conecte-se conosco


Agronegócio

ALGODÃO/CEPEA: Em meio à baixa liquidez, Indicador se estabiliza na casa dos R$ 6/lp

Publicados

em

Cepea, 20/7/2022 – Depois de atingir a casa dos R$ 8 por libra-peso em meados de maio deste ano, o Indicador do algodão em pluma CEPEA/ESALQ, com pagamento 8 dias, passou a recuar com certa força nas semanas posteriores. Atualmente, os valores estão relativamente estáveis, operando na casa dos R$ 6/lp. De acordo com colaboradores do Cepea, a liquidez está baixa, com agentes focados no cumprimento de contratos. Cotonicultores estão mais firmes nos valores pedidos no spot, indicando ter boa parte da produção já comprometida. Quanto à nova safra, a colheita e o beneficiamento ainda estão no início, e a produtividade é incerta em algumas áreas, o que faz com que agentes aguardem uma intensificação das atividades para poder cumprir programações e, então, retomar as negociações. Muitos compradores, por sua vez, seguem fora de mercado, adquirindo apenas o necessário para manter as atividades e esperando a entrada de um volume maior. Entre 12 e 19 de julho, o Indicador CEPEA/ESALQ, com pagamento 8 dias, recuou 1,5%, fechando a R$ 6,0043/lp nessa terça-feira, 19. Na parcial de julho, o Indicador acumula baixa de 5,3%. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Veja Também:  Aprosoja-MT realiza Seminário Carbono na Agricultura

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Propaganda

Agronegócio

Petrobras anuncia nova redução no preço do diesel

Publicados

em

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (11) uma nova redução no preço do diesel comercializado às distribuidoras. Com isso, a partir desta sexta-feira (12), o litro do diesel vendido passa de R$ 5,41 para R$ 5,19, com redução de R$ 0,22, ou 4,07%. Os preços dos demais combustíveis não foram alterados.

 Essa já é a segunda queda consecutiva anunciada pela estatal no diesel. Na semana passada, o valor do litro foi reduzido em R$ 0,20. No entanto, apesar das duas quedas, o preço do diesel vendido às distribuidoras ainda é 55,39% maior que o praticado no final de 2021. 

Conforme a Petrobras, considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da empresa no preço ao consumidor passará de $ 4,87, em média, para R$ 4,67 a cada litro vendido na bomba, de acordo com a estatal.

Em nota, a Petrobras afirmou que a redução acompanha o avanço dos preços de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para o diesel, e é coerente com a prática de preços da empresa, que busca o equilíbrio dos seus custos com o mercado global, sem repassar para os preços internos a volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio. 

Veja Também:  CAFÉ/CEPEA: Diferencial entre os preços do arábica e robusta chega a 100 reais/saca

Fonte: AgroPlus

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

Recursos do Pronaf no Plano Safra irão aumentar em 12%

Publicados

em

Devido à forte demanda por financiamentos de custeio no Pronaf, neste início de safra, foi autorizada a destinação de mais de R$ 6,54 bilhões de recursos equalizados pelo Tesouro Nacional para financiar os agricultores familiares. Isso representa um aumento de 12%, fazendo com que o valor passe de R$ 53,6 bilhões para R$ 60,1 bilhões.

Desses recursos, R$ 4,74 bilhões virão a partir da alocação de mais de $ 126,8 milhões de recursos orçamentários em 2022 para o Plano Safra 2022/23. Enquanto a outra parte (R$ 1,8 milhão) virá de remanejamentos no âmbito dos bancos públicos federais (Caixa, BNDES e do Banco do Brasil).

Os recursos serão destinados aos bancos que operam no Pronaf Custeio e que já sinalizaram insuficiência de recursos para atender a demanda dos agricultores. Diante disso, R$ 6,07 bilhões serão encaminhados ao Banco do Brasil e R$ 474 milhões, ao BNDES.

Além disso, o BNDES ainda será contemplado com a ampliação de recursos do Programa Agricultura de Baixo Carbono – ABC (R$ 287,5 milhões) e Programa de Construção e Ampliação de Armazéns – PCA (R$ 438,5 milhões).

Veja Também:  LEITE/CEPEA: Com custos ainda em alta, preço ao produtor sobe 10,9% na parcial do ano

Com isso, a expectativa é que não haja interrupção na concessão de financiamentos, sobretudo de custeio, nesse período em que a safra está começando a ser plantada e no atendimento prioritário aos pequenos agricultores. 

Fonte: AgroPlus

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana