conecte-se conosco


Carros e Motos

Carros elétricos e combustíveis alternativos têm avançado nos estudos

Publicados

em


Volvo Concept Recharge servirá como base para nova geração de modelos da Volvo
Divulgação

Volvo Concept Recharge servirá como base para nova geração de modelos da Volvo

Em busca de soluções alternativas ao do atual cenário que vive os combustíveis, com seus ‘altos e baixos’, a indústria de combustíveis cada vez mais tem se esforçado para inserir num futuro não muito distante respostas para a conturbada questão do futuro da mobilidade urbana.

Com o início da pandemia de COVID-19, o processo tem se intensifica até pela questão do comportamento das pessoas diante da atual situação e, sem dúvida, os veículos elétricos (VEs) e combustíveis alternativos importância significativa.

Um novo relatório do Boston Consulting Group (BCG), intitulado A New Era for Fuel Retailers, explora um cenário de varejo de combustíveis que está se desenvolvendo em um ritmo mais rápido do que o previsto, e as estratégias que os varejistas devem implementar para sobreviver e prosperar diante da ameaças do mercado.

Veja Também:  BMW confirma novo sedã elétrico i7 e revela detalhes do interior

Segundo o estudo, baseado em uma pesquisa com 33 executivos das 20 principais varejistas globais, operadoras com negócios robustos descobriram que as vendas nas lojas e as ofertas on-line durante a pandemia compensaram os declínios acentuados nos volumes de vendas de gasolina e diesel.

Gasolina sintética da Porsche será uma realidade que poderá abastecer qualquer modelo a combustão
Reprodução

Gasolina sintética da Porsche será uma realidade que poderá abastecer qualquer modelo a combustão

Mais recentemente, à medida que a incerteza e a volatilidade geopolíticas pressionaram o aumento dos preços do petróleo , muitos operadores perceberam que o varejo é uma questão de resiliência dos negócios. Assim, cerca de 70% dos principais players do setor planejam expandir sua rede nos próximos anos.

 “O atual contexto traz, ao mesmo tempo, desafios e oportunidades para os varejistas, que precisam se antecipar às tendências , considerando diferentes possibilidades e plataformas, enquanto realizam adaptações nas estruturas já existentes”, ressalta Fernando Lunardini, diretor executivo e sócio do BCG.

Principais tendências no cenário de varejo de combustível

Entre as principais tendências no cenário de varejo de combustível, nos últimos anos, destacam-se cinco tendências no setor como combustíveis alternativos não são mais opcionais, formatos de mobilidade avançada mudando os padrões de uso, a COVID-19 mudou o comportamento do consumidor, as tecnologias digitais estão expandindo as capacidades dos postos e a sustentabilidade está se enraizando.

Esses desenvolvimentos apontam para a necessidade de os varejistas de combustível se reorientarem: longe do combustível fóssil e em direção a alternativas, olhar menos para os veículos e mais para os clientes.

“É imprescindível que as lideranças entendam que o crescimento de VEs em todo o mundo e as discussões sobre sustentabilidade , além de combustíveis limpos, são um caminho sem volta, isso não apenas na indústria de óleo e gás, mas em diferentes mercados”, analisa Lunardini.

Ainda de acordo com o executivo, “aqueles que entenderem essa dinâmica mais rapidamente e se mobilizarem de maneiras criativas estarão aptos para sobreviver à nova realidade, que tende a ter muitas brechas positivas para as empresas.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Mini traz 15 unidades da série Pat Moss Edition do John Cooper Works

Publicados

em


Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em  uma prova de rali
Divulgação

Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em uma prova de rali

A Mini anuncia que vai trazer ao mercado brasileiro a série especial do John Cooper Works batizada de Pat Moss, em homenagem à piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em um rali internacional, há 60 anos.

De acordo com a fabricante inglesa, o modelo tem apenas 800 unidades espalhadas em todo o mundo, sendo que apenas 15 serão destinadas para pré-venda no Brasil ao preço de R$ 318.390 , com as primeiras entregas programadas para setembro. 

Disponibilizada na cor Preto Midnight para a carroceria e teto multitone de três cores (Preto Jet, Cinza Melting e Vermelho Chili), o hatch agrega faixa branca no capô além da assinatura da Pat Moss no para-choque dianteiro. 

Veja Também:  Fiat 500 completa 65 anos

Por dentro, além da assinatura da piloto, há também sistema de som da renomada Harman/Kardon , head up display , painel digital, central multimidia touchscreen de 8,8 polegadas e sistema de navegação integrado.

O motor é biturbo de 2,0 litros de quatro cilindros de 231 cv e torque de 32,63 kgfm e a transmissão de 8 velocidades. Segundo a fabricante, de 0 a 100 km/h são feitos em 6,1 segundos e a velocidade máxima é de 246 km/h.

Pat Moss e a navegadora, Ann Wisdom venceram no Rally de Monte Carlo em 1964, 1965 e 1967 e décadas depois, a vitória geral no Paris-Dakar quatro vezes seguidas (2012 e 2015), além de mais duas gerais (2020 e 2021).

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Kawasaki terá motos elétricas baseadas nos modelos Z125 e Ninja 125

Publicados

em


Kawasaki EV Project: marca japonesa também se rende à nova era da eletrificação com novos modelos nos planos
Divulgação

Kawasaki EV Project: marca japonesa também se rende à nova era da eletrificação com novos modelos nos planos

A era da eletrificação aos poucos está abocanhando o segmento das motos e nem mesmo os modelos de apelo emocional estão escapando da tecnologia que veio para ficar.

Uma prova desta teoria está no anúncio feito no final de 2021 pelo CEO da Kawasaki, Hiroshi Ito, confirmando que 2022 seria o ano em que a empresa entraria no mercado de motos elétricas .

A Kawasaki é uma das marcas mais tradicionais e que agora vem investindo cada vez mais em projetos voltados para a eletromobilidade. Documentos publicados no site da National Highway Traffic Safety Administration nos EUA reforçam que a empresa japonesa vem trabalhando em duas motos elétricas para 2023 de codinome ‘NX011AP’ e ‘NR011AP’.

Veja Também:  Fiat 500 completa 65 anos

A designação segue o padrão usual da Kawasaki, com ‘X’ no segundo lugar usado para denotar uma moto esportiva e ‘R’ para um roadster nake (sem carenagem), mas o ‘N’ inicial é novo e significa ‘Elétrico’ no protocolo de nomenclatura da Kawasaki.

De acordo com o documento no site da NHTSA cada um deles produzirá 11kW (15cv) , e pelas imagens, serão máquinas mecanicamente idênticas, diferenciando-se apenas por uma ser carenada e outra sem carenagens (naked), nos moldes da Z125 e da Ninja 125 , mas com energia elétrica.

Os nomes dos modelos de showroom ainda não são conhecidos, mas a Kawasaki já registrou os títulos Ninja E2 e Ninja E2-R. Tudo será revelado na íntegra ainda este ano, provavelmente na feira EICMA de novembro em Milão , onde o protótipo elétrico apareceu pela primeira vez três anos atrás.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana