conecte-se conosco


Saúde

Fiocruz: atraso na segunda dose da vacina contra covid-19 está em 11%

Publicados

em


A Fundação Oswaldo Cruz lançou hoje (29) o primeiro Boletim VigiVac, que acompanha o cumprimento do esquema vacinal proposto contra a covid-19. Dessa forma, é verificada a efetividade das vacinas utilizadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) no Brasil.

Os primeiros resultados, feitos com base nos dados lançados até o dia 15 de setembro, mostram que a taxa de atraso nacional para todas as vacinas é de 11%, sendo de 15% para a Astrazeneca, 33% para a CoronaVac e 1 % para a Pfizer-BioNTech. A Fiocruz ressalta, no entanto, que a vacinação com o imunizante da Pfizer começou apenas em maio e que a quantidade de indivíduos em possível atraso ainda é pequena.

Para a AstraZeneca e a Pfizer, foram considerados 84 dias de intervalo para a segunda dose, e para a CoronaVac o prazo é 28 dias. O painel leva em conta os indivíduos que tomaram a primeira dose e que ainda não tomaram a segunda. A situação de atraso é caracterizada após 14 dias da data prevista para a segunda injeção.

Em um recorte estadual, o Ceará tem a maior proporção de pessoas em atraso para a segunda dose, com 33%, e o Rio Grande do Norte tem a menor proporção, com 5,4%. Em números absolutos, São Paulo está com 1,25 milhão de pessoas que tomaram a primeira dose e não voltaram na data prevista para a segunda, Rio de Janeiro tem 956,9 mil e Bahia tem 907,5 mil que não retornaram aos postos. Os menores números são em Roraima (21,5 mil), Acre (28,3 mil) e Amapá (31,1 mil).

Veja Também:  Tragédia de Mariana: estados e cidades receberão R$ 150 mi para saúde

O boletim completo pode ser acessado aqui.

A Fiocruz destaca que o atraso da segunda dose pode “comprometer seriamente a efetividade das vacinas no país” e, portanto, “é de extrema importância realizar este monitoramento para promover ações que atuem de forma assertiva na resolução do problema”.

Os dados são atualizados semanalmente e podem ser visualizados de forma interativa, nos âmbitos municipal e estadual, além de por tipo de vacina, com o percentual e o número de indivíduos em atraso para completar a imunização contra a covid-19. Segundo a Fiocruz, “o objetivo do painel é apoiar os gestores públicos a identificar municípios que precisam de suporte para acelerar a vacinação da segunda dose”.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Rio aplica 61,4 mil vacinas em dia D para crianças e adolescentes

Publicados

em


A prefeitura do Rio de Janeiro aplicou 61.432 doses de vacinas em crianças e adolescentes durante o Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação, realizado ontem (16). Foram aplicadas 18 vacinas que protegem contra diversas doenças como tuberculose, hepatite, febre amarela, sarampo, caxumba, meningite, entre outras.

campanha, que mobiliza todas as unidades de atenção primária, teve início no dia 1º e vai até 29 de outubro. O objetivo é regularizar a caderneta de vacinação de crianças e adolescentes até 15 anos de idade em todo o país.

Segundo o Ministério da Saúde, desde 2015, tem havido uma queda da cobertura vacinal, agravada com a chegada da pandemia. A vacinação é importante para evitar que algumas doenças que já estão erradicadas voltem a causar preocupações.

Entre os imunizantes que fazem parte da campanha estão, por exemplo, a BCG, a pentavalente, a tríplice viral, a tetraviral e a tríplice bacteriana. Em razão da pandemia de covid-19, o Ministério da Saúde enviou aos estados e municípios orientações parar garantir protocolos de saúde, como uso de máscaras, espaços ventilados e higienização das mãos.

Veja Também:  Covid-19: DF começa a vacinar adultos com 35 anos na quinta-feira

A pasta informa que não há restrição para que os adolescentes de 12 a 15 anos vacinados contra a covid-19 há poucos dias recebam os demais imunizantes. Não é necessário aguardar nenhuma janela de tempo entre as aplicações.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Pfizer entrega mais 1,3 milhão de doses de vacina ao Brasil

Publicados

em


Um avião com mais de 1,33 milhão de doses de vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech desembarcou hoje (17) pela manhã no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo.

Esse foi o sexto lote entregue somente nesta semana, totalizando 10 milhões de doses. Essas doses são referentes ao segundo contrato estabelecido entre o governo brasileiro e a farmacêutica. Até o fim do ano, a estimativa é de entrega de 100 milhões de doses da vacina. No primeiro contrato estabelecido com o Brasil, a Pfizer já havia entregue outras 100 milhões de doses.

Distribuição

Antes de as vacinas serem distribuídas para a população, elas passarão por um controle de qualidade.

De acordo com o Ministério da Saúde, das mais de 310,4 milhões de doses de vacina distribuídas no Brasil, 94,2 milhões são do imunizante da Pfizer/BioNTech.

Até este momento, mais de 260,1 milhões de doses de vacinas contra covid-19 foram aplicadas no Brasil, sendo 151,3 milhões delas de primeira dose. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 108,7 milhões de brasileiros já completaram o esquema vacinal.

Veja Também:  Covid-19: Fiocruz libera mais 700 mil doses da vacina AstraZeneca

Edição: Kelly Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana