conselhos Deliberativos das Comunidades Escolares (CDCEs) para a aquisição dos alimentos.

Pelo menos 30% do recurso deverá ser destinado para a aquisição de produtos da agricultura familiar, beneficiando assim a cadeia produtiva dos pequenos agricultores do Estado de Mato Grosso.

Veja Também:  ALMT assume mediação entre profissionais de educação e governo para negociar o fim da greve no estado

Desde o mês de maio, quando começaram as entregas nas escolas, 361,3 mil kits já foram distribuídos às famílias dos estudantes que necessitam da merenda escolar.

“Nesse período de pandemia, em que as aulas presenciais estão suspensas, a Seduc adotou medidas para garantir a continuidade do direito do aluno à alimentação escolar, destaca a secretária de Estado de Educação, Marioneide kliemaschewsk.

Para a definição do valor de cada kit, foi utilizado como critério o custo médio dos alimentos, apurado por meio dos processos de pregão e chamada pública realizados pelos municípios para o ano letivo de 2020.

Dúvidas e informações podem ser obtidas pelo e-mail alimentação.escolar@educacao.mt.gov.br

 

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Publicado

Governo de Mato Grosso lamenta morte do artista Adir Sodré

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, lamenta profundamente a morte do artista mato-grossense Adir Sodré. Um ícone das artes plásticas que retrata a cultura regional, Adir faleceu no fim da tarde desta segunda-feira, em sua residência, em Cuiabá.

Ainda não há informações oficiais sobre a causa da morte.

“É uma imensa perda para a cultura mato-grossense. Um homem que sempre esteve além do seu tempo. Um artista com um potencial incrível e que teve sua arte reconhecida, não apenas em Mato Grosso, mas no Brasil e no Museu de Arte Moderna de Paris. Adir Sodré fará muita falta para a nossa cultura e para os amigos e familiares”, destacou o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado, o Beto Dois a Um.

O local do velório do artista, que nasceu em Rondonópolis e tinha 58 anos, ainda não foi informado.

Veja Também:  Perícia confirma identidade de homem encontrado morto dentro de saco em Tangará da Serra

Trajetória

Pintor e desenhista, em 1977 frequentou o Ateliê Livre da Fundação Cultural de Mato Grosso, onde fora orientado por Humberto Espíndola (1943) e Dalva (1935).

Nos dois anos seguintes integrou, com Gervane de Paula e outros artistas, um grupo que procurou renovar a arte mato-grossense. Nessa época, participou de exposições coletivas organizadas pelo Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso (MACP/UFMT).

Participou também, entre outras, das coletivas Como Vai Você, Geração 80?, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), Rio de Janeiro, em 1983, e Modernidade, Arte Brasileira no Século XX, no Museu de Arte Moderna de Paris, em 1987. Em sua produção aborda temas relacionados à cultura regional.

 

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

O QUE VOCÊ ESTÁ ACHANDO DA GESTÃO DO GOVERNADOR MAURO MENDES ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana