conecte-se conosco


Mato Grosso

Em reunião com a Seduc, Lúdio cobra que Centros de Educação de Jovens e Adultos não sejam fechados

Publicados

em

Secretário de Educação se comprometeu a apresentar estudo em 10 dias e paralisar projeto de mudanças no formato de EJA nesse período

Em reunião na tarde dessa segunda-feira (16), o deputado estadual Lúdio Cabral (PT) cobrou da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) que não seja fechado nenhum dos 21 Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) de Mato Grosso. Lúdio agendou a reunião a pedido do Fórum de Educação de Jovens e Adultos, diante do anúncio de fechamento de unidades de CEJA pelo governo estadual e a mudança dos alunos para escolas regulares, sob o argumento de cortar gastos.

“Essa visão do atual governo, de otimizar espaços para economizar com conta de luz e água, salários de professores e técnicos, é uma visão economicista que não leva em consideração o impacto dessas mudanças sobre a comunidade escolar. A identidade da EJA tem que estar acima de qualquer outro critério na tomada de decisão, e a decisão tem que ser tomada com participação dos CEJAS, com diálogo”, afirmou Lúdio.

Veja Também:  PM intensifica abordagem e orienta população dos cuidados durante carnaval

O secretário Alan Porto concordou em debater com o Fórum o projeto da Seduc para mudar o formato da EJA em Mato Grosso e deve apresentar um estudo em nova reunião, no dia 27 de novembro. Lúdio propôs que a Seduc não dê andamento a mudanças na EJA antes da apresentação do estudo e discussão com os professores, e o secretário se comprometeu a paralisar qualquer ação nesse intervalo.

Para a coordenadora do Fórum de EJA, Rosemary da Luz, é importante manter o formato dos CEJAs, com a identidade e o ambiente escolar, e qualquer decisão de mudança a ser tomada precisa passar antes por um processo de diálogo. A professora Ivana Bognar observou as dificuldades de integrar os alunos do EJA a escolas regulares. “Um idoso não vai frequentar a mesma escola que tem crianças”, disse.

“O CEJA, com aproveitamento de carga horária, é diferente do EJA ofertado em escolas regulares com matrícula anual. Precisamos trabalhar com o conceito de equidade”, disse o professor Claudio Scalon, destacando a diversidade existente no CEJA, que atende a parcelas vulneráveis da população. Na definição da professora Keila Alves, o CEJA é um local onde jovens e adultos vão buscar seus sonhos.

Veja Também:  Motorista de ônibus é morto com tiros nas costas na frente de passageiros em MT

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público (Sintep), Valdeir Pereira, afirmou que é preciso fortalecer a política que já vem sendo ofertada, e não fechar os CEJAs. O deputado estadual Henrique Lopes (PT) também afirmou a necessidade de diálogo e de a Seduc deixar claro qual é o projeto para a política de EJA em Mato Grosso.

Laíse Lucatelli

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Direito da Administração Pública: Escola de Governo oferta 600 vagas para curso online

Publicados

em

Interessados devem se inscrever até dia 23 de maio no site da instituição

Éverton Anunciação | Seplag-MT

O público-alvo são os servidores públicos de órgãos e entidades do Executivo estadual – Foto por: Tchélo Figueiredo | Secom-MT

Estão abertas as inscrições para a segunda turma do curso Direito da Administração Pública. A capacitação é ofertada pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MT), por meio da Superintendência da Escola de Governo, e será realizada na modalidade de Ensino a Distância (EaD). Ao todo, 600 vagas foram disponibilizadas.

As aulas iniciam em 31 de maio. Inscrições vão até dia 23 de maio e podem ser realizadas  AQUI.

A qualificação possui carga horária total de 40 horas e tem como público-alvo os servidores públicos de órgãos e entidades do Executivo estadual.

O conteúdo a ser abordado no curso destaca noções de direito constitucional aplicado à administração pública cível, responsabilidade funcional, processo disciplinar, vínculo profissional, aposentadoria e improbidade no serviço público.

(Supervisão de texto de Nayara Takahara)

Fonte: Assessoria

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Veja Também:  Agressor é contido pela PM com tiro de arma calibre 12 nas "partes baixas'

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Polícia Civil instaura investigação preliminar para apurar irregularidades na vacinação contra a covid-19 em Cuiabá

Publicados

em

A investigação instaurada pela Decon tem o objetivo de apurar possíveis situações de “fura-fila”, assim como outras circunstâncias ilegais que possam ocorrer durante o período de vacinação

Camila Molina | Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada do Consumidor (Decon), instaurou nesta segunda-feira (12.04) Auto de Investigação Preliminar (AIP) para apurar possíveis irregularidades denunciadas em relação ao cumprimento da ordem de vacinação contra a covid-19 dentro dos critérios estabelecidos pela Prefeitura Municipal de Cuiabá. 

A investigação preliminar instaurada pela Decon tem o objetivo de apurar possíveis situações de “fura-fila”, assim como outras circunstâncias ilegais que possam ocorrer durante o período de vacinação. 

A decisão de abertura de investigação preliminar levou em consideração a publicação de diversas matérias em veículos de comunicação sobre possíveis falhas e irregularidades na execução dos serviços de vacinação. 

A Delegacia do Consumidor oficiará o Tribunal de Contas do Estado (TCE), o Ministério Público Estadual (MPE) e a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá solicitando que qualquer irregularidade ou ilegalidade de natureza criminal que seja detectada em relação a vacinação contra o covid-19 ou outros problemas do mesmo teor, sejam informadas à Decon para as providências cabíveis. 

O delegado da Decon, Rogério Ferreira, ressaltou que condutas reprováveis nos critérios de prioridade na imunização estabelecidos pelos governos e entidades médicas podem acarretar a responsabilização criminal de agentes públicos e das pessoas indevidamente vacinadas, 

“As pessoas identificadas nesse tipo de conduta podem ser enquadradas em crimes como o previsto no artigo 268 do Código Penal, por infringir determinação do poder público destinada a impedir a propagação de doença contagiosa, ou ainda outros tipos penais penais como corrupção ativa, corrupção passiva e prevaricação”, disse o delegado.

Fonte: Assesoria

 

Veja Também:  Cuiabá no período Colonial tinha mais de 6 mil habitantes e crescimento marcado pela mineração

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana