conecte-se conosco


Carros e Motos

Bajaj tem planos para linha de motos elétricas e deve incluir o Brasil

Publicados

em

source


Scooter elétrico da Bajaj Chetak é uma das apostas da marca para ampliar a sua linha de motos
Divulgação

Scooter elétrico da Bajaj Chetak é uma das apostas da marca para ampliar a sua linha de motos

A indiana Bajaj Auto é uma das maiores fabricantes de veículos de duas e três rodas do mundo em termos de volumes de produção e vendas. Apesar da maior fatia estar concentrado em seu país de origem, a marca exporta para mais de 70 países em todo o mundo.

E futuramente o mercado brasileiro entrará para os países nos quais a Bajaj irá exportar, pois já confirmou que vai vender motos no Brasil, ainda que não tenha revelado quais modelos, mas rumores apontam para o modelo Dominar 400.

Essa moto é equipada com motor monocilíndrico de 373,3 cm³ e arrefecimento a água, de 40 cv de potência e 3,5 kgfm de torque associado ao câmbio de seis marchas.

Veja Também:  Kia divulga teaser de vans elétricas que terão capacidade autônoma

Além dela, os modelos Pulsar NS 160, Avanger 160, Pulsar NS 250 , competindo com vários nichos das baixas e médias cilindradas no mercado brasileiro.

No entanto, a Bajaj Auto reconhece a importância dos veículos elétricos em áreas como a Índia, onde estão ganhando popularidade em um ritmo sem precedentes. A Bajaj escolheu criar a Chetak Technology como uma subsidiária para fornecer total concentração e melhorias neste setor de mobilidade em rápido crescimento.

Além disso, a  Bajaj  também espera transformar a sua empresa  Chetak Technology em um centro global para projeto, pesquisa e produção de veículos elétricos.

De acordo com Rakesh Sharma, diretor executivo da Bajaj Auto , a fabricante está focada em preservar seus portfólios de veículos com propulsores elétricos e a combustão interna, e espera, pelo menos até o mercado reagir, a tal ponto de mudar toda a linha para eletrificação.

Um dos projetos mais aguardados das instalações da Chetak Technology é uma versão elétrica da linha de motocicletas Pulsar, podendo inclusive ser exportada para outros mercados como o brasileiro, ainda que nenhuma informação concreta tenha sido revelada até agora.

Veja Também:  Voltz lança triciclo elétrico focado em serviços de entrega no Brasil

Além do Brasil, países como Vietnã, Indonésia e Filipinas, onde os scooteres representam mais de 90% do mercado também pode estar nos planos da fabricante e, com isso, expandir e tornar-se populares em outros continentes também.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Volvo inaugura mais um carregador rápido para eletrificados em SP

Publicados

em

Por

source
Ao todo, dois veículos podem ser recarregados simultaneamente, de acordo com a Volvo
Guilherme Menezes/ iG Carros

Ao todo, dois veículos podem ser recarregados simultaneamente, de acordo com a Volvo

A Volvo acaba de estrear seu segundo carregador rápido para carros elétricos, na cidade litorânea de São Sebastião (SP). Essa é a primeira fase, que contará com um total de 13 carregadores, com estimativa para serem completamente instalados até meados de setembro de 2022.

Os novos carregadores vão ligar os corredores do Litoral Norte de SP, o corredor que vai até o Vale do Paraíba e Rio de Janeiro, depois ao que vai até Belo Horizonte (MG), assim como o que irá até Curitiba (PR) e para as cidades do interior de SP.

Entretanto, depois da conclusão desta etapa, terão mais quatro etapas (completando cinco, ao todo). Segundo apuramos com João Oliveira, Diretor de Operações da Volvo do Brasil , a fabricante vai analisar o resultado da conclusão da primeira etapa para determinar prazos e locais para as etapas dois e três.

Todos os carregadores da Volvo são (e serão) gratuitos para o motorista. A fabricante está, constantemente, à procura de comodatários para os equipamentos , que custam próximo de R$ 1 milhão, entre peças e instalação. Os estabelecimentos serão os que custearão as recargas (com custos de até R$ 80), enquanto a Volvo cuidará da manutenção dos equipamentos.

Ainda pelo o que apurou a reportagem de iG Carros , isso tem despertado interesse das empresas que cedem os espaços, uma vez que, apesar de arcarem com os gastos de energia, serão beneficiados de forma indireta.

De todo modo, a Volvo acredita que, a partir do momento que o mercado já estiver mais desenvolvido, não será mais possível oferecer esse benefício da gratuidade — do mesmo modo que não se abastece carro a combustão sem custo.

A fabricante acredita que é de extrema importância que, o quanto antes, as fabricantes e outras empresas se mobilizem para, ao máximo, preencher o Brasil com os carregadores rápidos . Todos eles têm 150 kWh, o que permite recarga de até 80% em até 35 minutos.

Veja Também:  Audi lança Q3 importado antes da produção no Brasil; ouça detalhes

O motivo é fomentar o mercado dos carros elétricos e híbridos plug-in que, para a Volvo, são o futuro da mobilidade. Além do mais, a ideia é que a ação seja colaborativa.

Ou seja, independentemente de quem instalou o carregador , ele poderá ser utilizado por qualquer carro, de qualquer marca, de modo a beneficiar tanto os consumidores, quanto os fabricantes.

O endereço do ponto de recarga recém lançado é Av. Dr. Manoel Hipólito do Rego, 2500 Praia do Arrastão – São Sebastião/SP.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Honda NC 750X: DCT ou manual?

Publicados

em

Por

source
A Honda NC 750X com câmbio convencional e sem acessórios
Divulgação

A Honda NC 750X com câmbio convencional e sem acessórios

Paro no semáforo com a Honda NC 750X e um motociclista para ao lado, já perguntando: “Essa aí não tem embreagem, certo?” De tão polido que ele foi ao perguntar, resisti ao impulso de responder: “Pelo contrário, ela tem não só uma, mas duas embreagens!”

Apesar de ser verdade, achei que não teria tempo de explicar melhor antes que o semáforo ficasse verde e limitei-me a dizer, apenas, que sim, mas, na verdade, o que ela não tem é apenas o manete da embreagem . E, é claro, não tem, também, o pedal do câmbio.

Sem entrar em uma explicação mais precisa, com muitos detalhes técnicos, na prática é como dizer que existem dois câmbios na Honda NC 750X DCT , um para as marchas ímpares e outro para as marchas pares, e que cada um deles tem sua própria embreagem. Então, são dois câmbios e duas embreagens, dentro da mesma carcaça.

No câmbio DCT da Honda NC 750X, tanto o acionamento das embreagens quanto a troca de marchas são feitos automaticamente, como em um câmbio automático convencional de um automóvel, mas é possível fazer as trocas de forma manual, utilizando-se os comandos do punho esquerdo do guidão. Com o dedo indicador, as marchas sobem, com o polegar, as marchas descem.

Veja Também:  Dafra anuncia a chegada da nova Apache 200 RTR para abril, por R$ 15.200

Mas, no final das contas, qual é o sistema mais adequado para uma motocicleta, o automático DCT ou o manual, convencional? A Honda NC 750X pode ter os dois sistemas, com o câmbio M/T a motocicleta é produzida em Manaus, AM, e, com o DCT, é importada do Japão.

Na hora de escolher o melhor sistema para cada tipo de utilização, ou mesmo de acordo com o gosto do comprador, o valor total do investimento na compra de cada uma leva em conta essa diferença de origem, já que, obviamente, a versão importada tem maior valor, não apenas pelo sistema mais caro, mas também pelos custos da importação.

Manual ou automática? O dilema na escolha da Honda NC 750X
Gabriel Marazzi

Manual ou automática? O dilema na escolha da Honda NC 750X

Apesar do porte de um modelo trail, Honda NC 750X é uma motocicleta urbana, com um bom compromisso, também, para viagens. Ou seja, é uma motocicleta muito versátil, com características diversas, caracterizada como crossover.

Assim sendo, para uma utilização mais urbana, no dia a dia, o câmbio DCT é uma mão na roda, tornando a motocicleta bem mais ágil e fácil de ser pilotada. Se for para um uso mais intenso em estradas, o câmbio convencional pode ser mais adequado, principalmente por tornar a motocicleta mais acessível.

Veja Também:  Audi lança Q3 importado antes da produção no Brasil; ouça detalhes

Na sua mais recente renovação, a Honda NC 750X ganhou acelerador eletrônico e, com ele, vieram os modos eletrônicos de pilotagem, que, se selecionados adequadamente, facilitam muito a pilotagem. São três modos de pilotagem pré-selecionados (Rain, Standard e Sport), mais um programável pelo piloto (User). O controle de tração é outro facilitador que veio com o novo sistema, ajustável em três níveis.

A Honda NC 750X tornou-se muito versátil, tanto na cidade quanto na estrada
Divulgação

A Honda NC 750X tornou-se muito versátil, tanto na cidade quanto na estrada

A escolha, então, entre a Honda NC 750X M/T e a Honda NC 750X DCT , dependerá da principal utilização da motocicleta, do gosto do dono e, principalmente, da vontade de gastar uma graninha a mais para ter um produto mais equipado.

A NC M/T custa, por sugestão do fabricante, R$ 49.700, enquanto que a versão DCT custa R$ 59.668. Sim, uma diferença de praticamente R$ 10 mil. Os valores pedidos nos diversos pontos de venda espalhados pelo país podem ser um pouco diferentes, tanto devido ao valor do frete, adicionado ao valor da motocicleta, e à situação de mercado, devido à oferta e a demanda.

Vale consultar, também, a boa lista de equipamentos opcionais, vendidos como acessórios originais Honda , como as maletas laterais, o baú traseiro de 38 litros, o cavalete central, parabrisa mais alto, ponto de energia USB no compartimento de carga, suporte traseiro, protetor de carenagem e faróis auxiliares. Tudo isso por cerca de mais uns R$ 20 mil. Depois, é só escolher uma e sair por aí.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana