conecte-se conosco


Mato Grosso

Em Brasília, Mauro Mendes pede celeridade a ministro em medida de socorro aos Estados

Publicados

em

O governador Mauro Mendes pediu ao ministro da Economia, Paulo Guedes, que dê celeridade ao pacote de medidas de socorro aos Estados, do qual Mato Grosso está incluso. O pedido foi feito durante o Fórum de Governadores, nesta terça-feira (26), em Brasília.

“A maioria dos Estados se encontra em uma situação muito ruim. Parte deles não irá sobreviver, porque existe uma grande deterioração. Se não for feito algo para socorrer os Estados, isso pode causar um colapso”, disse, acrescentando que saiu da reunião preocupado com o tempo de tramitação dos projetos no governo federal.

“Vimos que as coisas não estão bem em Brasília e caminhando a passos lentos, diferente daquilo que precisa e seria bom para o país, para Mato Grosso e para todos nós”, destacou.

Mendes ressaltou que o ministro deu um prazo de 30 dias para apresentar o pacote de socorro aos Estados.

No encontro, o governador também defendeu a importância de se aprovar a reforma previdenciária.

“Eu estou muito preocupado com a reforma da previdência, não apenas como governador, mas como cidadão. Eu não vou falar aqui dos fatos políticos recentes que têm sido protagonizados por alguns atores importantes no cenário nacional, porque isso mostra um desserviço que estão prestando para o nosso país nesse momento. Eu vejo que se nós brasileiros não formos capazes de aprovar uma reforma minimamente razoável, nós vamos quebrar esse país”, afirmou.

Veja Também:  Governo paga nesta quinta-feira (28) segunda parcela do 13º salário de dezembro

“Temos um país que deve mais de R$ 5 trilhões, um país que tem um déficit da previdência de quase R$ 300 bilhões, um país que tem apenas R$ 30 bilhões para investir. Um país que não consegue fazer esse investimento, muitas vezes por questão de contingenciamento, ou por programas que só estão no papel”, frisou.

Cenário preocupante

Segundo o governador, a classe política e os cidadãos precisam ser capazes de “enxergar com clareza o cenário que temos hoje”.

“Não quero ser profeta do apocalipse. Espero que esteja errado e terei o enorme prazer em reconhecer se a minha avaliação estiver equivocada. Mas eu não acho que estou equivocado porque os números são terríveis. Como é que se paga uma dívida de mais de R$ 5 trilhões? Estamos caminhando para ter mais de 100% do PIB comprometido com a dívida do país”, avaliou.

O governador registrou que o Brasil possui enorme desigualdade social e índices graves de violência, fatores que podem se agravar se as contas públicas não forem equacionadas.

Veja Também:  Rota do Oeste disponibiliza 22 oportunidades de empregos em 10 municípios

“Então ministro, as medidas apresentadas na reforma da previdência, elas não resolvem os nossos problemas, contudo, se não aprovarmos, ela piora e muito os nossos negócios em um curto espaço de tempo. Nós temos que aprovar, na minha opinião, a reforma e criar esses mecanismos de forma mais objetiva”, defendeu.

Mendes lembrou que sua gestão tem feito a lição de casa, com a implantação do pacote de leis do “Pacto por Mato Grosso”, do decreto de calamidade financeira e de outras medidas para incrementar as receitas e diminuir as despesas.

“Se entrarmos em uma crise como a de 2015 e 2016, certamente nós teremos prejuízos sociais muito maiores do que os que nós já tivemos e isso me preocupa. Se nada for feito pelo país, nós poderemos entrar em uma profunda crise financeira e fiscal nos próximos anos”.

“Então ministro, as medidas apresentadas na reforma da previdência não resolvem os nossos problemas. Contudo, se não aprovarmos, ela piora e muito os nossos negócios em um curto espaço de tempo. Nós temos que aprovar a reforma e criar esses mecanismos de forma mais objetiva”, defendeu.

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Colegiado define distribuição de 111.240 doses de vacinas contra a Covid-19

Publicados

em


A Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT) aprovou a Resolução Nº 77, que estabelece a distribuição, o armazenamento e a aplicação das 111.240 doses de vacina contra a Covid-19 enviadas neste fim de semana pelo Ministério da Saúde, sendo 50.400 doses da Coronavac e 60.840 doses da Pfizer.

Conforme a Resolução Nº 77, a vacina da Pfizer deve ser aplicada como primeira dose em pessoas entre 40 e 49 anos. As doses da Coronavac contemplarão com a primeira e segunda dose pessoas de 40 a 44 anos.

O prazo de aplicação da segunda dose da Pfizer é de até 12 semanas. Já o prazo da segunda dose da Coronavac varia entre 14 e 28 dias.

O colegiado pontuou na Resolução que os municípios que já completaram a vacinação das pessoas de 40 a 49 anos devem seguir para a próxima faixa etária (ano a ano) em ordem decrescente de prioridade.

Ainda foi acordado o armazenamento de 18 doses da Pfizer na Rede de Frio Estadual, como novo estoque estratégico para reposição de eventuais perdas técnicas. Também foi pactuada a distribuição de um remanescente de 40 doses da Coronavac que estavam armazenadas na Rede de Frio Estadual como estoque estratégico.

Veja Também:  Max Russi propõe fornecimento de EPIs e testes rápidos a Regional de Rondonópolis e municípios de MT

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição dos imunizantes aos municípios, as vacinas deverão ser armazenadas conforme as condições estabelecidas pela fabricante e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com o apoio da segurança pública.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde. Até o momento, Mato Grosso já recebeu 2.730.710 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Confira em anexo a resolução:

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Tangará da Serra sedia reunião para discutir recursos hídricos nos dias 4 e 5 de agosto

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) realizam em Tangará da Serra (251 quilômetros distante de Cuiabá) a Oficina e a Reunião Pública para discutir as ações do Plano de Recursos Hídricos (PRH) de duas bacias hidrográficas da região, a do Alto Paraguai Superior e Alto Paraguai Médio.

As reuniões serão presenciais em duas datas: no dia 04/08 às 18h e no dia 05/08 às 8h, no Auditório Municipal. Para participar é necessário realizar a inscrição gratuita por meio de um formulário on-line DISPONÍVEL AQUI. 

O evento colherá contribuições para a elaboração do  Plano de Recursos Hídricos (PRH). O documento define as ações do Poder Público para as próximas décadas para a preservação e manutenção dos rios da região, incluindo informações sobre ações de gestão, projetos, obras e investimentos prioritários. Esta é a segunda cidade a receber o evento. Nos dias 2 e 3/08 uma oficina e uma reunião pública foram realizadas em Diamantino. Está previsto mais um encontro presencial em Cáceres.

Veja Também:  Rota do Oeste disponibiliza 22 oportunidades de empregos em 10 municípios

Veja a programação:

Oficina e Reunião Pública em Tangará da Serra
Quando: 04/08 às 18h e 05/08 às 8h
Local: Auditório Municipal
Link para inscrições: https://forms.gle/Wn5rFPgHVyYa8SpE8

Oficina e Reunião Pública em Cáceres
Quando: 06/08 às 18h e 07/08 às 8h
Local: Auditório principal da Unemat
Link para inscrições: https://forms.gle/xckfaNqeqfjyZ2mPA

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana