conecte-se conosco


Política MT

Congresso Internacional Luminarium terá opção de participação on-line

Publicados

em

Foto: MÁRCIA ANDREOLA

O Rio de Janeiro vai receber, entre 12 e 14 de agosto, o 3º Congresso Internacional de Ciência, Consciência e Espiritualidade, e os mato-grossenses não precisarão viajar para acompanhar: esta edição será híbrida – com participações on-line e presenciais. Uma plataforma permitirá a participação remota nas palestras, nos atendimentos terapêuticos e nas rodas de conversas.

Com médicos, cientistas, psicólogos, terapeutas e pensadores brasileiros e internacionais, o Luminarium, evento aberto a profissionais e interessados em geral, vem se estabelecendo como um espaço de desenvolvimento do autoconhecimento. A proposta não é apresentar um caminho pronto, mas de ajudar os participantes a construírem o próprio caminho para a evolução espiritual, a expansão da consciência e, consequentemente, saúde integral.

“Já sabemos, por meio de estudos científicos, que questões subjetivas, como a fé, sentimentos nobres, atitudes e pensamentos positivos, podem contribuir para uma saúde mais plena e até reverter uma doença já instalada. A questão é: como capitalizar todo esse poder que temos em prol de nós mesmos e do próximo? Como alcançar o equilíbrio ou a tal da felicidade? A resposta está em nós. E o Luminarium é o espaço propício para você buscar aquelas que você necessita para evoluir e tornar a vida mais leve”, diz Tânia Viégas, idealizadora da iniciativa.

Veja Também:  Agricultura familiar recebe investimentos

“O formato híbrido é uma demanda do público, pois possibilita que os interessados participem do Congresso de suas próprias cidades […]. E o melhor: com acesso a todo o conteúdo programático, incluindo as palestras, workshops e atendimentos. Apenas a Feira do Bem Viver será exclusiva aos que optarem pelo formato presencial”, contextualiza Tânia. 

As inscrições são pagas e, a partir de uma parceria com a Assembleia Social (Coordenadoria de Integração, Cidadania e Cultura), algumas participações receberão isenção, mediante seleção a partir de critérios de vulnerabilidade, a serem aplicados pela coordenadoria.

“Eu estudo filosofia e pratico algumas terapias integrativas. Sei bem da importância de nos preocuparmos com a mente, com o corpo e com a alma para caminharmos rumo à plenitude. A busca por equilíbrio é uma constante e o autoconhecimento é o caminho”, comenta a coordenadora da Assembleia Social, Daniella Paula Oliveira.

As inscrições estão abertas e os valores variam por datas, se a participação será on-line ou presencial e o setor. Saiba mais em: https://www.congressoluminarium.com.br.

Programação

O primeiro dia do evento, dia 12 de agosto, será dedicado exclusivamente aos atendimentos pessoais: são quatro salas terapêuticas em funcionamento no local do evento, o Othon Palace Hotel, em Copacabana, e duas salas de atendimento on-line. As salas terapêuticas oferecerão rodas de conversa e diferentes modalidades de terapia.

Veja Também:  Barranco cobra apuração de irregularidades em teste físico de concurso da Segurança Pública

Nos dias 13 e 14 de agosto, serão realizadas as palestras. Serão 15 palestrantes ao todo, a exemplo do médico e naturopata alemão Rüdiger Dhalke, que falará sobre os processos de cura e autocura. Dahlke é autor do best seller ‘A Doença Como Caminho’.

No dia 14, outros oito palestrantes se revezarão ao longo do dia para debater o tema Espiritualidade, Materialidade e a Consciência do Equilíbrio.

A programação completa está disponível neste link: https://www.congressoluminarium.com.br/programacao/.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Propaganda

Política MT

TVAL fará entrevistas com candidatos ao Senado e ao governo de MT

Publicados

em

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A TV Assembleia, canal 30.1, dá início, nesta terça-feira (16), às gravações de entrevistas com os candidatos ao Senado e ao governo de Mato Grosso. Todos os candidatos registrados para concorrer aos cargos foram convidados a participar, sendo sete ao Senado e quatro ao governo. 

As entrevistas serão conduzidas pelos jornalistas da TVAL Cláudio Oliveira e Narbal Guerreiro e integrarão a grade especial do programa Entrevista Coletiva. Cada uma terá duração de 30 minutos e será feita sem intervalos e sem edição (irá ao ar na íntegra). 

A todos os candidatos será apresentado um total de 13 perguntas, sendo elas iguais para concorrentes ao mesmo cargo. A contagem de tempo de cada entrevista será feita de forma regressiva e os candidatos terão, em média, dois minutos e quinze segundos para responder uma pergunta.

“As perguntas para os candidatos ao Senado e ao governo serão diferentes, levando em consideração a natureza e perfil de cada cargo, no entanto todos que concorrem ao mesmo cargo responderão exatamente aos mesmos questionamentos. As perguntas seguirão um roteiro pré-estabelecido e terão como foco os principais temas de interesse do eleitorado, como saúde, segurança e educação”, explica Cláudio Oliveira.

Veja Também:  Comissão de Agropecuária discute regularização fundiária

As entrevistas serão veiculadas na TVAL no período de 26 de agosto a 29 de setembro – respeitando a legislação eleitoral -, em seis horários diários de segunda a sexta-feira (6h30, 12h30, 17h, 19h50, 21h e 22h) e em sete horários distintos aos finais de semana, que serão preenchidos em forma de “carrossel de revezamento”.

“Dessa forma, cada candidato terá, no mínimo, 20 inserções até o dia da eleição”, frisa Oliveira.

Conforme o apresentador, a emissora decidiu ouvir todos os postulantes aos cargos – e não somente os candidatos mais bem colocados nas pesquisas – para proporcionar aos eleitores a oportunidade de conhecê-los, bem como as propostas que defendem.

“A preocupação da TVAL é o interesse público. Queremos que as pessoas conheçam quem está concorrendo aos cargos e, por isso, resolvemos ouvir todos. Assim, elas terão informações suficientes para comparar os candidatos e tomar suas decisões”, destaca.

Caso algum candidato não compareça à entrevista, os horários de veiculação serão divididos com aqueles que participarem.

Veja Também:  Intermat e Aprosoja se comprometem a agilizar regularização fundiária

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

CFAEO promove segunda audiência sobre o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias

Publicados

em

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso realizou, na tarde desta quarta-feira (10), audiência pública para discutir o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias para o ano de 2023 (PLDO-573/2022). O debate foi conduzido pela Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária e contou com participação de representantes da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz/MT), sindicatos, Defensoria Pública, Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM).

A receita total líquida para o ano de 2023 prevista na PLDO é de cerca de R$ 28,6 bilhões. O secretário-adjunto da Receita Pública da Sefaz/MT, Vinícius José Simioni da Silva, explicou os indicadores e parâmetros levados em consideração para chegar ao número apresentado na peça orçamentária. Porém, a estimativa foi alvo de questionamentos de participantes que acreditam na possibilidade de excesso de arrecadação.

Segundo o secretário-adjunto do Orçamento Estadual, Ricardo Capistrano, números podem ser atualizados para apresentação do projeto de lei orçamentária, que deve chegar em setembro para apreciação da Assembleia. O representante da Sefaz ainda destacou que a PLDO-2023 cria dispositivo para medir impactos e retorno econômicos das políticas públicas feitas pelo Estado de Mato Grosso.

Veja Também:  Agricultura familiar recebe investimentos

Entre as prioridades contidas no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2023 estão manutenção de espaços educacionais, construção e reforma de estabelecimentos assistenciais de saúde, implementação de programas sociais e pavimentação e conservação de rodovias e gestão da regularização ambiental de imóveis rurais.

Representantes de sindicatos do funcionalismo público estadual cobraram a realização de concursos públicos para diferentes órgãos e secretarias e o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) dos anos em que a correção não foi concedida. A falta de oferta de qualificação profissional e a efetividade da renúncia fiscal dada pelo governo também foram alvo de discussões.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana