conecte-se conosco


Carros e Motos

Bolsonaro sanciona lei que autoriza teto de R$ 140 mil para veículos PCD

Publicados

em


source
Bolsonaro vetou parte do texto que inclui deficientes auditivos no benefício; negativa retorna à Câmara dos Deputados
Divulgação

Bolsonaro vetou parte do texto que inclui deficientes auditivos no benefício; negativa retorna à Câmara dos Deputados

O presidente da República Jair Bolsonaro sancionou a lei que estabelece teto de R$ 140 mil para a isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) na compra de automóveis zero quilômetro pelo público PCD (pessoas com deficiência).

A Lei 14.183/21 também altera a data limite para a troca do veículo com benefício fiscal . Antes, o proprietário poderia trocar seu veículo PCD a cada 24 meses, mas o novo prazo determina o mínimo de três anos.

Bolsonaro vetou a inclusão de deficientes auditivos entre os beneficiários da compra de veículos PCD com isenção de IPI. A negativa retorna à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal para análise.

Mudança na Lei

Até a sanção presidencial da MP 14.183/21, o limite para a quisição de veículos PCD era de R$ 70 mil. O valor era considerado baixo, pois com a alta recente nos preços, não há modelos equipados com câmbio automático disponíveis no mercado de carros novos.

Veja Também:  JAC T80: sabe quem vai comprar um SUV chinês de R$ 146 mil?

Veículos PCD devem ser vendidos impreterivelmente com transmissão automática. Confira abaixo o valor dos modelos mais baratos na categoria disponíveis nas concessionárias brasileiras:

Modelo Preço
Chevrolet Onix 1.0 AT R$ 68.390
Nissan V-Drive 1.6 Special R$ 71.990
VW Gol 1.6 AT R$ 74.490
Hyundai HB20 1.6 Vision R$ 77.490
VW Polo 1.6  MSI R$ 78.180
Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

VW mostra Nivus na Alemanha com outro nome entre as mudanças

Publicados

em


source


VW Taigo vem com fillede de LED na grade dianteira entre as diferenças em relação ao Nivus brasileiro
Divulgação

VW Taigo vem com fillede de LED na grade dianteira entre as diferenças em relação ao Nivus brasileiro

A Volkswagen apresenta o Taigo , o novo SUV com ares de cupê, totalmente baseado no Nivus brasileiro. O Taigo será o primeiro modelo fabricado e vendido no mercado europeu, após ter sido desenvolvido na região América do Sul.

Produzido na moderna fábrica da Volkswagen em Pamplona, na Espanha, o Taigo utiliza a plataforma  Modular MQB , e tem como autores do design os irmãos José Carlos Pavone, chefe de design da Volkswagen SAM , e Marco Pavone, chefe de design exterior da Volkswagen na Alemanha.

Produzido na moderna fábrica da Volkswagen em Pamplona, na Espanha, o Taigo utiliza a Estratégia Modular MQB
Divulgação

Produzido na moderna fábrica da Volkswagen em Pamplona, na Espanha, o Taigo utiliza a Estratégia Modular MQB

Considerado o primeiro veículo 100% desenvolvido na América Latina que será produzido e comercializado no mercado europeu; o Taigo traz o design exclusivo do Nivus , arrojado e com linhas que remetem a um cupê esportivo, até então desconhecido no segmento de SUVs entre os europeus.

Veja Também:  Salão de Paris deverá voltar em 2022 depois de intervalo de quatro anos

Com relação a equipamentos de conforto e segurança, o Taigo segue a linha do Nivus , como o ACC (Controle Adaptativo de Cruzeiro), AEB (Frenagem Autônoma de Emergência), Post-Collision Brake, Alerta de Fadiga, sistema Kessy, ESC (controle de estabilidade), ASR (controle de tração), XDS+ (bloqueio eletrônico do diferencial), entre outros itens.

Tal como o Nivus , o Taigo também contará com motores TSI. No caso das versões vendidas no Brasil, temos o 1.0 turboflex, capaz de render 128 cv e 20,4 kgfm de torque com apenas etanol no tanque, números suficientes para acelerar de 0 a 100 km/h em 10 segundos e atingir 189 km/h, conforme a fabricante.

O interior do VW Taigo tem uma combinação de cores mais ousada, o que não acontece com o Nivus do Brasil
Divulgação

O interior do VW Taigo tem uma combinação de cores mais ousada, o que não acontece com o Nivus do Brasil


Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Chevrolet anuncia lançamento do elétrico Bolt EV para setembro

Publicados

em


source
Chevrolet Bolt EV chega ao Brasil quase ao mesmo tempo que rivais elétricos, como Fiat 500 e Peugeot 208 e-GT
Divulgação

Chevrolet Bolt EV chega ao Brasil quase ao mesmo tempo que rivais elétricos, como Fiat 500 e Peugeot 208 e-GT

A Chevrolet confirma a chegada do novo Bolt EV 100% elétrico às concessionárias brasileiras para setembro. Ele será o primeiro de quatro modelos que serão lançados no Brasil até o final do ano . Os outros três são versões inéditas de S10 e Cruze, além do Equinox reestilizado.

O Bolt EV recebeu novo visual que inclui frente redesenhada, com mudanças nos faróis, grade, parachoque e capô. Com isso, o carro ficou com aspecto futurista e aumentou um pouco de tamanho em relação à versão anterior, além de ter ganho equipamentos como multimídia atualizada, com tela de 10,2 polegadas.

Apesar da confirmação, a fabricante não revelou qual versão do Bolt EV chegará às lojas. O certo é que o modelo terá baterias de íons de lítio e motor elétrico capaz de render 203 cv e bons 36,7 kgfm de torque. A autonomia estimada para o Bolt é de 416 km. O anúncio será feito mais próximo ao lançamento oficial.

A Chevrolet está preparando o lançamento do novo Bolt desde o início de junho, quando triplicou o número de concessionárias que atendem encomendas para veículos elétricos, saltando de 26 para 79. Atualmente, a General Motors tem a maior cobertura de venda e assistência para modelos zero emissão no Brasil.

O Bolt EV será vendido em 50 cidades espalhadas por 20 estados. A maioria das concessionárias estreantes está nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Além disso, houve um crescimento expressivo no interior de São Paulo. 

Veja Também:  JAC T80: sabe quem vai comprar um SUV chinês de R$ 146 mil?
Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana