conecte-se conosco


Política Nacional

Carlos Viana pede relatoria da CPI de Brumadinho

Publicados

em

Um mês após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG), 131 pessoas ainda estão desaparecidas e 179 corpos foram encontrados. Além das centenas de mortos, o rompimento da barragem provocou a contaminação do rio Paraopeba. O Senado criou uma CPI para investigar o rompimento, a qual aguarda instalação.

O senador Carlos Viana (PSD-MG) quer ser o relator dessa CPI. Ele defendeu, em entrevista ao programa Salão Nobre, da TV Senado, a mineração sem uso de barragens. “Nós não queremos o fim da mineração, mas não podemos deixar que o setor se autorregule e que, depois de uma tragédia, venha pedir desculpas”, disse.

Carlos Viana explicou que a comissão vai investigar como era a relação da Vale com os governos e qual a responsabilidade dos governos estadual e federal nesse episódio. “Se não cuidarmos agora, vai acontecer em outras cidades. E na próxima vez podem ser milhares”, alerta. A CPI terá onze titulares e sete suplentes e vai funcionar por 180 dias.

Segundo o Relatório de Segurança de Barragens, publicado pela Agência Nacional de Águas (ANA), o Brasil tem 24 mil barragens. Cerca de 900 estão registradas na Agência Nacional de Mineração (ANM). De acordo com o documento, pelo menos 45 barragens pelo pais são consideradas vulneráveis. A estrutura da barragem de Brumadinho é a mesma da de Fundão, da Samarco, que se rompeu em Mariana em 2015.

Veja Também:  Alvaro Dias apresenta PEC que diminui número de senadores para 54

Programa Salão Nobre

Como sintonizar: http://www.senado.leg.br/noticias/tv/comosintonizar.asp

Estreia: 28/02, 20h, na TV Senado

Reprise: 01/03, 8h e 13h

Comentários Facebook
Propaganda

Política Nacional

Cabo Verde quer ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Publicados

em


O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as relações com o Brasil e alcançar uma cooperação econômica e empresarial “mais visível” entre os dois países. Fonseca está em visita ao Brasil e se reuniu na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

Em declaração à imprensa, ele explicou que Cabo Verde faz parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental. “Constitui um mercado muito importante e, portanto, os empresários brasileiros podem não só ascender ao pequeno mercado de Cabo Verde, mas ao enorme mercado que Cabo Verde faz parte, onde há países como Nigéria, Senegal e Costa do Marfim. No conjunto são algumas centenas de milhões de consumidores”, disse.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 24,8 milhões, em especial produtos agropecuários e derivados do petróleo, a Cabo Verde e importou US$ 20,8 mil, em produtos diversos. Entre janeiro e junho deste ano, o volume de exportações e importações alcançaram a marca dos US$ 11,2 milhões e US$ 18,6 mil, respectivamente.

Veja Também:  Projeto cria fundo para beneficiar comunidades afetadas pela base de Alcântara

Para o presidente Bolsonaro, o país é uma porta de entrada estratégica para a África Ocidental. Ele destacou ainda os acordos já estabelecidos nas áreas de defesa naval e de educação. “Estamos ultimando um acordo de mobilidade que facilitará o trânsito dos nossos povos nesses países-irmãos”, disse Bolsonaro. Neste mês, as relações entre os dois países completaram 46 anos.

O presidente brasileiro disse ainda que aceitou o convite para, oportunamente, visitar o país africano.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Cabo Verde que ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Publicados

em


O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as relações com o Brasil e alcançar uma cooperação econômica e empresarial “mais visível” entre os dois países. Fonseca está em visita ao Brasil e se reuniu na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

Em declaração à imprensa, ele explicou que Cabo Verde faz parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental. “Constitui um mercado muito importante e, portanto, os empresários brasileiros podem não só ascender ao pequeno mercado de Cabo Verde, mas ao enorme mercado que Cabo Verde faz parte, onde há países como Nigéria, Senegal e Costa do Marfim. No conjunto são algumas centenas de milhões de consumidores”, disse.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 24,8 milhões, em especial produtos agropecuários e derivados do petróleo, a Cabo Verde e importou US$ 20,8 mil, em produtos diversos. Entre janeiro e junho deste ano, o volume de exportações e importações alcançaram a marca dos US$ 11,2 milhões e US$ 18,6 mil, respectivamente.

Veja Também:  Bancada feminina define indicadas para o Diploma Bertha Lutz

Para o presidente Bolsonaro, o país é uma porta de entrada estratégica para a África Ocidental. Ele destacou ainda os acordos já estabelecidos nas áreas de defesa naval e de educação. “Estamos ultimando um acordo de mobilidade que facilitará o trânsito dos nossos povos nesses países-irmãos”, disse Bolsonaro. Neste mês, as relações entre os dois países completaram 46 anos.

O presidente brasileiro disse ainda que aceitou o convite para, oportunamente, visitar o país africano.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana