conecte-se conosco


Economia

Ager aplica R$ 5 milhões em multas à Energisa que pode ser “expulsa” de MT!

Publicado

Presidente explica que “caducidade contratual” só declarada pela Aneel

energisa-fabiocalmon.jpg

Ao comentar opinião do deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Energisa, de que já existem elementos para pedir a rescisão do contrato com a empresa, o presidente da Ager-MT (Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados), Fábio Calmon, disse que, em tese, seria possível fazer o pedido, mas isso depende da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). “É possível, sim, solicitar. Mas quem analisa isso é a Aneel. Vou deixar claro aqui que é uma competência federal. A Ager regula a questão da fiscalização feita pela Aneel, mas é complicado falar agora nesta altura do campeonato em caducidade”, disse o presidente da Ager, em entrevista ao Jornal do Meio Dia, na TV Vila Real.

Em contrapartida à opinião de Elizeu Nascimento, o relator da CPI, deputado Carlos Avalone (PSDB), ponderou que a decisão, de pedir a rescisão do contrato com a concessionária, é precipitada, já que ainda existem alguns pontos para serem averiguados. Ele informou que vai apresentar o relatório final da CPI ao Poder Executivo, em Brasília, para que as falhas na prestação de serviços e cobranças abusivas na conta de energia sejam solucionadas.

Veja Também:  Salário mínimo deveria ter sido de R$ 4.277 em março, calcula Dieese

Durante a entrevista, Fábio Calmon ressaltou que Mato Grosso é um dos poucos estados que tem a delegação de competência por meio da Agência Estadual de Regulação, que é a Ager. “A Aneel delegou algumas competências para a Ager. Vou deixar claro aqui que a tarifa, o valor, é feita pela União. A Ager não tem competência nenhuma para regular o valor tarifário. Mas reclamações, qualidade de serviços, a Ager, sim, é competente”, explicou.

E em relação à fiscalização, Fábio Calmon ressaltou que a Ager vem fazendo sua parte. Ele contou que apenas no ano passado, a Ager aplicou mais de R$ 5 milhões em multas contra a Energisa. “A Energisa pode recorrer destas multas e quem julga na instância final é a Aneel”, explicou. “Todas as reclamações que chegam para a Ager são verificadas e caso haja irregularidades. A Ager aplica a multa para a Energisa”, acrescentou.

Segundo ele, a maior parte das multas foi referente à reclamações. Porém, se verificou que muitas destas reclamações foram registradas pela Energisa junto à Aneel como informações, o que maquiaria a realidade e favoreceria, ao mesmo tempo, a empresa, que tem metas a cumprir e significaria para ela uma melhor posição no ranking das concessionárias. “Foram constatadas algumas irregularidades. Cabe a ela recorrer e explicar porque ocorreu isso, se foi um erro ou se ela realmente fez isso para melhorar suas metas”, observou Fábio Calmon.

Veja Também:  Com mercado em dia morno, Bolsa e dólar fecham pregão em queda

O presidente da Ager-MT pediu à sociedade que denuncie os casos de abuso na cobrança das tarifas. “Estas reclamações são muito importantes até para valer seu direito futuro. Ou seja, eu vejo algumas reclamações por vídeo, mas sem o registro formal. É importante que estes registros sejam formalizados até para que a Ager, o Procon, e outros órgãos de controle tenham isso em mãos para analisar a qualidade dos serviços prestados pela Energisa”, recomendou.

Por fim, o presidente da Ager colocou os telefones da Agência à disposição da população. Por meio do 0800 647 6464, as reclamações podem ser feitas durante o horário comercial, de segunda a sexta-feira. Já pelo aplicativo WhatsApp, o cidadão pode enviar as reclamações pelo (65) 98435-7458 em qualquer horário. “A sociedade precisa reclamar para a Ager também, não só pelo Procon, que é um órgão competente, mas também pela Ager, que é o link com a Anatel”, disse Calmon, que lembrou, também, que o próprio Ministério Público pode ser acionado se houver indícios graves de irregularidades.( Folha Max)

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Indústria da construção mostra sinais de recuperação, diz CNI

Publicado

A indústria de construção civil está em recuperação, com melhora nos índices de atividade e do número de empregados. É que mostra a Sondagem Indústria da Construção, divulgada hoje (23) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo a CNI, os índices estão crescendo desde maio, “mostrando desempenho cada vez mais favorável”.

O índice de evolução do nível de atividade registrou 51,4 pontos em agosto, alta de 3,3 pontos frente a julho. É o maior índice desde junho de 2011. O indicador varia de 0 a 100. Ao se situar acima da linha divisória de 50 pontos, aponta para aumento da atividade no mês.

O índice de evolução do número de empregados aumentou 2,7 pontos, para 49,5 pontos, e está praticamente sobre a linha divisória.

A Utilização da Capacidade Operacional (UCO) apresentou nova alta em agosto, aumentando 2 pontos percentuais e alcançando 60%. O percentual de agosto de 2020 superou em 2 pontos o índice de agosto de 2019.

Confiança

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-Construção) apresentou alta de 2,7 pontos no mês, atingindo 56,7 pontos. É a quinta alta consecutiva do índice, que acumula crescimento de 21,9 pontos no período. Com a alta, o ICEI-Construção se distancia de sua média histórica (53,5 pontos) e da linha divisória de 50 pontos, que separa confiança de falta de confiança.

Veja Também:  Salário mínimo deveria ter sido de R$ 4.277 em março, calcula Dieese

Entre os componentes do ICEI-Construção, o Indicador de Expectativa aumentou 1,7 ponto e o de Condições Atuais, 4,6 pontos. O índice de Condições Atuais foi a 46,1 pontos, ou seja, mostra que o empresário ainda percebe o impacto da crise em suas condições de negócios. Por outro lado, o índice de Expectativas alcançou 62 pontos, mostrando otimismo disseminado pela indústria da construção.

Os indicadores de expectativas do nível de atividade e de novos empreendimentos e serviços registraram 56,1 e 55,5 pontos, após crescimento de 1,8 e 2,3 pontos, respectivamente.

Os indicadores de expectativas de compras de insumos e matérias-primas e números de empregados, por sua vez, alcançaram 55,6 e 54,1 pontos, após altas de 2,8 pontos e 1,8 ponto, respectivamente.

A intenção de investimento alcançou 44,4 pontos em agosto, após aumento de 4,9 pontos. É a quarta alta consecutiva do indicador, que agora se situa no mesmo nível registrado para fevereiro, na pré-pandemia.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Economia

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Veja Também:  Novas regras do cheque especial entram em vigor nesta segunda-feira; fique atento para as mudanças

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Investimentos do FCO Empresarial atingem 98% dos municípios de MT

Publicado

Reunião do CEDEM aprovou mais 16 cartas consultas e financiamentos de R$ 75 milhões no Estado

Thielli Bairros | Sedec MT

– Foto por: Sedec MT

O Conselho Estadual de Desenvolvimento Empresarial (Cedem) aprovou nesta segunda-feira (21.09) dezesseis cartas consultas de empresas em Mato Grosso, financiando mais de R$ 75,2 milhões por meio de crédito do Fundo de Financiamento do Centro Oeste (FCO) Empresarial.

De janeiro a julho de 2020, os empresários do Estado já contrataram mais de R$ 2,5 bilhões. De acordo com o superintendente regional do Banco do Brasil, Oberti Finger, 97,6% dos municípios foram atendidos com os financiamentos e há 0,1% de inadimplência. Até o momento, há disponível para contratação cerca de R$ 250 milhões.

A pandemia da Covid-19 impactou também a busca por crédito nas instituições financeiras. Segundo o relatório do Banco do Brasil, foram 972 operações contratadas no primeiro semestre deste ano, abaixo das 1.328 operações de 2019 no mesmo período. Foram 54 operações para a linha emergencial do FCO Empresarial liberada em julho, específica para o momento da pandemia, financiando R$ 4,4 milhões.

Veja Também:  Novas regras do cheque especial entram em vigor nesta segunda-feira; fique atento para as mudanças

Mais de 80% das operações do FCO Empresarial em Mato Grosso estão em torno de R$ 100 mil a R$ 500 mil. É uma linha de crédito com prazos, limites e encargos financeiros diferenciados, destinada a empresas que se dedicam a atividade produtiva nos setores industrial, agroindustrial, mineral, de turismo, de infraestrutura econômica e de comércio e serviços.

FCO Digital

O Cedem aprovou ainda a Resolução 651/2020 que trata de Acordo de Cooperação Técnica entre a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT) e a Superintendência de Desenvolvimento do Centro Oeste (Sudeco) para que a secretaria mato-grossense transfira o Sistema de Gestão de Cartas Consultas para outros estados do Centro Oeste.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e presidente do Cedem, César Miranda, ressaltou mais uma vez a vanguarda do Estado de Mato Grosso. “Somos o primeiro Estado brasileiro a digitalizar as cartas consultas do FCO Empresarial, mostrando que estamos atentos às necessidades dos empresários e sempre em busca da celeridade e transparência dos processos. E com econômica, pois o sistema foi totalmente desenvolvido pelos técnicos da secretaria”, afirmou.

Veja Também:  Renovação de contrato da Malha Paulista abre caminho para ferrovia em MT

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

COM OS NOMES QUE SURGEM COMO PRÉ-CANDIDATOS A PREFEITO EM BARRA DO BUGRES VEJO QUE...

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana