conecte-se conosco


Carros e Motos

Carro mais caro de todos os tempos não vale o que custa

Publicados

em


O Bugatti La Voiture Noite e o Type 57 SC Atlantic: homenagem bacana da marca francesa, mas pouco em comum.
Divulgação

O Bugatti La Voiture Noite e o Type 57 SC Atlantic: homenagem bacana da marca francesa, mas pouco em comum.

O Bugatti La Voiture Noire roubou a cena no Salão de Genebra com seu estonteante custo de 11 milhões de euros. É o carro mais caro de todos os tempos. Todo mundo ficou de queixo caído, não apenas pelo preço, mas também pela beleza do carro francês. Porém, não vi nenhum jornalista comentar dois aspectos que me incomodaram bastante nesse carro. Primeiro: quem precisa de um automóvel com esse preço? Segundo: ele deixa a desejar em alguns aspectos de design e construção. Sei que muitos fãs e até colegas vão me criticar por isso, mas não sou candidato a nada e costumo dizer o que penso.

LEIA MAIS: Argo recoloca a Fiat em posição de destaque no Brasil


O Bugatti Type 57 SC Atlantic tinha a frente muito alongada e a cabine bem recuada, ao contrário do Voiture Noire
Divulgação

O Bugatti Type 57 SC Atlantic tinha a frente muito alongada e a cabine bem recuada, ao contrário do Voiture Noire

Vamos começar pelo preço. Ao contrário do que foi publicado, o valor do carro no Brasil não seria de R$ 47 milhões. Claro, esse é o valor simplesmente convertendo o euro pelo real. Porém, se fosse vendido no Brasil, o Bugatti
La Voiture Noire custaria no mínimo R$ 67,8 milhões. Foi fácil chegar a esse número. Peguei dois exemplos da Porsche, que faz carros fascinantes e é do mesmo grupo da Bugatti (ambas pertencem ao Volkswagen Groupe).

O 911 Carrera 4 GTS sai por 127.979 euros na Alemanha e custa R$ 724.075 no Brasil, ou seja, 5,6 vezes mais. O Panamera Hybrid 4S Turbo Executive sai por 201.325 euros na Alemanha e custa R$ 1.241.560 no Brasil, ou seja, 6,1 vezes mais. Como o Bugatti La Voiture é um carro exclusivíssimo (só uma unidade produzida), apliquei os mesmos valores do Porsche Panamera e cheguei aos R$ 67,8 milhões.

Veja Também:  Argo recoloca a Fiat em posição dedestaque no Brasil

Bugatti custa o equivalente a 1.469 Chevrolet Onix Joy


A traseira é onde mais os dois Bugatti se parecem e a marca soube explorar bem isso nas fotos promocionais.
Divulgação

A traseira é onde mais os dois Bugatti se parecem e a marca soube explorar bem isso nas fotos promocionais.

Com o dinheiro de um Bugatti La Voiture Noire seria possível comprar 1.469 Chevrolet Onix Joy, a versão de entrada do carro mais vendido do Brasil. Enfileirados, esses Onix ocupariam uma faixa de 6 km na estrada. Imagina uma pessoa tendo que escolher qual Onix usar numa fila de 6 km desse carro. Com essa grana também seria possível fazer 8.612 viagens de ida e volta de São Paulo a Paris na classe executiva premium dos aviões da Latam. Mais: só com o valor do IPVA do Bugatti La Voiture Noire (R$ 2,720 milhões) daria para comprar 59 Onix Joy.

LEIA MAIS: Hilux brilha e Toyota ultrapassa GM no mercado de picapes

Evidentemente, ninguém precisa de um carro como o La Voiture Noire. Portanto, estamos falando de construção de valor no imaginário. Alguém paga esse valor não pelo que o produto vale, mas sim pelo que ele representa. Dizem que o ex-CEO do Volkswagen Groupe, Ferdinand Piëch, foi quem comprou o novo Bugatti. Isso não foi confirmado. Dá para imaginar, porém, por que os carros normais são tão caros: se um executivo de montadora consegue comprar um automóvel de R$ 67,8 milhões, imagina o quanto ele ganhou ao longo de sua carreira. O imaginário do comprador de um Bugatti La Voiture Noire
não tem limites. Qual será o próximo brinquedo?

Bugatti não faz jus ao carro que quis homenagear


O Bugatti La Voiture Noire custou 11 milhões de euros na Europa, mas no Brasil não sairia por menos de R$ 67,8 milhões.
Divulgação

O Bugatti La Voiture Noire custou 11 milhões de euros na Europa, mas no Brasil não sairia por menos de R$ 67,8 milhões.

Bem, se o dinheiro for lícito, cada um faz dele o que quiser. É um tapa na cara de uma sociedade mundial cada vez mais carente de distribuição de renda, mas não é crime. E, de novo, o carro por si é maravilhoso. Para além de um design lindo, tem seis saídas de escapamento, utiliza motor 8.0 W16 com quatro turbocompressores, entrega 1.500 cv de potência e despeja 1.600 Nm de torque. Tudo bem, duvido que o dono do Bugatti La Voiture Noire usufrua de toda a tecnologia, mas sabemos que esse tipo de carro é uma joia automotiva, que só existe para ser exibido, para ser visto, para inflar os egos e para encher alguns bolsos.

Veja Também:  Carro voador é atração no Salão de Genebra

LEIA MAIS: Tem dúvida entre um Compass Flex e um Compass Diesel? Considere o Subaru XVAWD


O Bugatti 57 SC Atlantic foi criado por Jean Bugatti e teve apenas quatro unidades produzidas entre 1936 e 1938.
Divulgação

O Bugatti 57 SC Atlantic foi criado por Jean Bugatti e teve apenas quatro unidades produzidas entre 1936 e 1938.

O que realmente me admirou é que não vi nenhuma crítica ao design e à construção do carro para justificar todo esse valor. O Voiture Noire foi baseado no Bugatti Type 57 SC Atlantic, que teve apenas quatro unidades fabricadas entre 1936 e 1938. O carro foi uma criação de Jean Bugatti, filho mais velho de Ettore Bugatti, e se notabilizava por um design espetacular, com frente incrivelmente longa e dois lugares na cabine bem recuada.

Agora vejam as fotos dos dois carros. Colocados lado a lado, os dois Bugatti têm pouco em comum, além da cor preta. A traseira realmente lembra bastante e o parabrisa repartido também. Mas é só. Na verdade, o Voiture Noite tem alguns elementos estéticos para fazer uma lembrança ao Type 57 SC Atlantic
, mas poucos. As rodas do carrão de Genebra são incrivelmente espalhafatosas, fora da realidade.

Agora vejam a beleza clássica das rodas do Bugatti Type 57 SC Atlantic. Na real, o que a Bugatti
fez foi pinçar uma história bacana do passado, fazer algumas modificações num carro que já tem em sua linha e “vender” essa joia para colecionadores, entusiastas e jornalistas por um valor absurdamente maior do que ele realmente custa para ser produzido. Isso é que é criar valor no imaginário. O resto é pobreza.

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Usuários podem realizar diversos serviços do Detran-MT pela internet

Publicados

em

A opção de realizar serviços online é uma forma de evitar o deslocamento desnecessário do cidadão a qualquer unidade da autarquia, especialmente no atual momento de prevenção à propagação do novo coronavírus

Lidiana Cuiabano | Detran-MT

Serviços online no site do Detran-MT – Foto por: Lidiana Cuiabano

Serviços online no site do Detran-MT

Diversos serviços do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) relacionados a Habilitação e a Veículos podem ser realizados através do site da autarquia (www.detran.mt.gov.br).

A opção de realizar serviços online é uma forma de evitar o deslocamento desnecessário do cidadão a qualquer unidade da autarquia, especialmente no atual momento de prevenção à propagação do novo coronavírus.

Ao entrar no site do Detran-MT, já na página principal, estão disponíveis dois menus: “Consulte Sua Habilitação” e “Consulte Seu Veículo” os quais os cidadãos têm acesso a informações sobre habilitação e o veículo consultado, como infrações em autuação, multa, débito em aberto, além da opção de emissão do licenciamento e Seguro DPVAT.

Ainda na página principal do site, também está disponível o menu “Consulte Sua Infração”, pelo qual é possível consultar a infração, o recurso de infração, recurso de defesa de autuação e demais informações sobre penalidades.

Outro menu disponível no site é o de “Serviços Online”. Ao clicar nele, o usuário consegue ter acesso rápido a serviços de Habilitação como: solicitação de segunda via de CNH, consulta de condutor e pontuação, validação de documento, consulta de turmas de exame teórico, solicitação de CNH definitiva, consulta de taxas de habilitação e recursos de infração, consulta da Permissão Internacional para Dirigir (PID).

Veja Também:  GM mostra teaser dos novos Tracker e Trailblazer, que estarão em Xangai

Todos os serviços relacionados acima podem ser feitos 24 horas por dia.

Atendimento presencial

O atendimento presencial está sendo realizado exclusivamente para os serviços que não estão disponíveis online. Para tanto, é necessário que o usuário faça o agendamento do seu atendimento através do site do Detran-MT (www.detran.mt.gov.br). O horário para atendimento com agendamento é das 8h às 16h, de forma ininterrupta.

Para agendar, basta acessar o endereço eletrônico do Detran-MT e clicar na mensagem de tela (pop up), que irá direcionar à página de agendamento.

Ao entrar na página, deve preencher o formulário com os seus dados pessoais, escolher a unidade a qual deseja ser atendido e agendar a data e o horário para o atendimento presencial.

São realizados o atendimento presencial por agendamento dos seguintes serviços na área de Veículos: transferência de propriedade, emplacamento, emissão de CRV, segunda via de CRV, mudança de característica de veículo, vistoria, mudança de categoria do veículo, inclusão e baixa de financiamento, substituição, gravação e regravação de motor; gravação e regravação de chassi, comunicação de venda, baixa definitiva, troca de placa para Mercosul, serviços de controle veicular (recebimento e liberação de veículos no pátio), auditoria dos processos, serviços de infrações (recurso de defesa e Jari).

Veja Também:  Carro voador é atração no Salão de Genebra

Já na área de Habilitação podem ser agendados os serviços de: coleta de imagem, primeira habilitação, mudança e adição de categoria, renovação de CNH, alteração de dados, registro de estrangeiro, transferência de UF/Ciretran, retirada de CNH, indicação de real condutor, exames teóricos digitais (com agendamento próprio).

O Detran-MT reforça que, no atendimento presencial, é permitida a entrada somente do usuário com atendimento agendado, utilizando máscara, sendo vedada a entrada de acompanhantes.

Para garantir a segurança dos usuários e servidores, o Detran-MT disponibilizou kit contendo máscara, luva e álcool em gel para todos os servidores, bem como álcool 70% na entrada da unidade de atendimento para os usuários com atendimento agendado. Também está sendo respeitado o distanciamento mínimo para contato entre usuários e servidores.

Fonte Assessoria

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Dicas sobre o compressor do sistema de ar-condicionado automotivo

Publicados

em

Categoria: Dicas/Auto

Um dos sistemas mais requisitados por clientes, quando vão adquirir um automóvel, é que este possua um sistema de climatização. Porém, são poucos motoristas que podem afirmar que possuem conhecimento sobre seu funcionamento. Quando compreendemos as etapas de funcionamento do sistema, temos habilidade para identificar quando este não está em seu melhor desempenho. Este sistema cuida da climatização do automóvel, tornando o ambiente agradável, em dias de muito calor. Mas atua também em outros dias, como em períodos de chuva intensa, pois impede que os vidros e painel fiquem embaçados, além de proibir que poeira e outros componentes presentes no ar.

O ar condicionado pode se apresentar de duas formas: manual ou analógico e digital. Em ambos é possível regular a temperatura em que o ar deve estar quando sair dos tubos de circulação. Os principais componentes deste sistema são: compressor, condensador, mangueiras e tubos. O compressor é responsável por comprimir o que foi retirado do evaporador e enviá-lo para o condensador. O condensador cuida de uma importante mudança, que é referente ao estado físico, pois o gás líquido do sistema se condensa, passando para o estado gasoso e elimina o calor do ar, através dos tubos. As mangueiras permitem que todo o sistema esteja interligado.

Veja Também:  Puma AMV: o último esportivo com motor 4.1

Como garantir maior tempo de vida útil para o sistema de climatização do automóvel?

Todos os componentes do sistema possuem uma vida útil, ou seja, a partir de um certo momento estes irão apresentar defeitos. Os carros que foram fabricados recentemente, não sofrem com o problema relacionado a idade. Para que se possa aumentar o tempo de vida útil, principalmente dos sistemas mais antigos, é necessário, em um primeiro momento, observar como está o funcionamento do ar condicionado e seu resfriamento.

1) Cheque todos os componentes, um a um. É comum que o automóvel apresente defeitos como: ventoinha do condensador, vazamento do gás refrigerante e fusíveis queimados, que impedem a circulação do ar. É importante conferir todas as peças pois, em muitos casos, pode-se descobrir fios em má conservação e outros itens que, com uma troca rápida, permitem que o sistema funcione com total eficiência.

2) Realizar manutenção periódica. Toda a tecnologia necessita de manutenção para que continue executando sua função corretamente e a deste sistema deve ser feita a cada seis meses ou a cada 30 mil quilômetros rodados.

3) Higienização. Por estar em constante troca de ar entre os meios, ou seja, do ambiente para o carro e vice-versa, o sistema tem filtros que purificam este ar, retendo poeira, ácaros, fungos e entre outros seres. É necessário higienizá-lo uma vez por ano, podendo trocar o filtro de retenção e realizar limpeza dos tubos.

Veja Também:  Novo Porsche 911: lendário cupê beira a perfeição na linha 2020

4) Dar partida no automóvel com o sistema desligado. Discute-se que isto não é um problema, porém, carros mais novos possuem um sistema elétrico de proteção que automóveis com mais de dez anos de fabricação não possuem. Iniciando a partida com o sistema em funcionamento, induzirá uma pausa e após algum tempo, voltará a funcionar. Desta forma, exige que o compressor trabalhe mais, o que gera um desgaste em todo o sistema, diminuindo sua vida útil.

Caso apareça algum problema no sistema do ar-condicionado do seu veículo, procure um centro automotivo de confiança, com mecânicos capacitados para identificar qualquer problema que seu carro possa apresentar. Lá, o mecânico pode fazer a substituição do compressor do ar-condicionado com peças que podem ser adquiridas na Loja Online autopecas24.pt ou lojas físicas. Outro ponto importante: a não ser que você possua os conhecimentos necessários para realizar reparos e substituições, não mexa em nada do seu veículo por conta própria.

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana