conecte-se conosco


Carros e Motos

Comparamos o novo Audi A3 Sedan com o BMW 320i. Qual vence?

Publicados

em

source
Audi A3 Sedan e BMW 320i estão entre os sedãs premium mais vendidos hoje em dia no Brasil
Guilherme Menezes/ iG Carros

Audi A3 Sedan e BMW 320i estão entre os sedãs premium mais vendidos hoje em dia no Brasil

Quando vamos comparar dois clássicos do mercado automotivo, sabemos que os resultados não serão tão evidentes à primeira vista. Entretanto, pelas diferenças marcantes entre os dois rivais do nosso comparativo, podemos identificar os pontos fortes (e fracos) de cada um. Isso é o que acontece na briga entre Audi A3 Sedan e BMW 320i.

A primeira diferença é a nacionalidade de cada um. Os dois projetos não são alemães? São sim, mas um deles não é “nascido” lá. O mais caro dos dois, o BMW Série 3 (R$ 339.950, na versão M Sport) é produzido em Araquari (SC), enquanto o Audi A3  Performance Black, com kit S-Line (R$ 309.619) saiu de Ingolstadt, na Alemanha.

Outro ponto é que o BMW tem tração traseira, enquanto a do Audi na dianteira. Como se não bastasse, algo que sempre diferenciou os carros de ambas as fabricantes é aquilo que eles “exalam” para o condutor e para os ocupantes.

Na percepção de quem vos fala, os Audi sempre tentaram unir os atributos da engenharia alemã (entre os quais, robustez, tecnologia, conforto e esportividade) de forma equilibrada. Já os BMW, sempre tendem mais ao sensorial. Ou seja, conservam mais atributos como agilidade e conforto — sem deixar as outras características de lado também, é claro.

Precisão alemã com abordagens diferentes

BMW 320i e Audi A3 Sedan são feitos para quem gosta de dirigir, precisa e espaço, mas não quer um SUV
Guilherme Menezes/ iG Carros

BMW 320i e Audi A3 Sedan são feitos para quem gosta de dirigir, precisa e espaço, mas não quer um SUV

De todo o modo, ainda estamos falando de “escolas” iguais de desenvolvimento. O A3 Sedan chegou renovado no final de 2021, com cerca de 90% dos componentes metálicos novos em relação à geração antecessora, segundo a própria fabricante.

O novo Audi A3 aposta no visual esportivo, com ampla grade frontal, bem como entradas e saídas de ar (não funcionais) na dianteira e na traseira, respectivamente. Os faróis e as lanternas são Full LED e contam com indicador dinâmico de setas na traseira de série. Novo capô e novas linhas nas laterais complementam o novo visual exterior.

No interior,  o Audi passa a ter novas saídas de ar do painel e a nova alavanca de seleção de marcha. Seu acionamento agora é eletrônico e abandona o botão de trava mecânica, que antes precisava ser acionado para realizar a troca.

Veja Também:  BMW aposta em modelos elétricos de alta tecnologia; ouça no podcast

O acabamento e a montagem dos componentes do A3 Sedan também evoluíram em relação ao modelo anterior. O interior fica mais ergonômico, refinado e bem mais moderno ante a geração anterior (que apesar de também ter um visual interno bonito, já estava relativamente defasada).

A única questão fica por conta da central multimídia . Não conseguimos acessar o CarPlay da forma como se deve e ficamos limitados ao acesso do Spotify e, parcialmente, do Waze — este que só reproduzia os sons, mas não espelhava o mapa do aplicativo na tela. Isso via conexão Bluetooth. Para funcionar tudo de acordo seria preciso usar um cabo plugado na entrada USB-C , o que muitas vezes requer um adaptador.

O BMW , por sua vez, ganhou novos itens de conectividade, conveniência e tecnologia em sua linha 2022. Entre as principais mudanças estéticas, o sedã recebeu grade bipartida mais larga e com moldura única.

Além disso, conta com rodas diamantadas , de aro 19, com cinco raios, revestimento interno na tonalidade marrom-conhaque e acabamento do painel em imitação de alumínio.

Quando comparamos os dois, vemos como a inspiração do A3 Sedan em modelos da linha RS fez muito bem aos que preferem características mais aspiracionais. O carro tem linhas afiadas e jogo de luz e sombra mais pronunciados.

Enquanto isso, a BMW optou por uma abordagem mais conservadora, ressaltando mais as superfícies e a amplitude das áreas vazadas. Essas diferenças já podem acabar entregando um pouco sobre para qual público cada modelo terá maior apelo.

Como se saem?

O interior do BMW 320i segue um padrão mais clássico nas linhas, mas a sua conectividade é a mais fácil de lidar
Divulgação

O interior do BMW 320i segue um padrão mais clássico nas linhas, mas a sua conectividade é a mais fácil de lidar

O maior ponto em comum para ambos é a boa rigidez de carroceria e o comportamento preciso ao volante. É dispensável dizer que ambos também são bem “espertos”. O Audi traz motor 2.0 turbo , a gasolina, que entrega 190 cv e 32 kgfm. Por meio do câmbio S Tronic, de dupla embreagem, e sete marchas, acelera de 0 a 100 km/h em 7,4 segundos e chega aos 241 km/h.

Enquanto isso, debaixo do capô do BMW 320i , encontramos o motor 2.0 turbofllex, de 184 cv e 30,6 kgfm, com câmbio automático de oito marchas, que transmite sua força apenas às rodas traseiras. Segundo a BMW, o 320i pode acelerar de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos, com velocidade máxima de 240 km/h.

Ambos trazem seis airbags (frontais, laterais e cortina), assistente de permanência em faixa, alerta de tráfego cruzado , sistema de frenagem de emergência, assistente de partida em rampa, alerta de colisão frontal e controle de estabilidade e tração, ar-condicionado digital de três zonas, assentos dianteiros com regulagens elétricas, controle automático de velocidade, teto-solar, entre outros itens.

Veja Também:  Nova Harley-Davidson Nightster é apresentada e chega em 2023 ao Brasil

E o consumo ? Conforme os dados homologados pelo Inmetro, o BMW faz 11,1 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada, sempre com gasolina. Do outro lado, temos os números aferidos para o A3 Sedan, com 14 km/l na estrada e 11 km/l na cidade.

Quando nos aprofundamos ainda mais no comportamento dos carros, as diferenças entre ambos ressurgem. O A3 Sedan é bastante equilibrado. Evoluiu ao passar por solavancos, mudanças mais rápidas de inclinação e curvas mais velozes, a comunicação da direção com o asfalto ficou mais direta. Entretanto, é fácil perder tração nas rodas dianteiras ao pisar fundo no acelerador.

Para o BMW, o quesito da dirigibilidade é, definitivamente, seu ponto de destaque. Por conta da tração traseira, o 320i tem melhor transferência de peso durante as acelerações e um estilo de condução mais direto. A posição de dirigir é elogiável, com o assento do motorista posicionado mais baixo, deixando o condutor próximo do centro de gravidade.

Conclusão

Ambos os carros compõem a “porta de entrada” para o segmento dos carros premium no Brasil. E tanto um, quanto o outro, podem ser as melhores pedidas. Entretanto, vai depender, exatamente, do que você procura em um carro.

Fica claro que o A3 Sedan é um carro mais jovial. O visual é mais arrojado, dentro e fora, bem como é mais descompromissado com a sua postura ao pisarmos fundo no acelerador. Isso, querendo ou não, serve para proporcionar um aspecto mais lúdico.

Já o BMW é tão maduro no visual, quanto na dirigibilidade. O carro consegue — mais do que o A3 Sedan — o que é difícil de se conciliar: desempenho (com precisão e aceleração) junto do conforto. Claro que a sua tração traseira é uma grande responsável por essa união, mas a posição ao dirigir e a sua suspensão deixam o carro bem preciso nas manobras.

Logo, optamos pelo BMW 320i , quando isolamos apenas a análise do “conjunto da obra”, apesar da questão do custo-benefício pesar a favor do A3 Sedan, que custa em torno de R$ 30 mil a menos, considerando as versões mais bem equipadas. Entre prós e contras, o BMW é mais eficiente, espaçoso para os ocupantes e sofisticado.

Ficha técnica

Audi Audi A3 Performance Black – kit S-Line (a partir de R$ 309.619)

Motor: Diant., transv., 4 cil.em linha, 2.0, 16V, turbo, injeção direta, gasolina

Potência: 190 cv

Torque: 32,6 kgfm

Câmbio: Automático, dupla embreagem e sete marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente; McPherson (diant.) e multilink (tras.)

Freios: Discos ventilados (diant.) e sólidos (tras.)

Porta-malas: 425 litros

Peso: 1.485 kg

Consumo: 14 km/l na estrada e 11 km/l na cidade, com gasolina

0 a 100 km/h: 7,4 segundos

Vel. Max: 241 km/l

320i M Sport (R$ 336.950)

Motor: 2.0, turbo, gasolina

Câmbio: Automático de 8 marchas, tração traseira

Potência: 184 cv

Torque:  30,6 kgfm

Transmissão: automática, oito velocidades, tração traseira

Suspensão: McPherson (dianteira), multibraço (traseira)

Freios: discos ventilados (dianteira e traseira)

Porta-malas: 360 litros

0 a 100 km/h: 7,2 segundos

Velocidade máxima: 240 km/h

Consumo: 11,1 km/l na cidade; 12,5 km/l na estrada (Inmetro)

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Toyota mostra SUV Urban Cruiser Hyryder por completo

Publicados

em

Por

Toyota Urban Cruiser Hyryder é SUV compacto com motor 1.5 a combustão que funciona com outro elétrico
Divulgação

Toyota Urban Cruiser Hyryder é SUV compacto com motor 1.5 a combustão que funciona com outro elétrico

A Toyota está se movimenta para oferecer mais opções no mercado de SUVs, e lança na Índia o Urban Cruiser Hyryder, sua mais nova alternativa para o segmento que vem muito aquecido nos últimos anos em todo o mundo.

No mercado indiano, o Toyota Urban Cruiser Hyryder irá enfrentar Hyundai Creta , Volkswagen T-Cross (onde é conhecido como Taigun) e Kia Seltos .

O novo Toyota terá 4.365 metros de comprimento, 1.795 de largura e 2.600 de entre eixos, números bem próximos aos seus concorrentes e foi desenvolvido com a Maruti Suzuki ,  filial indiana da Suzuki , que já é parceira da Toyota em alguns projetos.

O modelo segue tendências do segmento de SUVs compactos e apresenta faróis divididos em dois elementos, com luzes de DRL e na parte superior com os faróis de LED abaixo.

Veja Também:  Veja o envelopamento especial do Rolls-Royce da família Piquet

O para-choque é bem grande e possui dois elementos também, na parte de cima, o logotipo da Toyota é envolto por uma peça plástica que imita fibra de carbono, enquanto abaixo está a grade com espaço para o ar refrigerar o motor. O SUV traz caixas de rodas altas e com plástico preto ao redor para passar uma perspectiva de veículo com capacidades fora de estrada, o modelo ainda contará com teto em cor contrastante, seguindo outra tendência no mercado.

Na traseira a grande tampa do bagageiro chama a atenção, assim como as lanternas afinadas,e possuem um elemento cromado que as conecta. O local da placa é bem no meio da traseira do veículo e as luzes auxiliares como ré e setas ficam em posição vertical na lateral do para-choque.

Na cabine do novo SUV compacto da Toyota haverá bastante plástico, mas com um acabamento que lembra couro no centro do painel, e itens de conforto como head-up display , carregadore de celular por indução e teto solar panorâmico

Veja Também:  Tecnologia e preços altos impulsionam o compartilhamento de carros

O modelo também oferece partida por botão , ar condicionado digital, cluster com uma tela de LCD e central multimídia de 9 polegadas, que assim como outros acabamentos, podem ser vistos em outros modelos da Suzuki .

O Hyryder será oferecido apenas em motorizações híbridas, mas com diferentes calibrações. Além disso, as versões de entrada terão uma configuração híbrida-leve com um pequeno motor de partida elétrico que somado ao motor 1.5 entrega 101 cv e 13,77 kgfm de torque, e poderá ser equipado com câmbio automático ou manual de 5 marchas.

As versões mais caras do Toyota terão um motor 1.5 de 92 cv que trabalhará em conjunto com um motor elétrico para gerar até 116 cv de potência e 14,4 kgfm de torque, conectado a um câmbio automático do tipo CVT, e somente com energia elétrica, será capaz de rodar 25 km.

No Brasil, a Toyota também vai vender um SUV compacto para brigar com os mesmos rivais do Urban Cruiser Hyryder , mas o carro deverá ser outro, baseado no Yaris Cross . Também haverá versão híbrida, inclusise flex, seguindo a mesma estratégia adotada no Corolla Cross .

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Nova geração do Kia Sportage já aparece no site da marca no Brasil

Publicados

em

Por


Kia Sportage terá no desenho arrojado um dos principais trunfos na briga com os principais rivais
Divulgação

Kia Sportage terá no desenho arrojado um dos principais trunfos na briga com os principais rivais

Após a Kia revelar há quase uma semana um vídeo teaser da nova geração do Sportage no qual é mostrado a frente do SUV, agora o modelo já consta no site da montadora sul-coreana no Brasil, ainda que esteja coberto.

Apesar de tanto mistério, os teasers  indicam que o novo Kia Sportage  vai ser estreado em breve no mercado brasileiro e a julgar pelo design do modelo europeu que será exatamente o mesmo do lançado por aqui, este será um dos maiores atrativos do novo carro.

Além do estilo esportivo fugindo do conceito de ‘SUV’ e ganho um ar mais de hatch esportivo, o novo Sportage contará, como novidade, com motorização eletrificada do tipo híbrido-leve de 48 V , conforme a marca já adiantou em outra ocasião.

Veja Também:  Tecnologia e preços altos impulsionam o compartilhamento de carros

A unidade é uma de 1.6 litro turbinada a gasolina com 180 cv de potência e 27 kgfm de torque associado a uma caixa de câmbio automatizada de dupla embreagem e sete velocidades, com tração dianteira.

Assim como acontece com o Stonic, o pequeno motor elétrico instalado no lugar do motor de arranque otimiza os níveis de emissões e consumo de combustível.

Concorrente direto de modelos como Toyota Corolla Cross, Jeep Compass, Volkswagen Taos e Caoa Chery Tiggo 7 PRO , o novo Kia Sportage está previsto para ser lançado ainda neste mês de julho e seus preços devem ficar entre R$ 219.990 e R$ 254.990 , dependendo da versão escolhida.


Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana