conecte-se conosco


Estadual

Domingo (06): Mato Grosso registra 415.928 casos e 11.165 óbitos por Covid-19

Publicados

em

Há 454 internações em UTIs públicas e 388 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 85% para UTIs e 43% em enfermaria

Fernanda Nazário | SES-MT

Foram notificadas 259 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado – Foto por: Tchélo Figueiredo – Secom/MT

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste domingo (06.06), 415.928 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.165 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado. 

Foram notificadas 259 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 415.928 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.638 estão em isolamento domiciliar e 390.347 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 454 internações em UTIs públicas e 388 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 85,98% para UTIs adulto e em 43% para enfermarias adulto. 

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (87.529), Rondonópolis (30.273), Várzea Grande (28.735), Sinop (20.479), Sorriso (14.325), Tangará da Serra (14.291), Lucas do Rio Verde (12.725), Primavera do Leste (10.730), Cáceres (8.853) e Alta Floresta (7.976).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 344.112 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 356 amostras em análise laboratorial. 

Cenário nacional

No sábado (05.06), o Governo Federal confirmou o total de 16.907.425 casos da Covid-19 no Brasil e 472.531 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 16.841.408 casos da Covid-19 no Brasil e 470.842 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.  

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados deste domingo (06.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Veja Também:  Terça-feira (16): Mato Grosso registra 6.877 casos e 250 óbitos por Covid-19

Comentários Facebook
Propaganda

Estadual

Confira a estimativa da população dos 141 municípios de MT para 2021

Publicados

em

Mato Grosso tinha, no último dia 1º de julho, 3.567.234 moradores, segundo as Estimativas de População 2021 (EstimaPop). Esse número representa 41.014 a mais do que a da pesquisa do ano anterior. O estado é o 16º colocado no ranking populacional, com 1,7% da população estimada brasileira, que ficou em 213.317.639 habitantes, distribuídos pelos 5.570 municípios que compõem as 27 Unidades da Federação.

UF POPULAÇÃO 2021 % UF POPULAÇÃO 2021 %
São Paulo 46.649.132 21,9% Paraíba 4.059.905 1,9%
Minas Gerais 21.411.923 10,0% Mato Grosso 3.567.234 1,7%
Rio de Janeiro 17.463.349 8,2% Rio Grande do Norte 3.560.903 1,7%
Bahia 14.985.284 7,0% Alagoas 3.365.351 1,6%
Paraná 11.597.484 5,4% Piauí 3.289.290 1,5%
Rio Grande do Sul 11.466.630 5,4% Distrito Federal 3.094.325 1,5%
Pernambuco 9.674.793 4,5% Mato Grosso do Sul 2.839.188 1,3%
Ceará 9.240.580 4,3% Sergipe 2.338.474 1,1%
Pará 8.777.124 4,1% Rondônia 1.815.278 0,9%
Santa Catarina 7.338.473 3,4% Tocantins 1.607.363 0,8%
Goiás 7.206.589 3,4% Acre 906.876 0,4%
Maranhão 7.153.262 3,4% Amapá 877.613 0,4%
Amazonas 4.269.995 2,0% Roraima 652.713 0,3%
Espírito Santo 4.108.508 1,9% TOTAL 213.317.639 100,0%

As Estimativas, realizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nos anos em que não há Censo Demográfico ou Contagem da População, são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são fundamentais para calcular os indicadores econômicos e sociodemográficos. Esta divulgação anual obedece ao artigo 102 da Lei nº 8.443/1992 e à Lei complementar nº 143/2013.

As populações dos municípios foram estimadas por método matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos munícipios. O método baseia-se na população estadual projetada e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010) e ajustadas. As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais que tenham ocorrido entre os municípios após 2010.

De acordo com o estudo, a população da região Centro-Oeste foi estimada em 16.707.336 neste ano. Goiás é o mais populoso, com 7.206.589 moradores. Mato Grosso ficou em segundo lugar na região, seguido por Distrito Federal (3.094.325) e Mato Grosso do Sul (2.839.188).

A EstimaPop aponta que as capitais, juntas, somaram 50.916.038 moradores em julho de 2021, o que representa 23,87% da população estimada brasileira. Cuiabá é a 20ª capital mais populosa, com 623.614 habitantes.

Já a região metropolitana Vale do Rio Cuiabá ficou estimada em 1.060.703 moradores, na 28ª e última posição entre as regiões metropolitanas, regiões integradas de desenvolvimento e aglomerações urbanas com mais de um milhão de habitantes. Juntas, elas têm 101.725.084 de população estimada, o que equivale a 47,7% da população brasileira.

No estado, o município de Cuiabá continua sendo o mais populoso, com 623.614 habitantes (5.490 a mais do que em 2020), seguido por Várzea Grande (290.383), Rondonópolis (239.613), Sinop (148.960) e Tangará da Serra (107.631).

Cáceres (95.339), Sorriso (94.941), Lucas do Rio Verde (69.671), Primavera do Leste (63.876) e Barra do Garças (61.702) completam a lista das dez cidades mais populosas de Mato Grosso, que não se alterou em relação à EstimaPop 2020. No ranking de todas as cidades do Brasil, Cuiabá ficou na 35ª colocação. Já Várzea Grande é o 97º maior município em número de moradores do país.

No outro extremo, Araguainha (909), Ponte Branca (1.525), Serra Nova Dourada (1.705), Luciara (2.036) e Ribeirãozinho (2.439) são os menores municípios do estado em população. Araguainha é a terceira cidade com menos moradores do Brasil e uma das quatro com menos de mil: as outras são Serra da Saudade (MG), com 771 habitantes, Borá (SP), com 839, e Engenho Velho (RS), com 932.

Estimativas da população não incorporam efeitos da pandemia

De acordo com o gerente de Estimativas e Projeções de População do IBGE, Márcio Mitsuo Minamiguchi, dados preliminares do Registro Civil e do Ministério da Saúde apontam para um excesso de mortes, principalmente entre idosos, e uma diminuição dos nascimentos. É possível que também tenham ocorrido alterações nos fluxos migratórios. As implicações disso no tamanho da população, contudo, serão verificadas a partir do próximo Censo Demográfico.

“Como a pandemia ainda está em curso e devido à ausência de novos dados a respeito da migração, que juntamente com a mortalidade e fecundidade constituem as chamadas componentes da dinâmica demográfica, ainda não foi elaborada uma projeção da população para os estados e o Distrito Federal que incorpore os efeitos do contexto sanitário atual na população”, explica Minamiguchi.

O gerente do estudo conclui: “o próximo Censo Demográfico, que será realizado em 2022, trará não somente uma atualização dos contingentes populacionais, como também subsidiará as futuras projeções, fundamentais para compreender as implicações da pandemia sobre a população, não somente no curto, mas também no médio e longo prazo”.

ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS DE MT  
NOME DO MUNICÍPIO 2020 2021
Acorizal 5.334 5.309
Água Boa 26.204 26.679
Alta Floresta 51.959 52.105
Alto Araguaia 19.385 19.714
Alto Boa Vista 6.936 7.092
Alto Garças 12.151 12.323
Alto Paraguai 11.473 11.587
Alto Taquari 11.133 11.413
Apiacás 10.283 10.431
Araguaiana 3.109 3.064
Araguainha 946 909
Araputanga 16.951 17.078
Arenápolis 9.502 9.399
Aripuanã 22.714 23.067
Barão de Melgaço 8.164 8.165
Barra do Bugres 35.307 35.642
Barra do Garças 61.135 61.702
Bom Jesus do Araguaia 6.706 6.830
Brasnorte 20.140 20.571
Cáceres 94.861 95.339
Campinápolis 16.919 16.223
Campo Novo do Parecis 36.143 36.917
Campo Verde 45.740 44.033
Campos de Júlio 7.070 7.245
Canabrava do Norte 4.728 4.711
Canarana 21.842 22.101
Carlinda 10.199 10.094
Castanheira 8.749 8.782
Chapada dos Guimarães 19.453 22.521
Cláudia 12.245 12.338
Cocalinho 5.681 5.716
Colíder 33.649 33.855
Colniza 39.861 41.117
Comodoro 21.008 21.249
Confresa 31.510 32.076
Conquista D’Oeste 4.101 4.163
Cotriguaçu 20.238 20.717
Cuiabá 618.124 623.614
Curvelândia 5.241 5.267
Denise 9.544 9.626
Diamantino 22.178 22.311
Dom Aquino 8.159 8.087
Feliz Natal 14.522 14.847
Figueirópolis D’Oeste 3.452 3.411
Gaúcha do Norte 7.782 7.913
General Carneiro 5.592 5.726
Glória D’Oeste 3.008 2.990
Guarantã do Norte 36.130 36.439
Guiratinga 15.245 15.740
Indiavaí 2.779 2.806
Ipiranga do Norte 7.920 8.182
Itanhangá 6.885 7.030
Itaúba 3.704 3.609
Itiquira 13.552 13.727
Jaciara 27.807 27.696
Jangada 8.451 8.420
Jauru 8.582 8.377
Juara 35.121 35.275
Juína 41.101 41.190
Juruena 16.335 16.811
Juscimeira 11.176 11.124
Lambari D’Oeste 6.186 6.246
Lucas do Rio Verde 67.620 69.671
Luciara 2.058 2.036
Marcelândia 10.301 10.107
Matupá 16.793 17.017
Mirassol d’Oeste 27.941 28.135
Nobres 15.334 15.332
Nortelândia 5.923 5.858
Nossa Senhora do Livramento 13.104 13.093
Nova Bandeirantes 15.685 16.052
Nova Brasilândia 3.805 3.656
Nova Canaã do Norte 12.831 12.876
Nova Guarita 4.464 4.407
Nova Lacerda 6.751 6.861
Nova Marilândia 3.304 3.332
Nova Maringá 8.850 9.056
Nova Monte Verde 9.277 9.375
Nova Mutum 46.813 48.222
Nova Nazaré 3.932 4.013
Nova Olímpia 20.563 20.820
Nova Santa Helena 3.737 3.755
Nova Ubiratã 12.298 12.492
Nova Xavantina 20.944 21.695
Novo Horizonte do Norte 4.051 4.069
Novo Mundo 9.363 9.545
Novo Santo Antônio 2.705 2.769
Novo São Joaquim 4.938 4.837
Paranaíta 11.244 11.291
Paranatinga 22.861 23.250
Pedra Preta 17.446 17.547
Peixoto de Azevedo 35.338 35.695
Planalto da Serra 2.649 2.637
Poconé 33.315 33.386
Pontal do Araguaia 6.843 6.972
Ponte Branca 1.550 1.525
Pontes e Lacerda 45.774 46.105
Porto Alegre do Norte 12.685 12.849
Porto dos Gaúchos 5.363 5.344
Porto Esperidião 12.097 12.176
Porto Estrela 2.877 2.794
Poxoréu 15.916 15.936
Primavera do Leste 63.092 63.876
Querência 17.937 18.386
Reserva do Cabaçal 2.743 2.754
Ribeirão Cascalheira 10.329 10.450
Ribeirãozinho 2.422 2.439
Rio Branco 5.150 5.147
Rondolândia 4.036 4.069
Rondonópolis 236.042 239.613
Rosário Oeste 17.054 16.999
Salto do Céu 3.295 3.226
Santa Carmem 4.563 4.600
Santa Cruz do Xingu 2.633 2.700
Santa Rita do Trivelato 3.506 3.602
Santa Terezinha 8.460 8.547
Santo Afonso 3.155 3.164
Santo Antônio do Leste 5.334 5.459
Santo Antônio do Leverger 16.999 17.188
São Félix do Araguaia 11.843 11.934
São José do Povo 4.450 4.102
São José do Rio Claro 21.011 21.351
São José do Xingu 5.620 5.646
São José dos Quatro Marcos 18.846 18.788
São Pedro da Cipa 4.771 4.823
Sapezal 26.688 27.485
Serra Nova Dourada 1.678 1.705
Sinop 146.005 148.960
Sorriso 92.769 94.941
Tabaporã 9.429 9.357
Tangará da Serra 105.711 107.631
Tapurah 14.046 14.380
Terra Nova do Norte 9.473 9.284
Tesouro 3.824 3.761
Torixoréu 3.547 3.487
União do Sul 3.490 3.455
Vale de São Domingos 3.126 3.124
Várzea Grande 287.526 290.383
Vera 11.402 11.731
Vila Bela da Santíssima Trindade 16.271 16.412
Vila Rica 26.496 26.946

Raquel Gomes e Luiza Goulart (SDI/UE/MT)

Millane Chaves (chefe da Unidade Estadual do IBGE)

Supervisão de Disseminação de Informações – SDI/UE/MT

Comentários Facebook
Veja Também:  Investimentos do FCO Empresarial atingem 98% dos municípios de MT
Continue lendo

Estadual

Todos os municípios de MT estão com risco alto ou muito alto para transmissão da Covid-19

Publicados

em

Por G1 MT

Coronavírus (Covid-19) — Foto: Hellen Souza/Arte-G1

Coronavírus (Covid-19) — Foto: Hellen Souza/Arte-G1

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou, nesta terça-feira (15), que 27 municípios registram classificação de risco muito alto para o coronavírus.

São eles: Água Boa, Araguainha, Arenápolis, Barra do Bugres, Barra do Garças, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Campo Verde, Cláudia, Confresa, Guiratinga, Itanhangá, Juína, Lucas do Rio Verde, Luciara, Nova Mutum, Peixoto de Azevedo, Primavera do Leste, Rondonópolis, Santa Rita do Trivelato, Santo Antônio do Leste, São José do Povo, Sapezal, Sorriso, Tangará da Serra, Torixoréu e Vila Rica.

Outras 114 cidades estão classificadas na categoria alta para a contaminação do coronavírus. Nenhum município foi classificado com risco moderado ou baixo para a Covid-19.

Novo método para classificação

O método para definir a classificação de risco dos municípios foi aprimorado. A mudança foi publicada no Diário Oficial do dia 25 de março de 2021. Desde então, não é levado em consideração apenas o número absoluto dos casos dos últimos quatorzes dias, mas sim a média móvel dos últimos quatorze dias.

Assim, o município não sofrerá uma mudança brusca de um boletim para o outro; a cidade ficará na mesma categoria por pelo menos duas semanas, conforme sua média móvel de casos.

Também foi aperfeiçoado o cálculo dos casos acumulados. Antes eram considerados os casos acumulados a partir do dia 1º de dezembro de 2020. Com a nova metodologia, a análise será realizada sempre com base nos casos acumulados dos últimos 90 dias.

Confira as medidas de acordo com a classificação de risco:

• Nível de Risco ALTO

  • a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO e MODERADO;
  • b) proibição de qualquer atividade de lazer ou evento que cause aglomeração;
  • c) proibição de atendimento presencial em órgãos públicos e concessionárias de serviços públicos, devendo ser disponibilizado canais de atendimento ao público não presencial;
  • d) adoção de medidas preparatórias para a quarentena obrigatória, iniciando com incentivo à quarentena voluntária e outras medidas julgadas adequadas pela autoridade municipal para evitar a circulação e aglomeração de pessoas.

• Nível de Risco MUITO ALTO

  • a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para os Níveis de Risco BAIXO, MODERADO e ALTO;
  • b) quarentena coletiva obrigatória no território do Município, por períodos de 10 (dez) dias, prorrogáveis, mediante reavaliação da autoridade competente, podendo, inclusive, haver antecipação de feriados para referido período;
  • c) suspensão de aulas presenciais em creches, escolas e universidades;
  • d) controle do perímetro da área de contenção, por barreiras sanitárias, para triagem da entrada e saída de pessoas, ficando autorizada apenas a circulação de pessoas com o objetivo de acessar e exercer atividades essenciais;
  • e) manutenção do funcionamento apenas dos serviços públicos e atividades essenciais;
  • §1º Atingida determinada classificação de risco, as medidas de restrição correspondentes devem ser aplicadas por, no mínimo, 10 (dez) dias, ainda que, neste período, ocorra o rebaixamento da classificação do Município.
  • §2º Os municípios contíguos devem adotar as medidas restritivas idênticas, correspondentes às aplicáveis aquele que tiver classificação de risco mais grave.
  • §3º Os Municípios poderão adotar medidas mais restritivas do que as contidas neste Decreto, desde que justificadas em dados concretos locais que demonstrem a necessidade de maior rigor para o controle da disseminação do novo coronavírus.
  • Art. 6º O funcionamento de parques públicos estaduais seguirá as restrições estabelecidas pelos Municípios em que se encontrem e, na ausência de normas a este respeito, poderão ser utilizados, desde que observado o distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas, ficando vedado o acesso sem o uso de máscara de proteção facial.

Fonte: G1 / MT

Comentários Facebook
Veja Também:  TRE cria novo município em MT e autoriza eleições para prefeito, vice e vereadores
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana