conecte-se conosco


Geral

6 motivos para praticar Yoga em casa

Publicados

em

Pri Leite dá dicas de como a prática que a ajuda a cultivar a paz, plena consciência e boa forma pode ser feita dentro de casa e com segurança.

Vitoria Nascimento

Não é segredo que o Yoga traz benefícios para a saúde. A prática milenar reduz o estresse, combate a ansiedade, aumenta a concentração, cria força, aumenta a flexibilidade e ajuda a prevenir lesões. Além disso, essa é uma das práticas mais democráticas que existem, todas as pessoas podem praticar Yoga. Grande ou pequeno, jovem ou idoso, flexível ou não, qualquer um que queira pode começar a praticar – e pode fazê-lo no conforto de casa.

De acordo com a pioneira em acessibilizar a prática de Yoga no Brasil através da internet, Priscilla Leite, essa arte milenar nos ajuda a ouvir o que o nosso corpo precisa, a mover-se em nosso próprio ritmo e a desenvolver intuição sobre quais sequências ou posturas precisamos e desejamos fazer em um determinado dia. “Se você está cansado pode fazer uma aula mais relaxante, já se você estiver mais animado, uma aula de flow poderá ser muito mais satisfatória. Durante o período da manhã uma prática mais energética te deixará mais disposto e a noite o ideal é que seja feita uma aula mais restauradora e calmante, o que é fantástico para aqueles que praticam o yoga em casa” – Explica a professora, que hoje possui o maior canal de Yoga do Brasil no Youtube, o Pri Leite Yoga com aulas gratuitas para todos os níveis e propósitos.

Uma dica que a profissional dá para aqueles que querem começar a praticar yoga em casa é tentar cultivar uma atitude lúdica e de aceitação. “Estar presente durante a prática significa permitir-se estar ciente de quaisquer sensações físicas, emoções e pensamentos que estão surgindo no momento. Tente ser criativo e espontâneo. Se você olhar para a prática com um senso de curiosidade, em vez de autojulgamento ou competitividade achará mais fácil se motivar para a aula – e estará mais presente quando praticar” – Finaliza a Yogini.

Veja Também:  Plano de saúde coletivo não pode ser cancelado durante tratamento

Ficou com vontade de aprender? Veja algumas dicas que a professora listou para aqueles que desejam começar a fazer ioga no conforto do seu lar.

1.Escolha um lugar confortável
A grande vantagem do a ioga é que ela é uma prática que pode ser feita em qualquer lugar, mas seria muito melhor se você tivesse um espaço em sua casa onde é mais calmo, relaxante, onde você não vai ser incomodado durante a sua prática. Tudo o que você precisa garantir é que seu espaço esteja de preferência bem ventilado e longe de móveis ou objetos pontiagudos. Se quiser pode ser bom e até útil criar uma atmosfera com uma vela ou um incenso.

2.  Pratique com o estômago vazio
As posturas de ioga são sempre mais bem praticadas com o estômago leve ou vazio por causa das diferentes torções. Tente manter um intervalo de 1-3 horas entre suas refeições e sua prática.

3. Não se preocupe com roupas
Minha dica é sempre optar por roupas soltas e confortáveis. Sem dúvidas você pode fazer Yoga como preferir, no entanto deixar de lado roupas apertadas e acessórios excessivos pode fazer da sua prática um momento mais relaxante.

4. É o seu próprio corpo, então seja gentil com ele
Comece com a ioga simples e fácil. Respeite seu corpo indo devagar, ou você pode acabar se machucando. Deixe as posturas super difíceis quando você já estiver seguro em fazê-las. Sempre observe seus limites e, especialmente, esteja atento às áreas vulneráveis de seu corpo, como joelhos, quadris, coluna e pescoço. Se você sentir qualquer sensação dolorosa, ajuste, suavize, saia da postura se precisar. Não force.

Veja Também:  COVID-19: para garantir imunização e não “apenas vacinação”, inteligência logística é crucial, alerta indústria

5. Seja consistente
É essencial se regular em sua prática de ioga. Torná-la parte de sua rotina diária ajudará a transformá-la em um hábito. Mesmo que seja uma vez por semana já fará diferença na sua saúde e bem-estar. Priorize o que funciona pra você. seja honesto, estabeleça metas realistas e faça o que puder. Uma prática de ioga de 10 minutos ainda é uma prática e definitivamente conta.

6. Faça do tempo do ioga um ‘momento de diversão para a família’
Quando você pratica sozinho, pode ficar entediado depois de um tempo ou você pode simplesmente ficar com preguiça de praticar. Experimentar fazer ioga com sua família ou amigos além de ser benéfico para a saúde de todos também poderá estreitar os laços

SOBRE PRISCILLA LEITE:
Responsável pelo principal canal de Yoga com conteúdo gratuito, em português, a Yogini brasileira mora em Los Angeles e oferece conteúdo inéditos, toda semana, através do Canal Pri Leite Yoga no Youtube. Com formação em Vinyasa Flow, Hatha Yoga, Yoga paragestantes suas aulas são desenvolvidas de acordo com as necessidades e feedback dacomunidade. Nos últimos meses, por exemplo, Priscilla Leite criou conteúdos exclusivos paraas pessoas praticarem durante o isolamento social. As aulas são divididas em categorias epodem ser praticadas em qualquer lugar, por pessoas com qualquer ou nenhuma, experiência.www.prileiteyoga.com.br

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Propaganda

Barra do Bugres e Região

Unemat divulga edital do Seletivo com 2.570 vagas para 62 cursos em 12 cidades

Publicados

em

Poderão participar deste Seletivo todos os interessados que tenham realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nas edições 2016, 2017, 2018, 2019 ou 2020

Nataniel Zanferrari | Unemat

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) divulgou nesta quarta-feira (21) o edital do Processo Seletivo 2021/2, para ingresso no segundo semestre deste ano. Esta edição oferta 2.570 vagas em 62 cursos, distribuídos em 12 municípios do Estado.

As inscrições são gratuitas e deverão ser feitas de 26 de julho a 8 de agosto.

O edital pode ser acessado clicando aqui.

ENEM ANTERIORES

Poderão participar deste Seletivo todos os interessados que tenham realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nas edições 2016, 2017, 2018, 2019 ou 2020, e que tenham obtido nota mínima de 200 pontos na Redação da edição apresentada pelo candidato.

No ato da inscrição, o candidato deverá marcar qual opção do curso, câmpus e categoria de cotas ao qual pretende concorrer, além de anexar fotografia e o boletim de desempenho no Enem.

O boletim poderá ser obtido clicando aqui.

Basta informar o número do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e a senha do candidato.

O processo seletivo terá duas fases: a primeira será o desempenho no Enem, e a segunda será a análise da documentação e o procedimento de verificação.

Cursos e Câmpus

Esta edição apresenta três turmas únicas de oferta especial em Cuiabá: uma turma de bacharelado em Engenharia de Produção Agroindustrial, uma turma de Tecnologia em Gestão Pública e uma turma de Tecnologia em Gestão de Negócios e Inovação.

O curso de Engenharia terá aulas no período noturno de segunda a sexta-feira e no período diurno aos sábados. Já os cursos de Tecnologia serão no período noturno.

Também será ofertado o curso de bacharelado em Agronomia no município de Querência. O curso é em período integral.

Além dos cursos em Cuiabá e Querência, esta edição também oferta cursos em Alta Floresta, Barra do Bugres, Cáceres, Diamantino, Juara, Nova Mutum, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Rondonópolis, Sinop e Tangará da Serra.

Cotas

Além das cotas para alunos oriundos de escolas públicas, dentro das quais estão inseridas cotas para indígenas e para estudantes pretos ou pardos, a Unemat também passou a incluir reserva de vagas para pessoas com deficiência (PCD) a partir do ano passado.

Resultado

As inscrições deferidas serão publicadas no dia 9 de agosto, com a divulgação do desempenho preliminar da primeira fase no dia 12 e a divulgação do resultado preliminar da segunda fase no dia 27.

O resultado final será publicado no dia 1º de setembro, com matrículas de 2 a 9 de setembro.

Todas as informações sobre as etapas do Vestibular e seus editais podem ser acessadas em: www.unemat.br/vestibular.

Confira os cursos e locais

– Administração: Diamantino, Juara, Nova Mutum, Sinop e Tangará da Serra

– Agronomia: Alta Floresta, Cáceres, Nova Mutum, Nova Xavantina, Querência e Tangará da Serra

– Arquitetura e Urbanismo: Barra do Bugres

– Ciência da Computação: Barra do Bugres e Cáceres

– Ciências Biológicas: Alta Floresta, Cáceres, Nova Xavantina e Tangará da Serra

– Ciências Contábeis: Cáceres, Nova Mutum, Sinop e Tangará da Serra

– Ciências Econômicas: Sinop

– Direito: Alta Floresta, Barra do Bugres, Cáceres, Diamantino e Pontes e Lacerda

– Educação Física: Cáceres e Diamantino

– Enfermagem: Cáceres, Diamantino e Tangará da Serra

– Engenharia Civil: Nova Xavantina, Sinop e Tangará da Serra

– Engenharia de Alimentos: Barra do Bugres

– Engenharia de Produção Agroindustrial: Barra do Bugres e Cuiabá

– Engenharia Elétrica: Sinop

– Engenharia Florestal: Alta Floresta

– Geografia: Cáceres e Sinop

– História: Cáceres

– Jornalismo: Tangará da Serra

– Letras: Cáceres, Pontes e Lacerda, Sinop e Tangará da Serra

– Matemática: Barra do Bugres, Cáceres e Sinop

– Medicina: Cáceres

– Pedagogia: Cáceres, Juara e Sinop

– Sistemas de Informação: Sinop

– Tecnologia em Gestão Pública: Cuiabá

– Tecnologia em Gestão de Negócios e Inovação: Cuiabá

– Turismo: Nova Xavantina

– Zootecnia: Pontes e Lacerda

Comentários Facebook
Veja Também:  MT: Setor têxtil produz EPIs em vez de uniformes esportivos para driblar crise
Continue lendo

Geral

Contador Claúdio Lasso lista os 3 motivos que mais causam o desenquadramento do MEI

Publicados

em

O especialista também explica por que é necessário mudar a categoria da empresa caso não se encaixe como micro.

Segundo dados do Mapa de Empresas, do Ministério da Economia, em 2020, o número de Microempreendedores Individuais (MEI) teve um crescimento de 8,4% em relação a 2019. Apesar de ter pouco mais de 10 anos, é o porte de empresa mais comum no país. 

Segundo Cláudio Lasso, contador e CEO da Sapri Consultoria, que atua no mercado de consultoria e auditoria Contábil e Tributária há 17 anos, o Microempreendedor Individual (MEI) é o empresário que trabalha por conta própria e resolve se legalizar como microempresário.

“Esse é o mais recente modelo de empresa brasileira, mais barato e mais fácil de configurar e tem como alvo os profissionais com renda bruta mensal de até R$ 6.750,00”.

De acordo com o profissional, para ser Microempreendedor Individual é necessário:

  • Possuir uma renda bruta de até 81 mil reais por ano, ou seja, R$ 6.750,00 reais de renda bruta mensal.

  • Possuir somente um empregado registrado.

  • Não ter participação em nenhuma outra empresa, seja como sócio, seja como titular.

No entanto, existe uma rigorosa legislação sobre essa categoria de empresa. Muitas empresas que não se encaixam nessa legislação devem fazer optar pela mudança do regime tributário.

“Aconselho fazer um desenquadramento da MEI, para não sofrer penalidades tributárias e efetuar um planejamento contábil, financeiro e tributário”, recomenda Lasso, que listou os 3 motivos que mais causam o desenquadramento do MEI:

  1. O empreendedor pode ser desenquadrado caso ultrapasse o limite de faturamento, R$ 81 mil, anual. A legislação permite que o empreendedor tenha uma margem de 20% para ultrapassar o saldo de faturamento, levando o faturamento até R$ 97,2 mil.

  1. Outra regrinha exigida para se enquadrar no MEI é ter apenas um funcionário com registro em carteira.A partir do momento que o microempreendedor precisar contratar mais de um funcionário, será desenquadrado, tendo que buscar outro regime tributário.

  1. Atualmente, existem mais de 450 atividades enquadradas do MEI. Caso o microempreendedor mude de atividade – sendo que está na lista de atividades permitidas – também precisará mudar de regime.Vale lembrar que todo ano a Receita inclui e exclui diversas atividades da lista. É preciso acompanhar e atualizar o registro para que o Órgão não desenquadre o negócio.

Cláudio ensina o passo a passo para solicitar o desenquadramento:

Para solicitar o desenquadramento, o MEI deve entrar no Portal do empreendedor e seguir os seguintes passos:

– Clicar na aba serviços.

– Quero crescer (desenquadramento);

– Realizar desenquadramento;

– Em Comunicação de desenquadramento do Simei, clique em código de acesso;

– Preencha os dados de CNPJ, CPF e código de acesso;

– Explique o motivo do desenquadramento (faturamento, funcionário, sociedade ou filial).

“Vale lembrar que além de comunicar à Receita Federal, o microempreendedor deve procurar uma Junta Comercial para atualizar o cadastro da empresa”, pontua.

Quem não regulariza a partir do mês de janeiro, passa a recolher o imposto Simples Nacional como microempresa, com percentuais iniciais de 4%, 4,5% ou 6% sobre o faturamento do mês, conforme as atividades econômicas exercidas – Comércio, Indústria e/ou Serviços – (item, 1, alínea “a”, do Inciso II, do §º2º, do artigo 105 da Resolução do CGSN nº 94/2011).

“Esta modalidade é bem utilizada para profissionais autônomos, prestadores de serviço que estão iniciando e também profissionais que querem iniciar uma jornada empreendedora. Na minha opinião, é uma boa forma de testar se o seu produto, ou, serviços será aceito no mercado”, finaliza.

Comentários Facebook
Veja Também:  MT: Setor têxtil produz EPIs em vez de uniformes esportivos para driblar crise
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana