conecte-se conosco


Entretenimento

Gabriel Sater, de ‘Pantanal’, diz que conquistou esposa com música

Publicados

em

source
Gabriel Sater fala do início do romance com a esposa Paula Cunh
Reprodução/Instagram – 08.06.2022

Gabriel Sater fala do início do romance com a esposa Paula Cunh


A viola enfeitiçada de Xeréu Trindade, em “Pantanal”, não é só coisa da ficção. Intérprete do sedutor peão, Gabriel Sater, de 40 anos, revela ter conquistado sua mulher, a produtora Paula Cunha, de 42, com sua música.

+ Entre no  canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

— Eu quebrei o gelo assim. Minha sorte é que Paula foi a uma apresentação minha, em 2006, toda instrumental. Era lançamento do meu primeiro disco. Ela falou que eu estava feio na foto da divulgação do show, nem me deu moral. Meus produtores na época não tinham uma visão estética muito boa (risos). Mas ela era amiga deles, que nos apresentou. Hoje, ela é a minha produtora, uma profissional sensacional. Veio aprendendo tudo sozinha, não trabalhava nessa área antes — elogia o marido, orgulhoso.


Se Trindade tem suas premonições na novela, graças ao pacto com o cramulhão que diz ter feito, Gabriel conta que, em casa, é Paula a mais sensitiva. Ele a considera sua “anja da guarda”.

Veja Também:  'BBB 22': música de Thiaguinho cresce 118% desde a estreia do reality

+ Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

— Eu adoraria, mas não tenho premonições. Curiosamente, sou cercado por pessoas com esse dom. Minha esposa é uma que tem esse lado sensitivo aguçado. Não chegam a ser premonições, mas ela já me revelou situações que fiquei de confirmar e depois se concretizaram. Minha avó chamava a Paula de “meu amuleto da sorte”. Porque ela é meu anjo da guarda em muitos sentidos. Antes de falecer, vó sonhou com um anjo branco gigantesco em cima da nossa casa, próximo à minha esposa. Ela falava: “Tá vendo? Ela é um anjo e uma protetora de todos nós aqui”. Achei muito lindo isso. Minha avó Naima, que chamávamos de Nair, era mãe do meu pai e casada com meu avô Sater, que se chamava Fuad. Também eram anjos nas nossas vidas. Fazem muita falta… — diz, saudoso.

Casado com Paula há quase 16 anos, Gabriel afirma que a mulher não é ciumenta:

Veja Também:  Ratinho fala de noivado de Mara Maravilha e revolta fãs: "Preconceito"

— Ao contrário, ela torce para que as pessoas tenham interesse em mim. A gente sonha junto, a minha carreira é nossa. Quando dá certo, a gente vibra junto. Choramos ouvindo “Amor de índio” tocar na novela.

Apesar de tantos anos juntos, o casal não tem filhos.

— Só caninos, nossos cinco cachorrinhos. Amo tanto eles, que chega a doer de saudade. Queremos ter uma casa maior para criar não cinco, mas dez cachorros. Eu e Paula tentamos ajudar ONGs que cuidam de animais carentes — conta.

Sobre bebês, Gabriel e Paula já conversaram muito a respeito, ele completa:

— Eu amo demais a minha esposa, e se eu for ter filhos vai ser com ela, com certeza. Ela era tão lindinha quando criança! Imagino uma menininha com a carinha dela… Mas a correria da vida tem sido grande. Não dá tempo nem de a gente se ver direito, fico entre Rio e Mato Grosso do Sul, gravando a novela, enquanto ela permanece em São Paulo, onde temos a nossa produtora, a Indomável Produções Artísticas. Não quero ser pai no fluxo, sem querer, sabe? Meu pai brinca: “Se você for pensar muito, não vai ter filho”. Mas eu não tenho essa resposta agora.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Propaganda

Entretenimento

Inimigos declarados: Edmundo afirma que tratava Romário com falsidade

Publicados

em

Por

Edmundo e Romário eram falsos um com o outro
Divulgação

Edmundo e Romário eram falsos um com o outro

O ex-jogador de futebol Edmundo revelou que sua relação com o ex-futebolista Romário era falsa e que depois de uma briga entre os dois, eles nunca mais se falaram. “Ele foi no podcast do Rica Perrone e falou um monte de besteira. Mas tem males que vêm para o bem. A gente se tratava com falsidade nos últimos anos. Depois dessa treta, cada um para o seu lado, para mim ficou melhor”, afirmou para o apresentador Danilo Gentili.

“Eu sou, também, vaidoso e egocêntrico. Acho que a gente é muito parecido nesse sentido. Ele era melhor (em campo) do que eu. Sou verdadeiro”, completou.

O apresentador do talk show The Noite, no SBT, brincou com a possibilidade dos dois jogadores resolverem a briga em um ringue e Edmundo retrucou dizendo que iria pelo dinheiro: “Dizem que o Popó e o Whindersson ganharam uma nota. Se tiver a ‘nota’, eu tô dentro”.

Veja Também:  Após divórcio, Jason Momoa se muda para trailer em quintal de amigo

Edmundo comanda o podcast Mundo Ed, ao lado de Guilherme Camarda, ex-apresentador da Gazeta, e também estava presente na entrevista. “O detalhe é que a gente se conheceu pessoalmente hoje. A gente se falou muitas vezes, estamos há mais de um mês trabalhando juntos, pela internet”, explicou o ex-jogador de futebol. 

O ex-jogador que possui a fama de bravo, afirma que não liga para isso: “Não sou (esquentado). Eu revido muito e revido mal. Acabei tomando um rótulo negativo, para vender jornal. Nunca fui santo, mas nunca provoquei brigas”. 

A entrevista irá ao ar hoje à noite, segunda-feira (4), no The Noite com Danilo Gentili, no SBT. 

*Com a colaboração de Gabriela Ramos.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Entretenimento

Lázaro Ramos critica Bolsonaro: ‘Celebração da ignorância’

Publicados

em

Por

Lázaro Ramos
Isabela Frasinelli

Lázaro Ramos


Lázaro Ramos chegou emocionado na 26ª Bienal do Livro de São Paulo nesta segunda-feira (4). Com um sorriso no rosto que exibia a felicidade por poder falar de tantos assuntos que cercam a carreira como escritor de obras infantis e adultas, o artista destacou a importância de debater livros em um ano eleitoral e foi ovacionado após deixar claro o posicionamento político nas eleições.

A fala ocorreu no início da conversa com os fãs na Arena Cultural do Expo Center Norte, mediada por Pétala Souza. Ao ser questionado do motivo de escrever livros para crianças, Lázaro foi aplaudido de pé. “Porque é uma maneira da gente recriar a história da nossa nação. Eu escrevo para criança para isso. E já para começar colocando fogo no parquinho, em ano eleitoral, é interessante ver fundação, reconstrução, novos diálogos, novos valores. Aí a gente escreve para as crianças, para as crianças já irem colocando na cabeça o ‘fora, Bolsonaro'”, disse.


Ramos seguiu destacando como o objetivo de escrever tais histórias mudou ao longo do tempo. “Escrevia muito no passado para a criança que eu fui. Para falar dos assuntos que eu sentia falta na literatura infantil e não tive acesso. Fui uma criança que não teve acesso a livros por lazer. Depois, penso que escrevo hoje em dia para os adultos que eu quero que meus filhos sejam. Os livros infantis que escrevo são sempre para plantar sementes, para sermos pessoas mais dignas, adultos mais completos e plenos”, explicou.

Lázaro ainda pontuou como é preciso “trocar de presidente” para enxergar mudanças na sociedade. “Não tem como a gente, nesse espaço tão importante, não debater isso. A gente está vivendo em um período onde tem uma celebração da ignorância, uma desvalorização da educação, da figura dos professores e professoras e do poder da importância do livro. Inclusive, taxando mais os livros. E é preciso falar. Para reconstruir esse país, a gente vai precisar voltar a valorizar a educação, a literatura, a cultura e o acesso ao livro. Não existe conhecimento possível quando a gente ceçebra a ignorância, fake news e desinformação”, analisou entre mais aplausos.

Além da emoção declarada no início do debate, Lázaro também se emocionou ao dizer que está “cansado” da constante luta que a população enfrenta para reconstruir o país: “Não tem outra alternativa. Essa é a nossa alternativa e a nossa história. Eu falo isso aqui muito na vontade que a gente consiga ter um descanso, porque essa é uma vida de sobressalto. Eu gostaria de ser uma pessoa muito mais tranquila e falar de outras coisas com vocês, mas a gente vive em sobressalto. Não tem um dia que a gente não pensa sobre isso, não tem um dia que a gente não tem que ter alguma estratégia para combater isso. E cansa para caramba. Está difícil”.

Veja Também:  'BBB 22': música de Thiaguinho cresce 118% desde a estreia do reality

“Mas a solução não virá de um indivíduo, virá do coletivo. Quanto mais unidos nós estivermos, mais fortes seremos”, completou o artista, que ainda foi questionado por uma fã se ele seria candidato em algum cargo político.

“Convite tem muito, mas não sei… Eu queria ser presidente do Brasil”, disse entre risadas, enquanto algumas pessoas gritavam entre o público “eu voto em você” e “seu voto está garantido”. Lázaro complementou o comentário falando da esposa: “Já pensou Taís [Araújo] de primeira dama?”, finalizou.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana