conecte-se conosco


Política Nacional

Decreto cria verbas para pagar Auxílio Brasil de R$ 400 em dezembro

Publicados

em


A edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de hoje (7) trouxe o texto da medida provisória (MP) 1.076 de 2021, que antecipa o pagamento do novo valor do Auxílio Brasil – programa social de distribuição de renda que substitui o antigo Bolsa Família.

O instrumento cria um benefício extraordinário que complementa as parcelas já previstas do Auxílio Brasil para o valor de R$ 400 divulgado pelo governo. A manobra ocorre devido à necessidade de promulgação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, que deverá ser fatiada e que possibilitará a alocação de recursos para o pagamento integral do Auxílio Brasil.

Segundo o calendário de pagamentos já divulgado pela Caixa, os créditos relativos à parcela de dezembro do Auxílio Brasil serão recebidos a partir da próxima sexta-feira (10).

Leia também:
» Veja o calendário do ciclo de pagamentos do Auxílio Brasil em dezembro

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a PEC dos Precatórios e afirmou que o instrumento não é “calote”, mas uma forma viável de realocar dívidas em prol de uma revisão justa de benefícios sociais.

Veja Também:  Parecer de Flávio Bolsonaro a favor de criação da NAV Brasil será analisado na quinta-feira

“[A PEC dos Precatórios] não é um calote, muito pelo contrário. É uma renegociação, um alongamento de dívida para quem tinha mais de R$ 600 mil para receber do governo. É isso que nos permite um saldo, um espaço, para potencializar com justiça o programa”, disse o presidente durante a cerimônia de assinatura da concessão de frequências do 5G no Palácio do Planalto.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Comentários Facebook
Propaganda

Política Nacional

Presidente participa de missa de sétimo dia da mãe

Publicados

em

Por


O presidente Jair Bolsonaro chegou às 9h da manhã de hoje (27) à Catedral Militar Rainha da Paz, em Brasília, para a missa de sétimo dia de sua mãe, Olinda Bonturi Bolsonaro.

Ele estava acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro e do filho, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos – RJ), além de três ministros militares – Walter Braga Netto (Defesa), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). A missa foi celebrada pelo arcebispo militar do Brasil, dom Fernando Guimarães.

Outra celebração em memória de dona Olinda será realizada pela família hoje em São Paulo, mas sem a presença do presidente. Por causa da missa de sétimo dia, Bolsonaro cancelou participação na cúpula do Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul (Prosul), em Cartagena, Colômbia. O vice-presidente Hamilton Mourão representa o Brasil no encontro.

Histórico

A morte de dona Olinda, na madrugada da última sexta-feira (21), aos 94 anos, foi anunciada pelo próprio presidente em suas redes sociais. Ela estava internada no Hospital São João, em Registro, no interior paulista.

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
Veja Também:  Parecer de Flávio Bolsonaro a favor de criação da NAV Brasil será analisado na quinta-feira
Continue lendo

Política Nacional

Vice-presidente participa de Cúpula do Prosul na Colômbia

Publicados

em

Por


O vice-presidente Hamilton Mourão está em Cartagena das Índias, na Colômbia, onde participará da Cúpula do Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul (Prosul), representando o presidente Jair Bolsonaro. Ele embarcou na manhã desta quarta-feira (26), acompanhado do ministro das Relações Exteriores, Carlos França.

Procurado pela reportagem, o Palácio do Planalto não informou oficialmente os motivos da desistência do presidente Jair Bolsonaro de participar do encontro de líderes regionais. Informalmente, um dos dos motivos alegados para o cancelamento da viagem é o luto do presidente pela morte da mãe, Olinda Bolsonaro, ocorrida na última sexta-feira (21). Está prevista a presença do presidente na missa de sétimo dia em memória da mãe, nesta quinta-feira (27).

Segundo a agenda oficial de Mourão, o único compromisso dele nesta quarta-feira é o jantar oferecido presidente da Colômbia, Iván Duque, aos chefes de Estado presentes à cúpula. Outros detalhes sobre a agenda na cúpula ainda não foram informados pelo Itamaraty. 

O Prosul foi criado em março de 2019 para substituir a União Sul-Americana de Nações (Unasul), que existia desde 2008. Participam atualmente do bloco Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai e Peru. Três países sul-americanos não fazem parte do bloco: Bolívia, Uruguai e Suriname. A Venezuela não foi convidada para integrar o grupo.

Veja Também:  Para senadores, prisão de Temer demonstra que Lava Jato não tem atuação política

Edição: Nádia Franco

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana