conecte-se conosco


Política MT

Condenados por maus-tratos contra animais podem ser proibidos de novas adoções

Publicados

em

Foto: PEDRO LUIS VELASCO DE BARROS

A prática de maus-tratos a animais domésticos, silvestres, nativos ou exóticos no Brasil é crime previsto na Lei 9.605/98, com pena de 2 a 5 anos de prisão, além do pagamento de multa e inclusão do nome no registro de antecedente criminal, para quem for condenado.

Além do dispositivo legal, tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o projeto de lei nº 500/2022, desenvolvido pelo deputado estadual Valdir Barranco (PT), que garante que pessoas condenadas pelo crime de maus-tratos aos animais no estado não poderão adotar outros animais.

“Esse projeto é uma grande vitória de todos nós, protetores e ativistas. Ela é clara ao vedar aqueles que tenham sido condenados, com sentença transitado em julgado, pelo crime de maus-tratos, de adotar animais”, disse o parlamentar.

A proposta tem como objetivo principal fortalecer a defesa dos direitos dos animais e sua efetiva proteção contra toda e qualquer forma de maus-tratos. Conforme o texto, o Poder Executivo poderá regulamentar a lei para garantir a execução do texto.

Veja Também:  Concessionária de energia elétrica deve adotar medidas preventivas para evitar acidentes com mamíferos silvestres

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Propaganda

Política MT

Audiência pública debate impactos de projeto que afrouxa proteção do Pantanal

Publicados

em

Por

Foto: Karen Malagoli / Secretaria de Comunicação Social

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) realiza, nesta quinta-feira (30), a partir das 9 horas, uma audiência pública para debater os impactos que os Projetos de Lei 03/22 e 561/22 terão sobre o Pantanal. A audiência foi requerida pelo deputado estadual Lúdio Cabral (PT) e deve reunir moradores de comunidades tradicionais pantaneiras, ribeirinhos, quilombolas, indígenas, organizações ambientalistas, pesquisadores e cientistas.

“O Pantanal precisa ser protegido e as populações pantaneiras precisam, de forma sustentável, ter o direito de desenvolver atividades econômicas. Nós temos que encontrar essa equação. E o projeto, da forma que foi feito, não atinge esse objetivo, pois acaba abrindo a porteira para atividades que podem destruir o Pantanal, como o garimpo e a mineração”, alertou Lúdio.

O PL 561, que afrouxa a proteção da Bacia do Alto Paraguai e do Pantanal e libera exploração de áreas que deveriam ser preservadas, foi proposto pela Comissão de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Recursos Minerais e apensado ao PL 03, que já tramitava na Assembleia. O projeto foi colocado em pauta na sessão da semana passada, mas a votação foi adiada depois de Lúdio pedir vista. O deputado observou que o estudo encomendado pela Assembleia para subsidiar a proposta acabou sendo desconsiderado na redação do projeto.

Veja Também:  Empréstimo de US$ 250 milhões entra em pauta nesta quarta-feira (27)

“Os defensores do projeto estão utilizando os pantaneiros e a Embrapa como escudo para justificar essa proposta que é muito perigosa para o Pantanal. A Assembleia contratou a Embrapa Pantanal para realizar um estudo sobre a sustentabilidade de atividades econômicas no bioma. Ao analisar o conteúdo do projeto, identifiquei artigos que não seguiram as limitações recomendadas pela Embrapa, e acabam autorizando a pecuária extensiva em área de preservação permanente (APP) e de reserva legal sem restrições”, citou.

Lúdio destacou a necessidade de fazer uma discussão aprofundada sobre o conteúdo e as consequências do projeto. Ele citou que a audiência pública dará oportunidade para que as populações pantaneiras que foram excluídas da discussão do projeto participem do debate, além de estudiosos, cientistas e pesquisadores que possam avaliar os impactos da proposta sobre o bioma.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Botelho destina emenda para torneio em Santo Antônio do Leste

Publicados

em

Por

Foto: MAURÍCIO BARBANT

Foto: MAURÍCIO BARBANT

Defensor ferrenho de ações que promovam o esporte, para uma vida saudável, o deputado Eduardo Botelho (União Brasil) destinou R$ 100 mil para ajudar na realização do torneio 1º CircuitoSal Esportivo, de Santo Antônio do Leste, na região Sul de Mato Grosso. O presidente da Assembleia Legislativa fez questão de prestigiar o evento que leva entretenimento à população e fomenta a economia local, na noite deste sábado (25).

Outros setores também têm prioridade. À Infraestrutura, Botelho indicou uma máquina rolo compactador pé de carneiro vibratório, no valor de R$ 484 mil; mais ônibus escolar através de indicação de R$ 360 mil.

“Em minha passagem por Santo Antônio do Leste, tive a oportunidade de participar do 1° CircuitoSal Esportivo, o maior evento esportivo do município em dois dias de competição. Antes, o vereador Lucas [Nogueira] me procurou com o projeto desse evento. E, analisando, não tive dúvida que seria uma grande ação em benefício da população, como momento de lazer e confraternização entre atletas do estado de Mato Grosso”, destacou Botelho, ao acrescentar que pode constatar o quanto é positivo o evento à cidade e que ficará marcado no calendário municipal.

Veja Também:  Botelho visita Cáceres e recebe reivindicações

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana