conecte-se conosco


Agronegócio

Seaf oferece plataforma com informações da agricultura familiar de MT

Publicado

Ferramenta apresenta funcionalidades que possibilitam visualizar dados georreferenciados.

Luciana Cury | Seaf-MT

Com a plataforma é possível visualizar informações gerais sobre a agricultura familiar – Foto por: Lucas Diego Com a plataforma é possível visualizar informações gerais sobre a agricultura familiar

Mato Grosso é um dos poucos estados da federação que abriga uma plataforma digital com informações da produção da agricultura familiar de seus 141 municípios. Existente há quase dois anos no portal da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), a ferramenta conta com informações sobre regularização fundiária, crédito, assistência técnica e extensão rural, comercialização, dados sobre os municípios, dentre outros.

A plataforma inovadora reúne documentos pertinentes à temática da zona rural, de forma sistematizada. Os dados servem para pesquisadores, estudantes de agronomia e veterinária, entre outros. Com a plataforma é possível visualizar informações de forma integrada, auxiliando gestores, profissionais e o público em geral na tomada de decisões sobre projetos, políticas e ações para o desenvolvimento da agricultura familiar mato-grossense.

A ferramenta, segundo o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Silvano Amaral, apresenta funcionalidades que possibilitam visualizar dados georreferenciados, na forma de mapas, e a geração de relatórios analíticos, por meio da manipulação pelo usuário de diferentes camadas de informações de acordo com a necessidade e interesse de quem está pesquisando. “Este portal é fundamental para gestores públicos ou privados para o planejamento das ações referentes à agricultura familiar”, afirma Silvano Amaral.

Veja Também:  Mato Grosso aumenta produção de cana-de-açúcar

Pela plataforma, o cidadão pode, por exemplo, descobrir que o leite e a mandioca são os itens mais produzidos pela agricultura familiar no município de Marcelândia. Reunir dados que ilustrem a realidade dos pequenos produtores é um grande desafio para boa parte dos estados.

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio

Altos custos na produção de soja preocupam agricultores de Mato Grosso

Publicado

O valor é 7,5% mais alto do que na safra passada. Esse valor deve representar o recorde negativo de maior custo de produção, superando os valores de 2016/2017, quando o produtor gastava, em média, R$ 3,8 mil para plantar a soja

Portal do Agronegócio

Altos custos na produção de soja preocupam agricultores de Mato Grosso

Produtores do oeste de Mato Grosso estão preocupados com os custos para a próxima safra de soja. De acordo com o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), o investimento necessário para plantar um hectare do grão no estado fica em torno de R$ 3,9 mil.

O valor é 7,5% mais alto do que na safra passada. Esse valor deve representar o recorde negativo de maior custo de produção, superando os valores de 2016/2017, quando o produtor gastava, em média, R$ 3,8 mil para plantar a soja.

De acordo com o instituto, o que mais tem puxado para cima os custos de produção são a alta do dólar e os fertilizantes, que tiveram os preços reajustados em quase 24%. Herbicidas, fungicidas e sementes também apresentam altas.

Veja Também:  Aprosoja inicia rodada de eventos técnicos voltados para a produção de milho

Uma consequência é que o produtor Luciano Resende resolveu reduzir a área plantada. “É um ano de desafio para a cadeia do produtor rural”, avalia.

Segundo ele, em 2018 a saca de soja era vendida entre US$ 19 e US$ 21 dólares. ?Este ano, nós estamos vendendo a US$ 16, US$ 17?, conta.

Fonte: Globo Rural

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

Exportação de carnes saltarão de 7 mi de ton para 9,3 mi de ton ao final da década

Publicado

De acordo com o estudo, no período, as exportações dos três tipos devem crescer 3% ao ano

Portal do Agronegócio

Exportação de carnes saltarão de 7 mi de ton para 9,3 mi de ton ao final da década

As vendas externas de carnes (bovina, frango e suína) saltarão de 7 milhões de toneladas para 9,3 milhões de toneladas ao final da década, com destaques para carne suína (+34%) e de frango (+33%), aponta análise do Ministério da Agricultura divulgado nessa sexta-feira (26). De acordo com o estudo, no período, as exportações dos três tipos devem crescer 3% ao ano.

“O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, 2019) classifica o Brasil em 2028 como primeiro exportador de carne bovina, sendo a Índia o segundo, seguida pela Austrália e Estados Unidos. Nas exportações de carne de porco, o Brasil é classificado em quarto lugar, atrás da União Europeia, Estados Unidos e Canadá. Em carne de frango, o Brasil fica em primeiro lugar nas exportações, seguido pelos Estados Unidos e União Europeia”, aponta o estudo.

Veja Também:  O Boletim do Leite do Cepea de fevereiro está disponível em nosso site!

O trabalho não avaliou os impactos do Acordo Mercosul – União Europeia, firmado em junho, em Bruxelas.

Fonte: MAPA

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana