conecte-se conosco


Tecnologia

Como transformar uma TV normal em Smart? Confira 4 opções com preço atrativo

Publicados

em


source
Veja como transformar uma TV em Smart
Unsplash/ Jens Kreuter

Veja como transformar uma TV em Smart

Com a ascensão das plataformas de streaming, todos querem ter uma Smart TV para aproveitar os filmes e séries na telona. Trocar de televisor, porém, pode ser bastante caro, além do fato de que dispensar um eletrônico em funcionamento não é bom para o meio ambiente .

Para a sorte de quem quer gastar menos, existem ótimas opções de dispositivos que transformam uma televisão normal em uma Smart TV. Os recursos são bastante completos e não ficam atrás daqueles presentes nas TVs mais modernas. Por isso, se sua televisão normal ainda está “inteirona”, confira 4 opções para atualizá-la com menos de R$ 400.

1. Chromecast

Chromecast
Divulgação

Chromecast

A primeira opção é o Chromecast, do Google. O aparelho é pequeno e se encaixa na entrada HDMI da televisão. Ele não tem controle nem interface própria e, por isso, precisa ser comandado pelo celular ou pelo computador.

Quando o Chromecast e o smartphone estão conectados na mesma rede Wi-Fi, é possível transmitir conteúdos da telinha para a telona. Por exemplo, dá para entrar no aplicativo da Netflix no celular (que pode ser Android ou iOS) e clicar em um botão para que o conteúdo seja exibido na televisão.

Veja Também:  Jogos de graça! PlayStation libera três games em agosto; veja quais

Todos os controles, como pausar, mexer no volume e voltar alguns segundos do vídeo, são feitos pelo smartphone. O Chromecast 3, que exibe imagens em Full HD, está disponível no Brasil por cerca de R$ 230.

Você viu?

2. Roku Express

Roku Express
Divulgação

Roku Express

O aparelho da Roku é mais completo que o Chromecast, já que vem com controle e tem sistema operacional próprio. Ele também é pequeno e pode ser conectado à entrada HDMI da televisão.

Uma vez conectado, é possível baixar os aplicativos das plataformas de streaming e realizar todas as ações pelo controle – menos alterar o volume, que precisa ser ajustado na própria TV. O Roku Express também transmite imagens em Full HD e tem um aplicativo para smartphones que traz controles extras, como a possibilidade de ouvir o conteúdo da televisão em um fone de ouvido no celular. O dispositivo é vendido no Brasil por cerca de R$ 230.

3. Mi TV Stick

Mi TV Stick
Divulgação

Mi TV Stick

O Mi TV Stick, da Xiaomi, é um dispositivo que possui o sistema operacional Android TV. Assim como a opção da Roku, ele vem com controle remoto, e o aparelho que fica acoplado à TV tem o formato parecido com o de um pen-drive, que pode ser conectado à entrada HDMI.

Também com resolução Full HD, ele permite o download de aplicativos e o comando de ações pelo controle remoto. Assim como no Chromecast, também é possível enviar parear um celular e enviar conteúdos dele para a televisão. No Brasil, o Mi TV Stick sai por cerca de R$ 400.

4. Fire TV Stick

Fire TV Stick
Divulgação

Fire TV Stick

O Fire TV Stick, da Amazon, funciona de forma bastante similar ao Mi TV Stick e ao Roku Express, transformando a TV em Smart com controle remoto próprio. O grande diferencial é que o dispositivo tem suporte à Alexa, a assistente de voz da marca.

Isso significa que é possível controlar o conteúdo que passa na televisão através de comandos de voz, o que torna a experiência mais tecnológica do que a oferecida por muitas Smart TVs, mas por um preço bem mais atrativo. No Brasil, o produto é vendido por cerca de R$ 380.

Comentários Facebook
Propaganda

Tecnologia

Youtubers encontram US$ 100 mil em jogos antigos numa casa abandonada

Publicados

em


source
Youtubers encontram US$ 100 mil em jogos antigos numa casa abandonada
Murilo Tunholi

Youtubers encontram US$ 100 mil em jogos antigos numa casa abandonada

Enquanto exploravam a casa de um acumulador que estava abandonada há mais de 20 anos nos EUA, os youtubers do canal Cheap Finds Gold Mines encontraram caixas com diversos jogos antigos selados em excelente qualidade. Essa coleção é avaliada em cerca de US$ 100 mil (R$ 526,7 mil em conversão direta) e tem desde títulos clássicos, como The Legend of Zelda: The Wind Waker , até edições limitadas de Resident Evil 4 .

Conhecidos apenas como Aimee e Korbin, o casal de youtubers costuma visitar brechós e leilões em busca de itens raros. Dessa vez, o local foi indicado pela própria sobrinha do acumulador, que ganhou permissão para vender a casa e quis encontrar um destino para todos os objetos guardados lá.

Mesmo com a casa fechada há mais de 20 anos, os objetos foram encontrados em perfeito estado. Quando chegaram à residência, os exploradores acharam diversos consoles — incluindo um Xbox 360 lacrado de fábrica —, figuras de ação, fitas VHS e a arcas do tesouro com os jogos antigos.

Veja Também:  TikTok proíbe vídeos com desafio da caixa de leite devido a acidentes

Entre os achados estavam itens como uma cópia selada de Viva Piñata para Xbox 360, diversas unidades lacradas de The Legend of Zelda: Wind Waker , uma caixa fechada de fábrica da edição de colecionador de Resident Evil 4 com o controle no formato de serra elétrica e muito mais.

A exploração completa foi dividida em três vídeos — recomendados apenas para quem tem estômago forte para ver insetos, fungos, fezes de animais e outras imagens nojentas de uma casa fechada há duas décadas. Ao todo, os youtubers encontraram jogos antigos de PC, Xbox 360, PS1, PSP e GameCube.

Alguns jogos foram mantidos para honrar o dono da casa

Leia Também

No último vídeo, Aimee conta que o dono da casa começou a acumular coisas depois de ter perdido uma pessoa querida. Ele colecionava objetos que o faziam feliz, os quais nesse caso eram videogames. Para guardar essa lembrança, os youtubers escolheram não vender todos os jogos e manter alguns títulos.

Veja Também:  WhatsApp começa a liberar migração de conversas entre iOS e Android; confira

Ao final da exploração — que contou com outros caçadores e revendedores, além dos youtubers —, foram desenterrados cerca de US$ 100 mil em jogos antigos. Após a divisão dos itens entre as pessoas que estavam na casa, o casal faturou US$ 20 mil (R$ 105,2 mil), enquanto as outras duas equipes ficaram com US$ 40 mil (R$ 210,3 mil) cada uma.

Os três vídeos da aventura dos youtubers do canal Cheap Finds Gold Mines podem ser assistidos (em inglês) a seguir:

Com informações: Kotaku .

Youtubers encontram US$ 100 mil em jogos antigos numa casa abandonada

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Facebook bane publicações de hidrovia por ela ter nome “obsceno”; veja

Publicados

em


source
Facebook bane hidrovia
Unsplash/Alex Haney

Facebook bane hidrovia

Uma hidrovia em Norfolk, nos Estados Unidos, foi banida do Facebook, que deletou todas as publicações que mencionavam seu nome. O local é um canal turístico, que reúne pescadores e visitantes.

A confusão que levou ao banimento foi o nome da hidrovia: Cockshoot Dyke. Em inglês, cock é usado para se referir a pênis, enquanto shoot significa atirar. Já dyke é um termo pejorativo usado para se referir a mulheres lésbicas.

No caso do canal, porém, cockshoot se refere a “atirador de galos”, enquanto dyke se refere a um dique, sinônimo de represa. Os algoritmos do Facebook começaram a excluir as publicações sobre a hidrovia marcando-as como “violência e conteúdo sexual”. Depois, começou a sinalizar que se tratava de “discurso de ódio”.

“As pessoas acharam isso engraçado, dizendo que deveria ser chamado de ‘a hidrovia que não pode ser nomeada'”, disse Steve Burgess, um comerciante local, ao jornal The Sun. “A ironia é que você vê tantas publicações que são realmente obscenas, violentas ou sexuais no Facebook, mas nada é feito”, comenta.

O comerciante conta que diversos turistas, pescadores e moradores da região tiveram suas postagens da rede social excluídas apenas por mencionarem a localização. Por enquanto, o Facebook não comentou o assunto.

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana