conecte-se conosco


Carros e Motos

Conheça a história da Chevrolet Caravan

Publicados

em

source


Chevrolet Caravan: teve versão esportiva logo nos primeiros anos de produção, em meados doa anos 70
Divulgação

Chevrolet Caravan: teve versão esportiva logo nos primeiros anos de produção, em meados doa anos 70

Baseado no Chevrolet Opala, a Caravan também se tornou um dos grandes sucessos da General Motors Corporation . Na Europa, a perua foi fabricada pela alemã Opel como Rekord Caravan, nas versões de duas e quatro portas.

O ano era 1966 quando as primeiras unidades começaram a ser entregues aos proprietários. Denominado de Rekord C , tanto a configuração sedã (duas e quatro portas) quanto a perua substituíam o modelo B de 1965 de 1,9 litro, de quatro cilindros, utilizado mais tarde no esportivo  Opel GT.

Aliás, a série C é bem popular no Brasil. Por aqui, o Opala foi lançado pela General Motors em 1968, durante uma apresentação feita no VI Salão do Automóvel de São Paulo.

O sucesso foi tanto que logo nos primeiros anos, o carro já era o mais novo sonho de consumo do brasileiro . Até o final de sua produção em 1992, foram vendidas mais de um milhão de exemplares.

A durabilidade de seus componentes mecânicos, o conforto e a inconfundível e elegante carroceria fizeram da linha Opala um dos veículos mais cobiçados até os dias atuais.

Propaganda da dupla Opala e Caravan modelos mais sofisticados que a GM podia oferecer no Brasil
Divulgação

Propaganda da dupla Opala e Caravan modelos mais sofisticados que a GM podia oferecer no Brasil

Para o ano de 1975, surgia a maior revolução da linha Opala/Caravan coincidindo com os 50 anos da GM. A nova linha recebia uma nova frente e traseira, de estilo mais atualizado, capô com vincos acentuados, setas localizadas agora nas extremidades dos para-lamas dianteiros, nova grade, e lanternas redondas duplas, de estilo semelhante as do esportivo  Corvette.

Veja Também:  Produção tem alta de 10,7% em maio, segundo Anfavea

Junto com o Opala , a sua variante perua  também estreava a linha 1975. Denominada de Caravan , a perua só tinha a opção de três portas ao contrário da Opel Rekord Caravan , além dos motores de quatro e seis cilindros.

Assim como o Opala , a Caravan era idêntica aos seus precursores Opel Rekord, com exceção das quatro portas neste último, é claro. Para-choques, grade e adereços também eram diferentes.

A Chevrolet Caravan , assim como o Opala, eram oferecidos em duas versões, a de 2,5 litros e a de 4,1 litros, Standard e Comodoro, respectivamente.

Por fora, o desenho era bastante harmonioso. Atrás, as lanternas traseiras eram as mesmas do Opala e a placa de licença era posicionada no para-choque, causando uma linha mais limpa na tampa traseira.

De tão esquecida, chega a ser difícil encontrar conteúdo sobre a Chevrolet Caravan Silverstar na internet
Divulgação

De tão esquecida, chega a ser difícil encontrar conteúdo sobre a Chevrolet Caravan Silverstar na internet

O espaço para bagagens era o ponto forte da Caravan , comportava bons 380 litros. Em 1977, tanto o Opala quanto a Caravan , na versão Comodoro contava com o motor de quatro cilindros, além da opção do antigo de seis cilindros, oferecido opcionalmente.

Três anos após o lançamento da Caravan , a GM completava 500 mil unidades produzidas, a linha Comodoro 78 passava a contar com o interior monocromático nas opções de cores, marrom, preta e vinho.

Além do aconchegante interior, o painel ficou mais requintado , contando com um conta-giros, dois pares de faróis de neblina (um posicionado na grade e o outro embaixo do para-choque) e um relógio analógico.

A vitaminada versão SS contava com o motor 250-S de 148 cv , alimentado por um carburador de corpo duplo. Esteticamente, a SS era diferenciada pelas rodas de seis polegadas, faixa preta decorativa nas laterais e no capô, faróis auxiliares e espelhos retrovisores esportivos pintados na cor do veículo.

Veja Também:  Renault Zoe ganha discretas mudanças na linha 2022 no mercado europeu

Linha 1980 recebia um desenho mais limpo e harmônico

Precisava de espaço para as malas? Queria viajar? Nada superava a Caravan nesses quesitos
Divulgação

Precisava de espaço para as malas? Queria viajar? Nada superava a Caravan nesses quesitos

Para 1980, a linha Opala ganhava uma reestilização. Na perua Caravan , a grande modificação era notada pelas lanternas de formato trapezoidal. A frente recebia faróis retangulares, grade mais atual e limpa, além de um capô mais acentuado.

Os para-choques, por sua vez, tornavam-se maiores e ganhavam uma faixa de borracha, sendo que na versão SS estes eram pintados na cor da carroceria. Em outras palavras, um carro mais atual. No mesmo ano, a GM disponibilizava a versão topo de linha Diplomata que contava com um acabamento mais primoroso e rodas de alumínio de série.

Em 1985, a linha contava com algumas mudanças, desta vez mais sutis. No conjunto mecânico não houveram alterações. No ano seguinte, a Caravan Diplomata recebia a opção de pintura de dois tons, a saia e blusa e algumas alterações irrelevantes.

Novas mudanças só viriam na linha 1988. Os faróis e grade criavam uma linha mais harmônica ao conjunto. A versão SL estreava na linha como modelo de entrada e, além dela, havia a Comodoro SL/E e a luxuosa Diplomata SE que contavam com saídas do ar condicionado no túnel traseiro, ajuste de coluna de direção, alarme sonoro dos faróis ligados, trio elétrico, temporizador do facho dos faróis, entre outros mimos.

Chevrolet Caravan tem bom espaço interno, principalmente no porta-malas, como uma boa perua
Divulgação

Chevrolet Caravan tem bom espaço interno, principalmente no porta-malas, como uma boa perua

Internamente, o painel era o mesmo das linhas anteriores. Apenas o volante, novos grafismos, e padronagem dos tecidos compunham a nova linha.

Em 1991, a Caravan recebia uma nova cara, considerada por muitos aficionados como a melhor série de todos os tempos de produção. Para-choques envolventes e janelas sem quebra-vento, rodas de aro 15 com pneus 195/65. No conjunto mecânico, os freios a disco nas quatro rodas e direção hidráulica (ZF Servotronic) passavam a contar como um item de série na Diplomata SE

Com um sucesso acompanhado do Opala , a Caravan se despedia da sua linha de montagem em São José dos Campos (SP) em 1992, mais precisamente no dia 16 de abril de 1992, sendo que a última delas, foi uma Caravan ambulância.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Toyota mostra teaser de novo SUV compacto, rival de Creta e outros

Publicados

em

Por


Toyota Urban Cruiser Hyryder: versão híbrida será o principal trunfo do modelo diante dos fortes rivais
Divulgação

Toyota Urban Cruiser Hyryder: versão híbrida será o principal trunfo do modelo diante dos fortes rivais

Programado para ser lançado em 1º de julho na Índia e vendas marcadas a partir mês seguinte, o novo SUV compacto da Toyota aparece em formato de teasers.  O novo modelo será oferecido em mercados emergentes e vai concorrer com modlos como Hyundai Creta, Volkswagen T-Cross e Jeep Renegade.

Em todo o caso, o novo Toyota já tem um nome, Urban Cruiser Hyryder. Outra certeza é que ele terá versões híbridas logo no início do lançamento, o que será uma grande vantagem frente à concorrência que não oferta essas configurações.

As especificações técnicas do novo SUV compacto da Toyota não foram reveladas oficialmente, mas os relatórios sugerem que haverá duas opções disponíveis – um motor a gasolina 1.5 com um sistema híbrido leve e um outro híbrido gasolina-elétrico com a mesma cilindrada.

Veja Também:  Produção tem alta de 10,7% em maio, segundo Anfavea

O segundo vídeo teaser também revela que o próximo Urban Cruiser Hyryder terá um sistema de controle automático em oferta, com o mesmo painel de controle do novo Glanza. Graças à tecnologia de carros conectados, os proprietários também terão acesso remoto ao sistema de controle climático.

Toyota Urban Cruiser terá luzes diurnas em posição elevada e faróis embutidos no para-choque
Divulgação

Toyota Urban Cruiser terá luzes diurnas em posição elevada e faróis embutidos no para-choque

Esteticamente, o carro da Toyota terá o conjunto óptico dividido na parte frontal composta por DRLs de LED e faróis principais de LED e atrás, as lanternas em LED lembram o formato de um bumerangue, que lembram as do sedã Honda Accord.

Ao que tudo indica, o Toyota UCH será construído sobre a plataforma DNGA, uma versão mais simplificada da arquitetura TNGA cuja adaptação foi feita pela  Daihatsu , marca do grupo Toyota.

O próximo Toyota Urban Cruiser Hyryder terá um sistema de infotainment com tela sensível ao toque de 9 polegadas, semelhante ao novo Glanza. Ele provavelmente executará o sistema Smart Playcast Pro e obterá suporte para Android Auto e Apple CarPlay.

Veja Também:  Aceleramos os esportivos civis Toyota Corolla Cross GR-S e Hilux GR-S

A ideia é de que a Toyota lance o modelo abaixo do Corolla Cross brasileiro e com isso a oferta de SUVs passe a ter uma maior variação com modelos como RAV4 , Corolla Cross e o Urban Cruiser Hyryde .

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Yamaha quer que suas fábricas sejam neutras em carbono até 2035

Publicados

em

Por


Unidade de produção da Yamaha em Ludhiana, Punjab, na Índia, é uma das fábricas que ficarão mais ecológicas
Divulgação

Unidade de produção da Yamaha em Ludhiana, Punjab, na Índia, é uma das fábricas que ficarão mais ecológicas

A Yamaha anuncia que seu objetivo  é se tornar ‘verde’ na questão de neutralizar em todas suas fábricas no mundo quanto ao número de carbono e que todo o processo está sendo acelerado em 15 anos.

O programa da empresa ‘Yamaha Motor Group Environmental Plan 2050’ tem como propósito alcançar a neutralidade de carbono para suas fábricas, incluindo aquelas no exterior, até 2050, mas graças ao adiantamento do processo, esse plano valeria agora para  até 2035.

Para atingir o novo objetivo, a empresa diz que intensificará as iniciativas para minimizar seu consumo de energia e também para usar energia mais limpa e que algumas das ideias já estão sendo consideradas para atingir esses objetivos.

Veja Também:  Renault lança Kwid Outsider, na Colômbia, pelo equivalente a  R$ 36.900

Entre as ideias, estão a redução do uso de energia por meio de melhores requisitos de direcionamento; desligamentos automáticos meticulosos de equipamentos quando não são necessários; introdução de equipamentos minimizados, mas altamente produtivos; mudança para energia hidrelétrica sempre que possível; instalar mais painéis solares e direcionar o uso de eletricidade livre de carbono globalmente até 2030.

De acordo com a Yamaha, o resultado projetado desses movimentos até 2035 é uma redução de 92% nas emissões de CO2 (em comparação com 2010) das operações de produção nas fábricas locais e internacionais da Yamaha Motor.

Além disso, as emissões restantes de CO2 serão compensadas internacionalmente por meio de métodos reconhecidos para levar a cabo o plano da Companhia para alcançar a neutralidade de carbono em todas as suas fábricas.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana