conecte-se conosco


Política Nacional

Bolsonaro amplia proibição a celulares durante reuniões oficiais do governo

Publicados

em


Alvo de vazamentos de conversas com ministros, Jair Bolsonaro adotou regra mais dura contra celulares em reuniões
Isac Nóbrega/PR

Alvo de vazamentos de conversas com ministros, Jair Bolsonaro adotou regra mais dura contra celulares em reuniões

O presidente Jair Bolsonaro não gostou de ter conversas suas com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorezoni (DEM-RS), e com o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno vazadas à imprensa nos últimos dias. Como resposta, adotou uma nova regra para quem se reúne com ele: nenhum celular entra. 

Leia também: “Nenhum filho meu manda no governo”, afirma Bolsonaro

O confisco de aparelhos de celulares é uma medida de proteção usada por Jair Bolsonaro
não só em seu gabinete, mas em todas as reuniões das quais tem participado. A prática já era adotada por outros presidentes, mas foi ampliada na gestão atual. Agora, por exemplo, qualquer pessoa que entra na sala do vice-presidente, Hamilton Mourão, em seu gabinete, também é convidado a deixar o celular do lado de fora.

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo
, até o secretária de imprensa, tenente-coronel Alexandre de Lara, passou a exigir esta semana que os jornalistas também não entrem em seu gabinete com celulares.

Veja Também:  Câmara mantém gratuidade de bagagens; texto vai à sanção presidencial

Leia também: “Nunca imaginei que seria um presidente tão fraco”, diz Bebianno sobre Bolsonaro

Deputados que estiveram no Palácio da Alvorada
para se reunir com o presidente nesta semana contaram que, no gabinete de Bolsonaro, havia um local designado para deixar os aparelhos na entrada da sala de reuniões. No Palácio do Planalto, uma caixinha no corredor que antecede o gabinete presidencial faz este papel também.

Na semana passada, o jornal O Globo
publicou uma matéria baseada em um áudio vazado, que teria sido ouvido por meio de um telefonema, aparentemente acidental, de Onyx Lorenzoni
a um repórter da publicação. No áudio, Bolsonaro pediu para que o ministro da Casa Civil procurasse o ex-ministro Bebianno para apaziguar as relações entre o governo e o ex-coordenador da campanha presidencial do PSL.

Leia também: Em telefonema “acidental”, presidente pede que Onyx faça acordo com Bebianno

Bebianno, por sua vez, deixou vazar conversas de WhatsApp com o presidente depois que foi exonerado do governo. Os áudios contestam acusações do presidente e de seu filho, o vereador Carlos Bolsonaro, de que Bebianno teria mentido sobre ter falado com Jair Bolsonaro
enquanto ele estava internado em São Paulo.

Veja Também:  Sessão de abertura dá início a trabalhos do Congresso em 2022

Comentários Facebook
Propaganda

Política Nacional

Roberto Jefferson registra candidatura à Presidência no TSE

Publicados

em

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) apresentou hoje (12) registro de candidatura à Presidência da República no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A chapa terá Padre Kelmon, do mesmo partido, como candidato à vice-presidente.

Jefferson declarou à Justiça Eleitoral lista de bens avaliados em R$ 745 mil – valor investido em aplicações financeiras. Kelmon declarou R$ 8,5 mil aplicados em caderneta de poupança.

Na proposta de governo enviada ao TSE, a chapa defende a liberdade como princípio fundamental, direito à legítima defesa, ao porte de arma de fogo, a criminalização da “cristofobia”, o agravamento da pedofilia como crime hediondo e a proibição da legalização, venda e cultivo da maconha.

Na educação, os candidatos defendem a remuneração digna aos professores, ensino universitário gratuito, mas reembolsado pelos formados, e a erradicação do analfabetismo.

No meio-ambiente, propõe a exploração racional dos recursos naturais e equilíbrio entre desenvolvimento econômico e proteção à natureza.

Até o momento, o TSE recebeu 11 pedidos de registros de candidatura à Presidência. Para os cargos de deputado estadual, federal, distrital, senador e governador, o registro é realizado nos tribunais regionais eleitorais.

Veja Também:  Câmara aprova texto-base de projeto que permite controle de aéreas por estrangeiros

O pedido de registro é uma formalidade necessária para que a Justiça Eleitoral possa verificar se os candidatos têm alguma restrição legal e não podem concorrer às eleições de outubro.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Política Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

TSE divulga cálculo para distribuição de tempo no horário eleitoral

Publicados

em

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou hoje (12), em Brasília, a base de cálculo para a distribuição de tempo no horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão. O tempo é calculado conforme a representatividade dos partidos políticos na Câmara dos Deputados. 

De acordo com a tabela, o primeiro da lista é o União Brasil, com 81 deputados federais eleitos, seguido pela Federação Brasil da Esperança (Fe Brasil), composta pelo PT (Partido dos Trabalhadores), PCdoB (Partido Comunista do Brasil) e PV (Partido Verde), que possui 70; Partido Progressista (PP) com 38; Federação PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) – Cidadania com 37; PSD (Partido Social Democrático) (35); MDB (Movimento Democrático Brasileiro) (34) e PL (Partido Liberal) (33). Na última colocação estão Avante e PSC (Partido Social Cristão), ambos com sete deputados.       

Tempo de propaganda

Conforme a legislação eleitoral, 90% do tempo total de propaganda são distribuídos proporcionalmente pelo número de deputados. O restante (10%) é dividido igualitariamente. 

A portaria também traz a tabela de representatividade dos partidos para a realização de debates entre os candidatos. Nesse caso, o critério é a bancada no Congresso Nacional. 

Veja Também:  Câmara mantém gratuidade de bagagens; texto vai à sanção presidencial

A propaganda no rádio e na TV do primeiro turno começa no dia 26 de agosto e vai até 29 de setembro. 

O primeiro turno será no dia 2 de outubro, quando os eleitores irão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno para a disputa presidencial e aos governos estaduais será em 30 de outubro. 

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Política Nacional

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana