conecte-se conosco


Tecnologia

EUA também querem exigir iPhones com recarga via USB-C

Publicados

em

source
EUA também querem exigir iPhones com recarga via USB-C
Giovanni Santa Rosa

EUA também querem exigir iPhones com recarga via USB-C

A União Europeia não está sozinha na briga para fazer a Apple adotar o USB-C nos iPhones . No que depender de um grupo de senadores democratas, os EUA também exigirão que os smartphones da marca usem o padrão. O objetivo é chegar a um plug de carregamento universal.

Em carta enviada a Secretária de Comércio Gina Raimondo, eles exigem que o departamento desenvolva uma estratégia para que todos os dispositivos móveis tenham uma porta de recarga comum.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O argumento é que carregadores proprietários, como o Lightning da Apple, geram lixo eletrônico desnecessariamente e fazem consumidores gastar mais, principalmente aqueles que têm aparelhos de diferentes marcas.

O documento não menciona explicitamente o USB-C. Ele pede uma estratégia abrangente, deixando a cargo do departamento até mesmo desenvolver seu padrão, se for o caso.

Veja Também:  Facebook lança ferramentas para conter desinformação em grupos

O grupo tem nomes como a senadora Elizabeth Warren e Bernie Sanders, que foram pré-candidatos democratas à presidência nas eleições de 2020. Warren, inclusive, tinha a divisão das big techs em empresas menores como uma de suas bandeiras de campanha.

União Europeia vai exigir USB-C em iPhones

A iniciativa dos democratas americanos vem uma semana após a União Europeia tomar o mesmo caminho.

Na terça-feira (7), o bloco anunciou que seus legisladores chegaram a um acordo para tornar a porta USB-C obrigatória para smartphones e mais produtos.

Ou seja, o iPhone vai precisar ter USB-C nos países do bloco.

A medida vai valer para celulares, tablets, câmeras, leitores de e-books, fones de ouvido, videogames portáteis e alto-falantes recarregáveis. Ela passa a valer no último trimestre de 2024.

Notebooks também serão incluídos, mas as fabricantes terão 40 meses para implementar o conector após a lei entrar em vigor.

Veja Também:  Facebook dá 10 chances antes de banir vendedores de armas, diz jornal

O texto ainda precisa passar pelo Parlamento e pelo Conselho da União Europeia. Isso parece mera formalidade, porém.

Com informações: The Verge .

EUA também querem exigir iPhones com recarga via USB-C

Comentários Facebook
Propaganda

Tecnologia

Instagram bate recorde e se torna segundo app mais popular no Brasil

Publicados

em

Por

Instagram atinge quase meta das telas iniciais de smartphones brasileiros
Unsplash/Kate Torline

Instagram atinge quase meta das telas iniciais de smartphones brasileiros

O Instagram bateu seu recorde histórico e alcançou a tela inicial de quase metade dos smartphones brasileiros, de acordo com a pesquisa “Panorama Mobile Time/Opinion Box: Uso de Apps no Brasil”, lançada nesta semana.

Agora, a rede social aparece na página inicial de 46% dos celulares brasileiros, contra 41% no mesmo período do ano passado. Com isso, o Instagram perde apenas para o WhatsApp, que se manteve na liderança marcando presença na página princiapal de 55% dos celulares brasileiros – o único a ultrapassar a metade.

De acordo com a pesquisa, a força do Instagram está sobretudo no público jovem e feminino. Entre pessoas de 16 a 29 anos, 60% mantêm o app na página inicial do celular; 44% dos que têm entre 30 e 49 anos mantêm o Instagram em destaque, contra 31% dos que tem mais de 50 anos. Nos celulares de mulheres, a rede social aparece na página inicial de 49%, contra 42% dos homens.

Veja Também:  Facebook dá 10 chances antes de banir vendedores de armas, diz jornal

Além de popular, o Instagram também tem ganhado em engajamento no Brasil. Entre 2021 e 2022, subiu de 25% para 30% a proporção de brasileiros que têm o aplicativo como o escolhido para passar a maior parte de seu tempo online. Nesse quesito, a rede social está tecnicamente empatada com o WhatsApp, que atingiu 33% neste ano.

Já no quesito aplicativo mais vezes aberto ao longo do dia, o mensageiro continua na liderança isolada. Para 55% dos brasileiros, o WhatsApp é o app mais aberto, contra 16% do Instagram, 7% do Facebook e 3% do YouTube.

Além do Instagram, outro aplicativo que tem crescido em popularidade e marcado presença na página inicial dos celulares brasileiros é o Telegram. Atualmente, ele está em 13% das telas principais, contra 9% no ano passado. No período, ele ultrapassou Uber, YouTube, Nubank e outros.

Veja Também:  Xiaomi libera nova lista de celulares que receberão MIUI 13; confira

Confira a seguir os 10 aplicativos que mais aparecem na tela inicial dos smartphones brasileiros:

  1. WhatsApp – 55% – estável em relação a 2021
  2. Instagram – 46% – alta em relação a 2021
  3. Facebook – 36% – queda em relação a 2021
  4. Telegram – 13% – alta em relação a 2021
  5. Nubank – 12% – estável em relação a 2021
  6. YouTube – 12% – estável em relação a 2021
  7. Uber – 11% – estável em relação a 2021
  8. Google Chrome – 9% – estável em relação a 2021
  9. Caixa – 9% – estável em relação a 2021
  10. Banco do Brasil – 9% – estável em relação a 2021

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Instagram quer transformar em Reels todos os vídeos da rede social

Publicados

em

Por

Instagram foca nos Reels para competir com TikTok
Unsplash/Kate Torline

Instagram foca nos Reels para competir com TikTok

O Instagram quer que todos os vídeos da plataforma sejam Reels. Para competir com o TikTok, a rede social da Meta tem planos de simplificar a publicação e visualização de vídeos curtos no aplicativo. Por enquanto, o recurso está em fase de testes, e apenas alguns usuários selecionados podem experimentar a função.

No Twitter, o consultor de mídias sociais Matt Navarra publicou uma foto que mostra o anúncio da novidade. A imagem diz que “publicações em vídeo agora são compartilhadas como Reels”. Isso significa que até mesmo gravações na horizontal serão classificadas como Reels de agora em diante.

O anúncio ainda indica que, se a conta do usuário for pública, qualquer pessoa pode encontrar os Reels pela ferramenta de busca. Assim, é possível utilizar o áudio do vídeo para criar outro Reels com a função de remix. O Instagram, contudo, oferece uma opção para mudar a privacidade dos conteúdos.

Se o perfil for configurado como privado, somente os seguidores irão conseguir ver os Reels. Nesse caso, nem mesmo os seguidores podem fazer remix dos vídeos, já que todos os conteúdos ficam privados.

Veja Também:  Facebook dá 10 chances antes de banir vendedores de armas, diz jornal

Vale destacar que essa novidade do Instagram ainda está em fase de testes e não tem previsão de lançamento para o público geral. A rede social ainda precisa lidar com algumas questões, como a conversão de vídeos gravados na horizontal em Reels.

Também não sabemos se a mudança irá afetar vídeos já publicados na plataforma. É importante lembrar que nem todos os testes do Instagram são lançados de forma definitiva, então é preciso aguardar os próximos passos da empresa.

Instragram quer competir com TikTok e YouTube

A Meta tem incentivado cada vez mais a publicação de Reels em suas redes sociais. No relatório financeiro do primeiro trimestre de 2022, a empresa destacou que os usuários do Instagram passam 20% do tempo assistindo aos vídeos curtos na plataforma.

O investimento em Reels é uma forma de competir com gigantes do mercado de redes sociais focadas em vídeos, como TikTok e YouTube. Desde o ano passado, o chefe do Instagram, Adam Mosseri, disse que a plataforma “deixou de ser um aplicativo de compartilhamento de fotos”, valorizando os vídeos.

Veja Também:  TikTok adiciona stories para convencer você a sair do Instagram

Além disso, o CEO da Meta, Mark Zuckerberg, afirmou que os Reels são o conteúdo do Facebook que mais cresce entre as plataformas.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana