conecte-se conosco


Agronegócio

CITROS/CEPEA: Valor da laranja pera ultrapassa os R$ 50/cx e renova máxima nominal

Publicados

em


Cepea, 22/10/2021 – Os preços da laranja pera de mesa estão em alta desde o início da safra, em junho, impulsionados pela baixa oferta da fruta. Diante disso, a variedade já vem sendo negociada acima dos R$ 50,00/cx de 40,8 kg (na árvore) nesta segunda quinzena de outubro, renovando a máxima nominal da série histórica do Cepea. Na média parcial deste mês (até o dia 21), a fruta é comercializada em São Paulo a R$ 49,76/cx de 40,8 kg, na árvore, 10% acima da média registrada em setembro e 28% superior à de outubro/20, em termos nominais. Segundo colaboradores do Cepea, já era consenso entre os agentes do setor que a safra 2021/22 não seria de oferta elevada, devido aos efeitos do clima na abertura e, principalmente, no pegamento das floradas. Contudo, no correr da temporada, as adversidades climáticas se intensificaram, com chuvas abaixo do ideal e geadas em algumas áreas no fim de julho, reduzindo ainda mais a disponibilidade de laranjas, principalmente de calibre ideal para comercialização. Quanto à lima ácida tahiti, o recente retorno das chuvas já tem favorecido a produção e elevado a oferta. Assim, a variedade registrou nova desvalorização nos pomares paulistas na parcial desta semana, sendo comercializada à média de R$ 24,27/cx de 27 kg, colhida, entre 18 e 21 de outubro, recuo de 4,4% em relação à semana passada. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Veja Também:  CEBOLA/CEPEA: Estoques reduzidos no Sul e chuvas no NE impulsionam cotações
Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Propaganda

Agronegócio

ETANOL/CEPEA: Quantidade de hidratado vendida em nov/21 é a menor para o mês desde 2003

Publicados

em


Cepea, 7/12/2021 – O volume de etanol hidratado negociado por usinas do estado de São Paulo em novembro foi o menor para o período desde 2003, segundo dados do Cepea. Isso é resultado da sequência de poucos negócios ao longo do mês e que envolveram quase sempre pequenas quantidades. De acordo com colaboradores do Cepea, as menores vendas de etanol hidratado na ponta varejista estão atreladas à baixa competitividade do preço do biocombustível em relação à gasolina. Na parcial da atual safra 2021/22 (de abril a novembro/21), o Indicador CEPEA/ESALQ mensal do hidratado registra média de R$ 3,1582/litro, bem acima dos R$ 2,2170/litro em igual período de 2020 – alta real de 42,5%. No caso do anidro, a média do Indicador CEPEA/ESALQ está em R$ 3,5588/litro na parcial desta safra, 46,3% superior à do mesmo período da temporada anterior, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IGP-M de nov/21). Especificamente na média das semanas cheias de novembro, o Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado fechou a R$ 3,7233/litro, avanço de 5,27% na comparação com a média das semanas de outubro. No mesmo comparativo, o Indicador CEPEA/ESALQ do anidro, considerando-se somente o mercado spot, teve média de R$ 4,3570/litro em novembro, elevação de 7,69% sobre a do mês anterior. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Veja Também:  Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril
Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

TRIGO/CEPEA: Com queda externa e fim do ano se aproximando, liquidez é baixa no BR

Publicados

em


Cepea, 7/12/2021 – As negociações envolvendo trigo já começam a se enfraquecer no mercado interno, principalmente devido à proximidade das festas de fim de ano, quando geralmente muitas indústrias nacionais entram em recesso ou diminuem o ritmo das atividades. Além disso, de acordo com colaboradores do Cepea, as fortes desvalorizações internacionais do cereal também afastaram parte dos agentes do mercado. No geral, a disponibilidade de trigo é satisfatória no Brasil, tendo em vista a finalização da colheita e os bons volumes importados. Quanto aos preços do cereal, ainda têm suporte da paridade de importação e do dólar. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Veja Também:  MILHO/CEPEA: Média mensal é a menor em 14 meses
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana