conecte-se conosco


Agronegócio

Terminal ferroviário da Rumo em Rondonópolis (MT) aumentará a capacidade de armazenagem em 150%

Publicado

Obras de expansão e melhorias vão gerar mais eficiência operacional e proporcionar cerca de 200 empregos diretos e indiretos na região

Portal Agronegócio

Principal polo da infraestrutura logística do Mato Grosso, o Terminal Ferroviário de Rondonópolis (TRO) será ainda mais relevante para as operações do agronegócio brasileiro nos próximos anos. A Rumo, maior operadora de ferrovias do país, iniciou mais uma obra de expansão que prevê um ganho de 75 mil toneladas na capacidade de armazenagem, representando aumento de 150% em relação a estrutura atual.

A Companhia irá investir R$ 206 milhões em novas estruturas no terminal. Serão instaladas três tulhas extras e construída uma nova linha ferroviária, possibilitando um aumento de 60% nas operações de carregamento de vagões, passando de 900 para 1.400 vagões por dia.

“Mais de 200 empregos diretos e indiretos serão gerados durante a execução dos serviços. Serão construídos dois novos armazéns que vão aumentar significativamente nossa capacidade para atender o setor produtivo do Mato Grosso”, explica Fabricio Degani, diretor de Portos e Terminais da Rumo.

Veja Também:  SUÍNOS/CEPEA: Exportação registra bom desempenho em fevereiro

Além do aumento na capacidade estática e expedição, também estão previstas a construção de quatro novas moegas e cinco novas balanças rodoviárias que irão otimizar o fluxo de entrada e saída dos caminhões no terminal. As operações de recebimento serão ampliadas em 40%, permitindo receber mais de 2.000 caminhões por dia.

“A expansão e modernização do terminal deve-se tanto aos resultados positivos que a operação ferroviária vem registrando ao longo de nossa malha, como também às próprias melhorias que os produtores rurais estão alcançando, sempre demandando melhores níveis de serviço em toda a cadeia produtiva do agronegócio”, destaca Degani.

Somente no primeiro trimestre de 2019, a Rumo contabilizou um crescimento de 12,9% no volume de produtos agrícolas transportados entre Rondonópolis (MT) e o porto de Santos no comparativo com o mesmo período de 2018. Foram mais de 5 milhões de toneladas movimentadas, com destaque para a soja que representou 3,7 milhões deste total.

Fonte: Rumo

Comentários Facebook
publicidade

Agronegócio

Preparação para o período da seca deve começar no verão

Publicado

Preparação para o período da seca deve começar no verãoTodos os anos, milhares de pecuaristas sentem os prejuízos da seca. O pasto, principal fonte de alimentação e engorda do gado, fica escasso e sem vida. Porém, com planejamento, o produtor rural pode ter diversas alternativas e manter a estratégia de ganho de arrobas crescente. A Boi Saúde – Pecuária Inteligente orienta dicas simples para que todas as propriedades, não importa o porte, desde pequenas até grandes fazendas, possam manter uma boa produtividade nessa época crítica para a pecuária brasileira.

“O ideal é iniciar o planejamento logo nas primeiras chuvas, quando o pasto começar a brotar de novo. Por estar com boa nutrição, se bem preservado, pode salvar o produtor na busca de alternativas de alimentação para o gado. O manejo do dia a dia não sofrerá muitos impactos, mas os resultados compensam”, explica José Carlos Ribeiro, consultor da Boi Saúde – Pecuária Inteligente.

Veja Também:  Cana em Janeiro: Grandes Incertezas Nesta Entressafra

Dicas para enfrentar o período da seca sem prejuízos

Vedação do pasto: vedar o pasto é uma boa maneira de garantir forrageira com bom teor nutricional o ano todo. O momento adequado para a atividade é o mês de abril. A justificativa é a qualidade nutricional desse capim que será vedado. Caso tenha uma extensão de pasto suficiente para separá-la em duas partes para vedação em épocas diferentes, o resultado pode ser melhor ainda.

Silagem de forrageira: aproveite o pasto abundante e prepare silagem para oferecer na seca. Basta armazenar corretamente e ter atenção na fermentação. Ainda, o produtor pode fazer estoques de silagem com ingredientes como cana de açúcar, milho, sorgo e muitos outros;

Compra de insumos e suplementos: aproveite agora no verão e faça um planejamento da quantidade de suplementos que irá precisar para enfrentar a seca. Quando algum produto estiver com promoção ou preço abaixo da tabela, não deixe de comprá-lo. Economia também é a base do sucesso da pecuária. E não deixe a ureia fora da sua lista de compras;

Veja Também:  Projeto Guardião das Águas faz mapeamento de nascentes e aponta que mais de 90% estão intactas

Inicie o oferecimento de sal agora: não espere a seca chegar. Iniciar o oferecimento de sal mineral e proteinado no cocho fortalece o organismo do animal desde já. Dessa forma, quando a falta de pasto começar na sua propriedade, a queda de peso será evitada, pois o bovino estará com as arrobas adequadas para enfrentar o período.

Fonte: Boi Saúde – Pecuária Inteligente

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

Importações de soja da China em dezembro saltam 67% na comparação anual

Publicado

Importações de soja da China em dezembro saltam 67% na comparação anualA China, principal mercado global para a soja, importou 9,54 milhões de toneladas da oleaginosa em dezembro, ante 5,72 milhões de toneladas no mesmo mês do ano anterior, segundo dados da Administração Geral de Alfândegas.

Os embarques tiveram alta de 15% frente às 8,28 milhões de toneladas em novembro.

“Os números foram bem elevados, uma vez que cargas atrasadas foram liberadas na alfândega, incluindo embarques dos EUA”, disse a analista da consultoria Shanghai JC Intelligente Co, Monica Tu.

“Compradores chineses também agendaram compras de muitos grãos da América do Sul, que chegaram em massa”, afirmou.

No ano de 2019, as importações de soja somaram 88,51 milhões de toneladas, pouco acima das 88,03 milhões de toneladas de 2018, quando tarifas mais altas impactaram os embarques dos Estados Unidos.

Veja Também:  BOI/PERSPEC 2019: Após exportação recorde em 2018, setor aposta em demanda interna em 2019

Compradores chineses agendaram cargas dos EUA em diversas ocasiões após terem recebido isenções temporárias de tarifas nos últimos meses, em meio a um alívio nas tensões comerciais entre EUA e China.

Importadores também elevaram compras do Brasil devido aos bons preços e às incertezas comerciais.

Fonte: Reuters

Comentários Facebook
Continue lendo

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana