conecte-se conosco


Entretenimento

A Guerra Santa de Steven Spielberg contra a Netflix

Publicados

em

Hollywood, e o mundo, observam atentos o despertar de uma guerra. De um lado um dos cineastas mais influentes e poderosos da atualidade, Steven Spielberg. De outro, a gigante do streaming e empresa do entretenimento mais valiosa do mundo, a Netflix.


Steven Spielberg durante a premiere de documentário da HBO sobre sua pessoa em 2017
Divulgação

Steven Spielberg durante a premiere de documentário da HBO sobre sua pessoa em 2017

Steven Spielberg
já havia se manifestado antes no sentido de entender que os filmes produzidos e distribuídos pela Netflix não deveriam concorrer ao Oscar, mas sim ao Emmy por não serem lançados em cinema. Agora, na esteira da ruidosa participação de “Roma” na última temporada de premiações, vencida por “Green Book”, produzido pela Amblin, que pertence ao cineasta, a polêmica volta à tona com ainda mais propriedade.

Leia também: Cancelamentos resgatam dúvidas, mas Netflix dobra o risco e consolida seu modelo

O cineasta
, que integra o comitê dos diretores de cinema da organização, pediu uma audiência com o conselho da Academia, que costuma fazer uma reunião pós-Oscar em abril. Nessa audiência, Spielberg expressará suas preocupações sobre a empresa no Oscar e proporá mudanças na elegibilidade de filmes para a premiação.


Cena icônica de Roma, filme da Netflix que concorreu a dez Oscars e ganhou três, incluindo direção
Divulgação

Cena icônica de Roma, filme da Netflix que concorreu a dez Oscars e ganhou três, incluindo direção

Steven Spielberg, é bom lembrar, ajudou a criar o conceito de blockbuster com “Tubarão” (1975) e é o grande patrono da experiência imersiva de se ver um filme no cinema, algo que é francamente ameaçado pelo modelo de negócio da Netflix. Há, ainda, a questão sobre a empresa não revelar dados de audiência o que compromete a lisura que caracteriza a indústria. Para além de questões adjacentes como o não pagamento de impostos e taxas que outros estúdios pagam, as questões levantadas pelo realizador americano são pertinentes.

Mas ele não é o senhor da razão. A Netflix já quebrou paradigmas por oferecer acesso democrático a filmes para pessoas que não têm cinema em suas cidades. A empresa parece disposta a investir em cineastas e visões que grandes estúdios não apoiam atualmente. E toda concorrência é bem-vinda, principalmente em um lugar como Hollywood
.

Veja Também:  Simone fala sobre problemas com a balança e pede apoio dos fãs

De olho no status quo, a Netflix se posicionou em seu perfil no Twitter.

”Nós amamos cinema. Aqui estão outras coisas que também amamos:

– Acesso para pessoas que nem sempre podem pagar ou vivem em cidades sem cinemas

– Permitir que todos em qualquer lugar possam aproveitar os lançamentos ao mesmo tempo

– Dar aos cineastas mais meios de compartilhar a sua arte

Essas coisas não são mutuamente exclusivas”

Leia também: Com compra da FOX, Disney reforça estratégia contra Apple e Netflix

Um debate complexo


Cena do filme Fé Corrompida, que a Netflix não quis comprar e virou um dos maiores sucessos de crítica do cinema em 2018
Divulgação

Cena do filme Fé Corrompida, que a Netflix não quis comprar e virou um dos maiores sucessos de crítica do cinema em 2018

É muito bom que esse debate esteja ganhando relevo. “Roma”, um filme artístico por excelência, não é o tipo de filme que a Netflix produz ou apoia incondicionalmente. O cineasta Paul Schrader, uma espécie de pária em Hollywood, angulou bem o debate em uma postagem recente no Facebook ao observar que essa discussão envolve primordialmente os modelos de distribuição.

“Eu não tenho nenhuma animosidade contra a Netflix. Ted Sarandos é um executivo de estúdio tão esperto quanto qualquer outro que eu já conheci. Modelos de distribuição evoluem. A noção de enfiar mais de 200 pessoas em uma sala escura foi criada por razões econômicas em detrimento de qualquer experiência cinemática”, observa. “A Netflix permite que muitos filmes marginais tenham uma plataforma e isso é algo bom”.

O cineasta usa o exemplo do seu mais recente filme, que atualmente no Brasil se chama “Fé Corrompida” (First Reformed), mas já foi batizado de “No Coração da Escuridão”, para mostrar que a Netflix também não é a senhora da razão nesse departamento. Afinal, a Netflix dispensou seu filme. Assim como Focus, Sony Classics e outros. A A24 comprou e vislumbrou uma carreira comercial para o longa.

Veja Também:  Tigres Siberianos entram em crise; Vanessa têm fase áurea em “Verão 90”

Steven Spielberg orienta seus astros Tom Hanks e Meryl Streep nos bastidores do filme
Divulgação

Steven Spielberg orienta seus astros Tom Hanks e Meryl Streep nos bastidores do filme

Schrader evolui no raciocínio. “Fé Corrompida” teria achado aceitação do público caso a Netflix tivesse pago duas vezes mais do que a A24 e disponibilizado em sua plataforma? “Talvez “Bird Box” possa achar seu lugar ao sol no vasto mar de conteúdo da Netflix, mas ‘Fé Corrompida’? Improvável. Estaria relegado ao esoterismo cinematográfico”.

A discussão é boa e complexa, com muito mais ângulos a se considerar e observar do que as correntes “Spielberg está superado” e “a Netflix é o futuro batendo na porta”. A gigante do streaming quer pertencer a uma indústria secular e muito lucrativa, é natural que essa indústria exija concessões. A própria Netflix já estuda lançar alguns de seus filmes comercialmente no cinema e respeitar uma janela razoável (de três a doze semanas) antes de disponibilizá-los em sua plataforma. Algo que a Amazon já faz nos EUA.

“The Irishman”, o épico gangster de Martin Scorsese, pode ser o primeiro filme a ganhar um lançamento comercial da Netflix no cinema. O perigo aí é a própria renunciar ao seu modelo de negócio, ferindo um contrato social com seus assinantes gerando repercussões imprevisíveis no médio e longo prazo.

Steven Spielberg quer, sim, defender a distribuição em cinema, mas ele advoga uma ideia fundamentalmente romântica de cinema que todos aqueles que se consideram cinéfilos – e não há um cinéfilo que também não seja entusiasta das possibilidades ensejadas pelo advento da Netflix – devem apoiar.


Bird Box, o mais recente blockbuster da Netflix: falta de dados de audiência revela falta de transparência da Netflix
Divulgação

Bird Box, o mais recente blockbuster da Netflix: falta de dados de audiência revela falta de transparência da Netflix

É imperioso que se chegue a um consenso, mas este não é possível sem uma escalada de tensão antes. Nem a Netflix quer acabar com o cinema, do contrário não se esforçaria tanto para acontecer no Oscar e obter prestígio em festivais mundo afora, nem Steven Spielberg quer acabar com a Netflix.

Leia também: Pronta para atacar, Apple promete ser nova dona do mercado de streaming

Não é um debate simples e trazê-lo para dentro da Academia de Cinema é a melhor coisa que Steven Spielberg
faz. Não há fórum mais apropriado, no âmbito da indústria, para que se delibere sobre o futuro do cinema enquanto negócio.

Comentários Facebook
Propaganda

Entretenimento

Prêmios, revitalização, fomento e convívio social marcam ações de bibliotecas de Mato Grosso

Publicados

em

As bibliotecas tentam se aproximar da população enquanto espaço de difusão cultural com uma série de eventos

Graciele Leite | Secel

$imgCred

Cada vez mais, as bibliotecas de Mato Grosso deixam aquela velha imagem de um local silencioso específico para pesquisa e leitura. É claro que também é um espaço ideal para passar algumas horas estudando ou lendo por prazer. Porém, muito além disso, bibliotecas atuais buscam se aproximar da população enquanto espaço de difusão cultural, dinâmico, palco de manifestações artísticas e ponto de encontro para  aprender, conviver e também se divertir.

Dentro dessa nova proposta de atuação, bibliotecas do Estado têm conquistado prêmios por projetos de sustentabilidade que incentivam a leitura e culminam em engajamento social. Entre os exemplos estão a Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça que, em 2019, foi finalista no Prêmio Retratos da Leitura, promovido pelo Instituto Pró-Livro, em reconhecimento ao trabalho feito pelo projeto Biblioteca Itinerante. Desde 2016, a iniciativa alcançou 40 mil pessoas com a entrega de 15 mil livros em comunidades da Baixada Cuiabana e interior de Mato Grosso.

“O trabalho realizado nas bibliotecas públicas de Mato Grosso foi uma das mais importantes frentes de atuação da Secel em 2019, pois sabemos do potencial de transformação social que as bibliotecas têm nas comunidades onde atuam. E é gratificante ver que todo empenho e comprometimento da equipe é reconhecido nacionalmente”, destaca o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Allan Kardec Benitez.

Christiano Antonucci | Secom MT

Junto com as bibliotecas de Araguaina, Cocalinho e Salto do Céu, a Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça foi contemplada no edital do Programa Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas (Iberbibliotecas) para investir no projeto RevitaBibliotecas. O investimento para 2020 será de R$ 127,9 mil, sendo R$ 68,68 mil do Iberbibliotecas e R$ 59,24 mil a contrapartida da Secel. O projeto contemplado no edital prevê, ainda, a oferta de capacitações para todos os municípios do Estado, contemplando as 154 bibliotecas públicas inscritas no Sistema Estadual, que é vinculado à Secel.

O RevitaBibliotecas também ganhou o certificado de Tecnologia Social, concedido via edital pela Fundação Banco do Brasil. Além disso, houve indicação da gerente da Estevão de Mendonça, Elienes Maria Moreira, ao prêmio Medalha Rubens Borba de Moraes, em reconhecimento ao trabalho de profissionais da biblioteconomia em todo país.

Nesse contexto, a ONG Recode reconheceu em 2019 a biblioteca de Sorriso entre as 10 no Brasil que mais contribuem para o avanço dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU e com a transformação social das suas comunidades.

Conhecida por apostar numa gestão inovadora e inclusiva, a biblioteca de Juína ficou entre as 15 melhores práticas de Bibliotecas Públicas da América Latina. O reconhecimento foi feito durante o 11º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, realizado em agosto do ano passado, em São Paulo. Vale ressaltar que a instituição também possui o prêmio da ONG Recode por desenvolver um trabalho alinhado aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU.

Representação nacional

O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Mato Grosso é composto por 154 instituições, sendo uma biblioteca estadual, 142 públicas municipais e 11 comunitárias. E o trabalho desenvolvido ao longo de 2019 foi reconhecido e apresentado como exemplo de sucesso em diferentes eventos pelo país.

Em 2019, além do 11º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, as equipes representaram Mato Grosso em um seminário e workshop em Brasília, promovidos pelo Conselho Regional de Biblioteconomia, que tratou do papel de transformação social das bibliotecas públicas e a atuação da entidade de classe na valorização do bibliotecário.

Além disso, houve representação em um seminário sobre estudos em biblioteconomia, realizado pela Universidade Federal campus Rondonópolis, e em um fórum de inclusão do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência.

Divulgação

Para a coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, Waldineia Almeida, essa representação nacional é muito importante porque reconhece o trabalho desenvolvido nas bibliotecas de Mato Grosso como referência para o país. “Isso se deve ao engajamento das equipes, que trabalham em rede, possibilitando que o Sistema de Bibliotecas esteja funcionando em todas as bibliotecas dos municípios e regulamentadas por lei”.

Entre os diferenciais, ela também cita o fato do Sistema Estadual estar regulamentado e esforço da Secel em manter profissionais habilitados para conduzir o trabalho em alinhamento às diretrizes regionais e nacionais. “Nesse contexto de crise no Estado e país, estamos revitalizando e reabrindo bibliotecas, e conseguindo inserir o bibliotecário no mercado de trabalho. Além disso, estamos neste projeto maior que é incentivar a sustentabilidade das bibliotecas ao mesmo tempo em que desenvolvemos políticas públicas que atendam as reais necessidades das instituições municipais e da comunidade em que elas estão inseridas”.

Edital de Literatura

Um dos marcos da gestão em 2019 foi o lançamento do Edital Estevão de Mendonça de Literatura Mato-Grossense. Com investimentos de R$ 600 mil, o prêmio contemplará 30 obras de literatura (prosa, poesia, juvenil, infantil e revelação) e de fomento à leitura (contador de história, mediador de leitura, formação de mediadores e oficina literária).

Veja Também:  Vilões ganham novo destino em “Verão 90”; João tentará ser VJ novamente

O edital recebeu 123 inscrições, sendo 96 de obras literárias e 27 de projetos de fomento. O processo ainda está em andamento, e resultado dos contemplados está previsto para março deste ano.

Revitalização e reabertura de Bibliotecas

O RevitaBibliotecas é um projeto do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas e tem um planejamento anual de ações nas bibliotecas de Cuiabá e interior de Mato Grosso. A equipe vai até o local, promove o engajamento da equipe, realiza capacitações, faz orientação técnica sobre o correto funcionamento das bibliotecas e executa os procedimentos de revitalização e modernização das instituições.

Em 2019, foram revitalizadas duas bibliotecas públicas, em Brasnorte e Nova Guarita, considerando essa proposta mais completa de atuação do projeto. “É um trabalho de ressignificação dos espaços, não apenas na estrutura física, mas principalmente na gestão”, complementa o secretário-adjunto de Cultura, José Paulo Traven.

Gcom-MT/Meneguini

Durante todo o ano, o Sistema de Bibliotecas foi implementado e/ou reestruturado em 40 municípios, alcançando 42 bibliotecas em todo Estado. Nesse processo, após as visitas da equipe da Secel, houve reabertura de nove instituições em Araguainha, Barra do Bugres, Novo Santo Antonio, Brasnorte, São Pedro da Cipa,Várzea Grande e Vila Bela da Santíssima Trindade. Além disso, foram distribuídos 3.060 obras de autores mato-grossenses em 2019, sendo 2.571 para 34 bibliotecas e 489 para o público em geral.

Em 2019, vale lembrar, o RevitaBibliotecas foi contemplado pelo edital do 7º Concurso de Ajudas 2019, conduzido pelo Programa Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas, e o recurso será aplicado neste ano.

O projeto foi criado em 2017. Desde então, 17 instituições em Mato Grosso já foram contempladas pelo projeto, com recursos da Secel, prefeituras e comerciantes locais.

Interiorização e capacitação

Por meio de eventos e visitas técnicas, que possibilitaram reunir os agentes de bibliotecas públicas que integram o Sistema Estadual, a equipe capacitou 298 pessoas em 2019. Entre os eventos de destaque estão o 3º Fórum de Bibliotecas Públicas de Mato Grosso e o 1º Encontro de 2019 do Programa de Qualificação dos Agentes de Bibliotecas Públicas, realizados em Cuiabá, e o 1º Encontro Estadual de Bibliotecas, promovido em Vera.

O 3º Fórum de Bibliotecas Públicas de Mato Grosso: O papel social da biblioteca pública obteve um público de 106 participantes de todo o segmento do livro de 37 municípios. Seguindo a premissa de descentralização, o 1º Encontro Estadual de Bibliotecas de Mato Grosso: ‘Biblioteca uma porta de transformação’, realizado em Vera, atingiu 65 participantes de 10 municípios do Estado.

“Este ano foi muito importante para o Sistema de Bibliotecas, consolidamos a aproximação com os municípios e o trabalho em rede. Formatamos cinco planos municipais do livro, leitura e literatura, sendo que quatro deles já estão praticamente finalizados. O encontro em Vera, além de propiciar a descentralização dos eventos, finalizou este ciclo de fortalecimento das ações voltadas para a capacitação e revitalização das bibliotecas públicas”, ressalta a coordenadora do Sistema, Waldineia Almeida.

Fórum da Cultura de Juína  – Créditos: João Felipe | Secel

Em parceria com o município de Juína e Secretaria Executiva do Plano Nacional, foram realizados oito fóruns e eleitos os grupos de trabalho para construir as minutas dos planos municipais. Os eventos foram realizados em Sapezal, Araguaiana, Rondonópolis, Nossa Senhora do Livramento, Vera, Sorriso, Jaciara e Barra do Bugres.

“Os fóruns são importantes para proporcionar o diálogo com a sociedade na construção desta tão importante política pública de fomento ao livro e à leitura. Dessa forma participativa, poder público e sociedade podem conhecer a necessidade, dificuldades e possibilidades de efetivação da lei no município”, destaca Waldineia. Ela acrescenta que é fundamental a participação do Sistema de Bibliotecas nesse processo, uma vez que a política local precisa estar alinhada às diretrizes do Estado e nacional.

O Plano Estadual de Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca é uma política pública, que vai embasar programas, projetos e ações continuadas nos entes federativos visando assegurar a democratização do acesso ao livro, o fomento e a valorização da leitura. Além disso, tem o objetivo de fortalecimento da cadeia produtiva do livro como fator relevante para o incremento da produção intelectual e o desenvolvimento da economia.

O Plano Estadual está em fase final de construção por um grupo de trabalho envolvendo servidores da Secel e da Secretaria de Estado de Educação. Esse grupo elaborou uma minuta, que, depois de aprovada, será enviada ao Legislativo para proposição da lei.

Visitas técnicas e ações integradas

Durante as visitas técnicas, além de orientar e dar suporte técnico aos municípios sobre como deve funcionar uma biblioteca, a equipe da Secel também faz a doação de livros para as instituições municipais. Durante todo o ano, o Sistema de Bibliotecas foi implementado e/ou reestruturado em 40 municípios, alcançando 42 bibliotecas em todo Estado.

Outra forma de manter a aproximação e conectar-se aos agentes de bibliotecas dos municípios foi via digital. Além de grupos em redes sociais e emails, a equipe do Sistema de Bibliotecas conseguiu atualizar o cadastro de 111 bibliotecas das 154 integrantes do Sistema.

Na mesma linha de atuação conectada, o Sistema de Bibliotecas mobilizou as instituições de todo estado para participar de duas grandes ações. No mês de abril, quando é comemorado o dia do livro, 20 bibliotecas realizaram eventos simultaneamente. Outra ação integrada foi a Colônia de Férias, promovida em 40 bibliotecas no ano de 2019.

Veja Também:  Fã de Demi Lovato, Maisa relembra encontro com cantora: “Não foi tão legal”

O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Mato Grosso foi criado pela lei 10.218/14 e está integrado ao sistema nacional. Entre as atribuições estão contribuir para a modernização e suporte técnico das bibliotecas no Estado, incluindo a estadual, municipais e comunitárias. Também é função do sistema oferecer capacitação e estimular projetos de acesso e incentivo à leitura, à literatura e ao desenvolvimento da produção cultural na comunidade.

Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça

Biblioteca  –  Créditos: Christiano Antonucci

Com 107 anos de fundação, a Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça é a única e a maior do estado, com acervo de 100 mil volumes, dividido em dez coleções temáticas. Localizada no Palácio da Instrução, em Cuiabá, o equipamento cultural realizou ações, cursos, eventos, apoiou projetos de parceiros e artistas.

Em 2019, foram mais de 16 mil pessoas atendidas entre ações e eventos próprios e de parceiros. A ocupação do espaço também ocorreu por meio do laboratório de informática, que é utilizado pela comunidade em geral e nos cursos realizados pela Estevão de Mendonça. Ao todo, 9.215 pessoas usufruíram do laboratório, sejam usuários cadastrados ou apenas acessando os computadores em visitas rápidas.

O equipamento cultural também promoveu cursos e capacitações, contemplando 304 pessoas, emprestou 579 livros e confeccionou 288 carteirinhas. Ao todo, 2.579 pessoas participaram das visitas guiadas.

Menghini – Gcom/MT

Cursos

Durante todo o ano, a Biblioteca Estevão de Mendonça oferece cursos de informática e de Braille, gratuitamente, para diferentes públicos. Voltado para pessoas de baixa renda que tenham entre 14 e 22 anos, o curso de informática básica para jovens e adultos oferece noções básicas e atendeu a 110 pessoas em 2019.

Também foi oferecido o curso Meninas Digitais, em parceria com o Instituto Federal de Mato Grosso, para estimular os estudos de tecnologia da informação entre o sexo feminino. Foram 21 alunas em 2019.

Para a terceira idade, o foco do curso de informática foram as redes sociais, atingindo 74 idosos em 2019. Outra capacitação inclusiva foi a de Braille, com 90 alunos, que aprenderam sobre a linguagem para mediação de leitura a pessoas com deficiência.

Divulgação – Biblioteca Itinerante

Vinculado à Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça, o projeto Biblioteca Itinerante foi criado em 2016 para atender comunidades da Baixada Cuiabana e interior de Mato Grosso, com distribuição de livros, realização de oficinas, contação de histórias e atividades lúdicas. Em 2019, foram realizadas 18 ações em nove municípios, contemplando 7.018 atendimentos.

Ações e eventos

Uma das ações de maior destaque da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça é a Colônia de Férias, que é realizada duas vezes ao ano. Com o objetivo de aproximar crianças, adolescentes e famílias da biblioteca durante o período das férias, são oferecidas atividades lúdicas e de incentivo ao livro e leitura. Em geral são três dias de evento, com toda programação gratuita. Entre as atividades propostas estiveram teatro, oficinas, filmes, espetáculo circense e contação de história.

Em comemoração ao dia do livro infantil, comemorado em 18 de abril, a Estevão de Mendonça realizou um evento em homenagem ao escritor Monteiro Lobato, com a presença da autora de livros infantis Neide Silva, também homenageada com certificado de honra ao mérito.

Outro projeto de destaque em 2019 foi o Lê Pra Mim, cuja ideia é colocar um artista nacional ou regional para ler livros infantis para crianças. No mês do aniversário, para comemorar os 107 anos de fundação, a Secel realizou um evento que contou com apresentações culturais e exposição. Entre as ações que marcaram a comemoração de datas estão o Dia das Crianças e o Dia Consciência Negra.

Letras dos 300, evento realizado em clima de sarau cuiabano, no Palácio da Instrução.
Créditos: Divulgação

Com uma proposta de unir diferentes linguagens artísticas, a Biblioteca abriu as portas para a comunidade em dois importantes eventos ‘Sarau das Letras’ e ‘Letras dos 300’, realizados à noite, como uma opção de cultura e lazer no centro histórico de Cuiabá.

Realizado durante todo o ano, o projeto RPG na Biblioteca busca estimular o convívio da comunidade, promovendo a integração de jogadores com usuários e servidores da biblioteca, e possibilitou a realização de 19 encontros.

Outros eventos e ações realizados por instituições e empresas em 2019 receberam o apoio da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça. Entre eles, os ensaios do grupo de teatro Tibanaré, Coro Experimental MT e do Instituto Ciranda. Houve também o plantio de mudas pelo projeto Verde Novo, a Semana de Arte e Cultura da Amamentação, Festival Estudantil Temático Teatro para o Trânsito (Fetran), Exposição Cores para Cuiabá e Oficina de Desenho à Mão Livre, Encontro para famílias – Amora Cultura & Curadoria, Café Literário e muitos outros, além dos eventos do programa Mato Grosso Criativo realizados ao longo do ano.

Comentários Facebook
Continue lendo

Entretenimento

Cerimonialista dá detalhes sobre o casamento de Eduardo Bolsonaro

Publicados

em

Não é de hoje que a família de Jair Bolsonaro vem ganhando destaque entre as personalidades públicas do País. Longe do planalto ou do congresso, o deputado federal Eduardo Bolsonaro se prepara para dar um novo passo em sua vida: casar-se com a psicóloga Heloísa Wolf. 

Leia também: Promessa de campanha, Bolsonaro reduz apoio à Cultura nos 100 primeiros dias


Eduardo Bolsonaro e Heloísa Wolf
Davi Nascimento

Preparativos para casamento de Eduardo Bolsonaro estão a todo vapor

Marcada para acontecer em maio, mais especificamente no dia 25, no Rio de Janeiro, a cerimônia de  casamento
de Eduardo Bolsonaro
com Heloísa Wolf está sob o comando de Márcia Santiago. 

Leia também: Com choro e atos contra Bolsonaro, Duda Beat e Liniker abrem 2º dia de Lolla

Seguindo uma linha mais intimista, a cerimônia contará apenas com 150 convidados e oito casais de padrinhos.  Jair Bolsonaro
, pai do noivo, é presença confirmada, ao lado da primeira dama, Michelle Bolsonaro.

Segundo Márcia, os noivos estão animados com os preparativos para o grande dia. No último final de semana (08), o casal realizou um ensaio de fotos pré-casamento na Praia da Reserva, na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio. Alguns dos cliques feitos durante o pôr-do-sol já podem ser vistos nas redes sociais.

Márcia, que acompanhou tudo, conta um pouco de como foi a sessão de fotos: “A Helô e o Duda se saíram super bem. Chegaram um pouco tímidos, dizendo que não levavam jeito para a coisa, mas o resultado das fotos mostra que eles deram conta do recado”.  

Veja Também:  Tigres Siberianos entram em crise; Vanessa têm fase áurea em “Verão 90”

A noiva, Heloísa, aprovou o resultado. “Fiquei pensando ‘somos nós mesmo?’ Incrível, sem palavras! Eu e Duda não temos nenhum jeito para modelos, quem acompanhou o ensaio viu que foi algo completamente divertido”, disse a prometida de Eduardo. (continua no último parágrafo).

  • Cinema animado


Entre as gravações do “Zorra” e os compromissos comerciais, Dani Calabresa conseguiu empalacar um papel nos cinemas. Cedendo sua voz para um personagem do filme animado “Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2”, a artista colocará todos seus trejeitos e talentos à disposição da obra. Na produção, ela viverá Daisy, personagem que se aventurará com o protagonista, Bola de Neve (Luís Miranda). Marcado para chegar às telonas em junho, o trailer do longa aumenta a expectativa de contemplar muitas pitadas de humor. 

  • MECAInhotim

Cantora Pitty sentada, usando roupa preta e sapato rosa
Divulgação/Jorge Bispo

Pitty é confirmada em festival de música underground

Praticamente após cinco meses após a tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais, a divulgação do MECAInhotim – que acontece nos dias 17, 18 e 19 de maio -, festival de música underground, continua a todo vapor. Faltando pouco para o evento, mais três atrações foram confirmadas: Tulipa Ruiz, Pitty e a banda Lamparina e a Primavera.

Veja Também:  Incansável! Sonia Abrão já acumula polêmicas com famosos em 2019

Desde 2015 no mercado, o festival atrai cerca de nove mil espectadores por edição e, por consequência, movimenta a economia local de Brumadinho.

  • Máquina de sucesso?

Cacau Oliver
Divulgação

Cacau Oliver lançará novo livro

Organizador de concursos que deram fama a personalidades como Rosie Oliveira, Andressa Urach e outras, Cacau Oliver já tem novos planos traçados para seu futuro. Recentemente, a assessoria do headhunter divulgou que, no segundo semestre de 2019, ele lançará mais um livro.

Batizado de “Tudo Pela Fama”, a obra segue a premissa da primeira, divulgar estratégias de como alcançar o sucesso. Vivendo na Europa, ele comentou seu novo paço:”Portugal vive seu melhor momento. No Brasil ou em outros países existem pessoas que querem aparecer e eu posso proporcionar isso à elas”. 

  • + Sobre o casamento de Eduardo Bolsonaro

Com a agenda recheada de compromissos, os noivos contrataram Márcia para auxiliá-los neste grande dia. Sobre a experiência de lidar com duas personalidades conhecidas, a assessora diz que tem muitas funções, mas que o casal ajuda sendo participativo.

Leia também: Danilo Gentili recebe apoio de Bolsonaro após ser condenado a prisão

“Como os noivos são muito ocupados, eu seleciono uma gama de fornecedores dentro do perfil deles e apresento. Eles analisam e definem juntos. Apesar do Eduardo Bolsonaro
ter uma agenda muito corrida, ele é bem participativo e opina em cada detalhe. Eles formam um casal lindo, que está curtindo muito esses preparativos que antecedem o grande dia”, contou.

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana