conecte-se conosco


Saúde

Covid-19: Brasil recebe mais 1,1 milhão de doses de vacina da Pfizer

Publicados

em


O Brasil recebeu na noite de hoje (9) mais um lote de vacinas da Pfizer, com 1.134.900 doses. Os imunizantes chegaram no aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas (SP), em um voo da UPS. As vacinas agora serão transportadas para o depósito do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP).

Estavam previstas as chegadas hoje de dois lotes de vacinas da Pfizer, o 67º e o 68º. No entanto, o primeiro, que viria em um voo da Latam Cargo, que traria 1,52 milhão de doses, foi remanejado para amanhã, e deverá chegar na madrugada, por volta das 3 horas.

De acordo com a Pfizer, até o próximo dia 12, a empresa deverá totalizar a entrega de 72 lotes dos imunizantes, com cerca de 72 milhões de doses da vacina.

Segundo a empresa, serão entregues 200 milhões de doses do imunizante ao país até o final de 2021, por meio de dois contratos de fornecimento da vacina. O primeiro, fechado com o Ministério da Saúde, em 19 de março, prevê a entrega de 100 milhões até o final de setembro. Já o segundo, assinado em 14 de maio, prevê mais 100 milhões de doses entregues entre outubro e dezembro.

Veja Também:  Niterói aplica Pfizer como 2ª dose para AstraZeneca

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covid-19: DF começa nova antecipação da segunda dose da Pfizer

Publicados

em


O governo do Distrito Federal (DF) realiza, a partir de hoje (23), uma nova antecipação de segunda dose da vacina contra a covid-19, voltada a pessoas que tomaram a primeira dose do imunizante da Pfizer/BioNTech.

Quem tomou a primeira dose da vacina e teve a previsão da segunda dose marcada para até o dia 27 de outubro poderá ter o complemento da imunização a partir desta quinta-feira.

A expectativa é atender até 240 mil pessoas nessa condição. Os locais de vacinação estão listados no site da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Não há necessidade de agendamento.

Ontem, o DF começou a aplicar a dose de reforço para pessoas com 85 anos ou mais, desde que tenham pelo menos seis meses da primeira dose ou da dose única (no caso da Janssen). Também ontem teve início o agendamento da dose de reforço para imunossuprimidos, cuja aplicação começará na segunda-feira (27).

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Veja Também:  Covid-19: Rio pede que empresas liberem funcionários para vacinar
Continue lendo

Saúde

Meditação reduz estresse de pacientes do Into

Publicados

em


O Dia Mundial de Combate ao Estresse, comemorado hoje (23), destaca os cuidados que se deve ter com o bem-estar emocional das pessoas, especialmente durante a pandemia de covid-19. No Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), no Rio de Janeiro, a preocupação com a saúde emocional dos pacientes é constante. Por isso, desde agosto de 2019, o órgão, vinculado ao Ministério da Saúde, adotou a prática da meditação como aliada na redução dos níveis de estresse e ansiedade, visando à melhoria da qualidade de vida dos pacientes.

Responsável pelo grupo de meditação do Into, o fisioterapeuta Raphael Rezende, disse à Agência Brasil que a meditação tem o objetivo não só de combater o estresse vivido pelos pacientes com problemas ortopédicos, mas também o estresse cotidiano por se viver em uma grande cidade, como o Rio, além dos desafios na reabilitação de doenças.

A atividade da meditação não só reduz o estresse, mas serve para atenuar, em longo prazo, dores físicas, que são um sintoma muito comum de quem tem problemas ou lesões ortopédicas e até depois de cirurgias, disse Rezende. “O primeiro resultado seria a redução das dores. E na temática mais vinculada ao estresse, eu acredito que as pessoas conseguem ter mais confiança, mais tranquilidade, mais recursos para lidar com situações desafiadoras, tanto as relacionadas às questões físicas, quanto as da vida cotidiana, nessa realidade estressante da cidade, que a gente conhece. O retorno da atividade foi muito proveitoso para os pacientes”, assegurou o fisioterapeuta.

Veja Também:  Covid-19: Rio pede que empresas liberem funcionários para vacinar

Readaptação

As atividades de meditação foram interrompidas de março a agosto do ano passado devido à pandemia, precisaram ser readaptadas, mas já retornaram ao esquema presencial, atendendo às orientações das autoridades sanitárias, com número reduzido de pessoas, espaço adequado e distanciamento de mais de um metro entre os pacientes. As atividades acontecem atualmente uma vez por semana, em grupos de até cinco pessoas por horário. A prática já beneficiou cerca de 60 pessoas. No momento, Raphael Rezende atende 30 pacientes do Into, dos quais alguns já tiveram alta. “Não tem fila para isso”, esclareceu.

A atividade é toda voltada para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Para ter acesso à prática, basta os pacientes terem o encaminhamento interno, dentro dos objetivos terapêuticos do hospital. “Os pacientes aprendem a realizar as atividades de meditação e passam a praticar em casa. É algo fundamental para que eles entrem no dia-a-dia e possam trazer os resultados e benefícios de forma mais consistente”.

Raphael Rezende informou que as principais indicações para a prática da meditação no Into são de casos de pacientes que têm dores crônicas, impactos ou dificuldades no processo de recuperação e reabilitação pós-cirúrgica e impactos emocionais vinculados ao estresse. Nos outros dias de trabalho, ele atende pacientes com fisioterapia motora.

Veja Também:  Covid-19: Anvisa libera testes clínicos para duas novas vacinas

Depoimentos

A paciente Maria das Graças Martins Henain, 67 anos, disse que a meditação passou a fazer parte de sua vida. Ela não falta a nenhuma reunião no Into. “Sei que vou sair renovada, pronta para cumprir minhas tarefas. Faço a meditação há mais de um ano, desde que amputei uma parte da perna, e essa atividade passou a me fortalecer todos os dias”.

Também frequentadora das sessões de meditação há mais de um ano, Sandra Lúcia Bastos, 62 anos, conta que a prática tem sido uma ferramenta importante no alívio das dores causadas pela fibromialgia. “Eu não conseguia ter uma noite de sono tranquilo, devido às fortes dores que sentia. A meditação me trouxe qualidade de vida”, afirmou Sandra.

Para Lucia Regina de Lima, 59 anos, a meditação a ajudou a lidar com as dores após a cirurgia de ombro, e também na vida pessoal. “Eu moro sozinha, e a meditação passou a ser um apoio na minha vida. Não sei o que faria, caso não tivesse acesso a essa atividade. Foi algo transformador para mim”, disse ela. 

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana