conecte-se conosco


Política Nacional

Bolsonaro recebe comandantes das Forças Armadas para debater tensão na fronteira

Publicados

em


Bolsonaro se reúne com ministro da Defesa e comandantes para avaliar situação da Venezuela
Alan Santos/PR – 19.2.19

Bolsonaro se reúne com ministro da Defesa e comandantes para avaliar situação da Venezuela

Os conflitos armados que tiveram como palco a fronteira entre a Venezuela e o Brasil no último fim de semana
 foram pauta de reunião, no Palácio do Planalto, entre o presidente Jair Bolsonaro (PSL), o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e os quatro comandantes das Forças Armadas, nesta segunda-feira (25).  

Segundo o chefe de Logística e Mobilização do Exército, general Laerte de Souza Santos, a conclusão da discussão com Bolsonaro
foi em manter a oferta de ajuda humanitária na fronteira, por meio da Operação Acolhida – ação humanitária com objetivo de atender aos venezuelanos que chegam ao Brasil – apesar da tentativa frustrada de envio de ajuda do governo federal no final de semana.

Dentre os outros comandantes presentes estiveram o da Marinha, almirante Ilques Barbosa Júnior; do Exército, general Edson Leal Pujol; da Aeronáutica, tenente-brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez; e do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, interino, almirante Cláudio Portugal de Viveiros.

Veja Também:  Avança PEC que permite acumulação de cargos por militares

O encontro ocorreu após um fim de semana de tensão entre manifestantes e agentes de segurança da Venezuela
, em Pacaraima (RR). Os cidadãos venezuelanos que estavam do lado do Brasil atiraram pedras contra os militares, que responderam com bombas de gás lacrimogênio e tiros.

Leia também: Mais de 160 militares abandonaram Maduro e desertaram para Brasil e Colômbia

Uma ambulância que entrou no Brasil, neste domingo (25) ainda trouxe três feridos por arma de fogo e outras 13 pessoas vieram ao país para receber atendimento médico.

Na noite de ontem, o Ministério da Defesa divulgou nota informando que intercedeu para que novos incidentes na fronteira
não voltem a se repetir e que os veículos antidistúrbios, que estavam na barreira montada no país vizinho, recuaram imediatamente.

Já no lado brasileiro, os venezuelanos foram “controlados” para evitar novos confrontos e a fronteira continua aberta a fim de acolher os refugiados, de acordo com o Ministério.

Enquanto isso, 
Bolsonaro
enviou a Bogotá, na Colômbia, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão

, e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, para participarem de um encontro do Grupo de Lima, formado por países das Américas, a fim de discutirem sobre a crise na Venezuela.

Veja Também:  Comissão do Idoso discute prioridades do governo para o segmento

*Com informações da Agência Brasil. 

Comentários Facebook
Propaganda

Política Nacional

Cabo Verde quer ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Publicados

em


O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as relações com o Brasil e alcançar uma cooperação econômica e empresarial “mais visível” entre os dois países. Fonseca está em visita ao Brasil e se reuniu na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

Em declaração à imprensa, ele explicou que Cabo Verde faz parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental. “Constitui um mercado muito importante e, portanto, os empresários brasileiros podem não só ascender ao pequeno mercado de Cabo Verde, mas ao enorme mercado que Cabo Verde faz parte, onde há países como Nigéria, Senegal e Costa do Marfim. No conjunto são algumas centenas de milhões de consumidores”, disse.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 24,8 milhões, em especial produtos agropecuários e derivados do petróleo, a Cabo Verde e importou US$ 20,8 mil, em produtos diversos. Entre janeiro e junho deste ano, o volume de exportações e importações alcançaram a marca dos US$ 11,2 milhões e US$ 18,6 mil, respectivamente.

Veja Também:  CDH aprova cotas para mulheres na OAB e em conselhos profissionais

Para o presidente Bolsonaro, o país é uma porta de entrada estratégica para a África Ocidental. Ele destacou ainda os acordos já estabelecidos nas áreas de defesa naval e de educação. “Estamos ultimando um acordo de mobilidade que facilitará o trânsito dos nossos povos nesses países-irmãos”, disse Bolsonaro. Neste mês, as relações entre os dois países completaram 46 anos.

O presidente brasileiro disse ainda que aceitou o convite para, oportunamente, visitar o país africano.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Cabo Verde que ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Publicados

em


O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as relações com o Brasil e alcançar uma cooperação econômica e empresarial “mais visível” entre os dois países. Fonseca está em visita ao Brasil e se reuniu na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

Em declaração à imprensa, ele explicou que Cabo Verde faz parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental. “Constitui um mercado muito importante e, portanto, os empresários brasileiros podem não só ascender ao pequeno mercado de Cabo Verde, mas ao enorme mercado que Cabo Verde faz parte, onde há países como Nigéria, Senegal e Costa do Marfim. No conjunto são algumas centenas de milhões de consumidores”, disse.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 24,8 milhões, em especial produtos agropecuários e derivados do petróleo, a Cabo Verde e importou US$ 20,8 mil, em produtos diversos. Entre janeiro e junho deste ano, o volume de exportações e importações alcançaram a marca dos US$ 11,2 milhões e US$ 18,6 mil, respectivamente.

Veja Também:  Rogério Marinho participa da instalação da comissão que acompanha reforma da Previdência no Senado

Para o presidente Bolsonaro, o país é uma porta de entrada estratégica para a África Ocidental. Ele destacou ainda os acordos já estabelecidos nas áreas de defesa naval e de educação. “Estamos ultimando um acordo de mobilidade que facilitará o trânsito dos nossos povos nesses países-irmãos”, disse Bolsonaro. Neste mês, as relações entre os dois países completaram 46 anos.

O presidente brasileiro disse ainda que aceitou o convite para, oportunamente, visitar o país africano.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana