conecte-se conosco


Mulher

Cantora Katy Perry vende mansão na Califórnia por R$ 35,6 milhões; veja fotos

Publicados

em

Após ficar disponível por quase dois anos e meio e sofrer alterações de preço, a mansão de Katy Perry, em Los Angeles, na Califórnia, nos Estados Unidos, foi finalmente vendida
. O comprador é o chinês Michael Chow, ator e proprietário da franquia de restaurantes Mr. Chow, que precisou desembolsar US$ 9,4 milhões ( R$ 35,6 milhões). 


Depois de quase dois anos e meio, a cantora Katy Perry vendeu sua luxoso mansão em Los Angeles por R$ 35,6 milhões
Douglas Elliman/Reprodução/Instagram

Depois de quase dois anos e meio, a cantora Katy Perry vendeu sua luxoso mansão em Los Angeles por R$ 35,6 milhões

De acordo com informações do portal Variety
, a cantora havia comprado a mansão
em abril de 2013 por US$ 8,2 milhões (R$ 30,9 milhões). Na mesma época, Katy comprou outro espaço ao lado, em uma transação separada, por US$ 3 milhões (R$ 11,3 milhões). 

O luxuoso imóvel
vendido conta com quatro quartos, quatro banheiros e dois lavabos. Além disso, o novo morador poderá usufruir de um spa e uma grande piscina
. Por lá, na área externa, há um forno de pizza. Outro destaque é o tamanho da academia. 

Veja Também:  O que é o movimento retrógrado de um planeta e como ele te influencia?

Ao andar pela propriedade, é possível entrar em contato com a natureza, uma vez que há árvores ao longo do caminho, além de tranquilos jardins de meditação, que são decorados com rochas. A casa
também possui um anfiteatro a céu aberto. 

Confira fotos do local:


Vanessa Hudgens também vende mansão em Los Angeles 


A cantora e atriz Vanessa Hudgens é mais uma celebridade que vendeu sua mansão em Los Angeles, na Califórnia
Sotheby’s International Realty/Reprodução/Instagram

A cantora e atriz Vanessa Hudgens é mais uma celebridade que vendeu sua mansão em Los Angeles, na Califórnia

Outra celebridade que colocou sua propriedade à venda é a cantora e atriz Vanessa Hudgens. A jovem comprou o imóvel em Studio City, na Califórnia, por 2,4 milhões de euros (R$ 10,4 milhões) há 10 anos e, no começo do mês deste ano, o vendeu por 3,5 milhões de euros (R$ 14,9 milhões). 

O local conta com seis quartos, lobby, sala de jantar com lareira e ampla cozinha. Segundo o site Idealista
, o quarto principal da propriedade é bastante iluminado e, de uma das varandas, é possível avistar a cidade. Outra vantagem é a localização. Isso porque a luxuosa casa foi construída no topo de uma colina, o que garante total privacidade ao proprietário.

Veja Também:  Anitta é de Áries! O que este signo pensa sobre o trabalho?

Veja detalhes na galeria:

Pelo que podemos perceber pelas imagens, tanto a mansão
de Katy Perry quanto a de Vanessa Hudgens oferece muito conforto
e sofisticação. Já imaginou morar em um lugar assim? Que luxo!

Comentários Facebook
Propaganda

Mulher

Laura Keller mostra como recuperou forma física pós-gravidez

Publicados

em

A atriz Laura Keller
Instagram/Reprodução

A atriz Laura Keller

A atriz Laura Keller mostrou nas redes sociais o antes e depois pelo qual o corpo dela passou depois de dar à luz Jorge Emanuel, 2, seu primeiro filho. Ela chegou a ganhar 23 kg e diz ter tido receio de não conseguir voltar à forma física de antes da gravidez.

Entre no canal do  iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

Em vídeo publicado no Instagram nesta sexta-feira (12), Laura fez um desabafo sobre as frases desmotivacionais que recebeu e postou momentos em que se exercita e tenta colocar uma peça de roupa que tinha antes da gestação.

“Na gravidez engordei 23kg. De 63kg para 86kg. Minhas roupas não entravam em mim, estava inchada e com retenção. Diziam que eu não ia conseguir, porque depois que tem filho, o corpo não volta. Realmente mudou, ser mãe me deixou melhor, mais maravilhosa, madura, segura, mulher”, escreveu.

Ela conta ainda que as mudanças do corpo não a desanimaram. “Um antes e depois com muito amor e satisfação. Amei cada momento do meu corpo na gestação e puerpério. Aproveitei cada fase, tive muito bom humor. Mas quando sabemos até onde podemos chegar, o foco vem e agimos para conquistar. Se ame muito sempre e corra atrás do que te faz bem e feliz”, escreveu Laura, que recebeu diversos comentários e elogios.

Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Veja Também:  Proteja sua mente e tenha mais assertividade na vida
Continue lendo

Mulher

Não consegue atingir o orgasmo? Você pode ter anorgasmia

Publicados

em

Anorgasmia atinge até 4 em 10 mulheres
Foto: Reprodução/Freepik

Anorgasmia atinge até 4 em 10 mulheres

O desfecho de uma relação sexual, para muitas pessoas, é quando se alcança o orgasmo. Dados do periódico médico “Journal of Sexual Medicine” revelam que o clímax feminino demora cerca de 13 minutos e 25 segundos para acontecer e, para os homens, o biólogo americano Alfred Kinsey constatou que o tempo médio até o ápice sexual era de 2 minutos.

Se, mesmo com estímulos, uma pessoa não consegue atingir o orgasmo, isso pode ser um sinal de um problema fisiológico. A falta de orgasmo, conhecida também por disfunção orgásmica ou anorgasmia, é uma disfunção sexual que impede, atrasa ou diminui o prazer no clímax.

Entre no  canal do iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

Anorgasmia

O Diário de Obstetrícia e Ginecologia estima que de 20% a 40% das mulheres sofrem de anorgasmia em todo o mundo. Segundo a publicação, uma pessoa pode ter anorgasmia quando sente dificuldade em atingir o orgasmo em 75% das tentativas por até seis meses. 

Segundo a sexóloga Débora Pádua, os estímulos sexuais são ineficazes para quem sofre desse problema: “Uma pessoa que sofre de anorgasmia nunca chega ao orgasmo, nem com o próprio estímulo nem com estímulo de outra pessoa. Elas podem até ter tentado, mas simplesmente não conseguem”.

Na medicina, existem diversos tipos de anorgasmia: a anorgasmia primária, disfunção onde a paciente nunca sequer atingiu um orgasmo; a anorgasmia secundária, quando a paciente tem dificuldade na hora de gozar, e a anorgasmia situacional, que é variável, como quando mulheres conseguem gozar com masturbação mas não com o sexo.

Para a ginecologista do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês, Débora Oriá, uma das causas desse problema é a falta de autoconhecimento, já que muitas mulheres não conseguem reconhecer os sinais do que é, realmente, um orgasmo. “O orgasmo real é definido pelas contrações múltiplas na região pélvica e genital. Ele tem um pico intenso seguido de outras contrações que vão reduzindo a sua intensidade até pararem e após essa sensação, você tem um resultado de relaxamento físico e emocional”.

Causas

Entre as principais causas para não conseguir atingir esse prazer, estão o estresse, o uso de ansiolíticos e antidepressivos, a ansiedade, o trauma sexual, o envelhecimento, o abuso de substâncias químicas e a falta de conhecimento do próprio corpo.

Sem a possibilidade de chegar ao clímax, mulheres com anorgasmia tendem a ficar estressadas e infelizes com os parceiros, além de reprimirem a própria sexualidade.  

“Eu tentava, tentava, mas nada acontecia”, declara Juliana*, advogada que foi diagnosticada em 2019 com anorgasmia. “Sempre que eu arrumava um namorado, eles acabam se frustrando, já que nunca conseguiram me fazer gozar”.

Anorgasmia causa frustração em mulheres e parceiros
Foto: Reprodução/Pixabay

Anorgasmia causa frustração em mulheres e parceiros

“Eu só descobri que não conseguia gozar aos 26 anos. Assumi, depois de perder a virgindade, aos 19, que o sexo iria acabar melhorando por conta da experiência. E acabou até melhorando, sim. Mas o orgasmo, em si, nunca chegava. Me sentia excluída até da rodinha de amigas, porque elas viviam contando experiências e eu não podia falar nada”.

A jovem alega que a impossibilidade de gozar causou verdadeiros problemas em seu relacionamento com Pedro*, atual noivo. “Como eu percebi que eu não ia conseguir chegar ao final em nenhum momento, eu acabei negligenciando meu parceiro. Deixava o sexo para depois, sabe? Foi me estressando de um jeito que eu fiquei cansada. Até que [Pedro] não aguentou mais e pediu para a gente ver uma terapeuta sexual”.

Veja Também:  O que é o movimento retrógrado de um planeta e como ele te influencia?

Tratamento

Por se tratar de uma disfunção sexual, o tratamento pode ser físico e psicológico. Na maioria dos casos, um terapeuta sexual pode ser a solução para a anorgasmia.

Oriá detalha que a anorgasmia pode ser revertida, como foi o caso de Juliana*: “O tratamento é composto por educação e terapia sexual. Ela pode ser feita individualmente ou em casal, pois ela é multidisciplinar”, explica a médica.

Na terepia, os profissionais buscam estimular posições que facilitem o orgasmo feminino, desenvolvem exercícios de Kegel e treinos para assoalho pélvico, além de tratarem a noção do sexo na terapia cognitivo comportamental.

Siga também o perfil geral do Portal iG  no Telegram!

Um dos fatores que auxiliou a vida sexual de Juliana* foi a conversa honesta com seu parceiro. Oriá reflete que a discussão é, também, uma peça essencial para a melhora da anorgasmia: “O parceiro tem que estar ciente dessa situação, né? A falta de comunicação é uma das principais causas da disfunção do orgasmo, então se você não consegue conversar com seu parceiro, é porque ele não conhece o seu corpo”.

A profissional aconselha que o autoconhecimento é primordial: “É preciso se conhecer. Onde está o clitóris? Onde é uretra, onde é a vulva? Quais são os seus pontos de excitação? Um autoconhecimento do corpo é fundamental para o tratamento”.

Brinquedos sexuais são opção para autoconhecimento
Foto: Reprodução/Freepik

Brinquedos sexuais são opção para autoconhecimento

A sexóloga Debora Pádua afirma que também existem alternativas além do sexo e da terapia: “Eu acredito muito nos brinquedos eróticos. No mercado, temos vibradores bem simples, e outros um pouco mais sofisticados. Às vezes, [a falta do orgasmo] pode sim só ser falta de estímulo e de falta de conhecimento”, analisa a médica.

“A mulher tem que se permitir sentir prazer, se permitir sair do controle da situação. Eu acho que isso faz uma grande diferença, e é isso que eu percebo nas minhas pacientes. Não adianta usar um vibrador se ela não tem vontade alguma de conhecer o orgasmo como ele é. É necessário se permitir”, finaliza.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana