conecte-se conosco


Mato Grosso

Com trabalho em fábrica, reeducandos querem construir novo caminho

Publicados

em

Quem passa pelas largas ruas planejadas de Lucas do Rio Verde (360 km ao norte de Cuiabá) não imagina que o trabalho de reeducandos e, consequentemente, a esperança de uma oportunidade fora das grades, está por trás da produção de milhares de peças que calçam vias públicas, canalizam a água pluvial, enfeitam praças e são abrigos de paradas de ônibus.

A fábrica de artefatos de concreto e a serralheria instaladas nas dependências do Centro de Detenção Provisória integram o projeto Espaço de Trabalho Vida Nova e foram pensadas como uma forma de ofertar trabalho e ser oportunidade de reconstrução da vida de quem trabalha no local e ainda, reduzir custos para a administração pública. Com o emprego da mão de obra de 27 reeducandos, foram fabricadas no complexo, no ano passado, 153 mil peças de concreto e reformadas 20 coberturas de pontos de ônibus da cidade. Todos os produtos são empregados na área de serviços urbanos do município.

Os recuperandos são remunerados e têm no trabalho uma chance de não apenas garantir a remição da pena, mas de mostrar que podem contribuir e voltar à sociedade com dignidade. Desde que o projeto começou, há quase cinco anos, em uma iniciativa da Prefeitura Municipal com apoio do Poder Judiciário, Fundação Nova Chance, Sistema Penitenciário, Ministério Público, empresa privada e Conselho de Segurança da Comunidade, mais de 50 reeducandos foram empregados no local.

Produção da fábrica em 2018: fabricação de 153 mil peças em concreto 

No espaço anexo ao Centro de Detenção Provisória são produzidos blocos, canaletas, tubos para galeria pluvial e de esgoto, estacas de cercas, pavers, telas e tampas de bueiro.

Veja Também:  Ouvidoria passa a atender também pelo WhatsApp

Opção de um caminho diferente

G. R., 46 anos, é um dos trabalhadores mais antigos na fábrica – está há três anos no local. Entre as centenas de blocos de cimento, manilhas e tijolos, ele diz que o trabalho é uma forma gratificante para não ver os dias passarem tão lentamente. “Quem abraça o detento quando ele sai da porta para fora? O próprio crime, já que muitas das famílias estão desestruturadas. Mas, graças a esse trabalho, temos a oportunidade de escolher um caminho diferente para seguir. A maioria das pessoas que está no projeto sai e não retorna mais para a cadeia. Dificilmente pagando só a cadeia tem chance de ressocializar. Por isso que o projeto pode colaborar para mudar nossa vida, pois são poucas as oportunidades que encontramos na rua”, afirma o reeducando que, com seu entusiasmo e dedicação, contagia os demais.

“Graças a esse trabalho, temos a oportunidade de escolher um caminho diferente para seguir”

Outro reeducando, G.O.P., diz que participar do projeto é chance de reeducação e que todos ficam na expectativa de ter um bom comportamento para entrar na fábrica.

J.O.T., 65 anos, descreve o cenário de antes e depois da instalação do empreendimento. “Antes, aqui só tinha mato, a maioria dos presos tinha mau comportamento. Hoje, é diferente, nossa mente fica ocupada na fabricação. Nenhum fugiu, machucou ou morreu. Somos agradecidos pelo apoio e confiança depositada em nós”.

Veja Também:  Fávaro é lançado pelo PSD e cobra apoio de Mauro Mendes

Oportunidade para auxiliar o sustento das famílias 

O diretor do CDP, José Ronaldo Frutuoso, é categórico quando afirma que o trabalho na unidade prisional transformou o comportamento dos reeducandos e trouxe mais comprometimento a cada um deles. “A oportunidade desenvolvida com várias parcerias é fundamental para não apenas proporcionar trabalho, mas também dar um novo alento a quem hoje está privado de liberdade, mas que um dia será reintegrado à sociedade”, pontua o diretor, afirmando também que o bom comportamento dos trabalhadores resulta em melhor disciplina dentro do centro de detenção. 

Ronaldo acrescenta ainda que o fruto do trabalho ajuda no sustento de algumas famílias.“Eles recebem mensalmente um salário mínimo, que é depositado em conta. Os familiares deles estão bastante felizes com o projeto e alguns, até sem renda, se sustentam com o salário que eles ganham aqui dentro”.

“O trabalho e o estudo são ocupações importantes que podem auxiliar o reeducando a romper o círculo vicioso da criminalidade. E o projeto desenvolvido em Lucas do Rio Verde é exemplo de que a ressocialização pelo trabalho é o caminho para auxiliar na humanização do Sistema Penitenciário”, observa o secretário adjunto de Administração Penitenciária, Emanoel Flores.

Reforma de abrigos de pontos de ônibus na serralheria do CDP

Para abrigar os trabalhadores da fábrica, a unidade prisional está concluindo uma ala com capacidade para 48 reeducandos. A ideia é separar os internos que trabalham dos demais reeducandos, a fim de evitar retaliações. No novo espaço, os trabalhadores terão banheiro e poderão receber visitas, como já ocorre na ala comum.

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Segunda-feira (03): Mato Grosso registra 365.406 casos e 9.901 óbitos por Covid-19

Publicados

em

Há 464 internações em UTIs públicas e 337 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 87% para UTIs adulto e em 43% para enfermarias

Fernanda Nazário | SES-MT

Um total de 317.703 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo | Secom

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (03.05), 365.406 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 9.901 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.558 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 365.406 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 9.823 estão em isolamento domiciliar e 345.626 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 464 internações em UTIs públicas e 337 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 87,55% para UTIs adulto e em 43% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (77.639), Rondonópolis (26.853), Várzea Grande (24.812), Sinop (19.198), Sorriso (12.721), Tangará da Serra (11.943), Lucas do Rio Verde (11.407), Primavera do Leste (10.117), Cáceres (7.789) e Alta Floresta (6.996).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 317.703 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 759 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

No domingo (02), o Governo Federal confirmou o total de 14.754.910 casos da Covid-19 no Brasil e 407.639 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 14.725.975 casos da Covid-19 no Brasil e 406.437 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta segunda-feira (03).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: Assessoria

 

Veja Também:  Ouvidoria passa a atender também pelo WhatsApp

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Lei autoriza visitas espirituais de capelães em UTIs e enfermarias de MT

Publicados

em

Governador Mauro Mendes sancionou a Lei, proposta do deputado Dilmar Dal Bosco, publicada no Diário Oficial no dia 29.
De autoria do deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) foi sancionada pelo Governador Mauro Mendes, a Lei 11.347, que assegura atendimento espiritual realizado por capelães de quaisquer ordens religiosas, cumprindo todos os protocolos de medidas preventivas que as respectivas Diretorias Técnicas das instituições de saúde e autoridades sanitárias expedirem.
Deputado Dilmar explicou que em decorrência da pandemia da Covid-19, este tipo de prestação de assistência espiritual e religiosa de pacientes internados nos leitos e nas UTIs é fundamental para o paciente e para a família.
“O conforto e o acalento de uma oração significa amor, compaixão,  empatia, o que é muito importante em um momento de desespero dos familiares a assistência espiritual e religiosa dos pacientes internados nos leitos e nas UTIs e, a partir de agora, será assegurada pelas instituições hospitalares, desde que respeitadas às normas e protocolos dessas instituições e a condição clínica do paciente” disse Dilmar.
Deputado ainda explicou que as instituições de saúde devem afixar em local acessível os protocolos relacionados à prestação espiritual, bem como disponibilizar todos os instrumentos de orientação clínica.
“Algumas instituições já autorizam este tipo de assistência aos enfermos, porém, em decorrência da pandemia da Covid-19, o trabalho espiritual demandado pela capelania nos cuidados desses pacientes, aumentou muito nos últimos anos e nós, como cristãos, somos sabedores da importância da espiritualidade na vida do ser humano” finalizou Dilmar.
A Lei será aplicada aos denominados hospitais de campanha. As instituições de saúde poderão disponibilizar recursos tecnológicos para sua realização, quando solicitado pelo paciente ou pela família, no caso de impossibilidade de visita familiar ou atendimento espiritual presencial. 
A Lei 11.347, de 28 de abril de 2021, foi sancionada e publicada no Diário Oficial deste dia 29 de abril de 2021.
Fonte: Assessoria – JUNIOR POYER / Gabinete do deputado Dilmar Dal’Bosco
Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Veja Também:  Cavalaria da PM recebe reforço de novos policiais
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana