conecte-se conosco


Mato Grosso

CGE produz relatórios gerenciais de controle das atividades administrativas

Publicados

em


A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) produziu, no primeiro semestre de 2021, relatórios gerenciais sobre os controles internos executados pelos órgãos e entidades do Governo de Mato Grosso em relação às atividades administrativas de aquisições, gestão patrimonial, financeira, contábil e de pessoas.  Integrantes do eixo preventivo de atuação, os trabalhos tiveram como base as avaliações de segurança dos controles realizadas pela CGE nos anos de 2019 e 2020.

Os relatórios trazem os principais pontos de atenção sugeridos pela Controladoria, as causas de fragilidades de determinados processos e as providências adotadas pelas instituições estaduais para melhoria contínua dos controles existentes.

“Os pontos de atenção não são fraudes, corrupção. Mas situações nas quais a administração pública pode aprimorar os controles, dentro das melhores práticas de gestão, para evitar erros e falhas operacionais que possam trazer impacto financeiro e prejudicar a prestação dos serviços à população”, observa o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida.

Os produtos foram encaminhados às Secretarias de Estado de Fazenda (Sefaz) e de Planejamento e Gestão (Seplag), órgãos centrais das atividades administrativas analisadas, para a coordenação de medidas estruturantes de aprimoramento dos processos no âmbito de todas as organizações estaduais.

Neste contexto, em relação às aquisições públicas de bens, serviços e obras, o principal ponto de atenção recomendado pela CGE é a gestão e a fiscalização de contratos. Sobre esta questão, as análises da CGE indicam evolução dos controles entre os anos de 2019 e 2020, passando de 245 para 65 ocorrências identificadas.

Veja Também:  Ordem de serviço para construção da ponte sobre o Rio Arinos II é assinada em Lucas do Rio Verde

Segundo a CGE, o progresso demonstra uma maior implementação pelas secretarias das recomendações emitidas pela Controladoria e adesão dos servidores envolvidos na atividade nos ciclos de capacitação promovidos pelo órgão de controle interno sobre gestão e fiscalização de contratos.

Nos anos de 2019 e 2020, a CGE realizou quatro ciclos de capacitação sobre o assunto. Em 2019, os treinamentos foram presenciais. Em 2020, online, por causa da pandemia. Quase mil gestores e fiscais de contratos acompanharam as orientações ao vivo. Já os vídeos das capacitações virtuais contabilizaram mais cinco mil visualizações no canal de Youtube da CGE

Em relação à gestão de pessoas, os principais processos com recomendações pela CGE e que já estão em aprimoramento pela Seplag são alusivos a desligamentos, licenças e afastamentos, estabilidade e progressão, remuneração e indenização, recrutamento e admissão de servidores.

Quanto à gestão patrimonial, os principais pontos de alerta são relativos aos procedimentos de inventário de bens imóveis e registros e movimentações dos bens de consumo no Sistema Integrado de Gestão Patrimonial do Estado (Sigpat).

Já relação à gestão financeira, os processos de atenção sugeridos pela Controladoria são os relacionados à programação financeira, concessão e prestação de contas de adiantamento e pagamento de despesas públicas.

Por fim, quanto à gestão contábil, o principal procedimento de cuidado são as formalidades de registros contábeis dos eventos econômicos e financeiros ocorridos nas instituições estaduais.

Veja Também:  Lei de Janaina Riva que obriga desconto em mensalidades durante pandemia é sancionada

Avaliações de controle

O panorama das atividades administrativas teve como base as avaliações de controle realizadas pela CGE no ano passado em 13 instituições estaduais: MT Saúde, Ager, Seplag, MTPrev, Seaf, Secitec, Indea, MTI, Sesp, Desenvolve MT, Empaer, Sema e Setasc.

O trabalho envolve a aplicação de testes de aderência, checklist e questionários para análise das fragilidades e de suas causas, seguido da produção de recomendações.

Com as avaliações, a CGE não só identifica situações que precisam de melhorias, mas também estimula e auxilia mais de perto gestores e técnicos dos órgãos na implementação de providências necessárias e monitora se as ações adotadas estão sendo satisfatórias.

“O trabalho busca também colher elementos para o mapeamento de riscos que indique as atividades ou processos que serão objetos do acompanhamento simultâneo da CGE, bem como indicar áreas em que será necessário promover ações preventivas, por meio orientações e capacitações voltadas aos gestores e servidores dos órgãos”, ressalta o secretário-adjunto de Auditoria e Controle da CGE-MT, José Alves Pereira Filho.

Além de serem encaminhadas aos órgãos estaduais para servir de instrumento de gestão, as avaliações são remetidas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), conforme estabelece a Resolução Normativa TCE-MT n. 12/2017-TP.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Tese de mestrado será apresentada pela primeira vez em propriedade rural em MT

Publicados

em


A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) promove nesta quarta-feira (29.09), às 9h, a primeira defesa de mestrado em uma propriedade rural. A iniciativa representa o primeiro passo do projeto ‘Defesa no Campo’ e irá acontecer em uma propriedade em Santo Antônio do Leverger (a 34 km de Cuiabá).

A conclusão do trabalho acontecerá na propriredade do senhor Joarez Vilas Boas e será defendida pelo engenheiro florestal Hector de Oliveira, discente do Programa de Pós-graduação em Recursos Hídricos da Universidade Federal de Mato (UFMT), sob a orientação do coordenador de Assistência Técnica e Extensão Rural da Empaer, o engenheiro agrônomo e doutor, Fabrício Ramos. A banca avaliadora será composta por cinco membros, mestres e doutores especialistas no segmento.

Fabrício explica que o objetivo do projeto é inovar no serviço de pesquisa e extensão rural, integrando a universidade com o produtor rural. Ele defende a importância que as pesquisas de pós-graduação como, mestrado e doutorado sejam realizadas nas propriedades rurais, sendo que no geral, têm sido finalizadas no ambiente das universidades.

Veja Também:  ‘MT Prev Itinerante’ leva orientações para servidores da Seduc em Alta Floresta

“Essa iniciativa visa estimular estudantes a realizarem as defesas dos seus trabalhos científicos nos locais onde ocorreram as pesquisas, pois entendemos que essa abordagem é importante para melhorar a difusão do conhecimento gerado, além de valorizar os agricultores e produtores rurais que demandam, apoiam e participam das pesquisas”, define ele.

Durante a execução do projeto, o produtor participou ativamente de todas as etapas, cujo objetivo foi mapear a capacidade de uso do solo da sua propriedade para determinação das áreas mais propícias para cultivos intensivos.

Serviço:

Primeira ‘Defesa no Campo’ promovida pela Empaer

Onde: Propriedade rural do senhor Joarez Vilas Boas, em Santo Antônio do Leverger

Horário: 9h

 Amostragem para análise física e química e classificação das cores do solo Foto: Empaer-MT

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Sema-MT coloca em campo um veterinário e duas unidades móveis de pronto atendimento de animais

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) disponibilizou um veterinário exclusivamente para atuar nos resgates, monitoramento, avaliação, atendimento de animais silvestres do Pantanal atingidos pelos incêndios. Foram adquiridas pelo Estado duas unidades móveis de pronto atendimento para primeiros cuidados e transporte de animais silvestres.

A ação visa apoiar o trabalho coordenado pelo Instituto Brasileiro (Ibama) de manejo da fauna silvestre, que tem a atribuição legal de autorizar a conduzir o manejo da fauna silvestre.

A Sema-MT contratou um médico  veterinário, com recursos do Programa REM, exclusivamente para o atendimento aos animais. Rogério Leonel Vieira tem especialização em clínica e cirurgia de animais silvestres e atua há 20 anos nesta especialidade. Ele explica que um dos objetivos é avaliar constantemente a estrutura para atendimentos dos animais. Neste momento, a emergência ambiental é nível 1, ou seja, poucos animais precisam de intervenção. 

“Nesse momento, o fogo está sendo muito bem combatido pelos brigadistas. As unidades móveis são suficientes para a gente chegar nos locais, fazer o atendimento necessário, junto com as ONGs que também estão em campo. O monitoramento diário está sendo feito nas áreas da Transpantaneira, Barão de Melgaço e Cáceres, para que se veja a necessidade de montar uma estrutura de nível 2”, conta o especialista. 

Veja Também:  Dois são presos em ‘boca de fumo’ com drogas, rádios comunicadores e bicicleta de luxo

Unidades móveis de atendimento

Estão em campo para auxiliar no resgate, captura, atendimento e transporte de animais, duas unidades móveis de pronto atendimento equipadas com equipamentos de contenção, rifle com dardos com tranquilizante veterinário, e outros utensílios que possibilitam o manejo de animais de pequeno, médio e grande porte, de qualquer complexidade. 

Os veículos L200 Triton com a carrocerias adaptadas, e climatizadas, são da Sema, adquiridos com recursos do Fundo da Amazônia. As duas unidades são utilizadas pela equipe especializada da Sema, e em parceria com outros veterinários das ONGs credenciadas junto ao Governo Federal com notório saber em resgate e atendimento de animais silvestres. 

Programa REM

O Programa Global REDD Early Movers (REM) remunera e premia o esforço de mitigação das mudanças climáticas. Mato Grosso tem o apoio do Programa REM desde dezembro de 2017, e até o final da iniciativa receberá R $232,4 milhões (cerca de 44 milhões de euros) para fortalecer a sua fiscalização, operacionalização e responsabilização.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana