conecte-se conosco


Mulher

Ela lançou o coletor menstrual e revolucionou o mercado

Publicados

em

Mariana Betioli é dona da Inciclo
Divulgação

Mariana Betioli é dona da Inciclo

Lançar um produto, qualquer que seja, já é um desafio. Imagine só criar um novo nicho de mercado, em um segmento rodeado de dúvidas, incertezas e preconceitos. Esse foi o passo dado por Mariana Betioli, administradora e obstetriz, quando começou a fabricar no Brasil o coletor menstrual, chamado amigavelmente de copinho. Ela teve contato com o produto por volta de 2007 e 2008, no Canadá, e se encantou. “Toda mulher vai querer usar isso”, acreditou. 

Agora você pode acompanhar todos os conteúdos do iG Delas pelo nosso canal no Telegram. Clique no link para entrar no grupo

Mariana conta que naquele momento viu um “trenzinho passando com uma oportunidade” e resolveu embarcar. Todos os seus amigos e parentes desacreditaram da iniciativa. Teimosa, como se define, ela tocou o projeto adiante. 

“A menstruação é limitante para muitas mulheres, que deixam de sair, de trabalhar, com receio de vazar na roupa. Eu estava diante de um produto que ia restabelecer a liberdade feminina, é uma questão de igualdade de gênero”, avalia.

Para Mariana, a menstruação é vista como algo que incomoda, tem cheiro, dá vergonha. “Quando elas usam o coletor menstrual percebem que não tem cheiro, são milhões de mulheres que se sentem fedidas, impuras, inadequadas, que passam ter outra possibilidade de relação com o próprio corpo.”

Veja Também:  Banho de água de arroz e alfazema para ter equilíbrio

Trabalho de informação

Antes de se lançar no mercado, Mariana fez muita pesquisa e descobriu que era um artigo inédito no Brasil. Desde a definição do material, que não pode ser qualquer um, até a maleabilidade, foram dois anos de estudo, até partir para as vendas, tudo pela internet. Por estar em um segmento rodeado de tabus, Mariana decidiu que a Inciclo seria uma fonte de informação.

“No começo, a gente não podia falar em menstruação que as redes sociais bloqueavam as postagens, a gente dizia ‘você que está naqueles dias'”, lembra a empresária, que hoje cuida pessoalmente da aprovação de tudo o que circula de informação pelos canais da Inciclo, como blog, canal no YouTube, Instagram, Facebook e TikTok. 

Outros produtos

Calcinha absorvente da Inciclo
Divulgação

Calcinha absorvente da Inciclo

Além do coletor menstrual, a Inciclo trabalha com outros produtos focados em higiene íntima, como a calcinha absorvente, feita de tecido com camada respirável, e o recente disco menstrual, que fica no colo do útero e permite relações sexuais com penetração, sem que o companheiro sequer perceba. “85% tem a libido aumentada na menstruação, mas mais da metade não tem nenhuma experiência sexual no período”, diz Mariana. O disco menstrual melhora essa possibilidade. 

Veja Também:  Parto humanizado cresce entre as gestantes brasileiras

Siga também o perfil geral do Portal iG .

O coletor começou a fazer sucesso com garotas mais alternativas, mais conscientes de desperdício que os absorventes representam. Segundo Mariana, uma mulher gasta 13 mil absorventes em toda vida. O coletor, que deve ser trocado a cada 3 anos, equivale a mil absorventes. A sustentabilidade foi o apelo que conquistou essas primeiras clientes. Conforme mais mulheres usavam, mais a novidade se espalhava, graças a experiências positivas com o produto.

“Chegamos a um nível de satisfação de 99%”, revela Mariana, que há quatro anos passou a dar uma garantia: quem não se adaptar, recebe o dinheiro de volta. Entre 2015 e 2016, a empresa viveu seu primeiro boom de vendas. O segundo, em pela pandemia, de 2020 a 2021, viu as vendas quadruplicarem. Mariana, que mora na Flórida com o marido e três filhos, precisou vir mais vezes ao Brasil. Agora, ele segue em home office, comandando tudo dos Estados Unidos, além do almoço das crianças. 

Para a empresária, os itens de higiene íntima deveriam ser considerados de necessidade básica, “que é o que são”, com a incidência de menos impostos, para que pudessem ser acessíveis a um número cada vez maior de mulheres.



Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

Mulher

Gusttavo Lima lança GL Embaixador, perfume inspirado em sua trajetória

Publicados

em

Gusttavo Lima agora tem linha de perfume
Divulgação

Gusttavo Lima agora tem linha de perfume

Gusttavo Lima não faz sucesso apenas como cantor sertanejo. Ele também é empreendedor e  participa ativamente da gestão de sua carreira. Desde o início,  sempre teve o desejo de traduzir sua história em produtos. Após o lançamento bem-sucedido de sua primeira bebida, no início deste ano, Gusttavo agora aposta no mercado de cuidados masculinos e lança GL Embaixador, perfume marcante e sofisticado, que conecta a ancestralidade, a força e o poder conquistados nas últimas décadas, com o selo de qualidade da suíça Givaudan, maior casa de perfumaria do mundo.

Entre no  canal do iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!  

É neste cenário nostálgico que é possível adentrar ao sentir a essência do GL Embaixador: “Eu queria que esse cheiro lembrasse a terra molhada do interior, a lenha queimada e todas as especiarias que sempre fizeram parte da nossa rotina”, explica o cantor. Hernan Figoli, perfumista da Givaudan responsável por essa alquimia ainda completa: “A jornada sensorial deste produto passa por um amadeirado oriental, quente e sofisticado, que traduz a virilidade do artista, uma de suas principais características. As notas doces de âmbar refletem elegância e sedução”.

Gusttavo já tinha em seu imaginário qual seria o resultado ideal para esse produto, não só na escolha de ingredientes que conseguissem traduzir todas suas memórias, mas também na definição de uma empresa ambientalmente responsável, que imprimisse a qualidade e a elegância esperada por ele. 

A pesquisa e desenvolvimento do perfume se deu por diversas etapas até chegar na combinação perfeita do GL Embaixador. A escolha do segmento também não foi acidental: como homem de negócios, Gusttavo apostou na crescente do mercado de beleza masculino e, também, no fato de o Brasil ser o maior mercado de perfumes do mundo, decidindo assim unir o desejo do público por fragrâncias de qualidade com seu desejo pessoal de transpor toda sua história inspiradora em produtos. 

 Acompanhe também perfil geral do Portal iG no Telegram !

A expectativa é que o perfume se torne um grande sucesso de vendas, oferecendo ao público uma experiência olfativa que remeta à história desse grande ídolo nacional e dê início à uma linha de cuidados pessoais masculinos com produtos para a barba, o cabelo e o corpo. Quem quiser adquirir já pode se cadastrar no  site a partir desta quinta-feira (18), data de início da pré-venda.

Veja Também:  3 em cada 4 mulheres já sofreram gaslighting no trabalho, diz pesquisa

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Hana Khalil fala sobre educação sexual na série Não é por Akhaso

Publicados

em

Hana Khalil
Divulgação

Hana Khalil fala de abuso sexual de crianças em série no Instagram

A comunicadora, produtora audiovisual e criadora de conteúdo Hana Khalil lança nesta quinta-feira (18) no seu  Instagram o novo episódio da série Não é Por Akhaso. Trazendo a educação sexual como tema, ela discute sobre a importância de se trabalhar o assunto nas escolas como ferramenta para ensinar as crianças a conhecerem seu próprio corpo e protegê-las do abuso sexual.

Entre no  canal do iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais! 

Um recente levantamento feito pelo pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em parceria com a Unicef, mostra que cerca de 100 crianças e adolescentes de até 14 anos são estupradas por dia no Brasil, o número mostra a importância de se discutir políticas públicas que protejam as crianças e a educação sexual é uma delas, pois incentiva que elas falem que algo errado está acontecendo.  

Acompanhe também perfil geral do Portal iG no Telegram !

“Crianças saberem o que é sexo, como se protegerem e que suas partes genitais podem significar não fará elas MENOS INOCENTES, ou suscetíveis a sexo, pois o que acontece é justamente o contrário. Elas entenderem que isso existe, mas que elas são crianças e não podem fazer isso ainda, pode destacar para elas o fato que isso não é algo natural quanto quando abusos acontecem”, acredita Hana.

Veja Também:  Maiara e Maraisa: "Nós, mulheres, mudamos, temos voz e direitos"

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana