conecte-se conosco


Tecnologia

Google consegue na Justiça permissão para tirar Terça Livre do YouTube

Publicados

em


source
Youtube encerra canais bolsonaristas do Terça Livre por violação às regras
DA REDAÇÃO

Youtube encerra canais bolsonaristas do Terça Livre por violação às regras

O Google voltou a remover o canal do site bolsonarista Terça Livre da plataforma Youtube nesta quinta-feira, após decisão proferida pela juíza Ana Carolina de Almeida, da 8ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), negar recurso do site em processo sobre o tema.

A magistrada condenou o site do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos a pagar as custas do processo que move contra o Google e os honorários advocatícios da gigante de tecnologia.

O Terça Livre foi retirado da plataforma pela primeira vez em fevereiro deste ano, depois que o canal de Allan dos Santos desrespeitou uma suspensão de sete dias imposta ao canal pelo Youtube. A medida foi tomada porque, de acordo com o Google, o Terça Livre violou os termos de serviço da plataforma com a publicação de um vídeo que exaltava declarações do ex-presidente americano Donald Trump após a invasão de seus apoiadores ao Capitólio, em janeiro.

Veja Também:  HBO Max lança sua 1ª série brasileira nesta semana; veja a lista de novidades

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos conseguiu uma liminar no TJ-SP para que seu canal voltasse à plataforma em março deste ano. Santos é investigado pelo Supremo Tribunal Federal por sua participação em atos antidemocráticos.

O vídeo sobre Trump foi removido pelo Youtube em 25 de janeiro, e o canal do Terça Livre foi suspenso por sete dias. No processo, o Google afirma que “embora o autor (o canal de Santos) alegue que o conteúdo seria jornalístico, o vídeo não apresenta qualquer comentário ou contextualização”.

Apos a suspensão, o Terça Livre usou outro canal na mesma plataforma para burlar a sanção, o que levou a seu banimento, alega o Google na ação.

Você viu?

“O Youtube avisou adequadamente (…) do porquê seu vídeo foi retirado da plataforma e qual seria a sanção imposta (…), e o que aconteceria caso ele desrespeitasse tais restrições. Ele o fez e, por isso, teve a conta removida”, afirmou a juíza em sua decisão.

A magistrada cita decisão da Corte Interamericana de Direitos Humanos segundo a qual é direito de a coletividade estar bem-informada, bem como “não receber uma versão manipulada dos fatos, motivo pelo qual a mídia e os difusores de notícias têm que examinar a veracidade e adequação”.

Para ela, o vídeo do Terça Livre “parece mais ter o objetivo de incitar violência do que propriamente informar acerca da fala do presidente (Trump)”.

Em nota, o Google afirma que os canais do Terça Livre foram removidos após a decisãpo judicial “de acordo com os termos de serviço e as diretrizes de comunidade do YouTube”.

O Terça Livre publicou em seu site que vai recorrer da sentença.

Comentários Facebook
Propaganda

Tecnologia

Scarlett Johansson processa Disney por lançar Viúva Negra no streaming

Publicados

em


source
Viúva Negra
Reprodução

Viúva Negra

A atriz Scarlett Johansson, protagonista do último filme da Marvel, Viúva Negra , entrou com uma ação nesta quinta-feira no Tribunal Superior de Los Angeles contra a Disney, alegando que seu contrato foi violado quando a companhia lançou o filme em seu serviço de streaming, o Disney+, no mesmo dia da estreia do longa-metragem no cinema. A informação foi divulgada pelo Wall Street Journal.

No processo, Scarlett Johansson alega que seu contrato com a Marvel Entertainment da Disney garantia um lançamento exclusivo no cinema, e que seu salário se baseava em grande parte no desempenho de bilheteria do filme.

A ação judicial pode ser um termômetro para a indústria do entretenimento. As principais empresas de mídia estão priorizando seus serviços de streaming em busca de crescimento e estão cada vez mais inserindo conteúdos com algo custo de produção nessas plataformas. Essas mudanças têm implicações financeiras significativas para atores e produtores, que desejam garantir que o crescimento do streaming não aconteça às suas custas.

Veja Também:  Procurando um celular novo? Confira dicas para aproveitar boas promoções

“Este não será certamente o último caso em que talentos de Hollywood enfrentam a Disney e deixam claro que, independentemente do que a empresa possa pretender, ela tem a obrigação legal de honrar seus contratos”, disse John Berlinski, advogado da Kasowitz Benson Torres LLP, que representa a atriz.

Você viu?

A Disney começou a lançar filmes simultaneamente no Disney + e nos cinemas em parte por causa da pandemia Covid-19, quando os cinemas estavam fechados ou com capacidade limitada, e em parte para impulsionar seu serviço novo serviço.

A WarnerMedia, que opera o serviço de streaming HBO Max, também tem adotado uma estratégia semelhante, e recentemente decidiu renegociar muitos de seus contratos de talentos que, como no acordo de Scarlett Johansson com a Marvel, estavam vinculados ao desempenho de bilheteria. Isso levou a Warner Bros a pagar mais de US$ 200 milhões aos seus talentos como parte dos acordos alterados.

Scarlett Johansson integra o universo da Marvel desde que apareceu como Viúva Negra em Homem de Ferro 2, de 2010. Sua presença cresceu significativamente desde então como membro dos Vingadores, ao lado do Capitão América e do Incrível Hulk. Sua personagem morreu no blockbuster de 2019 Avengers: Endgame, e o spinoff nos cinemas agora se passa antes dos eventos daquele filme.

De acordo com a denúncia, os representantes da atriz buscaram renegociar seu contrato depois de saber da estratégia de lançamento duplo de Viúva Negra, que ela disse ser seu nono e último filme da Marvel. Disney e Marvel não responderam, disse o processo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Facebook vai lançar óculos inteligentes em parceria com Ray-Ban

Publicados

em


source
Design dos óculos ainda não foi divulgado
Unsplash/Giorgio Trovato

Design dos óculos ainda não foi divulgado

O próximo dispositivo a ser lançado pelo Facebook serão os esperados óculos inteligentes desenvolvidos em parceria com a Ray-Ban. A confirmação foi feita pelo CEO da empresa, Mark Zuckerberg, em conferência sobre os lucros realizada nesta semana.

“Olhando para o futuro aqui, o próximo lançamento de produto será o lançamento de nossos primeiros óculos inteligentes da Ray-Ban em parceria com a EssilorLuxottica”, disse Zuckerberg, sem dar um prazo para a chegada da novidade. “Os óculos têm seu formato icônico e permitem que você faça coisas bem legais”, completou.

O Facebook ainda não detalhou quais “coisas bem legais” os óculos inteligentes serão capazes de fazer. Anteriormente, porém, a empresa já havia confirmado que eles não teriam tela integrada e nem seriam classificados como óculos de realidade aumentada. Pode ser possível que o dispositivo faça ligações e tenha acesso a uma assistente de voz, por exemplo.

De acordo com Zuckerberg, os óculos da Ray-Ban serão parte da “jornada rumo a óculos completos de realidade aumentada no futuro” do Facebook. Os dados coletados por dispositivos eletrônicos produzidos pela empresa devem sem usados em publicidade.

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana