conecte-se conosco


Carros e Motos

Audi deixa de produzir Q3 nacional à espera da nova geração, que será importada

Publicados

em


Audi Q3 feito no Brasil tem produção encerrada. Será encontrado nas lojas do País até quando durarem os estoques
Divulgação

Audi Q3 feito no Brasil tem produção encerrada. Será encontrado nas lojas do País até quando durarem os estoques

O novos paradigmas do setor automotivo e os entraves para produzir no Brasil com bons lucros têm levado a uma série de mudanças nas estratégias da fabricantes no País.  Agora chega a notícia de que a Audi deixa de produzir o utilitário esportivo compacto Q3 em São José dos Pinhais (PR). Conforme apurou a reportagem de iG Carros, toda a produção prevista para 2019 terminou e o SUV será encontrado apenas até quando durarem os estoques.

 LEIA MAIS: Audi Q5 Security, SUV blindado de fábrica, é lançado no Brasil

O Audi
Q3 atualmente vendido no Brasil foi lançado em 2011 e recebeu retoques no desenho em meados de 2015. Para entrar no lugar dele, a marca vai importar a nova geração, que foi mostrada no início do segundo semestre do ano passado e lançado no Salão de Paris (França), em outubro último.

Na comparação com o Q3
que acaba de ter a produção encerrada no Brasil, o novo que aparece na galeria abaixo  ficou maior e mais esportivo. Agora são 4,49 metros de comprimento – 9,7 cm mais do que o modelo anterior. A largura de 1,85 m, contando também com 1,59 m de altura. O que mais reflete no habitáculo é o entre-eixos, que cresceu 7,8 cm em relação ao modelo nacional, e passa a medir 2,68 metros.

Por dentro, o novo Audi Q3 segue a linguagem de design dos últimos lançamentos da marca. A central multimídia que antes era rebatida manualmente perde espaço para uma grande tela de 8,8 polegadas nas versões mais em conta, ou 10,1 polegadas nos modelos topo de linha.

Veja Também:  A história de Ray Charles com o Ford Thunderbird no Salão de Detroit

LEIA MAIS: E-Tron, primeiro Audi elétrico fabricado em série na história da marca alemã

Ao menos na Europa, os mostradores analógicos foram aposentados. No lugar dele, entra o novo virtual cockpit, que pode ser de 10,2 ou 12,3 polegadas, ainda conforme a versão. Comparado com o modelo atual, é um grande salto tecnológico. No conjunto mecânico, O mais provável é que o modelo vendido no Brasil mantenha os motores do Golf: 1.4 TSI de 150 cv e o 2.0 TSI, que passa a entregar 230 cv, da versão GTI.

Audi A3 Sedan continua até 2021


Audi A3 Sedan nacional continua sendo feito no Brasil até 2021 e tem chances de ser nacionalizado depois disso
Divulgação

Audi A3 Sedan nacional continua sendo feito no Brasil até 2021 e tem chances de ser nacionalizado depois disso

 Com o fim da produção do Q3 em São José dos PInhais (PR), o único carro feito na linha de produção da Audi no Brasil passa a ser o A3 Sedan
, até 2021, quando sua montagem no País também será encerrada. Depois disso, ainda conforme apurou a reportagem de iG Carros,  a marca alemã estuda a nacionalização do modelo, ou a fabricação de outro carro na linha de montagem paranaense.

Veja Também:  Motofretista Seguro e Banco do Povo criam crédito para motos elétricas

De qualquer forma, depois de 2021, o A3 passará a ser importado nas configurações sedã e hatch e existe o risco da fábrica da Audi no Parará deixar de produzir caso chegue-se à conclusão de que não valerá a pena continuar fabricando no Brasil, onde ainda existem uma série de obstáculos que têm atrapalhado o setor automotivo, como alta carga de impostos e taxas, problemas de infraestrutura e de logistica, entre outros problemas.

 LEIA MAIS: Audi lança perua esportiva RS4 no Brasil. E terá outras novidades

Além da Audi,
outra fábrica no Brasil logo passará a fabricar apenas um modelo: a da Land Rover, em Itatiaia (RJ), onde atualmente é feito o Discovery Sport e o Evoque, que está prestes a  deixar de ser feito na unidade de produção fluminense assim que começar a ser importada nova geração, no segundo semestre deste ano de 2019. Com isso, sobrará apenas o outro SUV da  marca inglesa. Pelo visto, mais sinais de alerta para o futuro da indústria de veículos no Brasil estão aparecendo.

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Toyota reduz preços tanto do Corolla Cross quanto do sedã

Publicados

em

Toyota Corolla GR-S : para-choques e rodas com apelo esportivo, além de suspensão com acerto mais firme
Divulgação

Toyota Corolla GR-S : para-choques e rodas com apelo esportivo, além de suspensão com acerto mais firme

A Toyota promove pela segunda semana consecutiva o corte no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) nas variantes sedã e SUV do Corolla. No caso de carros 0 km, o abatimento alcançou 24,75%, contra os 18,5% anteriores.

Apesar do novo desconto, os valores praticados não terão uma grande redução. O preço dos modelos varia entre R$ 200 e R$ 1.200, apenas nas versões a combustão. Os interessados nos modelos híbridos, pagarão mais caro.

Quem apresentou o maior desconto foi a versão esportivada do Corolla sedã , a GR-S, que ficou R$ 1.200 mais em conta, e agora parte de R$ 175.390. Nas outras versões com motor 2.0 do sedã, a redução foi de R$ 300.

Veja Também:  A história de Ray Charles com o Ford Thunderbird no Salão de Detroit

Todas as versões do Corolla sedã equipadas a combustão são equipadas com um propulsor 2.0 flex de 177 cv e 21,4 kgfm de torque, quando abastecido com etanol, e sempre aliado a um câmbio automático do tipo CVT.

Os híbridos ficaram mais caros, o Altis Hybrid agora parte de R$  180.790, R$ 1.400 a mais que o valor praticado no último mês. Veja abaixo as versões e as suas respectivas reduções.

  • GLi 2.0 Flex 2023: de R$ 147.090 para R$ 146.790 (- R$ 300)
  • XEi 2.0 Flex 2023: de R$ 153.490 para R$ 153.190 (- R$ 300)
  • Altis Premium 2.0 Flex 2023: de R$ 176.290 para R$ 175.990 (- R$ 300)
  • GR-S 2.0 Flex 2023: de R$ 176.590 para R$ 175.390 (- R$ 1.200)
  • Altis Hybrid 2023: de R$ 179.390 para R$ 180.790 (+ R$ 1.400)
  • Altis Hybrid Premium 2023: de R$ 188.990 para R$ 190.490 (+ R$ 1.500)

Corolla Cross

No Corolla Cross , as reduções foram menores. A versão de entrada XR, teve uma redução de R$ 1.090, e parte de R$ 157.690. Nas versões XRE e GR-Sport, o desconto fica na casa dos R$ 200 por versão.

Assim como no sedã, o Corolla Cross também ficou mais caro nas versões híbridas. A primeira com motorização eletrificada, agora parte de R$ 198.89, R$ 600 mais caro que anteriormente. Veja os preços das versões.

  • XR 2.0 Flex 2023: de R$ 158.780 para R$ 157.690 (- R$ 1.090)
  • XRE 2.0 Flex 2023: de R$ 172.190 para R$ 171.990 (- R$ 200)
  • GR-S 2.0 Flex 2023: de R$ 190.590 para R$ 190.390 (- R$ 200)
  • XRV Hybrid Flex 2023: de R$ 198.290 para R$ 198.890 (+ R$ 600)
  • XRX Hybrid Flex 2023: de R$ 206.190 para R$ 206.890 (+ R$ 700)

As versões híbridas são equipadas com motor a combustão de 1,8 litro flex, que gera 101 cv. Ele conta com o auxílio de um motor elétrico para proporcionar maior economia de combustível.

O Toyota Yaris também apresenta novos valores, porém, os descontos são bem mais modestos, e chegam a R$ 800.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Toyota reduz preços de Corolla Cross e sedã

Publicados

em

Toyota Corolla 2023 traz descontos nas versões a combustão. Veja as variações de preço na matéria
Divulgação

Toyota Corolla 2023 traz descontos nas versões a combustão. Veja as variações de preço na matéria

A Toyota promove pela segunda semana consecutiva o corte no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) nas variantes sedã e SUV do Corolla. No caso de carros 0 km, o abatimento alcançou 24,75%, contra os 18,5% anteriores.

Apesar do novo desconto, os valores praticados não terão uma grande redução. O preço dos modelos varia entre R$ 200 e R$ 1.200, apenas nas versões a combustão. Os interessados nos modelos híbridos, pagarão mais caro.

Quem apresentou o maior desconto foi a versão esportivada do Corolla sedã, a GR-S, que ficou R$ 1.200 mais em conta, e agora parte de R$ 175.390. Nas outras versões com motor 2.0 do sedã, a redução foi de R$ 300.

Veja Também:  A história de Ray Charles com o Ford Thunderbird no Salão de Detroit

Todas as versões do Corolla sedã equipadas a combustão são equipadas com um propulsor 2.0 flex de 177 cv e 21,4 kgfm de torque, quando abastecido com etanol, e sempre aliado a um câmbio automático do tipo CVT.

Os híbridos ficaram mais caros, o Altis Hybrid agora parte de R$  180.790, R$ 1.400 a mais que o valor praticado no último mês. Veja abaixo as versões e as suas respectivas reduções.

  • GLi 2.0 Flex 2023: de R$ 147.090 para R$ 146.790 (- R$ 300)
  • XEi 2.0 Flex 2023: de R$ 153.490 para R$ 153.190 (- R$ 300)
  • Altis Premium 2.0 Flex 2023: de R$ 176.290 para R$ 175.990 (- R$ 300)
  • GR-S 2.0 Flex 2023: de R$ 176.590 para R$ 175.390 (- R$ 1.200)
  • Altis Hybrid 2023: de R$ 179.390 para R$ 180.790 (+ R$ 1.400)
  • Altis Hybrid Premium 2023: de R$ 188.990 para R$ 190.490 (+ R$ 1.500)

Corolla Cross

No Corolla Cross , as reduções foram menores. A versão de entrada XR, teve uma redução de R$ 1.090, e parte de R$ 157.690. Nas versões XRE e GR-Sport, o desconto fica na casa dos R$ 200 por versão.

Assim como no sedã, o Corolla Cross também ficou mais caro nas versões híbridas. A primeira com motorização eletrificada, agora parte de R$ 198.89, R$ 600 mais caro que anteriormente. Veja os preços das versões.

  • XR 2.0 Flex 2023: de R$ 158.780 para R$ 157.690 (- R$ 1.090)
  • XRE 2.0 Flex 2023: de R$ 172.190 para R$ 171.990 (- R$ 200)
  • GR-S 2.0 Flex 2023: de R$ 190.590 para R$ 190.390 (- R$ 200)
  • XRV Hybrid Flex 2023: de R$ 198.290 para R$ 198.890 (+ R$ 600)
  • XRX Hybrid Flex 2023: de R$ 206.190 para R$ 206.890 (+ R$ 700)

As variantes com o motor híbrido são equipadas com um combustão de 1,8 litro flex, que gera 101 cv. Ele conta com o auxílio de um motor elétrico para proporcionar maior economia de combustível.

O Toyota Yaris também apresenta novos valores, porém, os descontos são bem mais modestos, e chegam a no máximo R$ 800.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana